História Garoto de Dallas - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Jared Padalecki, Jensen Ackles, Misha Collins
Personagens Jared Padalecki, Jensen Ackles, Misha Collins, Personagens Originais
Visualizações 38
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meu amores.♥️♥️

Desculpa a demora é que tenho outras fics também.

Olha capítulo narrado por Ann

Foto Alexander Calvert

O capítulo vai ser quente.

É a primeira vez que faço capítulo assim sem ajuda das minha amigas (Espero que vocês gostem).

Boa leitura!

Capítulo 5 - -Só uma boate


Fanfic / Fanfiction Garoto de Dallas - Capítulo 5 - -Só uma boate

-Você tem aula amanhã cedo.

-Eu sei.

-Então por que vai sair uma hora dessa?.

-Preciso pensar um pouco.

-Ótimo pensa dormindo.

Abri a porta do banheiro dando de cara com Chloe que estava me olhando com preocupação.

-Se eu estiver dormindo vou está sonhando e não pensando.

-Ann minha querida, você passou mal ontem.

-Estou bem agora.

-Mesmo assim não sei se é bom você sai.

Meu Deus!

SOCORRO!!!

Quando eu era mais nova e Lucy não deixava eu saí sempre levava Chloe comigo.

Mas agora que sei que ela é minha mãe, fico com vergonha.

-Mãe por favor eu prometo que não chegarei tarde.

Cruzei os dedos atrás das costas.

-Tabom, qualquer coisa me liga.

-Está bem te amo- dou um beijo no rosto dela e vou correndo até a porta de saída, pego minha bolsa de cima do sofá e antes que alguém me falasse alguma sai de casa.

Andei o mais rápido possível até que percebi que já estava distante de casa.

Eu precisava sair ver movimento.

Conversar com quem não conheço

Tentar esquecer essa história da Chloe ser minha mãe.

Não que eu não goste dela, gosto muito e já até acostumei chamar ela de mãe.

Mas o ruim é quem é meu pai, isso eu odeio e vou continuar odiando cada vez mais.

(....)

Estava uma noite quente, a orla da praia vazia.

Algumas pessoas nos barzinhos do outro lado da rua.

Eu estava vestida com um vestido jeans azul uma bolsa vermelha e uma sapatilha bege.

A lua beijava o mar o vento brincava com os fios do meu cabelo.

Era a noite mais linda que já tinha visto.

Um carro vermelho começa a me acompanhar.

Não olhei para o lado e percebi que a rua estava deserta.

Ninguém estava na rua.

“Ótimo era só faltava ser assaltada”.

-Eu garota- o rapaz do carro me chamou.

Ignorei andei mais rápido.

-Garota espera- o carro andava do meu lado.

-Não sou garota de programa.

-Está bem, só precisamos de só mais uma garota.

-Já falei que não sou garota de programa.

-Não estamos querendo uma garota para isso- falou o motorista- não somos esses tipo de homens.

-Estamos indo para uma boate de casais e só podemos entrar se estivermos acompanhados- falou o homem que estava no banco do passageiro.

-Como vou saber que não vão me fazer mal?.

-Olha na porta da boate vai ter mas duas garotas- a janela do banco de trás é aberta e o loiro mais popular e famoso da televisão estava lá.

Mas a série que ele fazia era a mesma série que Jansen participa.

E isso meu deu uma raiva.

-Só uma boate de casais, por favor- falou o motorista.

-Depois me deixam em casa?.

-Claro.

A porta de trás é aberta eu respiro fundo e entro.

-Eu sou Peter- falou o motorista esses são Tyler e o Alexander cujo o apelido é Alex.

-Sei quem ele é - falei sem o encarar.

-E você?

-Ann.

-Prazer Ann.

Apenas olhei para Alex mas não  falei nada.

Peter acelera o carro, indo para a parte da elite do Canadá.

Realmente ao chegar na boate lá estava duas garotas, vestidas para festa.

A ruiva veio logo falar com o Tyler e a ruiva veio em direção ao Peter.

Alex segurou minha mão entrelaçando nossos dados.

Antes que eu falasse alguma coisa ele superou.

-É só para entrar lá dentro te deixo em paz.

Apenas concordo com um sorriso.

Entramos, ele foi para o balcão e eu para a pista de dança.

Música eletrônica era tudo que precisava.

Dancei muito uma música atrá da outra, a música é um ótimo calmante.

E com o meu humor eu preciso de um calmante.

-Você não cansa de dançar.

Me virei ela estava Alex sorrindo me olhando.

-Não amo dançar.

-E dança muito bem.

Dou um sorriso e o DJ começou a tocar música lenta.

-A senhorita me dava a honra dessa dança- ele se curvou esticando a mão.

-Claro meu belo rapaz- brinco em seguida seguro a mão dele.

Ele me abraçava pela a cintura e eu pelo o pescoço dele.

Balançava de um lado para o outro nossos corpos em sintonia com a música.

Ele abaixou o rosto até meu pescoço fazendo assim que nos aproximávamos  mais um do outro.

A respiração quente dele em meu pescoço me provocava arrepios.

Ele beija meu pescoço e mordeu de leve a ponta da minha orelha.

Me afastei um pouco e juntamos nossas testas, o puxei para mim e ele me puxou para ele.

Um beijo calmo mas cheio de luxúria aconteceu, sonhos separamos quando perdi o fôlego.

-Um amigo tem um apartamento aqui perto, vamo sair daqui?.

-Ele não vai se importar?.

-Não, ele é gente boa.

-Se você está falando.

Alex avisou os amigos e logo pegamos o táxi.

(...)

Ao entrar no apartamento ele já tira a camiseta e me pega no colo.

Cruzei as pernas na cintura dele o beijando só sinto a porta se abrir nas minhas costas, e a cama macia.

Naquela altura do campeonato eu já tinha me ficado livres da minha bolsa e dos meus sapatos.

Era tudo tão insano.

Aquele abdômen definido ali na minha frente.

Nem quis prestar atenção no apartamento, eu e ele só queríamos uma coisa.

Ele desabotoou o cinto da calça jeans dele e eu meu vestido, fiquei de joelho na cama mas antes que eu tirasse o vestido ele me esticou a mão, fazendo com que eu ficasse de pé no chão.

Ele me beijou com mais calma e desceu o beijo para o meu pescoço, onde ele distribuía uma sequência de beijos lambidas e moedinhas.

Aquilo me deixava em êxtase.

Logo ele tirou as alças do meu vestido deixando cair em meus pés.

Ele me olhava com um sorriso iluminado, o qual me fez ficar vermelha.

Ele voltou a beijar meu pescoço e desceu o beijo para a curva do meus seios.

Logo me vi livre da parte de cima da minha roupa íntima.

Me deitando na cama ficando entre minhas duas pernas, acariciando meus mamilos.

Desceu beijando meu corpo toda até chegar na minha intimidade, que por cima da calcinha ele faz movimento circular na minha intimidade me fazendo dar suspiros de prazer ele com cuidado retirou minha calcinha e esticou a mão até o criado mudo pegando o pacotinho de camisinha a colocando.

Depois voltou a se posicionar entre minhas pernas.

Seus movimentos eram leves porém firmes.

Me causava arrepios e gemidos de ambos.

Chegamos no nosso estado de êxtase juntos eu primeiro logo depois ele que afundou seu rosto no meu pescoço exausto.

Ele deitou do meu lado e me olhou sorrindo.

-Você foi ótima.

-Te falo o mesmo- dou um sorriso.

-Promete que não vou ser só mais um.

-Quem é só mais uma na sua cama sou eu Sr Alex- dou uma risada.

Eu tou divertido mas logo ficou sério fez carinho no meu rosto.

-Com você foi diferente!

Realmente com ele tudo foi diferente mas não sabia que para ele tinha sido.

-Me passa seu número endereço e-mail.

Dou uma gargalhada.

-Claro, amanhã, estou cansada e com sono.

Ele me puxou para o peito dele.

-Boa noite minha princesa.

-Boa noite príncipe.

Ele me cobriu com a coberta da cama.

(....)

O sol estava esquentando meu rosto.

De olhos fechados procuro Alex na cama,

Quando não o encontro abro os olhos rapidamente.

Olhei o relógio 08:45.

Estou morta.

Atrasada para a faculdade e pior eu  dormi fora de casa e não avisei minha mãe.

Ela me mata.

Rápido peguei minha roupa que estava espalhada pelo o chão e sai do quarto procurando minha bolsa  e sapatos.

Vi eles no sofá e ouvi Alex e mais alguém na cozinha.

Bati o dedinho no pé da mesinha de centro da sala.

Fez um barulho eco.

-Bom dia princesa- Alex me deu um selinho rápido- dormiu bem?.

-Sim e estou atrasada para a faculdade- falei colocando os sapatos- tenho que ir.

-Vamos tomar café primeiro.

-Não tenho tempo.

-Está bem, vou te levar para a faculdade- aiec pegou a chave de um carro em cima da mesa.

-Não precisa.

-Faço questão.

-Está bem- fui até a porta.

-Alex não vai apresentar sua amiga?- perguntou uma voz já conhecida.

-Ela está atrasada- falou Alex.

Me virei e lá estava Jensen Ackles de braços cruzados na porta da cozinha.

-Ann esse é Jensen o dono do apartamento e meu amigão.

-Sua mãe não deixe está preocupada Ann?- perguntou Jensen me olhando com ar de reprovação.

-Não é da sua conta.

Era só o que faltava!.

Se isso é destino me fala que acabo logo com esse carma

Me virei de costas e sai do apartamento entrei no elevador e Alex entrou junto.

-Você conhece o Jensen?.

-Todos conhecem.

-Para ele falar daquele jeito.

-Ele é idiota e não quero mais falar dele- fui seca.

Alex não falou mas nada.

Quem Ackles pensa que é para falar e me olhar daquele jeito?

Ódio, ódio!!


Notas Finais


O que me falam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...