História Garoto do blog (Vhope) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lay, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Bts, Jeon Jungkook, Jin, Jung Hoseok, Kim Taehyung, Namjin, Namjoon, Vhope
Visualizações 31
Palavras 3.562
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sim como vocês leram o título é encontro pt1 é por que eu ainda não terminei de retratar o encontro no total então peço que fiquem ansiosas sim é esperem bastante por que eu tenho que fazer vários trabalhos da escola então vou atualizar uma vez por semana quando der

Não se esqueçam de comentar
Se mantenham hidratadas

Ah e outro informe mais sério será passado nas notas finais então leiam as notas finais

Capítulo 7 - Encontro pt1


—Você vai sair? —Jin pergunta quando me vê arrumado no quarto andando de um lado para o outro mexendo no celular.

—Sim, vou o cara lá tá me enchendo o saco, tô já quase cortando ele —Digo respondendo Hoseok que perguntou qual o hotel que eu vou.

Oi eu sou o carinha que mora logo ali ............. Mentira sou o cara da carteira

—Ah sim, eu sou Taehyung, nunca que eu imaginaria que eu vou me encontrar com Jung Hoseok.

—Se quiser pedir um autógrafo ^_^ .

—Ah eu me recuso —quem ele acha que eu sou pra ficar me arrastando por alguém famoso.

—Já fui rejeitado logo de início .

—Não foi não, eu vou sair com você não vou ? Então pronto ué.

—Você é sempre direto assim?

—Sim, por que ?

—Taehyung você é engraçado

Eu fiquei um pouquinho exaltado porém eu irei deixar passar.

—Como iremos fazer? Você virá me buscar ou eu irei até aí, estou confuso — digo preocupado com a situação.

—Vou te buscar pode ficar tranquilo e aproveitar a noite, depois eu te levo embora.

—Ok, vou mandar a localização do hotel que eu estou {Anexo de endereço}

—Vou passar aí as 20:00, esteja bem bonito (•ө•)♡

La fui eu me arrumar pois já era 18:41, e fui eu deixar os dois pombinhos que só se encaravam o dia todos sozinhos no quarto, quem dera eu fosse tomar banho e começasse a escutar algumas coisas sugestivas porém não escutei nada.

No banheiro liguei a banheira, era grande o suficiente para caber os 8 do Sense8, ela já estava enchendo tirei minha roupa. O ar frio tocava minha pele e me causava arrepios mas logo foi sumindo pelo vapor que subia da água quente que enchia a banheira. Acendi umas belas que estavam na perto da banheira, peguei meu celular e coloquei no aleatório do Spotify e veio west coast da Lana del Rey, o aleatório só me fode, pelo amor de Deus.

Entrei na banheira que ainda enxia e deitei a cabeça na borda, me pus a pensar enquanto tocava a música quando percebi que a banheira já estava cheia eu a fechei e voltei a pensar.

Quanto mais eu lembrava do meu passado mais eu dava risadas para o nada. Lembrei de uma vez quando eu fiquei com uma garota que estudava na minha escola ela chamava Rosé, foi horrível, nenhum de nós sabíamos beijar, fiquei rindo até a imagem dele aparecer na minha mente.

Ele sorrindo para mim no aeroporto, ele sorrindo para mim na frente do edifício, no Uber, diferente dos ensaios onde ele mostra uma pose empoderada ou nos shows onde ele sorri mas não sei foi diferente mas eu sinto que foi único, isso é por que ele é um artista ele deve fazer isso para todo mundo nem vou ligar muito.

Eu um reles plebeu saindo com um astro que tá em todo lugar eu me sinto desconfortável com isso, ele não parece normal, sempre muito carismático e desenvolto, eu me sinto tão sufocado, ele é como um grande sol queimando tudo ao seu redor, gente será que ele é humano. Senti meu rosto corar e eu afundei na água.

Abracei minhas pernas e me mantive embaixo d’água até eu não aguentar, ao levantar eu retiro os fios que caíram no olho e lá fico mais um tempo pensando com o aleatório do celular caindo em músicas, que me lembravam de coisas passadas, como a primeira vez que eu beijei um garoto, foi legal, tipo foi ruim porém eu fiquei feliz por que eu estava beijando um garoto e pra uma primeira experiência foi divertido. Depois disso ficamos algumas vezes mas não saiu daquilo, eu nunca namorei ninguém e isso é muito complexo pra mim, relações com humanos são estranhas, o único amigo que tive foi o Jin inclusive já ficamos algumas vezes porém não saiu disso e como eu sou meio esquisito decidimos não sair da amizade, parece até que somos casados, usamos o banheiro com outro lá dentro, escovamos os dentes juntos quando estamos assistindo séries ou animes até dormimos juntos é confuso mas a amizade é verdadeira e pelo visto ele tá gostando do Namjoon. Eu tô super feliz por ele.

Meu celular apita e já vejo que era 19:20, eu levantei espirrando água em volta da banheira, começo a esvaziar a banheira, me enxugo. Olhos no espelho e vejo que estou sem olheiras nenhuma e que minhas mãos estão extremamente enrugadas, saio do quarto e Jin e Namjoon estavam conversando quase sem se olhar, enquanto Namjoon tomava um refrigerante na bancada da cozinha e Jin, sem eles perceberem eu pego minha mala e volto ao banheiro, como estava calor por que era verão, eu coloquei uma calça jeans rasgada é uma blusa de botão com um tecido bem fino para não ficar com calor, e um tênis all star branco, ajeitei meus cabelos passei um rímel e hidratante além do desodorante e perfume, nossa espirrei perfume até o banheiro ser preenchido com um cheiro doce de flor de cerejeira. Olhei meu celular e era 19:50 e já tinha uma mensagem de Jung.

—Acabei de chegar na frente do seu prédio estou num carro azul venha quando estiver pronto.

—Ok acabei de me arrumar vou descer já me de alguns minutos

—Todo tempo do mundo.

Era impressão minha ou ele estava tentando me cantar? Pelo visto a noite vai ser longa.

Saindo do banheiro eu vou até a bancada da cozinha e interrompo os dois conversando enquanto Namjoon olhava com desejo o corpo de Jin.

—Gente é isto, vou sair e vou demorar pra voltar se eu não chegar até amanhã chamem a polícia.

—Volta aqui, aonde você vai ? —Jin me perguntou aflito.

—Vou sair com Hoseok —respondi sorrindo para ele se acalmar.

—Tudo bem.

—Ah ele vai conseguir se virar —Disse Namjoon sorrindo

Saí do apartamento e fui ao elevador olhando os detalhes de todo o andar em vermelho carmesim em detalhes pretos e dourados, entrei no elevador e logo estava no térreo já indo em direção a saída, e lá estava um sujeito parado com uma camiseta listrada uma calça jeans preta e seu celular na mão encostado num carro azul.

Fui em sua direção torcendo para não fosse ele, eu só queria voltar ao meu quarto e dormir.

Ele me olhou e sorriu daquele jeito único, já sabia que era ele.

—Oi você está ... Fantástico —ele disse me olhando de cima em baixo, senti meu rosto corar.

Ele guardou o celular e abriu a porta do carro, fez um sinal que eu entrasse, meu corpo congelou quase, eu andei todo torto até o carro, estava rígido e envergonhado .

—Você também está bonito, você é sempre bonito, quer dizer gostoso ... —eu coloco a mão na boca e olho com os olhos arregalados para ele enquanto ria tentando ligar o carro — desculpa pelo que eu d-d-disse —eu digo colocando as mãos no rosto, eu estava envergonhado para continuar falando qualquer coisa.

—Eu entendi o que você quis dizer, e obrigado pelo elogio nas você está mais bonito me sinto horrível perto de você.

Eu olhei pra ele, mas ele estava atento na rua, e a cidade era linda toda iluminada era simplesmente fantástico, tirei várias fotos.

—Você gosta bastante de tirar fotos né? —Ele pergunta dando curtas olhadas em minha direção e logo voltando a se concentrar no trânsito.

—Sim gosto bastante —digo apertando as faixas do cinto de segurança.

—Você nunca pensou em virar fotógrafo? —ainda focando no trânsito ele pergunta.

—Ah já tenho outras formas de estar com as mídias e tipo a preguiça fala mais alto além de que eu estou estudando pra faculdade, ou melhor entrar na faculdade —Por fim eu quebro o gelo e começamos a conversar.

—Ah eu sempre quis poder fazer faculdade —Ele disse num tom meio cabisbaixo.— você gostaria de fazer o que?

—Eu gostaria de fazer Letras ou algo relacionado a escrita, jornalismo eu gosto bastante de escrever, mas por que você não consegue fazer faculdade? —pergunto com o corpo quase virado para ele em interesse na sua resposta.

—Chegamos —disse ele parando— quando entrarmos e nos acomodarmos eu continuo.

Ele termina de estacionar o carro e descemos andamos por uma rua bem diferente do que eu estou acostumado e haviam várias pessoas numa fila, o cheiro de comida me fazia tremer de fome, ao virarmos a esquina percebo que era no final do quarteirão e havia uma fila enorme eu parei ali e fico esperando Hoseok.

—O que você está fazendo na fila? Eu fiz reservas não precisamos pegar fila— ele disse pegando em minha mão e me puxando para a entrada do restaurante, andamos todo o quarteirão de aproximadamente duzentos metros de mãos dadas, eu estou suando, EU PEGUEI NA NÃO DE UM ASTRO DA MUSICA POP, eu estou suando muito. Chegamos na recepção e ele começa a falar em francês com a mulher e eu não entendo nada, parece até minhas aulas de matemática da escola. Ele me olhou sorrindo e fez um sinal para mim ir na frente, e eu fui porém eu não sabia nem aonde eu estava indo.

Eu só soube que estava indo na direção errada quando ele segurou em meu ombro e me virou levemente para a direita e me mostrou uma mesa para duas pessoas arrumada num lugar bem reservado, assim sentamos nos dois frente a frente e meu corpo gelou eu nunca havia sentido algo assim, eu engoli seco, ele me encara e eu olho para os pratos ali dispostos com diversos talheres uma coisa bem no estilo de banquete de família real porém para nós dois apenas.

—Você está bem? —Ele diz aproximando seu rosto na minha direção.

—Estou bem é que, não é todo dia que eu como com Jung Hoseok —Tenho que fazer a egípcia e não demonstrar que eu estou quase morrendo, daqui a pouco o ar vai começar a faltar e aí quando eu desmaiar ele vai me levar embora.

—Ah sim —O sorriso dele some na mesma hora.

—O que foi eu fiz algo que você não gostou? — eu já estou ficando estressado com a situação, quase estou com falta de ar.

—Não é que tipo achei que você não me trataria como uma pessoa famosa mas sim como uma pessoa normal, como aquele dia no carro você me tratou como uma pessoa comum é isso me deixou extremamente feliz —Ele disse com sua voz toda carregada, seu olhar ia distante a uma direção que não era o meu.

Eu me debrucei sobre a mesa e o encarei

—Olha é difícil fazer isso que você está falando por que eu penso que sempre eu tô falando com o cara que faz minhas músicas favoritas mas já que você insiste vou te tratar como um reles mortal —Seu sorriso voltou a aparecer.

—Isso ae —Chega o garçom.

Ele diz o que vai pedir e o moço fica olhando para mim, e eu fico alternando os olhares entre Hoseok é o garçom.

—Bom já que tu sabe falar em francês me ajuda, eu pego o cardápio e sinalizo 2 pratos um de macarrão com filé de frango e outro de carne de salmão com uns molhos que eu não entendia nada, e um sorvete. —e lá foi ele falar para o garçom sobre os pratos que eu queria.

—Quer voltar sobre o assunto da faculdade? — o garçom já havia saído e estávamos frente a frente novamente com as taças cheias de vinho, eu estava me sentindo muito rica.

—Bom por que tu não pode fazer faculdade? —disse dando um gole no vinho, nós dois nos encaramos, eu senti meu rosto corar e logo começamos a rir ao mesmo tempo.

—Você parecia aquela mulher de game of thrones que só toma vinho —Ele diz olhando para cima tentando lembrar o nome.

—Ah sim, Cercei —peguei a taça na mão e dei um leve balanço, trouxe até abaixo do nariz e dei uma leve fungada, olhei em sua direção com uma sobrancelha arqueada —Mais vinho, agora.

E assim ficamos rindo igual duas hienas até que ele engasgou ao tomar água e eu, sem reação continuei a rir mais ainda. Eu sou muito mau mas não pude evitar depois que ele voltou ao normal eu perguntei.

—Você está melhor?

—Estou sim —disse ele com o rosto vermelho.

—Bom voltando a faculdade ... —faço um sinal com a mão para que continue a falar.

—Ah sim eu não posso fazer faculdade por que isso tomaria muito tempo na minha vida e eu acabaria tendo que quebrar contratos e depois eu não teria mais trabalhos —Ele diz deprimido.

—Ah tipo conte tudo o que você não pode fazer quem sabe não fazemos algumas delas juntos —digo falando para animar ele.

— Ah eu não posso me relacionar com outros homens se não eu perco várias campanhas e papéis em filmes, eu não posso usar drogas, eu não posso sair sem avisar meu assessor, sabe esses tipos de coisas, eu tenho que ser uma pessoa perfeita a todo tempo se não sempre vai ter um paparazzi para fotografar e sair na mídia isso me deixa um pouco triste saca? —ele disse meio apático

—Eu achei que esse jantar fosse para nós divertirmos, bom quando sairmos eu preciso que me leve em um lugar específico —Digo sorrindo.

—Mas já está pensando em ir embora? —perguntou ele surpreso

—Eu não nossos pratos ainda nem chegaram —foi só dizer isso que o garçom trazendo um carrinho retirou as louças de enfeite e colocou os pratos com as entradas.

O meu prato era um macarrão com frango frito, só que veio um pingo de comida, por isso não gosto de restaurante de gente rica, mas o prato estava um brinco, deu até dó de comer pra não estragar, primeiro de tudo eu tirei uma foto e depois eu comi, em questão de minutos eu já tinha acabado de comer enquanto Jung ainda estava comendo um pingo de comida daquele. Seu prato de entrada foi uma porção de peixes fritos com um molho.

—Nossa você come bem rápido —Ele diz olhando pra mim com a boca suja de molho.

—Ah me dê licença —Eu pego um guardanapo me aproximo, coloco a mão em seu queixo, sua boca permanece entreaberta, era convidativa ao beijo porém vi ele ficar envergonhado então eu sorri e limpei sua boca com o guardanapo e voltei ao meu lugar.

Ele ficou visivelmente envergonhado, seu olhar era bruxo suas mãos estavam no seu colo.

—Pronto agora ficou melhor, olha pode comer como quiser, você me pediu pra tratar você como um amigo ou alguém próximo e eu não fico medindo esforços pra comer na frente dos meus íntimos.

—É verdade —Ele disse voltando a razão, começou a devorar o prato ferozmente como um leopardo atacando uma gazela.

Enchemos as taças mais uma vez e continuamos a conversar

—Me conta de você o que você faz ou é? —ele perguntou com um sorriso no rosto com a taça de vinho entre os dedos girando o líquido que iluminado pelas belas ficou carmim, não vou negar que sua beleza é estonteante.

—Olha eu saí do interior para morar com meu amigo que faz direito na capital paulista e eu ajudo ele fazendo uns freelance e no tempo livre eu estudo, quase nunca saio de casa, na verdade eu e meu amigo parecemos quase um casal, por que tipo, quando eu estou no banheiro tomando banho ele entra pra fazer xixi, até por que nós fazemos xixi sentados por causa da preguiça, sim sou muito preguiçoso, quando acordamos juntos escovamos os dentes juntos, é como um casal só que dormimos em quartos separados, ah ele é um ótimo amigo nunca me deixou na mão. E você? Conta pra mim o que as revistas não sabem.

—Primeiro eu preciso do seu celular —Eu fico meio intrigado mas entrego o celular— ele olha e fica com ele na mesa— bom por agora eu posso dizer, eu sou gay, e meu melhor amigo que é meu assessor chamado Jimin também, nós não namoramos, já tivemos uns rolos na escola porém nada muito sério, nem cheguei a beijar ele, na verdade rolo não foi não, por que eu gostava dele mas ele não sabia, sou virgem de tudo nunca nem beijei ninguém na minha vida nem fiz sexo com ninguém, apesar das diversas propostas que já tive, quero fazer com alguém quando eu amar a pessoa, sou extremamente sensível e choro por qualquer coisa, adoro desenhos, amo a chuva e a noite, nossa como eu amo tomar chuva, eu faço academia e modestamente eu falo que eu estou em forma — eu começo a rir da pose ridícula que ele fez— Ué que foi ?

—Nada só prossiga, tô adorando —Digo rindo

—Eu fico muito pouco com a família por causa do trabalho, tenho vontade de ter um gato, amo gatos, sou um fã de animes e mangás sempre que tenho tempo eu compro pela internet e mando entregar em casa os mangás animes eu assisto via streaming daquele site com o nome complicado, gosto da noite porém tenho medo de escuro, odeio postar fotos no Instagram e tudo mais até por que só curiosos gostam de saber da vida dos outros, e eu tô bem suave de curiosos, amo filmes de drama ainda mais quando eu assisti com o Jimin por que ele não chora e fica ele me confortando. —Nesse momento eu já estava de boca aberta com a quantidade de coisas que ninguém sabe sobre ele e agora eu sei, meu deus eu estou no céu.

Chegou nossos pratos principais o meu era um macarrão com molhos e o dele era camarão com uns negócios que eu nunca vi na vida. Comemos iguais a bárbaros, o garçom trocou a nossa garrafa de vinho que estava vazia e colocou outras duas no lugar e assim comendo e tomando vinho voltamos a conversar.

—Eu não sabia que você era tão incrível assim —Ele coça a cabeça sem tirar seu sorriso radiante do rosto.

—Não sou nada desse incrível que você pensa eu tenho defeitos, sou egoísta, infantil, entre outros —Ele diz fechando a cara —eu não sou tão incrível assim.

Eu tomo uma taça de vinho inteira olho pra ele faço um sinal com as mãos para ele esperar e tomo outra taça de vinho, já estava começando a ficar levemente alterado.

—Você vai tomar no seu cu e para de graça, você é incrível —Seu queixo ficou aberto, sua expressão era de espanto —Você é tudo isso aí é tem que fingir ser algo que não é para não perder o emprego por causa da sociedade, por causa dessa mesma sociedade que te emprega você foi privado de amar de se mostrar sentimentalmente você é obrigado a escutar boatos entre você e uma garota que vocês dois não se gostam por que eu acabo de descobrir que você é gay, você não pode estudar, você tem que sempre estar no padrão de beleza por que se não você fica fora de seus trabalhos e campanhas, você não pode mostrar seu lado de cultura oriental por que se não vão te julgar, você é e não é ao mesmo tempo sua vida tem tantas nuances e ainda sim você consegue viver sem se matar ou pirar. Você é incrível aceite isso caralho. —quando eu acabei de falar caiu a ficha do que eu estava fazendo e eu levei as mãos ao rosto e corei na hora, fiquei extremamente envergonhado. Seu semblante se mostrou surpreso porém ele logo abriu o sorriso.

Ele levantou e andou na minha direção, quando acho que ele irá passar por mim ele me abraça chorando

—Obrigado por me ajudar de um jeito que ninguém ajudou —Disse ele em meio aos soluços ele sentou no seu lugar enxugando às lágrimas com um guardanapo e logo o meu sorvete chegou era o último prato, um sorvete de caramelo.

Eu dividi meu sorvete com ele enquanto ele estava com o rosto quente e vermelho pelas lágrimas, estávamos sentados lado a lado e comendo o sorvete em silêncio quando ele encosta o braço no meu, eu já estava tremendo, é isso foi aumentando conforme o contato dele em mim também aumentou, chegou a um ponto que parecia que eu sofria de Parkinson, ele olhou pra mim rindo igual a uma hiena.

—Não precisa ficar assim —ele diz segurando minha mão com a sua fazendo com que eu parasse de tremer — você precisa se acalmar.

Eu faço que sim com a cabeça, seu rosto encarava o meu e estávamos tão perto que eu sentia sua respiração eu com medo só me virei para o sorvete e me pus a comer até que deu dor no cérebro e então eu coloquei as mãos na cabeça, solto um pequeno gemido e me debruço sobre a mesa, eu estou meio tonto devido a quantidade de taças de vinho, ao todos tomamos as três garrafas que pedimos.

—Ta tudo bem? — ele diz

—Dor de cabeça por causa do sorvete.

Ele afaga meus cabelos e desce sua mão até minha nuca provocando arrepios fortíssimos me fazendo arfar sem nem um esforço, eu tinha que manter a compostura então levantei e dei um sorriso


Notas Finais


Então gente olha cada personagem da história tem um pouco da minha personalidade e como nenhuma pessoa é 100% boa alguém vai ter que pegar a parte ruim e quem foi sorteado foi o Jimin então as Jimin utt da plateia não fiquem bravas pelo seu anjinho sair metendo o louco e sendo o meu mais perverso ser, ele não será mau ele só será estraga prazeres

Então não fique triste e até um outro dia

Ah olhem a minha antiga história não se esqueçam de comentar caso olhem, por favor olhem tô implorando

https://www.spiritfanfiction.com/historia/zero-o-primeiro-poder-7547206


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...