História Garoto Do Tempo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jungkook, Jungkook!top, Kookmin, Passivamin, Taeyoonseok
Visualizações 73
Palavras 1.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá olá o/
Eu espero muito que essa fanfic vá pra frente, tenho ótimos planos para ela então espero que gostem o/
Vou deixar pra falar mais nas notas finais, boa leitura sz

Capítulo 1 - Uma tempestade?!


Fanfic / Fanfiction Garoto Do Tempo - Capítulo 1 - Uma tempestade?!

Estava próximo ao meio dia quando Jungkook servia seu almoço para em seguida derrubar-se sobre o sofá e ligar a televisão esperando ansioso pelo jornal; The Busan Times.

A previsão do tempo não lhe era tão interessante quando um senhor estranho e gordinho apresentava, ou quando uma moça bonita falava sobre a chuva, o seu encanto mesmo era pelo garoto baixinho de sorriso bonito e carisma exuberante. Não se dava a liberdade de perder um sequer segundo da maestria que o jovem apresentava os dias ensolarados com gosto ou mesmo dos chuvosos.

O sorriso em seu rosto chegava a quase rasgar as bochechas e sua comida a esfriar – talvez derrubasse alguns grãos de arroz no chão, mas isso poderia limpar depois, assim como também podia reprisar todos os programas somente para ver aquele rostinho outra vez.

Taehyung, o melhor amigo, encarava o moreno logo revirando os olhos, não conseguia chegar a uma conclusão se era bom ou ruim aquele sentimento tão puro que Jungkook sentia para com o outro, porém chegava a assustar o quão fissurado ele era pelo apresentador cujo chamava-se Park Jimin. Gostaria de dar um conselho para ele pedir o número do mesmo, mas sabia que era impossível chegar tão próximo a alguém famoso e aclamado pela sociedade.

Não podia fazer nada para ajudar além de dizer que era inviável apaixonar-se tão inutilmente por alguém que jamais teria contato. Mas quem disse que o Jeon escutava? Mais do que cabeça dura, ele era um cabeça de vento.

O programa em sua abertura mostrava ocorrências históricas do país, casos que seriam mostrados na edição e também o rosto dos apresentadores; dois senhores já de idade que não largavam o cargo por puro gosto de estar ali atrás das câmeras.

O mais novo dos dois abocanhava a comida sem tirar os olhos do televisor, mesmo sabendo que a noticia do tempo só seria dada depois dos comerciais. Contudo os orbes permaneciam fixos ali em esperança de ver o rapaz bonito e bem vestido em um terno.

Park Jimin era um garoto recém formado em jornalismo, que após ganhar destaque nas notas da faculdade ganhou um emprego no jornal mais importante do país, sendo acatado para a área do tempo – cujo também havia se especializado, meteorologia era seu forte, além de gostar do ramo conseguia ganhar o publico com a simpatia que exalava naturalmente, sendo um dos apresentadores mais queridos pelos telespectadores.

– Você não acha que precisa parar de ficar assistindo esse garoto e ir atrás de alguém de verdade? – Taehyung, ainda entediado, não suportava a cara feliz do amigo venerando a televisão, estava quase procurando por encontros arranjados para enfim tira-lo da prisão que era o amor unilateral.

– Ele é alguém de verdade. – Sorriu tão bobamente para o castanho, que por segundos ele teve pena. Ansiava pelo dia que poderia sair em um encontro duplo com Jungkook e seus namorados, mas ele não colaborava em nada, há dias vinha tentando colocar naquele cérebro que ficar esperando o Park aparecer em sua porta do nada o chamando para sair era loucura.

Suspirou profundo ao ver o brilho nos olhos do outro. Machucava a si tanto quanto machucava Jungkook, que era sem dúvidas como um irmão que tivera que tomar conta desde que se conheceram. A fragilidade e ingenuidade eram coisas boas se bem colocadas na vida de alguém, mas naquele caso estava sendo estupidamente inconcebível. Jungkook a flor dos vinte e dois anos, no terceiro ano da faculdade de medicina não poderia ser alguém solteiro e vidrado em algo que de longe se tornaria real. Era como as adolescentes que sonham que irão casar-se com seus cantores favoritos, mas ele era um adulto e em breve deveria estar casado e com filhos.

– Depois dos comerciais a previsão do tempo com Park Jimin, no jornal The Busan Times. – O moreno repetiu as palavras do senhor apresentador, mais do que inquieto pela volta do programa, que estava em seu primeiro intervalo com duração de pelo menos um minuto, mostrando propagandas que produtos que só alguém como Jungkook ousaria comprar. – Você tem que concordar que ele é lindo, hyung.

– Isso eu concordo... – Respondeu alheio aos pensamentos, talvez estivesse se preocupando demais com um garoto já na fase adulta da vida, mas conhecendo-o como conhecia, era capaz dele morrer com as esperanças de casar com aquele metido aspirante a jornalista.  Sem admitir para si mesmo, havia agarrado certo ódio pelo apresentador, não que ele fosse alguém desonroso, mas o tanto que ouvia seu nome durante o dia era de tirar a pouca paciência que tinha.

– Quieto Taehyung, o jornal já vai voltar. – Pediu silêncio ao colega, que nem mesmo dizia algo ou se movia por puro tédio e um cansaço que não sabia de onde surgira – talvez fosse um desgasto mental, apenas.

O prato de comida já sobre a mesa de centro e os olhos fixos na tela, Jungkook respirava profundamente e deixava transparecer sua inocência, como uma criança vendo um show de fogos de artifícios pela primeira vez. O intervalo curto demais na visão do Kim passara sem nem mesmo perceber, dando-se conta que o ancora já havia dado o seu lugar ao garoto do tempo.

O castanho, pela primeira vez se deu o direito de prestar atenção no que a previsão dizia. Julgou importante já que mais tarde sairia com o namorado e uma chuva não seria bem vinda, embora o sol lá fora fosse insuportável, estavam em pleno verão e as temperaturas sempre altas demais atrapalhavam aqueles desacostumados ao calor.

No programa, Park Jimin vestia novamente um terno bem alinhado junto de uma gravata azul, o cabelo castanho perfeitamente arrumado em um topete – imaginava que ele era apenas famoso pela beleza e juventude, mas pelo que mostrava era bem gentil e animado, dando graça a algo que normalmente não veria por puro desinteresse.

Nas regiões próximas, as mãos gordinhas apontavam o solzinho e baixos índices de nuvens nas proximidades, indicando um período curto de seca. Era sempre assim durante o verão e primavera, pouco chovia e tornava-se quente demais, dando lucro aqueles que vendiam refrescos ou protetores solar. A pele da população sofria com os danos causados pelos raios ultravioletas naquela época do ano.

Demoraram alguns minutos até a temperatura de todas as cidades serem compartilhadas pelo telejornal. Jungkook, o garoto ainda sorria, poderia até ser considerado doentio por alguém de fora, os dentinhos a mostra, os olhos esbugalhados em felicidade e uma animação descomunal era de fato, algo raro de se ver.

– Jungkook, você não acha que seria melhor sair com alguém que possa tocar? – Insistiu na pergunta de mais tarde. Tinha certeza que seria em vão, mas não custava tentar, a esperança de que Jeon fosse deixar aquela possibilidade de lado e se dar conta enfim que deveria arrumar alguém dentro de seu alcance ainda lhe parecia acesa.

– Não hyung, eu ainda vou ficar com ele! – Diferente de antes, o sorriso já não estava em seu rosto, mas uma expressão comum se fez presente. Não estava bravo com Taehyung, ou jamais ficaria, era tão infantil quanto uma criança. Iludido talvez fosse a palavra correta, mas parecia grosseria associá-la ao jovem com uma alma tão delicada.

Minutos em silencio passaram-se enquanto Jungkook levava o prato sujo até a cozinha e o mais velho mantinha-se pensativo sobre o sofá, inerte de qualquer pensamento coerente. Dentro de suas incontáveis tentativas não avançara sequer um pouco.

– Eu vou sair com o Hoseok hoje, Yoongi parece que já está com ele.  – Começou o Kim, em um tom pesaroso. Mesmo pela idade, tinha medo em deixar Jungkook sozinho; era capaz de o garoto ser assaltado e dizer que os ladrões estavam apenas pegando suas coisas emprestadas. – Tem comida na geladeira para o jantar e algumas coisas no armário. Acha que vai ficar bem até amanhã? – Questionou, ainda que não precisasse, o moreno até sabia cozinhar melhor que si.

- Vai voltar só amanhã? – Retrucou com outra pergunta, vendo o mais velho assentir. – Mas vai ter uma tempestade hyung, não pode sair. – Mais uma vez a pureza tomava conta das palavras, dando o ar de cautela e proteção de uma criança para com os pais indo trabalhar.

- Jungkook, você sequer prestou atenção na previsão? – Jeon assentiu, concordando sobre ter prestado atenção a cada segundo que Jimin era mostrado intencionalmente na tela. – Amanhã e todos os outros dias serão de sol, em toda a região.

Passou a mão nos cabelos sedosos e jogou a cabeça para trás em um suspiro, aquilo era torturante. Se Jungkook não fosse seu melhor amigo desde a infância, já o teria deixado de lado, mas seu caso às vezes era alarmante, por vezes causava medo.

– Está louco, hyung? – Riu de Taehyung, ele que parecia não ter prestado atenção, a previsão era claramente para chuva e uma tempestade se aproximava da cidade, poderia até ser perigoso. – A previsão é de uma tempestade amanhã à tarde, você deve estar em casa para se proteger, Jimin-ssi disse na tevê.  – Apontou para o aparelho ainda ligado, porém com um volume agora baixo, passando algumas noticias sobre bancos e audiências de empresários importantes para o país.

– O quê? – O Kim irritou-se momentaneamente, boquiaberto. Seria possível o menino estar tão apaixonado ao ponto de não ter prestado atenção no programa e sim na silhueta do prodígio que era o meteorologista?

No instante que abriria a boca para responder e questionar outra vez o quão absorto o moreno estava em sua paixão platônica, um vento forte adentrou a janela, balançando as cortinas. O sol ainda prevalecia no céu, mas algumas nuvens ousadas apareceram para cobrir parte do azul, dando a entender uma possível reviravolta no tempo, mesmo quando Park Jimin disse não haver possíveis quedas de água por pelo menos duas semanas. Rezava a lenda que ele não errava uma sequer previsão, deixando claro quão inteligente era em sua área de estudos, por isso a popularidade.

Mas ali, Jungkook pareceu quebrar suas barreiras do clima, uma chuva realmente estava por vir, e ele nem sequer se dera conta da gravidade da intuição despercebida.  

- Viu só, hyung. – Sorriu, fechando a janela para impedir as folhas de entrarem, a ventania estava forte o suficiente para cobrir seus moveis de poeira.


Notas Finais


O jornal The Busan Times é tipo uma referência ao The New York Times, ok? asygfhyig
Uma pergunta, qual casal vocês preferem entre Yoonseok, Vhope,Taeyoonseok, Namjin e Vmon? Eu particularmente não gosto muito de Namjin em determinados tipos de histórias, como o fofo, acho eles legais para comédia apenas, mas mesmo que eles não tenham tanto destaque aqui, eu preciso formar outros casais. Vocês podem escolher, eu tô meio indecisa quanto a isso haushsuh
Bye bye, até a próxima o// <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...