1. Spirit Fanfics >
  2. Garotos Letais >
  3. Todo gato vira-lata

História Garotos Letais - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, pessoas! 🦄
Tudo bem com vcs? Espero que sim. Embora haja todo esse turbilhão de coisas acontecendo no Brasil e no mundo, desejo do fundo do coração que tudo termine bem para todos e que esse momento sombrio passe logo. Fiquem em casa, gente! ✊ ... por todos nós. E orem pelas vítimas, somos todos irmãos no final.

Espero também que se divirtam com o capítulo tanto quanto me diverti escrevendo 💟 fiz ele com amor para vcs.
Boa leitura!

Capítulo 22 - Todo gato vira-lata


Fanfic / Fanfiction Garotos Letais - Capítulo 22 - Todo gato vira-lata

C R I S T I A N O

— Então era isso o que você tinha para mostrar? — inquiro para Eden, que pousa seu controle de Xbox no descanso de sua poltrona. Em seguida ele vira-se exclusivamente para mim.

— Pode ser que você esteja em seu dia de sorte — ele sugere, me fazendo sorrir um pouco. Nós concordamos que o perdedor da partida teria que pagar alguma coisa ao outro, logo estou animado para começar com as minhas exigências.

— Sortes são para principiantes, eu só trabalho com habilidade.

Ele revira os olhos, parecendo vulnerável às minhas provocações. É sempre excelente quando descubro algo em que sou categoricamente melhor que Hazard, porque me dar um ar de superioridade. É uma sensação gostosa.

— É mesmo? — ele inclina-se habilmente para a minha poltrona, jogando-se em cima de mim. — Estou louco para testar essas suas habilidades em minha cama.

Ele beija meus lábios com entusiasmo, mordiscando-os vez ou outra, o que já é uma característica das muitas formas de roubar minha atenção. Entre os seus lábios libero uma risadinha ao mesmo tempo em que abandono o controle remoto e começo a trabalhar estritamente em segurar sua cintura.

Sua língua invade minha boca, explorando em um instante cada espaço cabível. Enquanto isso ele vem para o meu colo e acomoda sua bunda em cima da minha ereção. Eu fico estupefato pelo o quão excitado esse garoto pode me deixar. Ele é ousado e decidido, é como se estivesse aberto a fazer qualquer coisa que pudesse lhe dar prazer, e isso me transmite uma certa sensação de liberdade para tentar qualquer coisa que eu queira.

— Por acaso, você disse a palavra cama? — eu pergunto brevemente num intervalo entre um beijo e outro.

— Sim, acho que você ouviu bem.

Minhas mãos deslizam de sua cintura para suas nádegas grandes e palpáveis. Eu as aperto com força.

— Que tal irmos andando? Acho que não resisto por muito tempo.

Ele libera um risinho levado com suas mãos percorrendo meu corpo, massageando e aprazando cada centímetro por cima da roupa.

— Você acha, é? Por acaso está a ponto de pôr o pau na minha bunda, seu safado?

Seus lábios vão para a minha orelha, alcançando o lóbulo com uma competência invejável, em seguida uma mordida é instalada, espalhando arrepios pelo meu corpo.

— Eu ganhei de você... é justo que me dê tudo o que eu mereço. — Sussurro para ele, arfando em cada estímulo de sua bunda prensando e arrastando-se em cima da minha ereção.

Seu indicador vem para os meus lábios enquanto seus olhos se fixam nos meus.

— Shiii! — ele murmura baixinho. — Vou cuidar de você da forma que eu faço.

Ele se levanta e oferece a mão para mim, que a seguro obedientemente e deixo-me ser guiado por ele até a cama. Um sorriso travesso atravessa seus lábios quando ele me empurra sobre o colchão. Meio que sentado na beirada da cama, aguardo passivamente enquanto ele desabotoa minha jeans Vans e a puxa pelas minhas pernas até que eu esteja apenas com a Versace preta. Enquanto passo a camisa pelos meus braços sou abocanhado por cima da cueca. Ele está ajoelhado diante de mim, brincando com o meu pau, e diante disso tenho que me segurar para não explodir em gozo apenas por seus incentivos. Olhando para cima, para mim, seus olhos translúcidos me transmitem puro ecstasy, e se ele fosse, tenho absoluta certeza de que iria querê-lo em minhas veias.

Ele enfia a mão em minha cueca, apanhando meu membro e o trazendo para fora. Rosto, olhos, boca, tudo bem próximo dele, a um pequeno movimento. Vai lá, garoto.

Uma só lambida me faz revirar os olhos. Estou muito duro e sensível aos movimentos da sua boca. Ele parece entender isso muito bem logo instalando outra, e outra, brincado com a glande como se estivesse a se deliciar com Ben & Jerry’s.

É uma loucura. Me permito absorver cada segundo disso. Sua boca no meu pau, engolindo-o aos pouquinhos, indo fundo e depois o cuspindo fora, para depois fazê-lo novamente; sua mão segurando na base da extensão no momento em que a repetição começa a se intensificar.

— Você gosta disso? — ele pergunta. Eu arfo.

— Gosto... muito.

Ele ri como um maníaco antes de me pôr na boca novamente. Depois de um tempo assim, ele sobe em mim e me beija como nunca antes, quase como se estivesse apaixonado. Um sorriso escapa pelos meus lábios ao chegar a essa conclusão.

— Que foi?

Nego com a cabeça. — Nada.

— Sei. Que tal você me mostrar algo agora? — seu indicador para no meu peito.

— Pensei que não iria pedir. — Inverto as posições o atirando na cama e puxando o moletom. O safado está sem cueca, eu o observo atentamente retirar a camisa e esperar por mim. Sem delongas, encaixo-me entre suas pernas e posiciono meu membro em sua entrado, provocando um pouco porque sei que isso o enlouquece.

— Vai enfiar isso logo ou não?

Eu sorrio e adentro lentamente, sentindo a musculatura se contraindo envolta do meu pau.

— Puta merda, Cris, essa porra não tá lubrificado o suficiente! — ele exclama, virando a cabeça de um lado para outro enquanto vou mais fundo e recuo lentamente, prolongando essa sensação boa por mais tempo. Um sorriso discreto aparece nos meus labios. Caralho, isso é muito bom. 

Ele se contrai mais forte entorno de mim, impossibilitando-me de segurar um gemido mais rouco e selvagem. Eu já não posso me impedir de forçar movimentos mais precisos. Entre suas pernas acerto mais intensamente em sua bunda, meu pau em atrito com sua pele quente e macia.

— Caramba, essa é a bunda mais gostosa em que já estive — falo, pensando em voz alta. 

Ele esboça um sorriso fraco entre seus gemidos.

— É mesmo? Então trate de fodê-la, seu tarado!

Eu o viro para mim, sua bundinha empinada para me receber. Eu enfio com força e fico grato por ele ter abafado seu gemido alto em um travesseiro. Minhas estocadas ficam mais rápidas, e mais rápidas, até que os espasmos sequenciam o líquido denso sendo bombeando dentro da bunda do meu parceiro.

Arfando e gemendo, caio sobre ele, especificamente em seus lábios.

•••

Minutos mais tarde, levanto da cama e entro em seu banheiro. Sorrio para minha aparência bagunçada no espelho e ligo a ducha, caindo para debaixo da água, falhando em impedir-me de pensar em Lionel. Com ele as coisas não costumavam ser assim tão loucas, pelo contrário, tudo era doce e harmônico.

Para de pensar nele, Cris, acabou.

Mas por que será que eu não consigo me sentir bem com isso? É como se um bolo se formasse em meu estômago toda vez que a imagem de Lionel me vem à mente.

Depois de um breve momento, eu saio do banho e enrolo uma toalha em minha cintura. Com Hazard eu nunca tenho tempo para pensar em Lionel, então tudo o que eu tenho que fazer é estar com ele e tudo estará resolvido.

— O que houve? — pergunto para Eden, que está sentado na extremidade da cama, com as costas apoiadas no espelho. O mesmo já completamente vestido e com os braços cruzados rente ao peito. Um olhar nada amigável se desenha em seu rosto.

— Se veste primeiro.

Eu fico paralisado, apenas tentando entender a situação. Como ele não diz mais nada, eu simplesmente o obedeço.

— Então?! — digo, logo quando acabo.

— Você está com Lionel? — ele pergunta.

— O quê?

— Por acaso não ouviu direito?

— Eh... não.

— Mas vocês estão se falando ou o quê?

— Eden...

— Responde, Cris!

— Não. — Um silêncio se instala pelo cômodo ao mesmo tempo em que seus olhos rígidos se concentram minuciosamente em mim. Eu ainda não entendo o que está havendo. Mas passo a ter uma noção quando meus olhos caem sobre meu iPhone na beirada da cama. A tela está acesa, especificamente no mais recente grupo em que fui adicionado. — O que significa isso? — ele não responde. — Você mexeu no meu celular?

Ele apenas dá de ombros, frio.

— Pode ser que sim. Por quê? Está escondendo alguma coisa?

Um arfar de frustração escapa pelos meus lábios. — Olha, Eden, eu não sei onde você está querendo chegar, mas preciso que saiba que isso não é nada legal.

— Quer saber o que não é legal, Cris? Você mentir para mim. Poxa, cara, eu te aceitei como um irmão em Los Tigres, eu te trouxe para o meu grupo, tirei de você a marca de um coitadinho que sofreu perseguição de um sociopata e te fiz popular de novo. Eu te trouxe para minha casa, deixei você jogar no meu vídeo game e até foder o meu rabo. É isso o que eu mereço em troca? Mentiras?

— Hazard, por acaso isso é uma brincadeira? — sua feição rígida se congela. — Espere aí,  você está falando sério?

— Estou, sim — ele permanece rígido. Eu sinto minhas bochechas esquentarem, desejando que ele retire o que disse agora mesmo, mas em contrapartida nada vem. — E mais, eu quero que você vá embora.

— É sério? — retruco, incrédulo.

— Sim, Cris, é serio. Eu quero. — Ele se levanta e caminha até a porta, onde a escancara para mim. — Por favor, saia!

Eu levo um tempo até entender o que está realmente havendo, mas só quando estou do lado de fora que percebo o quão humilhante isso foi. Eu até mesmo espero pela mensagens de F zombando de mim, o que não acontece.

Pelo menos isso.


Notas Finais


O que acharam?
Estou curioso para saber.

Bem, só para reforçar: não esqueçam de orar, isso é muito importante. E fiquem em casa, maratonem séries, filmes, livros, fanfics. Ou seja, protejam-se e tomem cuidado. Estamos vivendo algo REAL e muito sério, portanto, estejam atentos.

• Obs: só comprem a quantidade de máscaras e álcool em gel que vcs realmente forem precisar. Vale ressaltar que algumas pessoas compram demasiadamente e acabam com a possibilidade de um outro alguém que também precisa ter acesso a esses produtos que são indiscutivelmente essenciais.

Gente, obrigado por tudo. Pelas leituras, favoritos, comentários. Isso é a minha motivação para continuar escrevendo.
💘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...