1. Spirit Fanfics >
  2. Garotos Tolos - Sterek >
  3. XXVIII - Uma Última Página

História Garotos Tolos - Sterek - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


SE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI, PARABÉNS EU TE AMO!!!

Ps: capítulo meloso para quem gosta de melosidade

Capítulo 28 - XXVIII - Uma Última Página


Fanfic / Fanfiction Garotos Tolos - Sterek - Capítulo 28 - XXVIII - Uma Última Página

As condições climáticas no ambiente marítimo não contribuiram para nossa viagem, basicamente ficamos parados no meio do oceano por longos cinco dias, pois nosso navio não era a vapor e dependia exclusivamente da força do vento para navegar. Resumindo: a viagem durou dois meses, que pareciam não ter fim.

Era possível sentir que já estávamos em terras européias, o frio que fazia não deixa negar. Quando me dei realmente conta, estávamos de volta à Inglaterra. Desembarcamos no rio Tâmisa, descemos do navio após pagar uma taxa e pegamos nossas malas, eu estava animado e meu coração pulsava forte, um país como este é inesquecível.

Pedimos um carro de aluguel, porém percebi que não estávamos indo em direção ao lugar que me interessava, e sim até uma parte mais afastada, a zona rural, eu diria.

— Hã... Posso perguntar para que lugar estamos indo? — eu estava curioso.

— Céus, Theo, pensei que você havia falado para ele! — Exclamou o menino loiro — Estamos indo para a nossa pequena fazenda.

Theo fez uma cara de me-desculpa-por-ter-esquecido.

— M-mas eu pensei que iríamos direto para a casa Hale. — Falei, um pouco decepcionado.

— E vamos, só que amanhã. — Explicou o moreno — O dia hoje já está quase no fim e todos nós precisamos de uma boa noite de descanso para o dia seguinte. Sem falar que fazem semanas que não tomamos um banho decente.

— Além disso, o Derek agora é um conde, eu não duvidaria que estivesse em uma reunião neste exato momento. — Complementou o outro.

Tive que concordar com o que eles diziam, eu necessitava dormir em uma cama de verdade e comer uma comida decente. Minhas olheiras mais pareciam que eu havia levado um soco, detestaria que algum dos meus antigos conhecidos me vissem nesse estado.

O trajeto não durou mais que trinta minutos, chegando em uma fazenda realmente bonita, visivelmente com muitos animais e uma plantação de milho. A casa tinha dois andares, não era simples, mas também não era luxuosa. Aparentemente, meus amigos estavam em um padrão de vida bom e não aparentavam reclamar.

— Vocês tem empregados? — Perguntei enquanto andávamos na direção da entrada. — Afinal, aqui é um lugar muito bem cuidado.

— Temos apenas um caseiro e uma cozinheira, nada além disso. — Theo parecia orgulhoso ao falar — Trabalhamos na plantação sozinhos e cuidamos dos animado sozinhos. Sabe, isso tudo dá uma ótima renda no fim do mês.

Eu sorri para eles ao ver tudo o que fizeram juntos.

— Derek nos ajudou bastante, devemos nossa vida para ele. — Disse Liam — Sem ele, nunca teríamos tudo isso aqui.

Me senti orgulho do homem que conheci, notar que ele não mudou depois de tanto tempo me deixou contente. Assim que entramos, fomos recebidos pelo casal que trabalhava ali, logo depois, a senhora nos preparou um delicioso jantar e confortáveis camas para dormir. 

Eu logicamente sabia que algo rolava entre Theo e Liam, mas durante a noite as minhas dúvidas foram comprovadas. Digo isso pelos abafados gemidos que escutei no quarto ao lado. Bem, pelo menos posso dizer com toda a certeza do mundo que eles estão felizes juntos.

A manhã seguinte se mostrou passar um pouco mais rápido, não sei se era a ansiedade ou algo parecido, mas ao invés dos minutos parecerem longos, eles fluíam em um piscar de olhos. Antes que eu pudesse dizer ao certo o que havia acontecido, percebi que já estávamos indo em direção a casa dos Hale. Meu coração quase parou quando percebi que aquelas ruas conhecidas pouco haviam mudado.

Não sei o que aconteceu com a minha memória, mas não lembro de praticamente nada que aconteceu depois que passei daqueles portões. Sei que eu estava tremendo muito, como um jovem prestes a conhecer seu ídolo. Isso chama-se paixão, eu acho.

— Bem, chegamos. — Anunciou Theo — Espero que Derek esteja aí, ou temo que você irá desmaiar aqui mesmo.

Caminhamos um pouco, a casa continua do mesmo jeito, porém parecia que todos os funcionários eram novos, um ou dois já estavam ali desde a minha última estadia, os mesmos me olharam surpresos e de queixo caído. O primeiro rosto de fato conhecido que encontrei foi o de Malia, fiquei surpreso pelo fato de ela ainda estar morando ali, já que era comprometida (para não dizer obrigada) a se casar com Scott. Pelo que percebi, fazia tempo que não era mais.

— Eu não acredito! — Exclamou ela ao me ver, partindo para o abraço. — Eu vou matar o idiota do meu primo por não me avisar de sua chegada! Quero dizer... Ele sabe que você veio, certo?

— Sim... Eu acho que sim. Deus, quanto tempo. — Eu ri.

Um pequeno silêncio reinou durante alguns segundos.

— Essa sua cara de "onde estão seus filhos" está me matando. Não tenho tempo para essas criaturinhas infernais, sou uma condessa, afinal.

Fiquei completamente em choque com sua última afirmação, eu e os garotos estávamos paralisados e boquiabertos. Minha primeira ideia foi pensar que ela havia se casado com o próprio primo para obter o título, eu odiei o simples fato de pensar que Derek me traiu desta maneira (com uma mulher!).

Não conseguia acreditar, até que Malia finalmente decidiu me tirar deste lapso de tortura.

— Calma, calma. Você deveriam ver suas caras. — Ela se deixou levar por uma risada. — Tenho que deixar claro que eu não me casei com meu primo e...

— Como você pode ser condessa então?! — Liam a interrompeu. — É impossível!

— Hoje em dia as coisas estão muito mais modernas, vocês não estavam aqui quando o tolo Derek recusou o título, foi um escândalo, mas entramos em um ótimo acordo.

Ela nos convidou para se acomodar na sala de estar, contou detalhadamente o que havia acontecido pouco depois da morte de seu pai. Derek havia recusado assumir o posto que lhe pertence por direito, e obviamente ninguém levou a sério sua vontade. Até que sugeriu algo incomum: sua prima, uma mulher, assumir por ele.

Segundo Malia, foram semanas para que a corte considerasse aquilo, até que a própria rainha deu sua opinião. Por incrível que pareça, ela achou uma ideia incrível, deixando os conservadores completamente desolados.

— Então... Meu Deus! Estou diante da condessa Hale e nem a cumprimentei formalmente. — Theo se levantou e se ajoelhou diante da garota, como se ela fosse uma princesa.

— Ah, pare de bobagens, eu conheço vocês três desde que eu tinha 17 anos, não é necessário. — Ela lhe deu um tapinha nas costas — Céus, Stiles, você está tão pálido quanto um boneco de porcelana! Eu sei que você deve estar em choque, mas...

— Eu quero vê-lo — a Interrompi — me diga onde e-ele está, por favor.

Ela trocou um olhar com os outros dois rapazes, eu sabia que Derek provavelmente a contou tudo o que aconteceu depois que saí do país, ou seja, não me preocupei em esconder a angústia.

— Você deve lembrar da nossa casa de campo. — Começou — Faz um mês que ele está morando lá.

Não esperei que ela dizer mais nada, saí dali e peguei a primeira carona que vi pela frente. Por sorte, eu me recordava perfeitamente do caminho da casa de campo, afinal eu não poderia a esquecer depois de tudo que aconteceu lá. Não demorou muito, antes que me desse conta eu já estava lá, parado diante dos grandes portões daquela casa.  

Foi quando o vi.

Claro, me deixei levar pela emoção do momento, mas estava certo de que o homem que estava de costas, em uma escada, enquanto mexia com uma colmeia de abelhas era Derek Hale. Seu cabelo perfeitamente arrumado e suas botas visivelmente polidas não deixavam enganar.

Fui claramente um estúpido em virtude dos próximos acontecimentos.

Tenho na minha memória o exato momento em que corri em sua direção, (mesmo que ele estivesse de costas e não fazendo ideia de que eu estava em sua presença) e no exato instante em que eu iria chamar pelo seu nome... Fui atingido por um cavalo.

Um cavalo!

UM MALDITO E ESTÚPIDO CAVALO!!!

Eu já vos alertei que odeio cavalos?

Aparentemente o animal havia fugido do estábulo, principalmente pela cara que o zelador fez ao me ver caído e me contorcendo de dor no chão. Um cavalo de pelagem marrom veio até mim em uma velocidade alarmante, eu estava tão cego pelo encontro que estava prestes a ter que nem ao menos prestei atenção no que havia em minha volta. Uma força muito bruta do animal se concentrou em minha perna esquerda. Doía, sim, doía para caramba.

A cena obviamente chamou a atenção de Derek, que quase caiu da escada em que estava quando me viu.

Fala sério, nós só podemos ter alguma ligação que atraí desastres!

— Stiles?! Meu Deus! — Ele tinha seus olhos verdes completamente arregalados — E-eu, céus, a sua perna... Chamem um médico, por favor!

— Acho que... Acho que me empolguei mais do que deveria. — Tentei falar.

— Shh, vai ficar tudo bem. — Murmurou, ainda parecendo não acreditar que eu realmente estava ali. Parecia mais que estava faltando com um fantasma.

Foi de certa forma engraçado, ele não sabia se ficava desesperado pelo que acabara de acontecer ou se sorria por estar me vendo depois de tanto tempo.

— M-me desculpe, senhor, quando percebi que o cavalo havia saído eu corri feito louco, mas quando cheguei era tarde e... — O empregado estava suando como se estivesse dentro de um forno. 

— Sei que não foi sua culpa. — Derek foi incrivelmente compreensível no momento. — Agora, ajude-me a o levar para dentro.

O homem assentiu rapidamente e chamou outros que estavam por perto. Foi estranho de certo modo, eu não consegui me levantar sozinho, fazendo que eu fosse carregado para dentro. 

Não esperava que fossem me levar para o quarto de Derek, que por consequência, era o mesmo que eu havia perdido a minha virgindade.

Certo, o misto de sentimentos que me invadiu, junto com o insuportável cheiro que mel que Derek exalava não ajudaram nenhum pouco na minha situação.

Eu acho... Acho que desmaiei.

--------------

Não lembro quando tempo passou, mas quando acordei me deparei com meu amante acariciando meu cabelo com uma cara de preocupação. Quando ele viu que eu abria os olhos, abriu o mais belo e brilhante dos sorrisos.

— Céus, homem, você quase me mata do coração. — Falou aliviado.

— Não era a minha intenção. — Respondi sorrindo. — Hã... O que é esse negócio branco na minha perna?

— Não vou mentir e dizer que sei o que é. — Ele riu e apertou na minha mão. — Mas os médicos disseram que ajudaria no seu osso quebrado.

Osso quebrado? Agora estava explicado o motivo de ter doído tanto. Culpa do cavalo infernal.

— Os médicos? — Repeti ao analisar melhor sua frase.

— Bem... Digamos que eu tenha me desesperado quando você desmaiou. Ainda assim, acho que três médicos e uma curandeira não foram o suficiente. 

Tentei imaginar a cena de Derek enlouquecendo por me ver naquele estado. Está mais que óbvio que ele ainda sente algo por mim.

Um silêncio pairou no ar, nós dois estávamos nos encarando fixamente, como se pudéssemos ler os pensamentos um do outro.

— Eu estou tão feliz que tenha voltado. — Ele apertou ainda mais a minha mão, só que de uma maneira boa. — Fui uma péssima pessoa, me deixei levar pelo que meu tio queria, nem ao menos tive coragem de te proteger naquele dia... Eu me odeio tanto por isso, nunca irei me perdoar por ter te deixado partir...

— Calma, calma — o Interrompi — Não foi culpa sua, todos sabemos como o seu tio era, ele com certeza tinha fobia de pessoas como nós. Hã... Bem, tem algum tempo que eu e os outros escritores recebemos o perdão do governo, sou um homem livre agora e deveria ter voltado no instante em que li tais palavras. Tive medo de você não me aceitar novamente, já que não havia notícias suas.

— Sim, as cartas. — Ele balançou a cabeça. — Eu não sabia da existência delas, foi um choque quando li uma pela primeira vez.

E mais uma vez silêncio. Me aproximei um pouco com a cabeça e ele fez a mesma coisa, naquele momento eu esperei de fato ainda saber como se beija alguém. Nossos lábios se tocaram e foi uma experiência simplesmente mágica, como entrar diretamente no céu. 

Sentir sua barba em contato com a minha pele novamente, suas mãos grandes segurando as minhas... Aquilo era divino.

Ele havia se aninhado ao meu lado, nos havíamos passado um bom tempo apenas de mãos dadas, desfrutando a presença um do outro e confessando coisas boas que aconteceram ao longo dos nossos anos separados. Estávamos visivelmente felizes.

— Desde quando você decidiu mexer com abelhas? — Perguntei.

— Desde que me mudei para cá, sabe, as abelhinhas me lembram você. — Ele riu.

Eu suspirei quando olhei ao redor, isso já estava me deixando angustiado.

— E agora... — Pensei alto.

— E agora? — Derek repetiu, mas com um tom mais elevado de dúvida.

— Nós. Digo... Sei que somos um casal, mas não como marido e mulher... Ou melhor, marido e marido. Teremos de viver o resto da vida nos escondendo, nunca poderei dizer ao mundo que sou seu.

Ele olhou para o nada por alguns instantes tentando compreender.

— Você é meu? 

Senti meu rosto ficar vermelho, porém fiz que sim com a cabeça.

— Não me importa o que os outros pensam. — Afirmou — Acho que teremos um futuro brilhante juntos. Prometo, prometo que a cada dia que passar, tentarei te recompensar pelos anos perdidos. A cada segundo...

Eu sorri, palavras românticos era tudo que eu precisava naquele momento.
Simplesmente, não tenho palavras para dizer como estou me sinto.

Mas sim, eu também creio que algum dia poderemos ser nós mesmos na frente dos outros. É, algum dia, com certeza.
.
.
Talvez algum dia...
.
Em alguma outra década...
.
Em outra realidade...
.
Ou até mesmo, em outra vida.
.
.

5 de junho, 2011.

Bem, o que dois adolescentes de 16 anos tinham que fazer na floresta no meio de uma noite fria? Certamente estavam lá para xeretar assuntos da polícia, os hormônios da adrenalina que os consomem diariamente não deixariam passar a notícia de um corpo perdido e decepado no meio da cidade de Beacon Hills, Califórnia.

O propósito de tudo aquilo acabou indo por água abaixo quando o garoto conhecido como Scott McCall fora mordido por um lobo. E claro, seu melhor amigo Stiles Stilinski não deixaria o feito passar, principalmente depois que o rapaz passa a adquirir habilidades estranhamente incríveis e incomuns.

Eles precisavam saber o que havia acontecido de fato, Stiles chegou a brincar com o amigo sobre o mito dos lobisomens, definitivamente uma completa bobagem. Resolveram ir novamente para a "cena do crime", a qual Scott alega ter visto o corpo de uma mulher.

Enquanto bancavam os detetives procurando pistas, um homem surge no meio deles, como uma completa assombração. Ele tinha olhos verdes e cabelos negros que se destacavam em sua pele pálida. De onde havia saído? Ninguém sabia.

— O que vocês estão fazendo aqui? — Perguntou, seriamente. — Isso aqui é uma propriedade privada.

— É... A gente n-não sabia. — respondeu Stiles — Nós já vamos indo, desculpe.

O homem misterioso sacou do bolso a bombinha de ar que era de Scott, os dois meninos ficaram surpresos e não conseguiram disfarçar. Especialmente Stiles ficou boquiaberto com aquilo tudo, em poucos segundos o homem realmente mexeu com alguma coisa nele, apenas não sabia como nem o por quê.

Parecia que o conhecia de algum lugar, um laço evidente, algo inevitavelmente forte. Tinha a sensação de que simplesmente era uma ligação de outra vida.

Soube naquele exato momento que seu destino estava ligado com o moço de olhos verdes. Amor a primeira vista? Não, Stiles não acreditava nessa besteira... 


Notas Finais


Cabô ;-;

.alertadetextãosemnecessidade.

Eu quero muito que me digam o que acharam da história, não vou dar minha opinião porque ela tende a ser auto-depreciativa, então, é a única coisa que peço de vocês, comentem alguma coisa sobre tudo o que aconteceu por aqui ❤️

🔹 Agradecimentos🔹

Bem, quero de verdade agradecer a todo o carinho que recebi de vocês, que são claramente pessoas maravilhosas, me apoiando a continuar escrevendo e dizendo palavras bonitas. Sério, amo muito todos vocês🤤❤️

Vou agradecer especialmente ao @DarkFox_Hale, se não ele vai me brigar KKKKKKKK obrigadaaaa por ter me ajudado tanto a desenvolver a fic, e o melhor é que do nada a gente virou amigo DO NADA, mesmo durante nossas "brigas" por boys KKKKKK. Sério, só amor para você ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...