História Gato Da Sorte- TaeGi - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga)
Visualizações 31
Palavras 1.008
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Poesias, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Três coisas sobre pizza pela manhã


Existem horas normais, onde o tempo para, escorre, e a vida fica distante. Horas inúteis.

—você me drogou.

—você estava bêbado.

—... você me drogou.

— eu te acalmei.

—3 coisas. 1) você perdeu minha confiança. 2) não quero mais falar com você. 3) estou chateado.

—tudo isso porque te dei um calmante? Eu sou responsável.

—reveja seu conceito de responsabilidade, Yoongi.

—ontem era Suga.

—me lembro disso... trágico.- digo esquecendo nossa discussão boba e me despeço dele.

—e se não se sair bem no teste?

—ainda tenho a porra do meu charme.- ele sorri e eu sorrio de volta, então entramos em nossas salas.

***

—vem logo V.

—pra onde?- cochixo enquanto ele me puxa pela mão.

—ao topo da colina.- Yoongi aproveitava a vida, brigava, sorria, dormia, fugia. Talvez eu devesse seguir o som, ser inconsequente só uma vez por um mísero dia.

—por que? O que tem lá?

—vai descobrir se me seguir.- ele me ajuda a subir. Estávamos moito no alto da colina, e de lá, na frente do fosso, víamos a longa extensão do gramado até o muro em ruínas que demarcava o limite da propriedade. Depois dele se estendia a cidade, os anúncios em neon e as filas do trânsito, a agitação que caracterizava a hora do rush na pequena cidade. Ali no alto havia silêncio, exceto pelos pássaros.

Senti seus olhos sobre mim, mas eu queria que ele não me olhasse. Minhas mãos não paravam de tremer e meu estômago parecia estar amarrado por um milhão de nós. Queria segurar sua mão outra vez, estava ciente de seu olhar e quase pude ouvir as perguntas não feitas.

—sabe, V...- dei meus olhos a ele. —alguns erros apenas tem consequências maiores que outros, você não precisa deixar que um dia ruim seja aquilo que define quem você é. Você tem a escolha de não deixar isso acontecer.- me sento no gramado e ele se senta ao meu lado, não estava usando suas roupas pesadas e seu perfume forte, estava... assim. Perfeito. Natural.

Tinha uma calça clara e o All-Star branco, fazendo a camisa combinar com o cheiro de sua pele nua e seus cabelos verde água, que pareciam uma paleta clara das mais lindas cores em tons pasteis da mais linda fábrica de tons pastéis. Cheguei a perguntar o que causou a mudança repentina de figurino, ele fez carão, me respondendo sem ânsia: —é. Nem eu consigo ser foda o tempo todo.- foda. É uma palavra que eu não diria se não fosse explodir. Yoongi usava palavrões um quarto de todas as vezes que conversávamos. Sou dos que substituem por "caramba!", "droga!", "dane-se!". É o que um pai de família faria.

—o que você faria em um dia sem aula, comigo?

—comeríamos pizza e assistiríamos remakes de filmes antigos o dia todo.

—só isso?

—sim.- não!

Eu mostraria a ele quem sou de verdade, diria que não tiro dez em tudo e que não sou como essas pessoas daqui. Sou um mero amigo que tenho certeza que se ele me desse uma chance eu iria conquistar seu coração. —sabe, eu gostaria de engordar uns 5 quilos antes de morrer.

—vai morrer gordo.

—e feliz.- ele se deita no gramado e eu não digo nada. Tem coisas que a gente guarda nos olhos porque a boca não é capaz de descrever.

—aposto que já vi você na capa do The New York Times.

—eu sou lindo pra porra né? - ele ri e eu dou risada também, então ele se levanta e limpa sua roupa. Eu o imito.

—te amo demais, V.

***

***

—você tá incrível, V.- ele diz enquanto eu me sento em sua frente na mesa do restaurante.

—você também, Suga.

—eu fiz isso e me desculpe mesmo, mas eu precisava conversar, eu senti que você tinha muito pra falar e V, desculpa denovo, mas eu te conheço!. E você sabe muito bem que não conseguiu falar o que queria, hoje eu quero te ouvir.

—o que vão querer?- disse a garçonete.

—suco de morango.-disse simples.

—pizza.-pediu Yoongi.

—desculpe, pizza?- pergunta a moça.

—V, vai querer?- ele se vira pra mim, eu achei que a moça não havia ouvido então repeti.

—sim, duas pizzas.

—pizza senhor? Certeza?

—por-

—desculpe querida, você acha que os clientes vão pedir o que é conveniente pra você? Muito ótimo dia, o sol está lá fora e a gente vai querer pizza! De dia! Quer que eu desenhe?

—desculpe, não estou acostumada com clientes que pedem pizza de dia.

—então somos mais que clientes.- Yoongi interfere.

—já volto com o pedido do casal.

—casal?

—vadia surda.

—pera, casal?

—vou dar uma coça naquela vadia.

—ela realmente disse casal?

—mas que porra que você cismou com o "casal" Yoongi pelo amor de Deus.

—...tô bem feliz agora.- ia dizer algo mas acabei sorrindo.

—quer me contar o porque daquela crise de choro quando eu disse que te amava?

—é complicado, Suga.

—eu descomplico.- ele disse simples.

—mas é complexo.

—eu torno variável.

—por você né?

—por nós.- desisto de descutir e tentar não me apaixonar a cada dia. —eu escondi muita coisa de você porque eu achei que não gostasse de mim.- falo em som melodramático e digo. —Yoongi, me fala das três coisas... diga pra mim.- peço, porque amo as três coisas. Ele sorri.

—1) ao contrário do que dizem, eu não uso drogas. Tenho medo até de analgésicos. 2) tenho medo porque desde ontem minha mãe está na reabilitaação.

—sinto muito Yoongi.-disse simples porém ele notou que eu não estava brincando.

—e 3) decorei o "Gato Da Sorte" só pra te impressionar.

—mentira...

—sério. Deu certo?

—foi totalmente encantador.- eu estava com vergonha mas estava muito feliz.

—e você? Me diga três coisas.

—certo, 1) nunca te agradeci por ser meu primeiro amigo, então obrigado. 2) tive medo de que me odiasse, mas eu não tenho uma terceira.

—tenho uma terceira pra você.- ele sorria.

—vai fundo.- eu disse rindo.

—3) quero muito te beijar agora, quero muito, muito mesmo.- de risadas foi pra uma expressão de felicidade e surpresa.

—você quer?- eu perguntei um pouco desacreditado.

—muito.

E lá estávamos nós denovo, como se só existessem eu, ele, e nossos lábios juntos.

—3 coisas.-eu me pronunciei quando o beijo terminou e ele segurava minha mão. —1) esse foi o melhor beijo da minha vida. 2) eu te amo. Três, e-

—eu te amo.- sorri.

—mas foi o que eu disse.

—e eu preciso repetir mais um milhão de vezes.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...