1. Spirit Fanfics >
  2. Gelo na Piscina >
  3. Capítulo Três

História Gelo na Piscina - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oiee pessoal!❤
Espero que gostem do que vem <3

Capítulo 3 - Capítulo Três


Dia seguinte

Treinos, preparações físicas, determinação. 

Essa é a rotina dos atletas nacionais em sua preparação para os Jogos. Com Suigetsu não é diferente — como principal nome da natação masculina, o atleta é assíduo em seus deveres.

Mas naquele dia, havia algo que o estava fazendo perder a concentração. Ou melhor, alguém: uma conhecida ruiva de olhos também vermelhos não saía de sua mente. Suigetsu nunca havia passado por nada parecido; havia sido apenas um selinho, um mísero selinho, e sua cabeça já estava bagunçada daquela forma. 

Tudo bem, ele sabia que sua admiração por Karin era algo antigo, mas jamais pensou que podia ser tão sério. Já havia ficado com outras pessoas desde que começara a perceber que a jornalista lhe chamava atenção de uma forma diferente, e por isso acreditava que seus sentimentos pela Uzumaki eram, no máximo, uma "atração passageira".

Como havia sido tolo ao tentar acreditar nisso!

A noite que passara na companhia de Karin e o curto selinho que trocaram fizeram todos os sentimentos que tinha por ela emergirem ao mesmo tempo e lhe deixar confuso e nervoso. Queria mais do que aquele mero selinho, mas diferente do que havia acontecido outras vezes, seus desejos não eram apenas carnais. Ele queria ter mais conversas com ela, apreciar mais o sorriso encantador que aquela mulher possuía, sentir o cheiros que fios exoticamente ruivos exalavam — era como ela própria havia dito na noite anterior, havia um impulso de ser clichê ao lado dela. 

Estaria Suigetsu apaixonado? 

— Terra chamando Suigetsu! — Juugo repete pela milésima vez, só que agora havia batido palmas para fazer o amigo acordar de seus devaneios.

— Que foi? — O Hozuki indaga indiferente.

— O que tá rolando com você? Tá com a cabeça nas nuvens… 

— O quê? — pergunta Suigetsu por reflexo. — Ah, nada demais…  só a competição de amanhã, sabe como é.

— Aham… tá bom, vou fingir que acredito — fala Juugo, cruzando os braços. — Vai lá, me conta o que tá rolando. Depois da competição das meninas… por onde você andou?

— Pelo parque dos atletas mesmo, comemorando a vitória da Sakura. — Suspira. — Nada demais — mente.

— Vou continuar até descobrir a verdade — anuncia Juugo e em seguida, joga-se na água para treinar sua modalidade de natação.

O Hozuki, por sua vez, continua sentado na beira da piscina sem fitar nenhum ponto em especial.

Era estranho, para ele, sentir-se daquela forma. Não tinha certeza se é amor ou não, mas certamente é algo diferente e de uma coisa Suigetsu está seguro: queria muito conquistar a confiança de Karin.

— Não sei se estou apaixonado — murmura baixo para si mesmo. — Amor é algo muito profundo. Mas com certeza estou gostando de alguém

[...]

Horas depois

 Restaurante dos atletas

— Sasuke, me salva! 

O moreno fita Juugo com uma expressão confusa após seu pedido teatral.

— O que aconteceu agora? 

— Suigetsu foi picado por uma aranha radioativa e agora tá se transformando em um super herói. — Claramente o de cabelos alaranjados estava se divertindo com aquilo. O Uchiha arqueia uma sobrancelha, e o Hozuki revira os olhos.

— Tá bom… — murmura o judoca com estranheza. 

— É sério, Sasuke. O que rolou de importante ontem? 

— A Sakura ganhou a prova, Juugo. — O moreno diz com um quê de impaciência, já que aquilo era óbvio e ele não estava entendendo sobre o que o amigo queria falar desde o começo.

— Disso eu sei!

— Então por que pergunta?

— Ih, tá violento… Que foi, brigou com ela? — Agora é Sasuke quem revira os olhos. — Tá, isso não importa. Tô falando do que rolou depois dela ter ganhado! Vocês comemoraram?

— E muito… — O Uchiha confirma com um sorriso quase imperceptível e Juugo imediatamente nota que Sasuke e ele não estavam falando sobre a mesma coisa. 

— Não, não tô falando de você e da Sakura, seu depravado! Tô falando da comemoração family friendly, a que chamaram o Suigetsu. Aconteceu alguma coisa lá? 

— Ah, tá… — O moreno diz, compreendendo. — Não sei direito porque saí mais cedo com a Sakura, mas acho que não aconteceu nada demais. Por quê?

— É que ele tá todo estranho…

— Isso, continuem falando como se eu não estivesse aqui — comenta Suigetsu ao lado dos rapazes. — Hoje em dia o ser humano não tem mais direito nem de ficar pensativo sem que o Juugo decida fazer uma investigação. 

— Você? Pensando? — O moreno indaga. — Deixa eu pensar melhor aqui no que pode ter acontecido… 

— Ninguém me respeita nessa vida — afirma o Hozuki, arrancando risadas de Juugo. 

— Bem, depois que a Sakura ganhou, fomos ao parque dos atletas comemorar. Fomos brincando, falando sobre a entrevista que a Karin tinha feito com a gente… — A mente de Sasuke parece iluminar-se. — Ah, já entendi. 

— Eu ainda não. Continua — pede Juugo.

— Além de mim, também foram a Sakura, o Suigetsu, a Ino e a Karin. Sakura e eu saímos cedo, e Ino disse algo sobre um pouco depois ter ido a uma festinha com as meninas do vôlei. Ou seja, ficaram só…

— Karin e Suigetsu — deduz o amigo, rindo. — Finalmente! Depois de todo esse tempo, parece que finalmente rolou algo ent…

— Não pensa besteira, Juugo. Não aconteceu nada — interrompe o Hozuki. 

— Até parece que você ia ficar aéreo desse jeito se não tivesse acontecido nada — afirma o de cabelos alaranjados e o Uchiha imediatamente concorda. 

— Dá pra perceber que você tá esquisito. O que aconteceu exatamente? 

Suigetsu revira os olhos e volta a comer. Não queria dizer sobre sua atitude estranhamente tímida da noite anterior, já que nem ele próprio entendia o que estava acontecendo com seu coração. Os amigos, porém, não o deixaram em paz e continuam insistindo por informações e o Hozuki, impaciente, acaba por soltar que havia sido bem divertido.

— Só divertido? E aquela sua "admiração"? — indaga Juugo, ávido pela verdade. 

— Continua onde sempre esteve — responde o nadador. 

— Então quer dizer que você ainda só acha a Karin bonita? Nada mais? — instiga Sasuke.

— Claro que ela é bem mais do que só bonita. Divertida, inteligente, forte, envolvente… — ele suspira sem perceber ao pensar na ruiva. — Foi realmente muito bom poder conhecê-la um pouco melhor ontem. 

O Uchiha arqueia uma sobrancelha e cruza os braços com a resposta: Suigetsu nem conseguia mais disfarçar! Juugo, por sua vez, desatou a rir enlouquecidamente até dizer:

— Parece que há um nadador apaixonado entre nós! 

— Eu não tô apaixonado! — O Hozuki defende-se imediatamente. 

— Assim, Suigetsu… — Sasuke inicia, mais sério. — Tá estampado na sua cara que você anda pensando muito na Karin, mais do que gostaria. 

O de cabelos brancos respira fundo. Droga, todo mundo já havia percebido.

— Tudo bem, eu assumo que depois de ontem, acho que o que eu sinto por ela vai além do que eu pensava. Mas não tô apaixonado, só estou gostando da Karin.

— E qual a diferença? — indaga Juugo, animado por finalmente ouvir o amigo admitir.

— Estar apaixonado é algo bem mais profundo, sentimentos mais fortes. Gostar é só o começo disso…  — Suigetsu dá uma risada curta. — Mas por que tô te explicando? Qualquer adolescente de 17 anos sabe disso. Nós já somos todos marmanjos adultos há muito tempo, essas coisas são básicas pra gente. 

— E tem certeza de que não está apaixonado? — pergunta Sasuke novamente. 

O Hozuki fita o amigo com alguma seriedade, dá outra garfada em sua comida e diz, mastigando:

— Tenho.

Mas o Uchiha não precisou de muito para perceber que aquela "certeza" era só externa. Aquela instabilidade na voz do amigo, o desvio de olhar, a maneira que ele falava da ruiva denunciavam que seu coração já estava completamente tomado por aquela mulher que admirava "em segredo" há anos. Sasuke sabia reconhecer aqueles sintomas muito bem, uma vez que já os vira em si mesmo quando percebeu o que sentia por Sakura. 

Era só questão de tempo para que Suigetsu os assumisse também. Por isso, o judoca opta por ser curto em sua resposta, ao invés de tentar fazer o amigo enxergar o que estava a sua frente:

— Então tá. 

— Se você tá dizendo… — murmura Juugo, percebendo que Suigetsu já começava a se irritar com a insistência. — Bem, mas com certeza você gosta dela, né? Só gosta.

— Aham — confirma o Hozuki tentando demonstrar, sem êxito, alguma indiferença. — Mas isso eu já disse. 

— Então você vai tentar avançar na relação? Tipo, no limite do "gostar" mesmo, só nisso. — Prossegue o outro nadador, em um misto de brincadeira e ansiedade para ver o casal se desenrolar. 

Provavelmente ninguém naquele mundo shippava tanto Suigetsu e Karin quanto Juugo. 

O Hozuki suspira, pois o amigo havia tocado justamente no assunto que estava rondando sua mente. Ele sabia que queria avançar; mas como? Sua experiência em conversas com a ruiva era pouca; embora se conhecessem há bastante tempo, o diálogo da noite anterior tinha sido o maior que trocaram. 

Foi quando uma ideia perpassou a cabeça do dono dos fios brancos. 

— Vou sim… quero tentar ver no que vai dar. 

— Faz isso mesmo — incentiva Sasuke, que tinha uma boa aposta de onde aquilo terminaria.

— Acabei de pensar em uma coisa.— Continua Suigetsu. — O Sasuke é o único daqui que não tá encalhado, então…

— Eu não tô encalhado! — protesta Juugo e Hozuki, ignorando-o, prossegue:

— … então bem que você podia me dar umas dicas de como avançar.

Sasuke dá um sorriso de canto.

— Pensei que soubesse como fazer isso.

— Eu sei, mas dessa vez é diferente — diz o de cabelos brancos. — Quero ver no que vai dar, lembra? 

O Uchiha dá uma garfada em sua comida, esboça uma curta risadinha e cruza os braços novamente. Pobre Suigetsu, já estava completamente apaixonado e não aceitava aquilo. 

— Tudo bem… — O moreno não era muito bom com conselhos e por isso, busca lembranças de pessoas que considerava boas nisso. Recorda-se então de algumas coisas que seu irmão mais velho, Itachi, costumava dizer quando estava a fim de alguém e começa: — Bem, dizem que nada melhor para conquistar alguém do que fingir desinteresse. Tente dar uma de misterioso, completamente desinteressado e isso chamará a atenção dela.

— O quê? — Suigetsu pisca algumas vezes, aturdido. — Sério isso? Tipo dar um gelo? Funcionou com a Sakura?

— Ela é diferente — Sasuke fala com naturalidade. — Mas eu garanto que é um ótimo conselho se quiser desenvolver algo com ela. — "Itachi não erra no que diz", pensa o Uchiha ao assegurar a eficácia do conselho. 

— Não sei não, hein… parece coisa de adolescente — comenta o Hozuki.

— Qual seu preconceito com adolescentes? — questiona Juugo, brincalhão.

— Nenhum. Só que depois que deixei de ser um, prefiro evitar atitudes assim. — Suigetsu dá uma risada. — Ao menos eu tento, né? Dizem que aos 25 anos você já é uma pessoa madura e eu aqui com 28 tentando deixar de ser adolescente… — O Hozuki suspira ao terminar.

— No fundo, todo adulto tem um pouco de criança e adolescente no seu interior — afirma o outro nadador, rindo. 

— Bem, de adolescente ou não, essa é a dica que te dou. — Finaliza Sasuke.

— É o que temos… Vamos ver no que dá — murmura Suigetsu com convicção, sorrindo. — O plano agora é dar um gelo na Karin para chamar atenção. Estranho, mas lá vou eu. 

[...]

Saída da comitiva de imprensa

— Meu Deus… — murmura Karin, espreguiçando-se. — Juro que amo comitivas, mas essa foi especialmente chata. Tirando a parte do Might Guy, claro.

— O Guy é uma figura — comenta Gaara, ao seu lado. — Mas nem foi tão chato assim.

— Eu acabei de ficar três horas seguidas escutando a seleção de futebol do país vizinho falar mal da nossa seleção nacional. Nem almocei — reclama a ruiva. — Mas quer saber? Hoje a noite quero que os nossos jogadores acabem com eles na partida. Vou ter o maior prazer de fazer uma matéria com o título "Não comemore antes da hora".

O Sabaku dá uma grande risada ao escutar a parceira de redação. 

— Você é uma piada, sério. E vai esquecer das seleções de vôlei que também participaram da entrevista?

— Claro que não. Maravilhosos, vou escrever a matéria deles com o maior carinho. O título vai ser "Campeões perfeitos e humildes: o tutorial". 

— Errado, eu vou escrever. Eu fiquei com a parte do vôlei, lembra? 

Karin fita o amigo com um olhar sacana.

— Como se você deixasse alguém esquecer, não é? Aliás, me parece que o vôlei ficou muito mais interessante pra você de repente…

— Impressão sua.

— O vôlei pra você agora tem cabelos loiros, olhos azuis e um nome bem curtinho que eu sei…

— Karin… 

— Será que Ino Yamanaka pontuou no coração deste pobre jornalista? 

Gaara fita a Uzumaki com um olhar surpreso e ao mesmo tempo, desata a rir. 

— Você falou como se estivesse narrando uma história! 

— Talvez eu esteja. — A ruiva observa suas unhas, aparentemente distraída. — Sou jornalista, adoro escrever e se vejo uma boa história, trato de contá-la imediatamente. — Sua voz assume um tom ainda mais brincalhão. — Posso faturar com vocês se eu fizer um livro que vire best-seller.

— Karin Uzumaki, — Gaara diz em meio às risadas. — é oficial, você não existe. 

— Mas falando sério, Gaara… Você e a Ino não são só amigos, que eu sei. Quando é que vai ser oficial? 

— Ela te contou? — O jornalista volta-se à amiga, surpreso e Karin começa a rir ainda mais.

— Não, mas você sim. Agora mesmo. 

— Ah, droga… — Gaara bufa e ri um pouco também por ter caído em um truque tão clássico. — Não acredito… 

— Ajoelhou, vai ter que rezar. Quando é o casamento? 

— Tá ficando maluca, Karin? A gente só tá se conhecendo… — fala o Sabaku com um sorriso.

— Você gosta dela? 

— Ao ponto de algo mais sério?

— Claro. — Os olhos avermelhados fitam o amigo com seriedade. — Vocês sabem se vai ser sério ou não e fica a cargo de vocês gerenciarem isso. Mas se decidirem ir além, por favor, não machuque os sentimentos dela. — Karin aponta um dedo na direção do Sabaku. — Se eu descobrir que fez a Ino sofrer, eu trato de quebrar essa sua cara. Ouviu bem? 

— Pode deixar. Prometo que não vou fazer sua amiga sofrer. — O jornalista afirma com franqueza. — E você com o Suigetsu? Encontrei ele e fiquei sabendo de umas coisas…

— Ele te contou? — A ruiva dispara assustada, com os olhos arregalados. Gaara desata a rir sem parar com a reação da mulher e devolve:

— Ele não, mas você sim. Agora mesmo. 

— Idiota! — Karin dá um tapinha no braço do Sabaku, levemente envergonhada por ter caído em seu próprio truque. 

— O feitiço virou contra a feiticeira.

— Tá bom, já chega, espertinho.

Ambos se levantam para saírem da sala, conversando animados. Após guardarem o equipamento, levam as coisas para o stand de seu jornal no evento e entregam tudo para Shino, o editor-chefe interino. 

— Muito bem, Uzumaki. Parece que suas anotações estão legíveis — diz o Aburame com desdém. 

— Não é? É que dessa vez eu me esforcei — responde a ruiva com um toque de ironia, deixando o chefe irritado. 

— Quer dizer que das outras vezes você não se esforça? 

— Assim, senhor Aburame, esforço é um concei… — inicia Karin, pronta para entrar em outro embate cheio de deboche, até que é interrompida por Gaara:

— Desculpem atrapalhar a conversa — ele dá ênfase nessa palavra, dizendo-a devagar — de vocês, mas é que temos uma visita especial que quer falar sobre a próxima comitiva de imprensa.

— Visita? Nós sabemos o que fazer na próxima comitiva. Dispense, seja lá quem for o idiota que decidiu vir incomod… — ordena Shino, sendo surpreendido com a voz de quem estava lá "visitando".

— Não queria incomodar, muito menos duvidar do trabalho de vocês — Suigetsu diz calmamente, assustando o editor-chefe.

— Senhor Hozuki.— Inicia, nervoso. — Perdoe-me, não sabia que era você. A que devo a honra de ter o astro da natação nacional em nosso stand? 

— Nada demais. É que Sakura me fez algumas perguntas sobre a natação masculina e com as minhas respostas, dos meus companheiros e das mulheres da natação feminina, reunimos este documento. — Ele levanta uma pasta. — Já que a Sakura tá um pouco ocupada, ela me pediu para vir entregar. Creio que vai ajudar vocês na sabatina da comitiva.

— Informações privilegiadas? Que honra! — Shino levanta-se animado, fazendo Karin, que assistia tudo de braços cruzados, revirar os olhos. — Que maravilha a senhorita Haruno ter tomado uma iniciativa tão benéfica assim! Deixe-me pegar…

— Ah, não foi exatamente uma iniciativa da Sakura. — Suigetsu afasta a pasta das mãos de Shino quando ele quase a pega. — E ela me pediu para entregar nas mãos da pessoa por trás de tudo. Karin, é pra você. 

O rosto de Shino fica da cor dos cabelos da Uzumaki de tanta raiva que o editor sente quando vê o nadador entregar a ela a preciosa pasta. 

Karin ri animada ao ver a reação de seu chefe, e Gaara segura-se para não imitar a amiga. No fim, Shino dispensa os dois jornalistas, irritado. O Sabaku distrai-se com uma conversa que estava tendo no whatsapp com alguém — e pelo jeito do rapaz, a Uzumaki não precisou pensar muito para deduzir que esse alguém tinha olhos azuis e jogava vôlei. 

Suigetsu sai da sala com as mãos nos bolsos, mas a ruiva o segue rapidamente e o chama animada:

— Já vai? Fica mais um pouco, vamos aproveitar essa maravilha que é a cara de tacho do Shino!

— Eh… — O Hozuki fica tentado a aceitar, pois também estava se divertindo com a reação do Aburame, mas imediatamente se lembra do conselho de Sasuke e nega: — Não, não. Eu preciso ir. 

— Ei, calma! — Karin corre e coloca-se a frente dele. — Parece até que está fugindo. — Ela dá uma risada. — Sério, foi muito legal isso! Você planej-

— É sério, eu tenho que ir. — Ele a interrompe, tentando com sucesso dizer de forma seca. — Licença.

— Tá… — A ruiva diz devagar, levemente irritada com a maneira que Suigetsu estava falando. Ele segue pelo corredor com as mãos nos bolsos, sem olhar para trás, deixando-a desconcertada. 

É quando Karin — ou melhor, seu corpo — lembra-se de um detalhe que havia esquecido mais cedo. 

— Espera, Sui!  

O Hozuki volta alguns passos e observa a ruiva. 

— Que foi?

— Sabe de algum restaurante por perto que esteja funcionando a essa hora? O dos atletas já fechou e eu não almocei porque tava trabal-

— Procura melhor que uma hora você acha. 

Karin cerra os punhos, irritada com aquela rispidez.

— Eu só estava pedindo uma inform-

— Ninguém almoça uma hora dessas.

— Me deixa terminar de falar, seu idiota. Não quero mais ser interrompida, ouviu?

— Que seja. — Ele dá de ombros, crente que o plano de dar um gelo e fingir desinteresse estava funcionando. 

Ledo engano.

— Olha, não 'tô aqui pra ficar tolerando falta de educação de ninguém não, ouviu? 

— A culpa não é minha se você não come no horário das pessoas normais. 

— Eu estava trabalhando! 

— Não importa. 

— Você é idiota, por acaso? Como assim "não importa"?

— Eu não deixo de almoçar por causa do meu trabalho.

— Talvez seja porque você é atleta e é obrigado a comer regularmente. Isso faz parte da sua profissão, então…

— Eu tenho qu-

— Eu disse que não quero ser interrompida! — grita irritada.

Suigetsu pisca algumas vezes ao ouvir aquele grito. E pela primeira vez, passa pela sua cabeça a possibilidade de que talvez aquele plano não estivesse dando tão certo assim. 

— Ai, quer saber? Some da minha frente, Suigetsu. Vai ser insuportável assim longe de mim — diz Karin, e entra novamente na sala e bate a porta com força, deixando o nadador parado no corredor, aturdido. Um único pensamento perpassa a mente do rapaz: 

"Será que eu fiz algo de errado?"

 


Notas Finais


Obrigada por lerem! Espero que tenham gostado❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...