História Gêmea Martin - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Alan Deaton, Allison Argent, Chris Argent, Cora Hale, Danny Mahealani, Decaulion, Derek Hale, Enis, Ethan, Isaac Lahey, Jennifer Blake, Kali, Laura Hale, Lydia Martin, Marin Morrell, Melissa McCall, Natalie Martin, Personagens Originais, Peter Hale, Rafael McCall, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stiles Stilinski, Talia Hale
Tags Teen Wolf
Visualizações 33
Palavras 1.858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Capitulo 10


Já se fazia alguns dias que tinha acontecido aquilo na viagem, eu não conseguia parar de pensar no Darach que quase matou todo mundo, mas como a vida é péssima, não importa se tem um alcatéia de Alfas querendo matar todos ou um druida negro fazendo sacrifícios humanos, eu tinha que ir para a escola.

Estava sendo difícil, Scott, Stiles, Allison e Lydia quase não falavam comigo sobre o assunto não me atualizavam de coisa nenhuma a menos que eu fosse lá me meter e eu posso ser curiosa, mas não me intrometo onde não sou chamada. Então eu voltei a ficar sozinha já que o desgraçado do Isaac entrou na onda do não fale nada pra Gwen.

Parece que por causa do cancelamento do torneio tivemos que fazer mais educação física e como bola, pior tortura. Então estávamos todas as garotas do segundo ano em uma aula infernal onde tínhamos que jogar futebol. Eu como sou um desastre com qualquer bola ficava parada olhando ao invés de jogar, quando mandaram a bola pra mim eu simplesmente chutei ela pra frente e ela foi para o outro time.

-Ei Gwen vamos lá, você é uma Martin, por que não tenta jogar a bola? – pergunta Allison

-Ela é a bola.

-Cala a boca menina babona.

Arg! Como eu odeio a Elena, só por que é rica e bonita acha que é melhor que todo mundo.

-Você falou o que?

Elena se aproxima de mim e eu a encaro, seus olhos pareciam pegar fogo de tanto ódio.

-Elena por favor não começa – fala Lydia

Todos os presentes no campo olhavam a cena. Aff! Como eu odeio isso.

-Lydia eu queria saber como ela é sua irmã, olha para ela, sempre de óculos, moletom, calça, não usa nada de maquiagem, o cabelo espeta, é mal educada e eu aposto que nunca namorou. – fala Elena

-Escuta aqui Elena pelo menos eu não preciso ser uma puta oferecida pra alguém gostar de mim.

-As pessoas só gostam de você por que você é uma Martin. Presta atenção, nada vai mudar quem você é e o fato de que as pessoas só gostam de você porque querem chegar na sua irmã. Você acha mesmo que alguém vai olha pra você? – ela se aproximou mais – principalmente alguém como Derek Hale, ele é mais velho e mais bonito que muitos, com certeza não olharia pra você.

Depois disso sai irritada em direção a floresta sem saber pra onde ir. Corri até não agüentar mais, parando em frente ao mirante. Lá em cima eu olhava a cidade com suas luzes acesas, o céu já escuro e eu aqui sozinha. Sem conseguir agüentar mais, me permiti chorar, chorar por tudo que me afligia, um grito embargado sai da minha garganta enquanto a brisa pesada do outono tocava meu corpo, naquele momento mais do que nunca eu desejei me jogar do mirante.

Ainda com lagrimas nos olhos me sentei em cima de uma pedra, puxei minhas pernas de encontro ao peito e fiquei lá, chorando e pensando no por que de nunca ninguém ter se apaixonado por mim, sei que parece bobo, mas isso me assombra desde quando eu vou dormir até quando eu acordo.

O tempo vai passando e eu continuo sentada na pedra, infelizmente sou tirada dos meus pensamentos com um barulho de folhas sendo esmagadas.

-Her... Oi? Tem alguém ai?

Olhava em volta procurando o dono das pisadas forte. Meu olhar para diante da sombra de uma pessoa de olhos vermelhos, sinto meu coração acelerar.

Os olhos começam a se aproximar e eu logo reconheço o dono deles.

-Aiden? O que você esta fazendo aqui?

-Eu estava correndo, por que você está chorando?

-Por que você finge se importar?

-Tem razão, não me importo, só estou curioso.

-Olha, vai embora ta legal? Eu não to de gracinha hoje.

-Seus amigos estão preocupados.

Que amigos? Eu não tenho nenhum.

-E o que você tem haver com isso? – respondo no lugar – Se você não percebeu, eu não quero ser encontrada.

-E por que você não quer ser encontrada?

-Aiden por que diabos agora você quer saber de mim?

-Por que tenho que te matar – ele da dê ombros

Diante de suas palavras meu corpo entra em choque, encaro Aiden tentando ver se era uma piada, mas seu rosto estava serio e impassível. Levanto da pedra e começo a caminhar para trás.

-O que?

-É eu tenho que tem matar. Sabe, eu ainda não sei por que, você parece ser tão frágil, não sei por que teria que te matar.

-ATÉ VOCÊ? POR QUE TODO MUNDO INSISTE EM ME DIZER ISSO?

-O que?

-Por que ninguém gosta de mim do jeito que eu sou?

-Seus amigos gostam de você.

-Como você sabe?

-Eles se importam.

-Nem todos. Acho que nenhum.

-Por que você acha isso?

-Você vai me matar ou não?

-Você quer morrer?

-Tem como escapar?

-Eu to confuso.

-E eu irritada.

Bufo abraçando meu corpo, o vento começava a ficar forte e eu agradecia por estar com meu moletom de panda, levo a mão tremula ate o rosto tirando o cabelo dos olhos.

-Por que você não tem medo?

-Medo de que?

-De morrer?

Sento na pedra novamente e solto um suspiro.

-Quer mesmo saber?

-Bom, geralmente quando as pessoas vêem um cara de olhos vermelhos e garras elas correm, então sim, eu quero saber.

-Quanto tempo você tem?

-Por quê?

-Quer saber... Aiden cala a boca e senta aqui.

Eu devo estar louca mesmo, o cara quer me matar e eu vou contar minha vida pra ele, fazer o que? Ele que perguntou. Meu assassino senta ao meu lado e encara a cidade.

-Você é louca?

-Por ter te convidado para sentar e poder te contar sobre a minha vida?

-Sim.

-Sabe Aiden, eu passei a minha vida a sombra da minha irmã, nós somo o típico filme adolescente, a irmã perfeita e a irmã esquisita, só que ao contrario dos filmes, eu não tenho um romance com o gato da historia, a verdade é que eu não tenho romance com ninguém.

-Você ta chorando por que não tem um namorado?

-Não Aiden eu to chorando por que eu não tenho ninguém.

-E os seus amigos?

-A quanto tempo eles estão me procurando?

-2 horas.

-Eu sai da escola as 14h, e até agora não falei com ninguém. E já são 21h.

-Isso explica por que não te achei na escola.

-Você tava me procurando?

-Sim, ainda tenho que te matar.

-Vai em frente. Mas tente fazer com que não doa muito, eu já to sentindo tanta dor que isso vai ser o mínimo que você pode fazer por mim.

-Nunca vi alguém desistir tão fácil de viver.

-É por que eu não vivo, eu tenho 16 anos e nunca beijei ninguém. Nunca escapei a noite para ir a alguma festa, nem as que a minha irmã da em casa, só sei desse mundo sobrenatural porque vi Isaac surtar, você acha que eles me contam as coisas? Não só quando eu procuro por respostas, eles só disseram a verdade sobre essas coisas porque se não abrissem o jogo eu iria tentar descobrir por você o ‘‘inimigo’’ deles, sabe por que isso? Porque eu não tenho valor, Aiden, então sim eu sou louca por não ligar para morrer.

-Você já tentou?

-Tentei o que?

-Viver.

-Eu vivo o meu mundo.

-Como é o seu mundo?

-O melhor pra mim.

-Você é louca.

-Olha, isso já esta chato. Vamos pular para a parte que você me ataca e eu saio correndo?

-Eu não quero.

-Não quer o que?

-Mais te matar, você me deixou depressivo.

-ENTÃO VAI A MERDA AINDEN.

Arg! Por que essas coisas só acontecem comigo? Como um alfa fica depressivo na hora de matar alguém?

Continuo sentada olhando para a cidade, não sei porque não consigo sair daqui.

-Você não é a única que se sente assim, sabia?

-Assim como?

-Na sombra da irmã.

-Até parece que você sente isso... Aé você é gêmeo.

Aiden da um sorrisinho simples

 

-Somos gêmeos alfas, mas a verdade é que não passa disso, eu não passo disso, o Ethan é bom em tudo, matemática, romance, roupas, motos, tudo e eu? Só sirvo para montar uma aberração genética de olhos vermelhos.

-Concordo, é muito feio.

-A verdade Gwen, é que sempre vai haver alguém melhor que nós, mesmo aqueles que nós amamos.

-Ultimamente todo mundo vem sendo melhor que eu.

-Por que sua auto estima é tão baixa? O que está acontecendo? Quando eu te vi pela primeira vez você estava com a sua irmã e Allison, lembro que quando esbarrei em você e tentei ser gentil e até jogar meu charme, mas você me mandou a merda, naquele momento te achei tão confiante e forte.

-É que todos jogam na minha cara o quanto eu sou ruim. Menos bonita, a esquisita, que eu tenho que viver a vida como a minha irmã. Sempre que alguém se aproxima é pra tentar chegar na Lydia, nunca é por mim.

-Você não tem que fazer o que os outros dizem e nem ligar para o que pensam de você.

-Mas e quando o cara que você gosta não sabe nem da sua existência?

-Ai você senta e chora.

-AIDEN!!

-Desculpa, mas quem é?

-Não vai rir?

-Só se disser que é o Stiles. – ele responde com divertimento

-Derek.

-O Hale?

Assinto e volto a encarar a cidade.

-Pior escolha que você já fez, agora eu aceito até o Stiles.

-Serio?

-Desculpa, mas o Derek? Você gosta dele?

-Não é bem gostar, é crush.

-Você tem um crush no Derek?

-Sim.

-O Derek?

-QUERIA O QUE? QUE EU TIVESSE UM CRUSH EM VOCÊ?

-Sim.

É O QUEEEEEE???

-Aiden...

-Olha você é legal tá! Eu gosto de suas blusas dessas series, gosto dos seus moletons, gosto como você sempre da um foda-se quando as pessoas falam algo de você, gosto de como você ignora o meu charme...

Junto meus lábios ao dele dando um simples selinho. Apenas esse toque fez meu coração acelerar.

EU ACABEI DE BEIJAR O AIDEN O CARA QUE TEM QUE ME MATAR!! Separo nossos lábios e arregalo os olhos, sinto minhas bochechas esquentarem, volto a olhar a cidade.

-Desculpa Aiden.

-Olha, eu sei que isso é estranho, mas eu posso tentar? Posso tentar te fazer viver? Te fazer conhecer o mundo? Te fazer cometer os seus primeiros erros?

-Por que não acertos?

-Porque eu sou um garoto quebrado que precisa de alguém como você.

-Você não tem que me matar?

-Dessa parte eu cuido, mas e então?

-Você vai me magoar?

-Sim.

-AIDEN!!

-Mas essa é a verdade, no final nós dois vamos nos magoar um com o outro. – ele levanta a mão e a passa e meu rosto delicadamente. – Não sou o Derek, mas posso te fazer esquecê-lo.

-Boa sorte.

-Não preciso de sorte, eu sou lindo.

E juntamos os lábios novamente, eu não sei o que fazer. Separo o beijo.

-Eu não sei o que fazer – admito envergonhada olhando seus olhos

-Abre a boca e se deixe levar, a partir de hoje você vai começar a viver.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...