História Gêmeos diferentes - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Len Kagamine, Rin Kagamine
Tags Kagamine Len, Kagamine Rin, Len Kagamine, Rin Kagamine
Visualizações 11
Palavras 1.434
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obs:

•Len e Rin crianças, estarão na forma normal deles, a de vocaloid.

•Uma música que me deu essa ideia para fanfic, ou seja, a fanfic foi inspirada nela, o link dela estará nas notas finais.

Só isso mesmo! Boa leitura! (´・ω・`)

Capítulo 1 - O passado-- parte 1


Estava ocorrendo um ataque, os vampiros estavam atacando a vila dos humanos, e no meio de tudo isso, uma família se encontrava escondida, tinham fugido de casa e estavam se escondendo em uma mini caverna que tinha perto da vila. Essa família é composta por um pai vampiro, uma mãe humana, e dois irmãos, um era humano, já o outro vampiro. A vida deles antes era muito pacífica, tentavam esconder que a o pai dos gêmeos era um vampiro e que um deles também era. Os dois irmãos íam a escola normalmente, só que Len tinha que esconder seus dentes afiados o quanto possível, ou colocando aquelas dentaduras de brinquedo, ou não sorrindo, mas ele era livre em casa e podia ficar a vontade o quanto quisesse. Mas agora, tudo está um caos, humanos sendo mortos por vampiros e vice e versa.

Gritos podiam ser ouvidos e todos estavam em desespero. Os gêmeos, que estavam preocupados e assustados demais com tudo aquilo, não viram direito o que acabou de acontecer. A mãe dos dois estava morta, em sua frente, e  o pai deles eufórico com sangue em suas mãos, ele havia matado a mãe deles. Len ficou um pouco assustado e desesperado, mas Rin estava muito e chegou a gritar, por sorte dos outros gritos e por não estarem bem perto da confusão, não foi muito audível. O homem tentou se explicar, mas Rin não queria saber, não podia acreditar, não sabia em o que confiar ou até mesmo o que fazer, estava perdida. Len apenas observava tudo aquilo.

Depois de um tempo pôde-se ouvir vozes de homens, se aproximando a cada segundo. O pai das crianças ficou um pouco desesperado e falou para elas ficarem alí e quietas, sem falar nada e para tomar cuidado para não as descobrirem, e por último ele disse:

"Estou fazendo isso pelo bem de vocês. Por favor, lembrem-se disso."

E foi embora levando o corpo da mãe dos dois, e antes de ir deu um beijo na testa das duas crianças. Rin claramente ficou reclamando alto, mas Len tampou a boca dela que ainda reclamava um pouco e foi indo pro lado arrastando Rin também, até ficarem bem encolhidinhos na parte mais escura da caverna escondidos. Os homens então chegaram a caverna.

"Você realmente ouviu alguma coisa vindo dessa caverna?"

"Sim, tenho certeza"

"Mas não tem nada aqui"

"Talvez já devem ter fugido"

"É. Qualquer coisa nós procuramos aqui de novo mais tarde"

Nem notaram o pouco de sangue que ainda tinha da mulher que ainda tinha na caverna. Depois dos homens saírem de lá, Len tirou sua mão da boca da irmã e se sentou com o coração um pouco acelerado, igual o da irmã, e começaram a cochichar.

"Por que fez isso?!"

"Podíamos estar ferrados se nos vissem"

"Eles poderiam nos ajudar"

"Eles não podiam nos ajudar! E se descobrirem que sou um vampiro?!"

"Tá, tá, você me convenceu..."

...

"Vamos ficar aqui agora?"

"Pelo visto sim, vamos ter que tentar sobreviver aqui, Len"

"..."

"O que foi?"

"Como vamos arranjar comida? Como eu vou arranjar comida?"

"..."

"..."

"Eu posso pegar um pouco de comida, escondida, na vila"

"Hm..."

"E você... podemos arranjar algum animal para vc poder beber o sangue, tudo bem?"

"Nunca provei sangue de animal, mas tudo bem, só não quero sugar o sangue de animais pequenos e fofos. Dependendo de como eu estiver, tenho medo de exagerar e acabar enfraquecendo ou até mesmo matando o coitado..."

"Hm... entendo"

E então, eles ficaram em silêncio, já estava anoitecendo, e o céu alaranjado, não estavam com fome, pelo menos no momento.

No próximo dia já acordaram com fome, muita fome, mal comeram nada ontem. E então, Rin foi ir buscar um pouco de comida.

Ela foi direto pra a vila, e tentou ir para alguma feira sem ser vista, se escondendo atrás de algumas coisas, e no final conseguiu pegar duas maçãs, uma caixa de morango e uma pera. Quando voltou, deixou a caixa de morango com o irmão, mesmo que ele seja um vampiro ele consegue sentir o gosto dos alimentos, mesmo que seja bem mais fraco, e quase não sentia o gosto, quando ele tomava suco, para sentir o gosto que sentimos teria que fazer um suco bem forte para ele, e também, não adiantava muito, pois a fome e a sede não conseguia passar com alimentos e bebidas(qualquer bebida), e talvez ele precisaria comer mais de um trilhão para passar a fome, ou tbm podia ser que a fome nem passava, e que os alimentos e bebidas não enchiam ele nada! Então não tem como saber, e nenhum vampiro quer ficar gordo arriscando. Então no final das contas, Len começou alguns morangos, e Rin deixou uma maçã e uma pera com Len e foi ir procurar um animal na qual ele possa tomar o sangue. Achou vários animais, mas seu irmãos não teria coragem de beber o sangue dos animais que encontrava, e de tanto procurar já estava pensando em procurar um rato e dar para ele, mas estava querendo ser misericordiosa pelo menos uma vez na vida e dar algo bom pro irmão, só que não achava, foi isso que pensava até achar... um pato! Poisé, um pato. Foi indo devagar até o pato, tentando não fazer nenhum barulho, e então... pega o pato por trás! E depois sai correndo para onde Rin e seu irmão estavam abrigados.

"Cheguei!! Finalmente encontrei!" Rin falava enquanto segurava o pato com força, no qual o mesmo se debatia

"Ah! Um pato!"

"T-toma" Deu o pato para o irmão que segurou o pato um pouco forte para não fugir

E então, Len abriu a boca e aproximou o pescoço do pato até a mesma e mordeu, e então começou a sugar o sangue. Rin, não gostava muito de ver aquilo, então resolveu ficar olhando para baixo apenas. Quando Len terminou soltou o pato que parecia que estava meio assustado e fraco, se desse para ver, podia-se dizer que ele estava pálido.

"Acho que acabei exagerando... coitado do pato"

"..."


.


Durante alguns dias, a relação de Rin e Len estava começando a mudar, Rin estava ficando mais estranha com Len, e o mesmo apenas não entendia o porque. Quando Rin entregava um dos animais para Len, ela entregava excitando um pouco, entregava olhando para baixo, e isso só ia piorando a cada dia que passa. Até que chegou o dia em que Rin e Len começaram a brigar.

"Rin, você tá bem? Você está meio estranha esses dias..."

"Eu estou ótima..."

"Não está não! O que aconteceu? É sobre o que aconteceu naquele dia?"

"Não... eu... eu só não aguento mais! Eu não aguento! Eu não aguento! Eu não aguento!"

"Não... aguenta?"

"Não aguento ter que ficar trazendo animais para você e ver eles tendo seu sangue tomado. Não aguento ter que ver a mamãe morta em nossa frente, pelo nosso pai! No final, sINTO QUE VOCÊ NÃO É DIFERENTE DELES!!"

"R-rin..." logo mudou sua cara para uma séria

"Rin, olha, eu não tenho culpa de ter nascido assim! Eu não tive nem escolha! Mas esse é o único jeito de que eu tenho para sobreviver! E o papai não teve culpa! Ele só quis nos proteger!! E não me compare com eles!!"

"Nos proteger? Ele matou a mamãe na NOSSA FRENTE! E você ainda viu e tem a ousadia de dizer que ele queria nos proteger?!"

"Sim, Rin! Ele só queria nos proteger, e eu vi! Eu vi tudo o que aconteceu!!"

"ENTÃO PQ NAO ACREDITA EM MIM?!"

"RIN, EU TO TE FALAN-" Len leva um tapa na cara por Rin

"O PAPAI MATOU A MAMÃE NA NOSSA FRENTE! E VOCÊ AINDA TEM A OUSADIA DE DIZER QUE ELE QUERIA NOS PROTEGER?!! AH! ME POUPE!"

Len então, bravo, pegou na gola da roupa de Rin e a puxou para perto

"RIN, ME ESCUTA, O PAPAI TINHA UM MOTIVO PARA FAZER AQUILO! EU VI! ENTÃO PARE DE DIZER ESSAS BABOSEIRAS! NÃO É CULPA DE NINGUÉM!!" Len começa a chorar "ENTÃO ESCUTE A HISTÓRIA TODA ANTES DE FICAR FALANDO ES-" Len leva um soco na barriga, sendo jogado para longe, e o fazendo tossir um pouco de sangue.

Rin, assustada, olha para a pessoa na qual deu um soco na barriga de Len, era um padre, no qual quando Rin olhou para ele, mostrou sua mão segurando um colar com uma cruz, e depois olhou para Len.

"Não se preocupe pequena, viemos aqui te salvar"

"H-h-huh... e-eu-"

"Não se preocupe, iremos cuidar de você"


Notas Finais


Aqui o está o link da música:
https://youtu.be/R0CRCP0DPyM

Espero que tenham gostado da fanfic! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...