1. Spirit Fanfics >
  2. Get Out >
  3. Formidable

História Get Out - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, meu Deus, desculpa pela demora, de verdade.
Dessa vez, eu não tenho perdão mesmo, apesar de eu ter demorado tanto por causa do trabalho+escola, tá bem ruim as coisas.Nem tudo parou sabe.
Desculpem de verdade, eu não desisti da fic.
Obrigada pela compreensão, Love u guys.
Boa leitura <3

Capítulo 32 - Formidable


New Jersey, EUA

Emma acordou com um barulho muito atordoante no ouvido, pensou seriamente que sua cabeça ia explodir com a dor e o barulho que ficava cada vez mais aguda.

Deixou um grito pungentemente escapar pelos lábios com a dor em que se encontrava na cabeça e acordou num súbito.

No susto, ela não percebeu suas mãos convenientemente presas em espécies de correntes, tais que estão prestes a se coser na plataforma de ferro frio em que se encontrava.

Seus pulsos e cotovelos vermelhos e provavelmente machucados se encontravam amarrados as correntes, se sentia na idade das trevas.

-Faça isso parar...-ofegou implorando para o barulho parar.

-Eu não posso, isso é o efeito dos medicamentos, é bom saber que funcionam.-ela ouviu uma voz muito minguada alertando-a.-Mas posso diminuir, e de qualquer maneira, vou ter que fazê-lo, tenho que conversar com você.-completou.

Emma ouviu apenas as primeiras palavras, as outras se foram como vento, misturando-se ao som agudo capaz de explodir seus tímpanos.

Logo sentiu uma agulha na sua veia, sem ao menos ter a chance de se revidar, porém agradeceu imensamente, o barulho diminui bastante e agora não estava mais se debatendo de dor, pois estava fraca o suficiente para não conseguir andar sem ajuda.

-Bom, consegue me ouvir querida?-ele pressionou seus dedos contra o queixo dela, que mal conseguia manter os olhos abertos.

Ela não respondeu, estava impelindo para abrir o olho.

-Por Deus, você não precisa me ver para responder.

-S.. sim-ofegou e ele largou o rosto dela com abruptez e se afastou.

Sua cabeça tombou para o lado esquerdo e ela pode ver com dificuldade um pouco do ambiente que se encontrava.

Parecia uma sala de cirurgia, mas muito mais colossal do que o normal, conseguia ver todo os instrumentos usados pelos médicos em uma cirurgia em ordem numa mesa de ferro, toda a sala era muito foronomica e não se encontrava em nenhum conforto, não que o quarto de hospital fosse melhor, porém a maca era consideravelmente mais confortável do aquela plataforma de ferro.

-Certo...-ele voltou a se aproximar dela, pegando seu queixo e iluminado seus olhos com uma mini-lanterna.-Você não parece nas forte, isso é muito melhor do que pensava.-se afastou e cruzou os braços encarando-a.

-Sua perna parece boa, sabia?

Só então se lembrou do que havia acontecido até ela chegar ali, ela tinha esquecido completamente, ela deu o endereço para Tom, ele estaria ali, não estaria?

-Tem alguma pergunta para me fazer?-ele continuou encarando-a, analisando-a.

Muitas, tantas.

-Por que...Por que me fez... me fez.. -ela respirou antes de continuar.-O endereço... 

-Ahh, claro!-ele bateu na sua própria testa.-O endereço, você realmente acreditou que era real? Eu só fiz aquilo para te dar alguma esperança e depois distrui-las,eu ia demorar mais um pouco na verdade, mas bem, o que eu tenho a perder?-deu uma risada nasal.

-Você... Você não é um humano... Você é um monstro.-disse com a voz trêmula.

-Ah querida, não se engane, todos monstros são humanos.- ele sorriu.

-Faça o que tem que fazer.-disse desistindo.

-Te matar? Eu não disse que ia terminar o projeto do meu irmão, o irmão que você matou, sua vadia estúpida..-prendeu o punho robustecido e bateu contra a plataforma de ferro próximo a Emma. 

-Isso não vai acabar assim...-disse abrindo os olhos vagarosamente, sua voz saía muito baixa e fraca, ele realmente dopou ela com algo muito forte.

-Não mesmo, vai ser pior, pobre Emma Watson, morta em um gesto insano, não sobrou partes para enterrar, todas foram usadas para o projeto, que final lindo? Sozinha, abandona pelos amigos que não se esforçaram o suficiente para te salvar, já em troca, você salvou a vida dos três não chamando a Polícia naquele evento fatídico.Do que adianta ter um coração bom, Emma? No final, quem vai morrer de maneira trágica é você.

Ela não sabia o que dizer, ele estava certo.

Ele deslizou os dedos pelas lágrimas que escorriam no rosto dela:

-Você não vai tentar lutar?Vai morrer sem estilo?Eu não esperava isso de você, a assassina do meu irmão, a que não se comportava.

-Você acha que nós mulheres somos muito fracas, mas fui eu, uma mulher, que matou o seu irmão.-disse automaticamente, sem pensar muito bem antes.

-Você só me dá  mais motivos para te matar!-disse irritado pressionando a ferida da Emma na canela, ao qual passara a bala.

Ela soltou outro grito enquanto se contorcia com a dor tão forte quanto a anterior.

Finalmente ele se cansou e largou a ferida exposta.

-Vamos começar cortando as pernas, depois damos uma olhada nos braços e por fim você vai..-ele ia dizendo, mas uma bala atravessou seu olho, enquanto o sangue esvaziava com vigor no rosto de Emma, que nem consegui raciocinar direito com a rapidez do ato. 

Ele caiu de joelhos sagrando até a morte, enquanto Emma tinha todo o sangue espalhado no seu rosto e corpo.

Só então ela levantou o olhar para a pessoa.

Morgana aparecera com uma arma na mão:

-Eu nunca gostei dessa família.

<~>

-Você é um completo idiota Tom Felton.-Smith bateu no seu próprio punho sem medir as palavras. 

-Ela disse aqui!-Tom olhou em volta mas se sentiu meio idiota ao olhar para o hospital destruído, que não tinha absolutamente ninguém dentro.

Daniel saiu de lá junto de Rupert, ambos ofegantes pela corrida ao local. 

-Já vimos pela décima vez, a equipe toda...-Daniel dizia.

-Não há ninguém lá, talvez você tenha se enganado.-Rupert completou.

-Vocês não viram direito, esse lugar é grande, não é?-Felton perguntou com subserviência.

-Já vimos cinco vezes, a maioria do local está  destruído, e já estamos aqui há dia horas, eu perdi a noite.-Daniel resmungos olhando seu relógio de pulso.

-Por favor, vocês precisam acreditar em mim, ela me ligou, eu ouvi a voz dela, conversamos por um bom tempo.-Tom disse em tom de desespero.

-Tom, você está mal, eu realmente entendo, todos nós estamos, mas não precisa criar ilusões tão específicas.-Rupert afirmou.

-Acho que você precisa de alguém com experiência para conversar.-Daniel disse colocando a mão no ombro dele.

-Experiência?Acha que estou pouco, que preciso de um psicólogo?-ele tirou a mão bruscamente e encarou Smith, Rupert e Daniel a sua frente.-Sinceramente, eu não acredito que vocês acham que eu estou louco, eu posso provar, posso retornar o número que me ligou, era ela! Por favor, acreditem em mim! 

-Para mim já deu.-afirmou Smith impaciente.- Isso é uma palhaçada, já é tarde da noite, eu tenho uma família, não posso mais perder tempo com isso.-disse em passos bruscos até o seu carro.

-Ele tá certo Tom, todos estamos tristes, mas perder tempo com isso é sem noção, enquanto ela pode estar em real perigo, perdemos nosso tempo com essas buscas.-Rupert afirmou com um misto de solidariedade e irritação enquanto se afastava.

-Daniel, você...

-Desculpa Tom, mas o Rupert tá certo.-e saiu deixando Felton entristecido e muito atordoado.



Notas Finais


Não vou dar muito detalhes, se não vou acabar soltando um spolier.
Espero que tenham gostado.
Até a próxima.
<3♡
Beijos atenciosos de Mra.Stark♡
Ps:Pegaram a frase de AHS? Judy mim rainha toda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...