1. Spirit Fanfics >
  2. Get Your Kinks Out. >
  3. Chapter 1.

História Get Your Kinks Out. - Capítulo 1


Escrita por: _Blackla

Notas do Autor


Oii pessoal eu falei que iria trazer outra e cá estou eu kkkkkk, eu vou demorar mais pra postar essa porque não tenho capítulos já traduzidos então se gostarem me digam.

Capítulo 1 - Chapter 1.


Era quase meio-dia e Harry estava com fome. 

Eles haviam treinado durante toda a manhã. Ele levou um balaço uma vez no estômago e uma vez na cabeça. Ele pegou o pomo cinco vezes, mas da última vez ele não conseguia se lembrar porque estava com uma concussão séria. 

Depois de uma visita com o curandeiro, ele foi enviado para fora do campo. Dois dias afastado enquanto as poções funcionavam nele. Frustrante, mas não tão ruim quanto poderia ser. Oliver Wood foi mantido fora do time por uma semana no mês passado, enquanto seu crânio se recompôs após uma batida forte de um morcego. 

O batedor que acertou Harry estava jogando mais forte do que deveria na prática. Adrian Pucey. Ele era bom o suficiente, mas ele vinha enganando Harry desde que se juntou ao time em março, sempre mandando um balaço em sua direção, roubando sua camisa enquanto Harry estava no chuveiro, desafiando-o a beber doses de firewhiskey quando ele já estava meio chateado no bar. 

Todos os músculos dos braços de Harry doeram enquanto ele colocava sua vassoura no ombro e ia embora. Outubro na Escócia era a época do ano favorita de Harry. Uma névoa fria atingiu seu rosto e as ondas do mar quebraram logo a leste do campo. Atrás dele, grandes colinas ao longe estavam fechadas pela névoa. Ele podia ouvir os sons distantes das crianças brincando no playground da escola primária local. Gaivotas grasnavam e crocitavam ao longo da costa. Harry estava tão feliz por ter deixado a Academia de Aurores para vir aqui. A vida era simples, não havia papelada e ele voltava para casa exausto todos os dias.  

Seus ouvidos zumbiam de frio e da concussão quando ele abriu a grossa porta de madeira do vestiário do Magpie. Ele puxou sua camisa preta sobre a cabeça, tomando cuidado para guardá-la em seu armário; se Pucey pegasse sua camisa de mangas compridas, ele teria apenas as mangas curtas para a próxima semana, e a previsão parecia fria. 

Apesar do frio lá fora, Harry estava coberto de suor. Seu cabelo estava grudado na cabeça e ele tinha manchas de grama em todos os braços, onde caiu com força no campo atrás do pomo. Ele precisaria de um banho antes de comer alguma coisa. 

Suas calças eram um pouco difíceis de tirar. Eles estavam ficando pequenos. Com todo o exercício em sua vassoura e na sala de musculação, as pernas de Harry tinham ficado muito maiores ultimamente, e suas calças pareciam ter sido pintadas na maioria dos dias. O mesmo com sua camisa; Os braços e ombros de Harry ficaram tão largos que ele teve que pedir outro ao fornecedor do time. 

Harry pendurou sua capa e sua calça no cabide próximo ao seu armário. Ele caminhou pelos ladrilhos gelados até os chuveiros. Ele puxou a cortina e entrou, aumentando a temperatura da água. 

O banho quente deixou Harry letárgico depois de tanto tempo no ar frio. Ele passou mais tempo do que o necessário lavando toda a sujeira de si mesmo, então desligou a água e sentou-se no banco por uns bons cinco minutos, observando a água escorrer pelo ralo e pingar das paredes. Harry se recostou no banco, apoiando a cabeça contra a parede. Quase todos os sintomas de concussão tinham desaparecido, mas as poções o deixaram sonolento e ele cochilou por um minuto no ar úmido do chuveiro. 

Quando ele se mexeu alguns minutos depois, outra pessoa havia entrado no vestiário e estava se trocando, fazendo pequenos ruídos além da cortina do chuveiro. Harry pegou uma toalha e voltou para os armários, secando o cabelo. 

Ao sair do chuveiro e tirar a toalha da cabeça, ele parou de repente. 

O caçador de reserva, estava nu, segurando uma toalha enrolada em cima das bochechas, parecendo apavorado e ficando vermelho como uma beterraba. 

Harry ficou momentaneamente atordoado. "Malfoy", disse ele, por falta de algo melhor a dizer. 

Malfoy se recuperou rapidamente. O tom púrpura de sua pele diminuiu e ele se endireitou. "Oleiro." 

Harry o encarou por mais um segundo. Malfoy acenou com a cabeça para ele, mas não se moveu, não removeu a toalha ou foi para o chuveiro. Ele ficou congelado no lugar. Chance. Ninguém que jogava quadribol na escola, e certamente não profissionalmente, tinha vergonha de ficar nu no vestiário. Talvez Malfoy se sentisse estranho perto dele.  

"Desculpe", disse Harry, enquanto se afastava dele. "Vou embora." 

"Direita." Malfoy se virou para Harry ao passar, mantendo-se de costas para a parede. "Obrigado." 

"Er ... sem problemas." Harry foi pegar o resto de seu kit no armário e, ao fazê-lo, Malfoy correu rapidamente para o chuveiro. Harry viu um brilho de pele pálida esticada sobre o músculo com o canto do olho enquanto Malfoy fechava a cortina do box. E ele também viu ... Não. 

Não pode ser. 

 

-------------------------

 

Já eram seis horas, e Harry estava sentado no pub bebendo sem parar por duas horas. 

A primeira coisa que fez quando entrou foi pedir frango ao curry com uma grande porção de scotch eggs. Ele estava morrendo de fome, tão faminto que não tinha espaço em sua cabeça para pensar sobre o que ele pensava que tinha visto. Ele comeu, comendo vorazmente, e pediu uma cerveja. Em seguida, outra cerveja. 

Então ele mudou para o uísque. 

Malfoy estava no time há menos tempo do que Harry. Apenas dois meses atrás, em agosto, ele foi assinado, após ser libertado de seu ano de liberdade condicional após a sentença de sua família após a guerra. Nada foi dito sobre ele na imprensa todo esse tempo, apenas que Harry Potter havia falado em seu julgamento, que ele havia sido condenado, e ele planejava residir em uma casa em Kensington depois que a Mansão Malfoy fosse vendida para pagar indenizações. 

Depois disso, ninguém mais ouviu falar dele. Ele não se candidatou a nenhum programa de treinamento no ministério, não apareceu em Hogwarts para fazer o NIEM, não trabalhou em uma loja no Beco Diagonal. Considerando sua educação, não era surpreendente que Malfoy não tivesse um emprego. Pessoas como ele geralmente se consideravam acima do trabalho, e não ser uma pessoa prestigiada no Ministério significava que ele não podia participar de conselhos ou administrar instituições de caridade especiais , como seu pai havia feito. Os Malfoys viviam uma vida de privilégios e lazer. 

Fazia sentido, então, que o único interesse real de Malfoy fosse praticar esportes. Ele era decente o suficiente, mas não bom o suficiente para ser o primeiro. Ele não tinha adquirido a largura de ombro que a maioria dos homens obtém ao sair da adolescência; ele ainda era um pouco magro aos dezenove anos, mas voava rápido e tinha um braço decente quando jogou a goles. Maddock convenceu o dono dos Magpies a contratá-lo para a equipe reserva e, depois de alguns resmungos dos outros, começou a amistosos no final do verão. 

Malfoy não saiu para beber com eles. Ele não se envolveu nas brincadeiras deles, ele não foi enganado por Adrian Pucey. Todos o deixaram bem sozinho e ele retribuiu o favor. Até hoje, Harry havia assumido que ele era o mesmo idiota arrogante de sempre, mas sem toda a encenação que havia feito na escola.

Se ele foi removido socialmente do resto do time, Harry pensou, era mais por escolha do que qualquer coisa. Alguns membros da equipe estiveram na Sonserina, e apenas Oliver Wood estivera na Batalha de Hogwarts. Ninguém guardava rancor dele, mas Malfoy ainda parecia torcer o nariz para o resto deles. 

Harry deu um gole no resto de seu uísque. O resto da equipe estaria aqui em breve. Com o treinamento que fizeram, eles não podiam sair todas as noites, nem mesmo todas as semanas, mas era sexta-feira antes do Halloween e todos estariam querendo alguns drinques pelo menos. Enquanto esperava por eles, Harry tentou decidir se realmente tinha visto o que pensava ter visto. Ele revirou em sua mente, lentamente, considerando. 

Pele pálida. Ombros musculosos. Sua caixa torácica. A barriga lisa de Malfoy. Suas pernas finas e delicadas. E entre seu estômago e suas pernas, um lampejo de tecido preto. 

Não é tecido. Não apenas tecido. Não é algodão. Ou seda.  

Harry pensou se ele tinha certeza do que viu. Por um lado, ele não deu uma boa olhada. Foi momentâneo. Fugaz.

Por outro lado, mesmo pela metade do olhar que recebeu, Harry tinha certeza de que Malfoy estava usando calcinha de renda preta. A renda era meio transparente, não totalmente opaca, e ele tinha visto o padrão dela, intrincados fios pretos com a pele branca como a lua de Malfoy por trás. 

E então, quando ele entrou no chuveiro…. O tecido havia desaparecido em um barbante grosso na bunda de Malfoy. Era um fio dental. 

Assim que Harry chegou a essa conclusão, Oliver Wood, Adrian Pucey e o capitão do time, Alasdair Maddock, chegaram ao pub, discutindo ruidosamente, se empurrando e rindo. Harry despertou de seus pensamentos e se juntou a eles em uma mesa maior, pedindo uma rodada de canecas e oferecendo seu prato de ovos para compartilhar. 

 

------------------------

 

Por volta da meia-noite e meia, Harry tropeçou em casa na cama. No caminho de volta, ele bateu o dedão do pé em um dos paralelepípedos da rua e latejou quando ele tirou os sapatos e depois as roupas. Harry se concentrou nisso enquanto se deitava, na dor disso. Isso o ajudou a pensar em algo além do que tinha visto nos armários. 

Ele passou a noite toda bebendo, cantando músicas com os outros jogadores, lutando com Pucey, batendo em Oliver Wood com dardos, sendo barulhento, desagradável e estúpido, e agora que estava de volta em casa e tudo estava quieto, ele não achava que queria pensar sobre Malfoy, e o que ele estava vestindo, e como isso o fazia se sentir. 

E como isso o fez se sentir. 

O pênis de Harry estava inchando sob suas calças, e não importava o quanto ele tentasse tirar sua mente disso, ele não conseguia. Ele não conseguia parar de pensar sobre a renda mordendo a pele clara de Malfoy, sobre como esculpir a bunda de Malfoy no meio, sobre o quão apavorado Malfoy parecia. Envergonhado, quase. 

Virginal. Como toda a sua fanfarronice, toda sua arrogância e orgulho, era tudo um show, e por baixo, ele estava tremendo e envergonhado, e muito tímido para deixar os outros verem quem ele realmente era. 

Com esse pensamento, todo o sangue correu da cabeça de Harry, e ele rolou de bruços, prendendo seu pênis embaixo dele para que não pudesse tocá-lo. Ele não iria. Ele não iria bater uma punheta para Malfoy. 

Ele não iria se masturbar com Malfoy usando calcinha de renda. 

Preto. Calcinha de renda preta. A cabeça de Harry girou enquanto ele imaginava Malfoy praticando nela, bebendo canecas com a equipe no pub. Sentado em reuniões de equipe na sala de reuniões, com sua camisa oxford branca e calça cinza, por baixo do tecido de lã dura, a renda macia, cuidadosamente escondida. 

Ele estava duro com ela? E em caso afirmativo, com que frequência? Ele andava duro o tempo todo, seu pênis esticando a renda, o tecido cortando sua pele sensível, pressionando contra ela, restringindo-a ... 

As fantasias de Harry chegaram a um lugar do qual ele não podia voltar atrás, e ele enterrou seu pau na cama. Ainda se recusando a se tocar, ele se esfregou lentamente no colchão, movendo seus quadris de um lado para o outro, deixando o prazer se acumular em sua virilha enquanto imaginava em puxar a renda para o lado, e o pênis de Malfoy se soltar, saindo de seus limites e pingando. 

Harry se abaixou e espalmou seu pênis, quase escorregando nas roupas de cama enquanto se esfregava. Oh Deus, como seria puxar aquele barbante de lado e ver o buraco de Malfoy atrás dele, pele rosa e pálida sob o tecido preto, Malfoy ficando com aquela cor adorável de vermelho, Malfoy dizendo, "Não Potter, não olhe, é também…"

Harry gozou abruptamente, bombeando seu gozo para os lençóis, seus músculos se contraíram e seus quadris empurraram contra a palma da mão aberta. Ele gritou quando o orgasmo saiu de dentro dele, seus olhos fechados, imaginando o rosto corado de Malfoy e suas longas pernas, seu pênis espasmando freneticamente. 

Ofegante, Harry rolou de costas e abriu os olhos. Ele se sentiu…. Não é com vergonha. Inquieto . Doze horas atrás, Harry nunca tinha pensado em outro homem antes. Não sexualmente. E ele certamente nunca tinha pensado em um homem vestindo roupas íntimas femininas. E ele certamente nunca tinha pensado em Malfoy vestindo roupas íntimas femininas, e como isso o deixava incrivelmente quente. 

Mas agora que tinha, Harry só tinha uma pergunta: o que ele faria a respeito? 


Notas Finais


Até a próxima~.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...