1. Spirit Fanfics >
  2. Get Your Kinks Out. >
  3. Chapter 2.

História Get Your Kinks Out. - Capítulo 2


Escrita por: _Blackla

Notas do Autor


Tá vocês gostaram oh glória kkkkk Eu corri para terminar de traduzir um capítulo que já estava pela metade e parei de assistir o BBB porque vocês não merecem essa tortura de esperar até amanhã então como agradecimento cometen pq eu gosto de ler os comentários ☺️.

Capítulo 2 - Chapter 2.


No final das contas, a resposta imediata de Harry aos eventos de sexta-feira foi ir no sábado a um bar e encontrar uma garota para foder. 

Ele foi com Ron e Simas, como era seu costume nas noites de sábado, e esperou enquanto eles ficavam um pouco embriagados no bar. Harry sugeriu que eles fossem a um moderno bar trouxa ao ar livre em Shoreditch, construído em cima de contêineres. Seu refúgio habitual no Beco do Tranco não serviria para os propósitos de Harry. Nas poucas vezes em que ele pegou garotas naquele clube, fotos deles juntos acabaram no Profeta diário , e então Harry parou de Andar em estabelecimentos bruxos completamente. 

Ele, Ron e Seamus passaram um tempo assistindo a uma partida de futebol na TV enquanto Ron e Seamus bebiam algumas canecas. Harry não bebeu nada. Foi uma triste conseqüência de sua carreira no Quadribol que ele não pudesse beber mais do que uma ou duas vezes por mês e esperar ter um desempenho de acordo com o padrão, e a noite passada certamente foi qualificado como um dia de trapaça. 

"Então, explique isso para mim de novo", disse Ron com a boca cheia de batatas fritas. “Se eles não podem usar vassouras para chegar à bola, por que não andam de motocicleta? O jogo não seria mais rápido assim? 

Simas bufou. “Se você não vai pelo menos tentar entender, então não Assi- AHHHHHHHHHHHHH! QUE CARA BURRO ERROU COM UMA BOLA DESSE TAMANHO"

"Talvez devêssemos tentar assistir ao hóquei no gelo da próxima vez, Ron", disse Harry. “Os patins tornam isso muito mais rápido.” 

“Ou você pode nos arranjar alguns ingressos para uma partida de quadribol,” Ron sugeriu. “Os Magpies não têm camarotes gratuitos disponíveis todas as semanas para os amigos do time?” 

“Sim, Ron, mas são para investidores, políticos ou celebridades. Você sabe. Pessoas importantes." 

Ron o encarou estupidamente. “Cara, você é importante. Você é Harry Potter! Eles podem lhe dar ingressos para camarotes. ” 

"Ron, estarei jogando nas partidas, não batendo papo nas arquibancadas."

Ron revirou os olhos e voltou sua atenção para o futebol. “Não podemos assistir a outra coisa? Eles quase nunca marcam neste jogo. ”

Simas balançou a cabeça e Harry riu. Eles passaram o resto da noite tranquilos, Rony e Simas comendo as batatas animação e ficando cada vez mais cansados ​​de suas cervejas. Harry perguntou por Hermione, e Ron disse a ele que não havia muito a dizer, exceto que ela estava cronicamente exausta. Ela estava cuidando de seus pais, que estavam se recuperando do dano de feitiço não desprezível que ela os deixou em suas tentativas de protegê-los de Voldemort, e freqüentava a faculdade de direito em tempo parcial enquanto ela trabalhava para o Wizengamot. Depois de quatro rodadas, era tarde da noite e eles estavam prontos para Aparatar. 

"Vejo você em breve, Harry," Ron disse enquanto lhe deu um tapa nas costas em um abraço amigável. “A menos que você queira ficar no quarto de hóspedes? Hermione não vai se importar, ela estava dormindo antes de eu sair. A faculdade de direito está realmente tirando isso dela. Ela adoraria ver você no café da manhã. " 

"Não, obrigado", disse Harry. “Eu acho que vou caminhar até um ponto de aparatação é voltar para casa na Escócia. Temos um treino amanhã cedo. ” Isso era mentira, mas Harry pretendia passar pelo menos uma hora aqui em Shoreditch antes de ir para casa, e ele não queria que Rony e Simas soubessem disso. 

Harry sorriu para eles enquanto saíam. 

Assim que suas costas passaram pela porta, Harry se virou e fez contato visual com as três garotas que o observavam enquanto pensavam que ele não estava prestando atenção. Um homem o estava observando também, o que Harry achou interessante. Ele considerou por um momento ir para casa com ele. Ele era alto e tinha um corpo bonito, mas Harry percebeu que a probabilidade de ele usar o tipo de traje que esperava ver esta noite era quase nula. 

Em vez disso, Harry foi até a garota loira de aparência entediada de saia curta e se ofereceu para comprar uma bebida para ela. 

 

-------------------------



Harry acordou em sua própria cama na manhã seguinte, sozinho. Ele passou algumas horas na casa de Emily e depois foi embora. 

O sol cortou um raio claro através das frestas da janela no rosto de Harry, e ele piscou quando voltou à consciência. A noite passada foi?...

Ele e Emily haviam conversado por trinta minutos inteiros antes de ficar bem claro que os dois estavam atrás da mesma coisa, e eles deixaram o bar para se beijar e brincar um pouco no beco. Ela o levou de volta para seu apartamento, e em cinco minutos Harry estava cara a cara com exatamente o que ele estava procurando. 

Ela estava usando calcinha de renda. Jackpot , ele pensou consigo mesmo, embora eles não fossem pretos. Eles eram rosa choque, uma pequena decepção rapidamente superada quando Harry percebeu que eles tinham o mesmo formato que ele tinha visto em Malfoy na noite anterior. 

Sem poupar tempo, Harry imediatamente selou sua boca na virilha deles e começou a lamber a renda áspera. A textura, os sulcos da linha esticada sobre a pele lisa da garota, o fez querer babar em cima dela. E foi o que ele fez. Ela estava ofegando e resistindo em sua boca, fazendo ruídos silenciosos desesperados até que Harry puxou a cueca de lado e entrou nela, e então ela gritou, alto e claro, enquanto ele enfiava seu pênis nela lentamente, saboreando a sensação da renda em seu haste. 

Harry não gostava da vanglória que às vezes acontecia entre companheiros, e ele nunca foi do tipo que se gabava de seu próprio desempenho, mas tentou fazer com que viesse depois que seu parceiro estivesse satisfeito. Mas agora, fodendo-a lenta e fortemente, a renda esfregando contra seu prepúcio enquanto ele a acariciava, ele não pôde evitar e gozou forte depois de dois minutos dentro dela. 

Estava quase na hora do café da manhã, e Harry deveria comer antes de ir para sua sessão de condicionamento de fim de semana, mas ele ficou na cama por mais alguns minutos. A noite passada havia sido sua tentativa de tirar o que ele agora considerava O Incidente Malfoy de seu sistema, desabafando. Ele podia ver agora que a tentativa estava errada.

Puxar a barra tinha piorado as coisas, não melhorado. Por um lado, ele mal conhecia Emily, e embora ela estivesse usando calcinha, Harry já tinha trepado com muitas (bem ... várias) mulheres usando calcinha antes. Não era isso que estava realmente na raiz de tudo isso, era? 

Não, era o Malfoy usando calcinha. Malfoy, que tratava todos os seus amigos como merda, que quebrou o nariz, que seu o pai tirou de todos os problemas da vida (exceto os problemas mais recentes, naturalmente), que era bom demais para tomar mais de um litro com o equipe, que compareceu às reuniões de equipe com camisas Oxford ensanguentadas e calças de lã. Esse homem estava secretamente vestido com roupas íntimas femininas. 

Isso incomodava Harry de uma forma que ele não conseguia articular, e embora ele tivesse feito sexo recentemente e estivesse tentando ao máximo não pensar na situação sexualmente, ele não conseguia descobrir por que o achava tão interessante. 

A realidade era que ele achou interessante. E seu primeiro plano de ação, encontrar uma garota com quem podesse transar, não resolveu nada para ele. Ele teria que encontrar outra coisa para fazer. 

 

--------------------------

 

Vou esfaquear meus olhos com esta caneta se eu continuar aqui, Harry pensou consigo mesmo. 

A reunião da equipe na manhã de segunda-feira já havia durado duas horas e a maioria dos membros da equipe estava remexendo-se nas cadeiras ou praticando a arte de bocejar com a boca fechada. Clarence Nelson, o dono da equipe, havia falado monotonamente sobre as finanças da equipe, oportunidades de marketing e obrigações futuras de patrocínio, nenhuma das quais Harry se importava. Ele aparecia sempre que o assistente administrativo da equipe dizia para ele aparecer, sorria para as câmeras que apontavam sua direção e deixava o secretário de imprensa dar declarações para ele sobre este ou aquele empreendimento de caridade. 

Nada disso era interessante para qualquer um dos outros membros da equipe, exceto para Malfoy, que estava escrevendo notas em um bloco de papel em uma escrita lânguida. 

Harry olhava para ele com o canto do olho de vez em quando. Malfoy estava usando calça cáqui hoje com um suéter azul sobre uma camisa cinza abotoada. O botão mais alto foi fechado. Superficialmente, ele parecia perfeitamente engomado, aristocrático e abafado, o cabelo médio amarrado , amarrado tão bem que puxava um pouco as sobrancelhas. 

Harry se perguntou o que ele estava usando por baixo das calças cáqui.  era o mesmos da sexta-feira? Ou a calcinha era coisa de fim de semana para Malfoy? Talvez algo que ele estava planejando usar para um ... um clube. De algum tipo. 

Harry não tinha experiência com esses lugares, mas pensar nisso fez seu pau endurecer um pouco dentro das calças de treino. Ele mudou seus pés para que suas pernas ficassem um pouco mais afastadas. Todo tipo de coisa poderia acontecer nesses clubes, e enquanto Harry pensava neles, ele continuou a deslizar seus olhos para o canto da sala, onde Draco estava sentado do outro lado da grande mesa de carvalho. 

A pele de Malfoy ficou um pouco rosa. Não totalmente ruborizado, mas o suficiente para que Harry percebesse, e depois de um ou dois minutos, Malfoy abaixou sua pena e juntou as mãos na frente de si, seu olhar fixo em Nelson, resolutamente sem olhar na direção de Harry. 

Ele sabe , Harry pensou. Ele sabe que eu o vi e sabe que estou pensando nele agora . As pessoas sempre podiam ler a linguagem corporal de Harry de alguma forma, e Malfoy deve estar alerta para qualquer sinal de Harry agindo estranhamente, depois de quão aterrorizado ele esteve no vestiário. Ele sabia que deveria parar de olhar, deveria colocar os pés no lugar e permitir que seu pau relaxasse, mas entre o tédio da reunião e a forma como o leve rubor estava agora alcançando o topo das orelhas de Draco, Harry foi levado à distração. 

Suas reflexões matinais se foram sobre por que exatamente ele achava as roupas de Malfoy tão fascinantes, e tudo em que conseguia pensar era o que faria quando todos fossem dispensados. Suas opções. 

Sirius teria ficado encantado. Ele odiava os Malfoys, Harry se lembrava com carinho, e teria visto isso como uma excelente oportunidade para humilhar publicamente seu primo distante. Retire-os de seu kit quando ele estiver no chuveiro após o treino. Pendure-os em seu armário. Enfeite a parte de trás de sua camisa para dizer algo rude sobre o idiota que ele é. 

O Harry de quinze anos, ainda furioso com o envolvimento de Draco com Dolores Umbridge, teria feito isso em um piscar de olhos. 

Mas Harry não tinha quinze anos, e Malfoy não tinha quinze, e a mãe de Malfoy salvou sua vida, e quando Harry se lembrou disso, ele se sentiu triste por Sirius ser um valentão de novo, mesmo para pessoas que talvez merecessem. 

Ron diria a ele para não fazer nada. Por enquanto. Para manter a informação para si mesmo até que ele precisasse mais tarde, um ás na manga, no caso de Malfoy transar com ele ou ficar em seu caminho, como ele sem dúvida faria. Às vezes. Mas Ron era talentoso em estratégia de uma forma que Harry não tinha autocontrole para agir. 

Hermione diria a ele para ignorar. Para ser justo, Harry sabia que esse era o curso de ação racional. Não tem nada a ver com você, e Malfoy tem o direito de usar o que quiser sem que você o assedie . A voz dela em sua cabeça era o tom indesejável da razão, agora como sempre. E ele é vulnerável, Harry. Não é justo dizer nada a ele sobre isso. O mundo é hostil a ele, e você tem muito poder para provocá-lo ou fazer propostas a ele. Como ele poderia enfrentá-lo? Como ele poderia dizer não? 

Hermione era sua própria consciência indesejável também. Droga . Harry não poderia fazer nada a respeito, não é? Ele sabia que não iria provocá-lo sobre isso, não iria intimidá-lo, mas poderia, com toda a justiça, ir até ele como um igual e pedir-lhe para ... Harry não tinha certeza do que ele iria pedir a ele para fazer com ele, mas seu pau assegurou-lhe que era algo lascivo. 

Ele poderia pedir uma coisa dessas a Malfoy? Malfoy era mesmo gay? E se sim, ele estava interessado em Harry? E se ele estava interessado em Harry, seria justo para Harry, com suas desigualdades de status, e a dívida de vida que Malfoy tinha com ele, pedir a Malfoy para ...

Havia muitas incógnitas aqui para Harry racionalizar, entender. Então, quando a reunião foi encerrada e todos se levantaram para ir ao campo para praticar, Harry decidiu parar de pensar sobre tudo isso, seguir seu próprio conselho e fazer o que fosse natural. 

 

----------------------------

 

Os outros jogadores haviam acabado de trocar para seus equipamentos de scrimmage. Harry ficou interessado em notar que Malfoy se trocou em um box, sozinho, para que ninguém mais pudesse vê-lo. Ele sempre fez isso? Não importa. 

Harry fingiu sair do vestiário com todos os outros, mas em vez disso esperou no final dos armários, atrás deles, de modo que quando Malfoy finalmente saiu em direção à porta, Harry esticou o braço para detê-lo. 

"Malfoy." 

Malfoy olhou para ele, claramente tentando dominar a sombra que seu rosto estava mudando, e falhando. "Oleiro." Sua voz era firme e clara. 

Os planos de Harry não o haviam levado além deste ponto, e agora ele estava firmemente apoiado em seu pé atrás. "Achei que poderíamos ter uma conversa." 

Malfoy pigarreou. "Você viu." Não foi uma pergunta. 

Harry percebeu que Malfoy não iria ajudá-lo. Ele ia ter que fazer ... o que quer que ele estivesse fazendo. Esta. Por conta própria. 

"Sim. Eu vi você entrar no chuveiro ontem. " Ele fez uma pausa. Os olhos de Malfoy eram da mais profunda tonalidade de cinza. "Eu vi o que você estava usando." 

Malfoy não disse absolutamente nada. Você é grifinório ou não é?  Harry pensou. Apenas vá com isso, pelo amor de Deus . Mas ele não conseguia formar as palavras. Malfoy ainda estava olhando para ele com seus olhos perfeitamente cinzas, seu rosto rosa e seu coração batendo forte sob a mão de Harry, que ainda segurava sua camisa. 

Em um minuto, Harry estava tentando pensar no que dizer a seguir, e no próximo, ele empurrou Malfoy contra os armários. Por uma fração de segundo, Malfoy enrijeceu como se tivesse certeza de que seria atacado, mas então Harry colocou sua boca na curva entre o pescoço de Malfoy e chupou , e correu seus dedos para cima e para baixo na coluna pálida dele.

Os músculos de Malfoy relaxaram e amoleceram ao mesmo tempo. Ele deslizou um pouco pelos armários, como se estivesse com os joelhos fracos, e soltou um suave “oh”. De alguma forma, Harry não esperava que ele soasse assim; ele esperava que Malfoy soasse afiado e arrogante, mas em vez disso parecia um pouco desamparado, como se a boca de Harry fosse demais para ele, como a mão de Harry ...

Com um sobressalto, Harry percebeu que enquanto sua mão esquerda ainda segurava a camisa de Malfoy para mantê-lo no lugar, sua mão direita vagou para o short de lycra de Malfoy e esfregou o pau duro que encontrou debaixo dele. Não esfregando. Massageando. Ele o estava segurando, virando-o nos dedos, sentindo algo por baixo do poliéster liso do equipamento de Quadribol de Malfoy. 

Ela estava lá. Ele o estava usando. De novo. Harry puxou o pescoço de Malfoy, quase ofegante de desejo, e Malfoy engasgou. A mão direita de Harry agarrou o short e o empurrou para baixo. Ele e Malfoy, juntos, olharam para baixo. 

Ela eram branca desta vez. Malfoy se abaixou com a mão livre, puxando sua camisa enquanto os dois olhavam para baixo, quase como se ele quisesse que Harry o visse, e isso mais a visão de seu pênis esticando contra o tecido, umedecendo-o um pouco na frente com pré-gozo, era tudo que Harry precisava para fechar a distância novamente e pressionar seu pênis contra o que quer que estivesse à sua frente. 

Ele empurrou seu próprio short para baixo também, para que pudesse sentir a renda em seu pênis enquanto estocava erraticamente contra o pau duro de Malfoy. Malfoy estava fazendo ruídos baixos e parecia estar gostando do que Harry estava fazendo, mas seus olhos estavam desviando o olhar, e ele ainda estava corando como se estivesse terrivelmente envergonhado. 

"Gosta disso, não é Malfoy?" Harry perguntou sem fôlego. "Você vai sair disso?" 

Malfoy desviou o rosto para olhar para os chuveiros. "Sim", disse ele em um tom baixo, sua voz travando com um gemido involuntário. Harry esfregou seu pênis ainda mais forte contra ele, mais lento agora, mais deliberado. 

"Eu vou assistir você gozar," Harry disse a ele, e quando o fez, o pau de Malfoy teve espasmos e cuspiu sêmen por cima da calcinha de renda, o fluido escorrendo pela frente. Malfoy fechou os olhos com força e gemeu . 

Isso foi o suficiente para Harry. Seu pau superestimulado seguiu com seu próprio sêmen, e Harry colocou a mão em torno dele, bombeando a bagunça na frente da calcinha branca de Malfoy, que estava suja e um pouco rasgada pelo tratamento áspero. 

Harry descansou a cabeça nos armários de madeira, logo acima do ombro de Malfoy, respirando com dificuldade. Malfoy não olhou para ele; ele parecia perdido em seu próprio mundo, respirando estremecendo e mantendo a cabeça apontada para o chuveiro. Harry agarrou seu queixo, apontando seu rosto para o seu, e Malfoy abriu os olhos. 

"Não se limpe," Harry disse a ele, chocado com o tom de comando em sua voz. “Fique sujo pelo resto do treino.” 

Draco o olhou fixamente por um momento. Agora que o fervor do acasalamento havia passado, Harry tinha certeza de que Draco o amaldiçoaria, ou o bateria, ou ambos, pelo que estava pedindo. Mas Draco abaixou o queixo em um aceno de cabeça. 

Harry pegou sua vassoura e saiu para o campo.



Notas Finais


Gente? Kkkkkk esse capítulo foi-

Até a próxima~.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...