1. Spirit Fanfics >
  2. Get Your Kinks Out. >
  3. Chapter 6.

História Get Your Kinks Out. - Capítulo 6


Escrita por: _Blackla

Notas do Autor


Quero pedir desculpas por ter desaparecido KKKKK.

Capítulo 6 - Chapter 6.


A reunião da equipe na segunda-feira de manhã foi tão boa quanto se poderia esperar.


"Cinco dias? Você não pode estar falando sério! " O rosto de Oliver Wood parecia jubiloso, apesar da hora da manhã. 


Clarence Nelson, o dono da equipe, sorriu magnanimamente. “Cinco dias inteiros, sem incluir a viagem de ida e volta para o resort. E com um mordomo particular para cada um de vocês, das oito da manhã às dez da noite. ” 


Harry estava radiante, ele podia sentir em seu rosto. 


"Qual é o truque?" perguntou Adrian Pucey. “Quem estamos endossando?”


“Você está endossando o resort”, explicou Nelson. “Eles acabaram de abrir um novo prédio exclusivamente para a comunidade bruxa e querem um pouco de divulgação. Haverá um fotógrafo do Profeta lá, bem como um do Witch Weekly . ” 


"Então, nós devemos nos divertir sem nossas tampas para as câmeras?" perguntou Wood. 


“Bem, sim”, disse Nelson. “Isso faz parte do acordo. Daremos a vocês uma lista completa de obrigações contratuais pelas quais a equipe é paga. Vocês não terão muita prática - apenas condicionamento pela manhã e dois jogos amistosos no campo de Quadribol. No resto do tempo, vocês devem fazer o que quiserem no resort. Não estamos fazendo uma sessão de fotos formal. Os fotógrafos vão tirar fotos espontâneas de vocês. ” 


Harry ficou tão satisfeito. Ele nunca teve férias adequadas. Os Dursleys sempre foram sem ele, e os Weasleys acabaram de ir para o Egito, entre o primeiro e o segundo ano, quando ele não pôde ir junto. Por algum motivo, nunca lhe ocorreu viajar para o exterior. E agora, aqui estava uma semana inteira na Espanha, em um resort, com uma casa de praia particular só para ele.


Harry e os outros saíram, quase se empurrando com entusiasmo pela semana que viria (eles partiram na quarta-feira). Harry estava começando a pensar consigo mesmo o que ele e um certo outro companheiro de equipe poderiam fazer em uma semana em um resort de praia, quando percebeu que, quando eles partiram, Draco tinha ficado para trás. 


A porta de metal cinza se fechou, com Harry de um lado e Draco do outro. O coração de Harry disparou. Ele podia sentir algo crescendo em seu peito enquanto esperava Draco sair. 


Ele demorou um bom tempo e, quando finalmente abriu a porta, a expressão em seu rosto era envergonhada e a imagem de decepção. 


Raiva . Era isso, a coisa em seu peito. Foi raiva. 


Antes mesmo de pensar no que iria dizer ou fazer, Harry agarrou o pulso de Draco e o puxou, protestando, de volta para a sala de reuniões. 


Nelson parou na ponta da grande mesa, examinando alguns números em um arquivo com o gerente de negócios. Ele olhou para Harry, que estava parado na porta, com o rosto vermelho e segurando o braço de Draco. Draco estava tentando desesperadamente se afastar, mas o aperto de Harry era muito forte, e ele logo desistiu. 


"Sim, Sr. Potter?" 


"Você não está deixando Draco ir com a gente." 


Nelson piscou. 


Draco estava frenético. "Potter, está tudo bem, já discutimos -"


"Não. Não está bem. Fique quieto."


"Potter, não -"


Harry se virou para Draco e sentiu o sangue em seu rosto esfriar. "Malfoy, você nunca-" ele respirou fundo, "nunca, me diga o que fazer." 


Draco se acalmou imediatamente, a tensão no aperto de Harry diminuindo. Harry se voltou para Nelson. "Você não está deixando Draco ir com a gente." 


Nelson acenou com a cabeça, uma vez. “Sinto muito, Harry. Não depende de nós. O resort ... a imprensa ... eles acham que a presença do Sr. Malfoy pode ser uma distração para a imprensa. Com, ah… as questões históricas, a pé. Você vê." 


A raiva de Harry diminuiu um pouco. Nelson era um bom homem. Ele contratou Draco porque era um bom aviador e não se importava com velhos preconceitos. Ele teve a oportunidade com esse endosso de ganhar algum dinheiro e divertir sua equipe, e ele a aproveitou. Mas a injustiça irritou Harry. 


“Bem, se eles não querem Malfoy em seu resort, eu também não estarei lá. Posso tirar minhas próprias férias. ” 


“Potter, você está contratualmente obrigado a participar de eventos de endosso. Como seu chefe, estou exigindo sua presença. ” 


Harry suspirou. “Desisti de ser Auror para me afastar da política, Nelson. Se for no Quadribol também, não preciso jogar. ” Quando ele disse isso, a tensão contra seu aperto no braço de Draco aumentou novamente. 


“Potter, você é a razão pela qual esse time tem essa oportunidade. A imprensa está louca por você, e o resort pagou principalmente para que seu nome fosse incluído na história. ” 


As narinas de Harry dilataram-se um pouco. Ele ganhou. "Então você não acha", disse ele, "que eles podem reconsiderar sua posição sobre a presença de Malfoy?"


Nelson sorriu como um gato. "Tenho todos os motivos para acreditar que sim, agora que você colocou dessa forma, Sr. Potter." Ele se virou para o flu no fundo da sala. “Vou ligar para eles imediatamente. Tenho certeza que eles terão uma resposta pela manhã. ”


"Obrigado, senhor," Harry disse, e ainda segurando o pulso de Draco, ele se virou e saiu.


 


-------------------------


 


Draco começou a cravar os calcanhares no chão e tentar escapar das garras de Harry no segundo que eles saíram. 


"O que diabos você estava pensando, Potter?" Ele parecia zangado. Harry soltou sua mão, ultrajado. 


“O que eu estava pensando? Eu estava pensando que você fazia parte da equipe e deveria estar na viagem! ” Draco continuou parecendo zangado, e Harry sentiu uma onda de raiva também por sua ingratidão. "Você deveria estar me agradecendo!" 


"Para que? Ser arrastado para um hotel onde não sou bem-vindo? Onde a equipe vai me tratar como lixo, onde a imprensa terá um dia de campo espalhando sobre mim e meu nome feio na primeira página de um tablóide? Eu deveria estar agradecendo ? " 


Harry não tinha pensado nisso dessa forma. Ele só tinha pensado que era injusto que Draco não tivesse sido incluído, e que ele realmente gostaria se- Harry não tivesse certeza do que ele estava pensando. O rosto de Draco estava ficando vermelho, ele estava corando, e o resto da equipe estava em algum lugar perto esperando a elevador - Draco estava olhando por cima do ombro de Harry furtivamente para ver se eles podiam ouvir. 


"Venha aqui", disse Harry, puxando Draco pela manga de sua camisa oxford branca para uma sala de conferências. Verificando se não havia ninguém lá e encantando a porta para que ficasse trancada atrás deles, ele continuou: “Podemos evitar a imprensa. Eles nos dirão quando vierem. Eles não são paparazzi e não estarão lá o tempo todo. ” 


Draco desviou o olhar de Harry, parecendo pequeno e um pouco derrotado. “Eu não quero ir. Eu não quero incomodar ninguém. ”


Draco parecia tão pequeno, tão concentrado em si mesmo, que Harry sentiu pena dele. Não, não era isso. Algo como proteção surgiu nele, o fez querer aumentar Draco um pouco. “Olha, os funcionários do resort não se importam. Eles nem mesmo serão bruxos britânicos. Os proprietários do hotel também não se importam. Eles vão querer apenas uma boa publicidade, e eu darei isso a eles. Eles não saberão que você está lá. E a equipe não sabe de nada disso. Todos ficarão felizes em ter você por perto, você sabe que eles gostam de você. ” Isso foi esticar um pouco.  


Draco olhou para ele incrédulo. “Sério, Potter? Você acha que eles vão me convidar para um chá? " 


Do lado de fora da janela, bem abaixo, um caminhão gigante buzinou para a equipe, que agora corria ruidosamente pela passadeira no caminho de volta para a aldeia. "Eu não sei sobre isso", disse Harry ironicamente. “Mas eu prometo que vou escolher você primeiro para meu time de vôlei de praia. Supondo que eu seja o capitão. ” 


“Supondo.” Draco disse. Ele estava sentado no parapeito da janela olhando para Harry, a luz da manhã transformando seus olhos em um cinza metálico. 


"Sim eu prometo." Disse Harry. Havia algo ainda o incomodando. Um pouco de raiva flutuou na superfície de seus pensamentos. Outra coisa enterrada abaixo dela. Harry pensou que poderia tirar o máximo dessa raiva, só para ver o que havia por trás. 


“Você me desobedeceu. Na frente de Nelson. ” 


Draco piscou lentamente. 


“Eu disse para você ficar quieto, e você não ficou. Você me deu uma ordem. ”


Outra piscada. Desta vez, os cílios de Draco tremeram um pouco. "Eu Dei."


Harry sabia que estava sendo enganado para atacar, mas tão, tão gentilmente. Draco sempre fez isso com ele, não fez? Sempre atraía sua ira, puxava suas marias-chiquinhas. Draco queria isso, o que eles tinham agora, o tempo todo? A imaginação de Harry confundiu, tentar reorganizar todo o lote de sua longa história em uma parte diferente de sua mente. 


Mas agora era diferente. Draco não estava mais chamando seu amigo de calúnia racial, ele não estava lançando coisas imperdoáveis ​​nele, mas Harry se sentiu ferido profundamente. Draco estava empoleirado no parapeito da janela, tremendo um pouco, e parecendo tão vulnerável quanto era possível parecer sem ter nenhum medo. Despreocupado, mais parecido. 


“Eu acho,” Harry disse cuidadosamente, “Eu acho que você precisa ser punido. Caso contrário, você pode fazer isso de novo. ”




Notas Finais


indireta pra mim fofah?
🙄
√))≥
_| \_.

Até a próxima~•


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...