1. Spirit Fanfics >
  2. Get Your Kinks Out. >
  3. Chapter 8.

História Get Your Kinks Out. - Capítulo 8


Escrita por: _Blackla

Notas do Autor


Nada a declarar.

Capítulo 8 - Chapter 8.


O jantar acabou e Harry voltou para a praia, procurando por Draco. 

Todos jantaram no restaurante, mas em mesas separadas. Harry sentou-se ao lado de Oliver Wood e Alasdair Maddock em uma mesa no meio da sala de jantar, e acenou para Draco se juntar a eles depois de olhar ao redor e vê-lo pairando entre a mesa do anfitrião e o resto do time. 

Os outros começaram a jogar bilhar depois do jantar, e Draco saiu para algum lugar do lado de fora. Harry o seguiu depois de algumas voltas de piscina e começou a andar pela praia, caçando atrás dele. Os feitiços de aquecimento na praia tinham sido recusados ​​à noite, e o ar frio estava formigando sua pele agora e deixando seus nervos à flor da pele. 

Ele o viu em um sofá a uma boa distância, seu topete loiro brilhante uma silhueta cintilante contra as ondas negras atrás dele. 

"Boo", disse Harry, aproximando-se dele. Draco se assustou. 

"Porra, Potter." Draco sibilou aborrecido, mas deslizou para o lado na cadeira para abrir espaço para Harry. 

“Mova-se um pouco mais. É isso." Harry colocou os pés em cima da mesa em frente ao sofá e agarrou Draco com força pelo pescoço, puxando sua cabeça para o colo. 

Draco parecia atordoado. "Potter", disse ele. Harry desatou o nó que prendia seu cabelo. "Potter. O que você está fazendo?"

"O que você acha que estou fazendo, Malfoy?" O cabelo de Draco despencou de seu elaborado nó. Médio e um pouco ondulado, principalmente platina, com alguns tons dourados. Harry começou a arrastar os dedos por ele, começando pelas raízes e coçando a cabeça de Draco antes de amarrá-los cada vez mais nas pontas"Jesus. Quando você teve tempo de deixar todo esse cabelo crescer? ” 

Draco sorriu afetadamente. “Eu sou um bruxo, Potter. Existem poções. ”

"Eu não sabia que existiam poções que podiam fazer um cabelo assim." 

O sorriso de Draco se aprofundou. "Claramente."

Harry soltou uma gargalhada. "O que isso quer dizer, Malfoy?"

"Que você tem o pior cabelo da Grã-Bretanha, Potter, e não fará nada a respeito." 

"Certamente não é o pior cabelo." 

"Granger costumava ganhar de você, mas ela descobriu as poções no quarto ano." 

“E há quanto tempo você está usando as poções? Jardim da infância?"

Draco conseguiu parecer desdenhoso, mesmo com os olhos fechados com o prazer de Harry tocar sua cabeça. “Eu ainda estava no berço, naturalmente. Meus pais não poderiam me deixar ir para a escola sem um bom penteado para trás, como um verdadeiro cavalheiro. ” 

Os dois congelaram, de repente, quando todos os seus companheiros de equipe vieram batendo e piando para fora do salão de bilhar. Harry tirou as mãos do cabelo de Draco e elas ficaram imóveis no sofá. Depois de um minuto, ficou claro que todos estavam indo na direção oposta, e Harry e Draco finalmente relaxaram. 

O bom humor parecia quebrado. "Nós vemos depois. É melhor eu voltar para os meu quarto. ”

“Cala a boca, Malfoy. Você já sabe que  vai para o meu quarto e está apenas esperando um convite. ” 

Pego, Draco ergueu uma sobrancelha. "Se você insiste. Senhor." 

 

-------------------------

 

Draco estava deitado no colo de Harry, em sua cama, o edredom enrolado em seu corpo perfeitamente branco e feito de seda e algodão macio, e Harry estava escovando seu cabelo. 

Ele poderia estar dormindo, por quão pacífico ele estava. Seu pênis gasto estava completamente flácido e seu peito subia e descia, lenta e profundamente. Seus ombros se espalharam pelas coxas de Harry e seu cabelo caiu na seda da fronha sob sua cabeça. 

Harry passou a escova pelo cabelo, massageando suavemente suas têmporas e puxando o cabelo da nuca de Draco, onde uma linha de hematomas começava. Harry se empolgou um pouco chupando-o, mas com toda a justiça, sua atenção estava focada em outro lugar. Quando eles entraram no quarto, Draco se jogou sobre o rodapé da cama e implorou a Harry para segurar seu cabelo em seu punho e fodê-lo entre as coxas, e Harry o obedeceu obstinadamente até que ambos entraram em um frenesi, seu boca agarrada ao lado do pescoço longo de Draco, bem onde encontrava seu ombro, Draco se curvou para trás, ofegando, torcendo e esfregando seu próprio pênis no colchão macio. 

Harry tirou os nós do cabelo de Draco, as pontas se espalhando em um halo ao redor do travesseiro, até que cada mecha brilhasse. Ele acariciou sua cabeça mais algumas vezes com a escova, mudou de posição para que a cabeça de Draco ficasse aninhada entre suas coxas ao invés de entre elas, então colocou seu cabelo para trás. 

Eles pareciam tão lindos que Harry não poderia deixar de segurá-los com os dedos. Draco engasgou e se contorceu, parecendo um pouco tímido. 

"Isso mesmo, Malfoy," Harry disse a ele. Ele molhou as pontas dos dedos na língua e voltou ao trabalho. Draco soltou um gemido meio abafado e arqueou as costas, perseguindo a carícia provocante de Harry. "Isso faz você se sentir sexual?"

"Mmm, sim." Draco corou quando seu pênis se encheu de novo, e Harry se perguntou o quanto o outro homem parecia envergonhado por seus próprios desejos. Isso o fez querer empurrá-lo ainda mais. 

"Você se sente sujo quando eu toco você desse jeito?" Draco estava quase ofegante agora, seu pênis empurrando rigidamente no ar. "Você já se tocou assim antes?" 

“N - não.” 

"Mentiroso." Harry torceu o mamilo de Draco dessa vez, apertando até que ficou vermelho. "Você fez, não é?" Ele começou a puxar seus mamilos, puxando-os para longe de seu peito, o suficiente para endurecer, mas não o suficiente para doer. "Diga-me." 

"Muito. Sim." O rosto de Draco estava vermelho, até a ponta das orelhas. "Eu brinquei com eles." 

"O que você pensou quando brincou com eles?" 

Draco chutou seus pés, ele estava tão desesperado para enfiar seu pênis em algo, mas havia apenas ar acima dele. “Eu pensei em ser sugado. Sobre alguém os chupando e mordendo. E então senti-los molhados com cuspe e expostos. ”


Harry espalhou as palmas das mãos sobre o peito de Draco, passando os mamilos duros entre as teias de seus dedos. “Aposto que foi muito constrangedor estar tão exposto.” 

"Ah sim." 

“Você se tocou depois? Diga-me."

"Sim." 

"Mostre-me." 

Draco quase chorou de alívio, sua mão fechando ao redor de seu pênis, e ele puxou o prepúcio com força enquanto se masturbava, espalhando suas pernas tanto que seus calcanhares atingiram a parte de trás de suas coxas. 

Harry suspirou como se estivesse desapontado. "Você é uma vadia, Malfoy." Ele não estava, realmente. Malfoy quase disse que ele era virgem naquela vez no apartamento de Harry, mas Harry sabia muito bem agora que Draco começou a ser humilhado. Ele tirou as mãos do peito de Malfoy e acariciou levemente seus mamilos com os dedos indicadores. Draco diminuiu o ritmo de sua punheta para que correspondesse aos dedos preguiçosos de Harry em seus mamilos, empurrando para cima e se contorcendo enquanto Harry girava os dedos e puxava seu peito, mas não conseguiu evitar se agarrar cada vez mais rápido, até que seu mão era um borrão em seu pênis. "Olhe para você, prestes a gozar comigo brincando com seus seios." 

O rosto de Malfoy congelou quando ele começou a gozar, sua respiração vindo em pequenos suspiros e gemidos, até que finalmente seu pau parou de dar espasmos e suas pernas caíram de volta na cama. Aos poucos, ele relaxou de volta no peito de Harry, e Harry fez pequenos sons de silenciamento até que a respiração de Malfoy se estabilizou e ele ficou perfeitamente imóvel, exceto por seu peito subindo enquanto ele inspirava. 

Harry pegou a escova de cabelo e começou a escovar novamente. Draco, colocado entre as pernas de Harry, puxou o edredom sobre os dois e adormeceu. 

Harry pegou sua varinha. "Nox."

 

--------------------------

 

Algum tempo depois, Draco se mexeu. Os dois cochilaram e ficaram um pouco suados, amontoados um em cima do outro sob o cobertor arejado. Harry estava com fome de um lanche noturno. 

“Eu vou me vestir e  pedir comida. Você quer alguma coisa?"

Draco se levantou nervosamente. "Não, ah, eu vou indo então." 

Harry estava confuso. "Por que isso? Você pode ficar aqui se quiser. ”

O rosto de Draco fez uma coisa engraçada. Todos os músculos dele afrouxaram de repente, e então quase se afastaram em um sorriso silencioso, mas então Draco ficou tenso novamente, e parecia nervoso novamente. “Você não pode trazer pessoas aqui comigo em seu quarto. Não seja ridículo. ”

Draco era um mistério. Ele falava em códigos, e Harry sabia que deveria entender, mas não conseguia. Foi muito complicado. Quando Harry estava com Ginny, ou as garotas que ele conheceu saindo com amigos, as coisas eram muito mais diretas. Ele fazia as coisas porque eram boas, e era isso que ele vinha fazendo aqui, mas Malfoy claramente não estava fazendo isso apenas porque era bom, ele tinha um grande aglomerado de motivações que Harry não conseguia começar a desvendar. “Malfoy, por que as pessoas não podem te ver no meu quarto? Vai ser só o serviço de quarto, não vou convidar os fotógrafos pra vir tirar fotos. ” 

"Mas você é," Malfoy disse veementemente, bufando um pouco de uma forma que Harry achou fofo . “Os fotógrafos estão hospedados no hotel e os garçons vão avisar, e vamos acordar amanhã ou no dia seguinte com eles acampados do lado de fora da sua porta, esperando que eu saia. Você não pode querer ... ”

"O que isso importa?" Harry estava com raiva agora, e por trás dessa raiva havia um pouco de rejeição, uma vozinha sentindo pena de si mesmo, por Draco não querer ser visto com ele. "Eu não sou bom o suficiente para você, Malfoy ?" 

O rosto de Draco parecia desanimado. Harry fez questão de enfatizar o sobrenome desgraçado de Draco, e Draco parecia que queria chorar, e Harry se sentia péssimo , péssimo consigo mesmo, mas ele só estava se sentindo rejeitado, e então ele o descontou em Draco, que era - 

"Oh merda, não vá." Draco estava recolhendo suas coisas, propositalmente sem olhar na direção de Harry. “Olha, eu sinto muito. Eu não quis dizer isso. Apenas fique." Ele agarrou o braço de Draco, mas o homem menor o afastou. "Por que você tem tanto medo de ser visto comigo?" Malfoy deu a ele um olhar sombrio, mas continuou se vestindo no que agora era um ataque de raiva. Draco , pelo amor de Deus, fique e fale comigo." 

Ao som de seu nome de batismo, Draco parou, sua camisa meio abotoada. Ele se sentou pesadamente em um sofá. 

“Eu não quero que as pessoas nos vejam juntos, porque no segundo que eles fizerem, uma parede de merda vai cair sobre mim na imprensa, e meus pais vão saber que eu sou gay, e eu nunca vou me casar com quem eu  deveria. Com uma garota. Para continuar a família. ” Draco olhou inexpressivamente para a meia distância, sem ver. Seus olhos estavam um pouquinho molhados. "E no segundo que alguém descobrir sobre isso, seus amigos se voltarão contra você e você me abandonará."

Esta foi a primeira vez que algo que Draco disse  fez sentido lógico para Harry. Todo o resto fazia algum sentido, a necessidade de Draco de ser atingido, envergonhado e maltratado, mas era um tipo de sentido perverso , impulsionado por algo que Harry não conseguia identificar; mas Draco temendo os papéis, Draco querendo se esconder de sua família, isso fazia sentido para ele, e ele entendia. 

"Tudo bem", disse Harry, mais calmamente agora. “Meus amigos não fariam isso, e eu não te deixaria por causa de algo que um jornal disse, mas tudo bem.”

Draco tinha um talento notável para olhar para Harry como se seu QI, expresso em libras, fosse suficiente para comprar dois pedidos de peixe com batatas fritas. “Fui horrível com seus amigos, Harry. Eu os chamei…. Eu disse a Granger ... ”

"Certo", disse Harry. "Você fez." Os olhos de Draco pareciam um pouco mais úmidos. “Vamos lidar com isso quando chegar a hora.”

O rosto de Draco se contraiu. “Não é possível estarmos juntos, em público. Não estamos nem juntos. Eu sou ... eu sou apenas seu sub. Alguém para você usar. Alguém para você usar. ” Draco estava dizendo isso para si mesmo, não para Harry. Ele estava tão assustado. Harry não sabia como fazê-lo se sentir melhor. 

"Você não é alguém para eu usar." Coisa errada a dizer. Draco parecia ofendido agora. “Quero dizer, você é. Eu gosto de usar você. ” Isso estava funcionando. Draco ainda parecia em pânico, mas satisfeito. “Mas poderíamos ser algo mais do que isso.”

Draco balançou a cabeça. “Não, não podemos fazer isso. Eles vão ser horríveis para mim. Horrível, Potter. Vou receber cartas de ódio e berros, e as pessoas vão voltar a me xingar na rua, como faziam antes dos julgamentos ”, ele estava quase hiperventilando agora, estava em pânico,“ e minha mãe vai ficar com o coração partido , Potter , você não pode - ”

Ok ," Harry interrompeu. Ele se abaixou até onde Draco estava sentado e ajoelhou-se ao lado dele. “Não precisamos contar a ninguém. Mas você pode ser meu namorado, ”Draco pareceu um pouco ofendido de novo,“ e meu sub. Mas em particular. ” 

"É realmente assim que você quer as coisas?" 

Harry pensou. "Não. Bem, eu não me importo de qualquer maneira. Não me importo se as pessoas souberem que estamos fazendo sexo. Quer dizer, eu não acho que gostaria que eles soubessem que eu bato em você, jogo você um pouco e xingo você. Mas. Se eles nos vissem jantando, eu ficaria bem com isso. ” 

Draco parecia mais feliz agora. Harry sabia que ele estava no caminho certo. “Você é ... você é meu sub, certo? E isso não significa que eu devo, você sabe, dar o que você gostaria? Não é assim que funciona? ”

“Pode funcionar da maneira que quisermos, Potter. Não há regras para esse tipo de coisa em algum lugar. O Ministério não tem um código de ética em algum lugar sobre como dominar seu colega de escola. ” 

Harry riu e deslizou ao lado dele no sofá. "Direito. Mas eu gostaria de dar a você o que você quer. ” Era verdade, Harry se maravilhou. “Você gosta de se sentir envergonhado e como se estivesse sendo usado, e eu gosto de dar o que você gosta. Gosto de fazer você se sentir seguro e feliz. ” 

"Por que? Por que você quer me fazer sentir feliz? ” 

"Essa é a minha perversão, eu acho", disse Harry. 

Draco parou por um momento, pensando. Suas sobrancelhas se juntaram e sua boca abriu e fechou, como fazia quando ele estava tentando dizer algo importante, mas não conseguia diminuir suas inibições o suficiente para deixar sair.


“Diga, Draco. Diga-me." Harry colocou o comando em sua voz e Draco relaxou. 

"Eu não quero ser seu namorado." 

Oh "Oh." 

"Não!" Draco estendeu a mão e enterrou o rosto no ombro de Harry. "Quero dizer, eu quero ser seu ... Eu gostaria de estar em um relacionamento com você."

"Direito." Harry esperou. "O que você não está me dizendo?"

"Eu quero ser seu namorado. Mas eu não quero ser ... eu quero ser sua namorada. ”

Harry estava confuso novamente. Isso era tão confuso. “Mas você é um menino. Um homem. Você é um homem."

Draco acenou com a cabeça. "Eu sou. Eu me identifico como homem, sim. Mas eu quero, ”Harry deu um tapinha em suas costas, enquanto Draco tentava tirá-lo. “Eu quero que você me trate como você trataria uma namorada. Tipo, me mande bilhetes e me leve em pequenas viagens, e me mande presentes, e escove meu cabelo. E deixe-me ser um pouco bobo, tolo e mimado. As vezes. Nem sempre." 

"Então," Harry procurou as palavras certas. “Você quer representar. Como minha namorada. ”

Draco enterrou o rosto no pescoço de Harry. "Sim. Isso é tão embaraçoso." 

"Mas você também será meu namorado secreto." 

Draco acenou com a cabeça. 

“Nós podemos fazer isso, Draco. Posso levá-lo às compras, mimá-lo, espancá-lo e tudo o que você quiser. ”

"Obrigada." Draco parecia abjetamente grato. "Obrigado, senhor." 

Harry acariciou seu cabelo. 




Notas Finais


Eu não sei realmente o que sentir sobre esse capítulo KKKKKK.

Até a próxima~°


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...