1. Spirit Fanfics >
  2. Ghost Love >
  3. Lar doce lar

História Ghost Love - Capítulo 657


Escrita por:


Capítulo 657 - Lar doce lar


Fanfic / Fanfiction Ghost Love - Capítulo 657 - Lar doce lar

Parecia ser uma batalha difícil para Danny, estava recebendo golpes pesados mas revidando com o mesmo efeito, já fazia alguns minutos que eles estavam lutando, Max havia levado Ben para a lata velha e estava cuidando dele com kits de primeiros socorros, ele viu o omnitrix no pulso dele quebrado e apagado, aquilo o preucupou um pouco mas não mais que o estado do garoto.

Danny agora disparava um grito fantasmagórico contra o cyborg que tentava andar contra as poderosas ondas sonoras, seus pés se enterravam no solo enquanto ele tentava se equilibrar, até que não resistiu mais e cedeu, sendo arremessado para trás.

Danny então respirou um pouco e avançou contra ele, o golpeando sequencialmente várias vezes assim que ele se levantou sem dar tempo a ele de reagir, os estrondos dos socos ecoaram pela área, o cyborg parecia ter ficado mais lento, ele tentava revidar mas Danny agora conseguia se esquivar mais fácil, e a cada esquiva ele golpeava mais forte, amassando a lataria do cyborg como plástico.

Cada golpe a mais que Danny desferia ele ficava mais nervoso, cada vez que seu punho o tocava mais ira subia a cabeça, em um momento ele então saiu do controle e soltou um grito de fúria e desferiu um último soco poderoso, amassando metade do rosto do cyborg o arremessando para trás.

-Isso acaba agora!! HAAAAAAAAA!!!!! Gritou Danny furioso carregando energias em suas mãos e disparando em uma obliteradora rajada de cor esmeralda contra o cyborg que ainda voava para trás pelo impacto do golpe, a rajada o acertou antes que ele se quer encostasse em algo.

Danny cessou o ataque se apoiando nos joelhos respirando fundo se acalmando, o cyborg havia sumido no horizonte com seu ataque.

-Acho que agora... Finalmente acabou... Disse ele ofegante aliviado, quando o cyborg todo amassado, destruído e faltando membros como o braço esquerdo e metade da perna direita surgiu saindo do solo o golpeando em seu queixo o arremessando para cima, ele ainda vôou até o garoto e começou a golpea-lo desesperadamente, em um soco pesado no estômago do garoto ele acabou cuspindo ectoplasma pelos ares.

Neste momento de desespero seus cabelos instantâneamente se tornaram flamejantes e seus olhos vermelhos intensos, ele agarrou o cyborg pelo pescoço grunhindo como um monstro e cabeceou o rosto amassado do mesmo tão forte que liberou uma enorme onda de choque pelos ares e amassou ainda mais o crânio maquinário, então o segurou com as duas mãos e fazendo muito esforço arrancou a cabeça do cyborg com um forte grito, jogando seu corpo de um lado e sua cabeça de outro que caíram das alturas até os escombros.

Danny então desceu flutuando lentamente até o solo enquanto se acalmava e seus cabelos e olhos voltavam a forma fantasma normal, olhou dali o corpo do cyborg estraçalhado no chão e finalmente pôde respirar aliviado, então saiu voando para casa, escondidos de longe Jack e Maddie o viram indo embora, eles então também se foram.

Max já havia saído a toda velocidade com a lata velha para levar Ben ao hospital enquanto Gwen estava ao lado do garoto o auxiliando na cama aos fundos do trailer.

Ao chegar em casa Danny finalmente pôde voltar a forma humana, havia ficado uma semana inteira assim sem descanso algum, ele deitou no tapete de seu quarto onde dormiu por um instante.

Não demorou muito até seus pais chegarem em casa e correrem subindo as escadas até o quarto do garoto, ao abrirem a porta ele estava parado olhando pela janela, Maddie correu até ele o esmagando novamente em um abraço.

-Querido!! Finalmente você voltou!! E está bem!! Por onde você andou tanto tempo?

-Como assim? Quanto tempo fiquei fora?

-O que!? Você não sabe!?

-Bem eu... Meio que perdi a noção do tempo.

-Filho... Você ficou fora por uma semana. Respondeu Jack.

-Uma semana!!!? 

-Querido nos conte o que houve! Onde você estava?

-Bem isso... É uma longa história, antes disso eu preciso tomar um banho e comer algo.

-É claro filho!! Eu vou preparar uma comida maravilhosa pra você tá bem!?

-Obrigado mãe.

-Bem vindo de volta ao lar filho! Exclamou Jack colocando a mão em seu ombro.

-O que está havendo? Perguntou Jazz  que acordou com os barulhos aparecendo na porta vendo os três juntos, seus olhos se encheram de lágrimas quando ela viu Danny, ela correu em desespero até o garoto o esmagando em um longo abraço.

Já estava amanhecendo, após um longo banho Danny pôde degustar uma refeição enorme e maravilhosa, ele contou a seus pais e Jazz tudo o que havia acontecido, depois foi para o seu quarto onde pôde finalmente descansar, mas Tucker e Sam logo chegaram lá para vê-lo, eles viram os noticiários e sabiam que ele estava de volta, correram até o quarto dele onde o abraçaram fortemente.

-Eu nem acredito!! Que bom que está bem Danny!

-Haha, valeu Sam.

-Cara conta pra gente! Onde você estava?

-É uma longa história, vocês não vão se atrasar pra aula? Hoje é segunda, eu só não vou porque preciso de um descanso por hoje.

-Não tem aula hoje, graças ao incidente mais cedo, muitas pessoas morreram com tudo aquilo.

-Droga... Se eu tivesse chegado mais cedo...

-Não se culpe assim Danny, aconteceu algo não foi?

-Foi os homens de branco...

-O que!? Como assim!?

-Ainda havia um pequeno grupo deles operando em um local subterrâneo alguns quilômetros das cidade, eles que fizeram tudo isso, criaram um garoto halfa pra me segurar enquanto o meu eu robótico que também foi criação deles espalhava destruição e defamava minha imagem.

-Um garoto halfa?

-Sim, eles fizeram um garoto meio fantasma chamado Noah, parecia ter a minha idade e muito perturbado, ele se mostrou com problemas no começo mas depois se revelou o problema, nós travamos grandes batalhas entre os tempos e lugares, mas eu nem podia me dar conta de que tudo eram sonhos, assim que cheguei lá entrei em coma e nem percebi, tive visões terríveis e atormentadoras, ele queria me destruir mentalmente, mas eu consegui vencer no final, só que mesmo assim não acordei... Puxa nem acredito que fiquei uma semana naquele pesadelo...

-E o que houve depois?

-Vendo que o garoto falhou eles me prenderam, burrice deles, deveriam ter me matado quando podiam...

-O que houve com eles?

-Infelizmente... Eu... Tive que fazer algo...

-Só espero que não fique se sentindo pesado por ter feito o que fez...

-Eles estavam fora de si, eram totalmente perdidos... Não posso sentir remorso, ainda mais depois de tudo o que fizeram...

-É claro que não... Mas onde você estava todo esse tempo?

-No hospital abandonado North Mercy.

-Hospital...

-Calma Tucker, não vai dar ataque agora.

-Como assim? Perguntou Danny confuso.

-Ele tem medo de hospital...

-Sério?

-Hospital, enfermaria, consultório médico, qualquer lugar com coisas pontudas, afiadas e que espetam, e o cheiro de pessoas doentes.

-Que loucura...

-Mas é realmente muito bom te ter de volta Danny, e não se preucupe, nós organizamos tudo pra você.

-Como assim?

-Dissemos na escola que você estava viajando, e fizemos seu dever de casa desse tempo.

-Puxa... Valeu mesmo gente, vocês me salvaram agora.

-Haha, amigo é pra essas coisas, as únicas pessoas que sabem do seu desaparecimento somos nós, a Paulina e a Star.

-Paulina!! Nossa! Ela deve estar desesperada!! Exclamou Danny se levantando da cama.

-Valeu gente falo com vocês depois!! Contínuou ele se transformando e voando pela janela.

-Tinha que dizer o nome dela agora né Tucker.

-O que tem? Ele ia lembrar logo.

Neste momento Paulina estava vendo o noticiário gravado de mais cedo, agora ciente de que Danny voltará, estava entretida em seu celular sentada na cama com leves lágrimas nos olhos quando ouviu um som na janela, olhou rapidamente para trás e viu Danny entrando.

-Oi amor. Disse ele com um sorriso voltando a forma humana, a garota se levantou lentamente desacreditando o olhando dos pés a cabeça, então correu até ele o abraçando fortemente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...