História Ghoul Healer - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Hanbee Abara, Juuzou Suzuya, Ken Kaneki
Visualizações 30
Palavras 1.583
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá...eu sei que esse cap ficou bem shoujo...mas ela tem que se apaixonar neh?? Se não não é uma história de amor...e tbm...a maior parte do cap é uma reflexão dela...

Enfim Boa Leitura <3

Capítulo 5 - Dia de zoológico


Faziam dias que eu não via o sol, faziam dias que eu sabia que ele também não via o sol...as ordens eram " fique com ela e a defenda com sua vida" e ele fez isso, mas da forma mais chata que poderia fazer...isso até hoje.

 

- AH!! EU NÃO AGUENTO!! VAMOS AO ZOOLÓGICO!!

- Considerando que eu tenho que ir numa cadeira de rodas até eu me aguentar em pé...o que não vai acontecer até mais ou menos 2 meses de tratamento e que só estamos a 2 semanas nisso...eu acho que não tenho como dizer não...

- Que isso...você vai adorar!!

Ele disse desdobrando a cadeira de rodas, eu não sabia bem se tinha muita motivação pra fingir entusiasmo ou até mesmo ficar feliz em sair...tudo o que poderia acontecer de bom é eu ver os animais e de que isso iria adiantar?? Eu tentava e tentava me sentir melhor, sentir que talvez isso funcionasse...que talvez...eu fosse viver...mas eu não poderia...eu não conseguiria...

Tudo o que eu via, tudo o que sentia...até mesmo a comida na minha boca, que não mudou de gosto ao contrario do que diriam, tudo isso contribuía pra que minha mente se afundasse mais e mais na ideia de que morrer seria a única forma de eu sair dessa situação, isso me dava medo...mas eu não poderia evitar os pensamentos e então eu simplesmente fingi que estava tudo bem...sarcasmo mascarando o desespero que sentia...mas por mais que eu tentasse também engana-lo...ele parecia não se deixar entrar nisso...ele parecia entender...que eu tinha tanto medo quanto Hanbee.

- Vamos boneca, sua cadeira...

Ele me segurou nos braços, que eram bem forte pro porte pequeno dele, afinal ele poderia parecer uma criança...mas ele tinha o corpo de um homem, isso era conflitante em seus aspectos e isso também me fazia conflitante sobre ele, não sabia se o achava infantil e louco...ou se além disso tudo poderia o considerar atraente...afinal ele era uma pessoas impulsiva e agressiva que só poderia ser gentil com os próximos...e comigo por que eu era uma questão de trabalho que ele levava muito a sério...isso me confundia em quase tudo, ele era atraente?? Ou eu não poderia o chamar assim por que seria...errado...ele era louco?? Ou apenas incompreendido...eu era só seu trabalho?? Ou eu também era sua amiga...eu realmente não sabia...

E isso...me deixa com medo...também.

- Pronto!! Agora vamos passear boneca de porcelana!!

Ele sorriu enquanto me empurrava, nós saímos, ele me cobriu com uma coberta, acho que ele queria fazer eu parecer menos eu...talvez isso tiraria os ghouls de perto de nós, mas é óbvio que isso não funcionaria...

- Não se preocupe!! Eu vou matar qualquer ghoul que nós seguir!!

- Geralmente ouvir que você vai matar qualquer um...não é uma coisa boa de se ouvir...mas ja que você esta me protegendo...obrigado...

Ele riu um pouco e acariciou meus ombros enquanto estávamos no elevador.

- Eu se que as pessoas normais dizem que isso não é algo legal, mas obrigado por fazer um esforço de entender.

- Não é tão difícil...as pessoas tem impulsos violentos o tempo todo...eles apenas abominam se entregar a isso...você foi ensinado que se entregar não é algo ruim por que pros ghouls quando se entregam a isso eles tem comida...por isso as pessoas dizem que você é estranho...você não é tão diferente de qualquer humano...você só foi criando com ghouls...como eu fui...por algum tempo...por isso é melhor pra eu entender...

Ele ficou em silencio, refletindo sobre o que tinha dito.

- Claro que eu não sou psicóloga...eu não posso dizer que o que disse é verdade...talvez abominem por outra razão...mas...eu não acho você estranho Juuzou...acho você...infantil...mas isso não é uma coisa ruim...é uma...coisa única...faz você ser diferente dos outros da sua idade...quero dizer...dos adultos...isso é algo bem legal...

Eu tentando fazer ele se sentir bem era como eu tentando me deixar bem...isso quer dizer...uma droga.

- Obrigado...eu gosto quando me chamam de infantil...

- Gosta??...bom de nada...

As portas do elevador se abriram e antes dele sairmos ele se abaixou até meu ouvido.

- Saber que alguém além da mama me acha tão puro quanto uma criança...me deixa feliz mesmo quando eu faço essas coisas ruins...

Eu me arrepiei com o sussurro dele em meu ouvido, ele se colocou reto e empurrou a cadeira, eu corei pela proximidade, mas eu não consegui tirar o sorriso que se formou na minha boca, eu o entendia afinal, ele se sentia...sujo...ele se sentia como se todos os outros fossem puros e ele não por que todos sempre disseram que ele tinha problemas, menos mama...menos Shinohara...e agora...menos eu, isso...isso era algo que poderia dizer ser profundo sobre ele, agora eu sabia algo sobre seu intimo...como ele sabia que eu tinha medo...de quase tudo.

Isso era um sinal de que nos aproximamos?? Eu não tinha certeza...mas eu não me importava com isso naquele momento, tudo o que eu me importei foi na brisa batendo no meu rosto, nas pessoas caminhando e em Juuzou empurrando a cadeira.

Ele parou só quando chegamos no zoológico pra pagar os ingressos, mas nunca saiu de perto de mim, ele era atencioso com isso...ele nunca me deixou sozinha sem saber 100% que eu estava segura...sempre dizendo onde ia e sempre deixando o telefone no alcance da minha mão, dizendo que poderia me arrastar e me esconder debaixo da mesa, que apesar de baixa poderia me esconder e tinha uma toalha pra esconder o que tinha embaixo.

- Vamos lá!!

Ele colocou para cima os ingressos e sorriu como uma criança, ele era uma garoto estranho, solitário que só pensava em seu trabalho e em doces, mas...ele se mostrou muito mais do que essa primeira impressão...

Ele se mostrou divertido, atencioso e um amigo profundo que poderia entender o que digo e que queria meu bem apesar de tudo, por mais que não fosse muito bom com os outros, não levando desaforo pra casa e batendo nas pessoas que ele não gostava por algum motivo...ele ainda sim poderia ser uma pessoa calma e legal.

Ele era...como bipolaridade, apesar da doença geralmente ser de tristeza extrema a felicidade extrema e delírios, ele era como uma bipolaridade que o fazia ser muito violento as vezes, beirando a insanidade quando realmente se empolgava com algo, mas também uma pessoa calma...feliz na medida do possível e bem humorada.

Se ele continuou com seus pequenos ataques?? Por mais surpreendente que fosse...não...sem ataques por 2 semanas.

Ele disse que ainda sentia aquela euforia as vezes, sorrindo as vezes tão largamente que eu achava que seus pontos iam romper, eu sentia medo por ele que isso acontecesse...ele apenas sorriu e riu, dizendo o quanto eu parecia mais infantil que ele com meu medo de quase tudo.

- Olha para as girafas boneca!!

Ele quase gritou, se colocando mais para frente, consequentemente pressionando sua barriga e peito em minhas costas e cabeça, eu apenas sorri.

- Você gosta de girafas??

- Sim!! Yukinori me levava sempre aqui!!

Foi ouvido um sino e ele ficou alerta, correndo comigo até um carrinho aparentemente de algodão doce, eu gritei sobre a loucura de correr com a cadeira, eu ainda poderia cair, mas antes que isso acontecesse suas mãos pararam no meu peito, o que me fez corar.

- J-Juuzou!!...

- Oh!! Você é menina...

- COMO ASSIM EU SOU MENINA!!?? EU NÃO PAREÇO UMA!!??

Ele riu sem graça.

- Eu não sou bom com diferenças de sexo...

- Ah...*gota*...se você diz...

Eu fiquei emburrada obviamente, como poderia me confundir com um homem??!! Ele me chamou de boneca tantas vezes...isso me deixou de certa forma...um pouco confusa...

- Juuzou...por que você me chamou de boneca se achava que eu era um homem??

- Ah...mama me chamava de boneca e eu era um menino.

Era??...será que ele se expressou mal??

- Aqui!! Esse algodão doce vai melhorar as coisas!!

Ele me deu um algodão doce amarelo enquanto e dele era rosa.

- Mas eu ainda não posso comer coisas desse tipo.

- Ah quem liga pra o que dizem?? É delicioso!!

Eu sorri...que mal faria??...

( Alguns minutos depois em casa).

* Vomito*.

- Eu não pensei que o que os médicos disseram sobre comer açúcar só depois de pelo menos 1 meses realmente fosse verdade...

- Por que não seria?? *vomito*.

- Sei lá...eu não visito médicos a muito tempo...

Ele segurou meu cabelo enquanto eu colocava todo o algodão doce pra fora, e foi assim por muito tempo durante a noite, claro que eu comi algo mais leve depois, isso faria meu corpo não querer desmaiar...apesar de que isso me deixou bem fraca, Juuzou manteu a calma muito bem e ligou para Hanbee, que após falar uma bronca de mais de 15 minutos ele simplesmente se desesperou, o que segundo Juuzou foi bem surpreendente por que ele jurava que Hanbee nem iria conseguir dar a bronca de tanto medo, mas ele deu e Juuzou ficou orgulhoso de sua coragem, mas ele não pode dizer isso a ele por que Hanbee estava levemente furioso com ele naquele momento.

- Eu to bem...

- Você chama isso de bem??!!

Era disso pra baixo, ele parecia uma mãe...isso que eu já tinha perdido 2, será que todos que me veem tem vontade de me cuidar como sua filha?? Juuzou disse que era por que eu parecia uma boneca, sendo assim...eu odiava parecer uma boneca...

Mas a vantagem disso...era que eu era cuidada...

Então eu estava grata por ser cuidada por esses dois.

Continua...


Notas Finais


Olá de novo <3 Eu achei a ultima parte, engraçada...mais ou menos...por que o Hanbee pode parecer muito uma mãe quando fica preocupado...

Comentários bem vindos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...