1. Spirit Fanfics >
  2. Gimme More >
  3. Capítulo 62

História Gimme More - Capítulo 62


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia, boa tarde, boa noite e boa madrugada! ♥️

Capítulo 62 - Capítulo 62


Fanfic / Fanfiction Gimme More - Capítulo 62 - Capítulo 62


dias depois 


Eu estava de frente para minha cama onde havia vários vestidos ao qual eu não fazia ideia de qual escolher para o coquetel desta noite, tinha que ser algo que me deixasse sexy sem ser vulgar, minha roupa tinha que passar uma impressão de poder e medo ao mesmo tempo. 

Duas batidas na porta me tiram a atenção dos inúmeros vestidos naquela cama, Rose pede licença e entra no quarto vindo até minha direção, ela olha a pilha de roupas e da um meio sorriso. 

— Pelo visto alguém está com problemas de decidir qual roupa usar.

— Daqui duas horas começa o coquetel na mansão do meu pai, preciso vestir algo que cause impacto mas nada parece me agradar. Estou uma pilha de nervos, com várias coisas na cabeça ao mesmo tempo. Nem se quer pensei em um discurso.

— Vá secando seu cabelo, eu escolho o look ideal.

Faço o que ela falou, me sento na cama e começo a secar meus cabelos, olhando o reflexo da minha amiga senti uma certa nostalgia de menina, quando ela sempre acabava escolhendo minhas roupas para as festas pois eu sempre ficava indecisa, apesar de tudo que aconteceu ela continua sendo a Rose, minha melhor amiga de infância e sinto tanta falta de aprontar com ela como fazíamos antes. 

— Por que está me olhando com essa cara triste? _ela me pergunta tirando-me do devaneio.

— Preciso te contar uma coisa que aconteceu faz alguns dias atrás.

— Pode falar. _ela analisava um vestido azul.

— Justin me pediu em casamento. _na hora ela larga o vestido e olha para mim.

— Escutei direito? Justin te pediu em casamento?

— Sim.. Estou tão feliz, ele me ama e quer casar comigo.

Rose fica calada olhando para mim e mordendo os lábios, ela queria dizer algo que ia me magoar. 

— Pode falar, Rose. O que você está pensando?

— Olha, eu queria muito ficar feliz por você. Realmente eu ficaria caso fosse em outra situação.. Mas, você não parou para pensar que ele está fazendo isso só para retomar o poder?

— O que está querendo dizer?

— Lorie, pensa bem.. Se você tivesse casado com ele teria herdado tudo, o poder iria todo para você e ele poderia continuar mandando em tudo. Mas não aconteceu, você conquistou os mafiosos mais poderosos, ganhou tudo isso por mérito e não por casar com alguém da máfia. Sejamos sinceras aqui, Justin não aceita ter perdido tudo, ele pode muito bem estar querendo casar com você só para voltar a ter poder. Sendo seu marido, ele meio que acaba voltando ao poder.

— Está querendo me dizer que ele não me ama, e que só quer se casar comigo por interesse?

— Talvez ele realmente te ame... Mas sim, acho que tudo não passa de interesse.

O que ela diz me deixa muito triste, ela logo percebe e muda de assunto, em alguns minutos ela escolhe o look que eu deveria usar que era um vestido branco um pouco curto demais, um sapato cor nude e um sobretudo bege para compor o look, alguns acessórios básicos, uma make mais natural destacando os lábios e cabelo preso em um rabo de cavalo, pego uma bolsa em formato de carteira e coloco quase nada dentro depois de me analisar no espelho saímos do quarto.

Desço as escadas pisando firme e sem sorrir, Natália nos esperava e ao lado dela estava o chefe da segurança, assim que eles dois me vê arrumam a postura e foi engraçado ver minha irmã meio que ficando tensa, sendo que ela já é considerada uma mafiosa. Saímos todos da mansão rumo a garagem, o chefe de segurança o tempo todo falava pela escuta com os outros seguranças. 

Natália foi em seu carro acompanhada dos seus seguranças, eu fui sozinha em outro carro e agora eu tinha um motorista particular e um belo carro que foi presente do meu pai. Seguimos então para a mansão De Lucca onde todos já me esperavam para minha apresentação, eu estava muito tensa mas não pelo que vai acontecer mas sim pelo que Rose me disse. 

Alguns instantes depois chegamos na mansão do meu pai, vários seguranças rodearam meu carro e fizeram um caminho para mim, eu estava me sentindo uma famosa e isso quase me fez dar risada. Agora eu sinto o que os famosos sentem quando estão rodeados de tanto seguranças.

Entrei no local com meu chefe da segurança atrás de mim, os olhares vieram na minha direção e eu com um semblante bem sério tirei meu sobretudo, o segurança logo pegou e meu pai veio até mim. 

— Seja bem vinda, filha. Você está belíssima, exalando medo e poder.

— Você está muito elegante está noite, Senhor De Lucca.

— Hum... Parece que alguém andou treinando. _sorri para ele.

Meu pai me apresentou à vários mafiosos (a) e eu pude perceber as ameaças em tom de ironia, procurei Justin e o achei sentado em uma mesa reservada, com ele estava sua irmã e os rapazes porém nenhum deles veio até mim. Chegou a vez do meu discurso, subi no pequeno palco e olhei para cada rosto que agora me olhava com muita atenção.

— Não irei enrolar muito em meu discurso. Só quero dizer que não se enganem com esse meu rostinho de menina inocente. Senhoras e Senhores da Máfia: Eu sou do tipo ruim, do que tipo que deixa sua mãe triste, do tipo que deixa sua namorada brava e que talvez seduza até seu pai.. Pessoal, eu sou a vilã.. Dã. _eles riram. 

Eu estava usando trechos da minha música predileta da Billie Eilish, mas eles não precisavam saber disso, eu só precisava causar impacto e meu tom de deboche parecia estar funcionando. Obrigada santa Billie Eilish por essa música. Vendo que eles ainda prestavam atenção em mim, continuei meu discurso baseado em algumas músicas, eu sou tão cretina. Rose pareceu entender bem o meu discurso e estava se segurando para não rir ou me dedurar.

— É como eu já ouvi dizer por ai: Todas as boas meninas vão para o inferno, porque até a própria deusa tem inimigos e quando a água começar a subir e o céu estiver fora de vista, ela vai querer o diabo em sua equipe.

— Eu nunca ouvi sobre isso. _Justin disse e todos olharam para ele.

— É claro que não ouviu, afinal você é só um Bieber... Porém eu.. Ah, eu sou a própria Deusa. _muitos ali gostaram da minha resposta debochada.

Segui meu discurso fazendo pequenas ameaças em tom de ironia como alguns haviam feito comigo, então dou por encerrado meu discurso e vou andar pelo salão. Depois de conversar bastante eu peço licença e começo andar na direção do Justin mas sou interrompida por um belo rapaz, ele se coloca na minha frente segurando duas taças de champagne e aceito uma delas apenas por educação mas eu não ia beber aquilo, afinal de contas poderia ter veneno dentro.

— Seu discurso foi muito bom, Senhora.. Desculpe, como devo chamá-la?

— Senhora Martinelli.. _estava usando o sobrenome do meu pai, acho mais chique e imponente.

— Foi um belo discurso, Senhora Martinelli. Apesar de eu ter achado muito parecido com alguns trechos de uma música que minha irmã escuta muito. Aliás, muito prazer.. Me chamo Ramon Lima.

— Ah sim, filho dos De Lima.

— Isso mesmo.. Sou o único herdeiro da família.

Continuamos a conversa que foi muito agradável, falamos sobre a máfia é claro, mas também falamos sobre carros e músicas duas coisas que eu amo bastante. Falei sobre minha oficina que estava a venda, ele disse que pretendia comprar uma oficina para ser algo particular de sua família, conversamos bastante sobre isso e combinamos dele ir ver a minha oficina e quem sabe comprar.

— Você já deve ter escutado isso várias vezes está noite, mas eu queria lhe parabenizar pelo que fez. Conseguiu derrubar a família Bieber sem precisar se sujar com sangue, e ainda mantém eles por perto para ser seus cachorrinhos.

Eu ia responder quando Justin se aproximou de nós e colocou seu braço por trás da minha cintura, logo percebi o que ele queria fazer e aquilo me incomodou um pouco então tirei sua mão e me afastei. Ramon e Justin se encararam e o rapaz pediu licença se retirando, me virei para o Justin que estava com cara de poucos amigos.

— Você estava de muitos sorrisos para aquele moleque, não gostei nada disso.

Revirei meus olhos e sai andando para longe dele, conversei com mais alguns mafiosos e fiquei nisso até que o coquetel se deu por encerrado. Voltei para a mansão Bieber e depois de um banho fui dar de mamar para meu filho, coloquei Laura para dormir em seguida e fiquei ali olhando meus filhos e pensando nos meus próximos passos, agora que a guerra começa e tenho medo do Justin acabar se tornando um obstáculo. 


Notas Finais


Capítulo Revisado ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...