1. Spirit Fanfics >
  2. Girl Meets Evil (BTS) >
  3. Conhecendo os jeon's.

História Girl Meets Evil (BTS) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, pequenos raios de sol!
Estou aqui com mais, um capítulo. Espero que gostem e vejo vocês nas notas finais.

Capítulo 3 - Conhecendo os jeon's.


  Wang Hanna's P.O.V. 


O sedã preto para em frente ao grande portão de ferro. Observo o portão abrir e meu coração salta, ao ver o carro entrar nesse maldito lugar. O veículo para em frente a porta principal de madeira escura. Hoje, a porta está de uma tonalidade branca, sei que é tinta. Saio do carro agradecendo o motorista, que sorri em resposta. Ele também sai do carro e vai direto para o porta malas, tirando as minha malas e bolsas. 

Vou apressadamente, cambaleando até a porta. Levanto minhas mãos a marceneta e tento regular minha respiração. Respiro fundo, e empurro a porta, de uma vez. O vento gélido, sai de dentro do casarão...Com sussuros que fazem arrepiar minha espinha e o até o último fio de cabelo do meu ser. Levanto o pé direito para dar o primeiro passo no lugar, que a muito tempo não coloco os pés. A sensação que sinto é medo é saudade. Percorro os olhos pela escada dupla, e as colunas que sustentam o andar. Grande colunas no segundo andar, estão sustentando o terceiro andar, que sei que não é tocado por anos e nem nos que passei aqui. 

As lembranças são despertadas do meu passado. E por um momento, vejo minha mãe e meu irmão no topo da escada. Fecho os olhos e sei que isso é coisa da minha mente, não posso cair nas armadilhas do meu psicológico que me prejudicaram ano passado. Suspiro cansada, ando em passos pequenos até a sala. Encontro uma mulher que está sentada no sofá, lendo um livro grosso de capa azul... Parece um dos livros que taehyung vivia lendo pelos cantos desse casarão. Ela tira a atenção do livro em suas mãos, e percebe a minha presença. 

_ Querida, você chegou. _ Ela levanta sorrindo, vindo até a mim. _ É um imenso prazer, conhece-la pessoalmente. _ E sem ao menos ela deixar eu falar algo. A mulher me abraça, me pegando de surpresa. Seu abraço era caloroso e eu correspondido, sem saber o por que. _ Está cansada, querida? 

_Sim, Srta. jeon. _ Respondi. E ela me olhou divertida. 

_ Ah, não. _ Ela dispara e sorri. _ Você pode me chamar de Yuna. _ Agora, olhando para ela, yuna é bonita. Tem os cabelos cor de chocolate e um lindo sorriso. Ainda é simpática e divertida... Talvez, vamos nos dar bem. 

_ Tudo bem, yuna. 

_ Ótimo. Agora, só falta o meu filho descer. _ Ela se aproxima de mim, como se fosse me contar um segredo. _ Ele é pior do que nós mulheres para se arrumar. _ Ela fala se divertido, por o filho ser assim. _ Com licença, querida. _ Ela se afasta e vai até a escada, subindo um degrau. _ JEON JUNGKOOK, DESÇA AQUI, AGORA! _ Ela dá esse berro abertamente, e eu tapo os ouvidos com as mãos. Prendo a risada que quer escapar da minha boca. _ Desculpa, minha querida. 

_ Tudo bem, yuna. _ Me afasto observando a lareira vazia, assim como os retratos que vi na infância, não existe mais lá. Ouço passos nas escadas e sinto Srta. Jeon, saindo da sala... Não faço questão em virar para ter certeza, se foi ela que saiu. Apenas tento entender, por que meu pai tirou as fotografias de todos os lugares da sala. 

_ Querida... _ Srta. jeon me chama e eu finalmente me viro para olha-la. Percebo um garoto trás dela, e ele está de cabeça baixa. _ Esse é meu filho, jeon jungkook. _ Ela o apresenta, e sai da frente do garoto. Ele levanta a cabeça e eu paraliso completamente. Dou um passo para trás surpresa, sem saber o quê fazer. Tive uma imensa vontade de sair correndo, ou rir de desespero. Entretanto, me lembro do que ocorreu mais cedo e a famosa "vergonha na cara", acontece. Sinto minhas bochechas queimando de vergonha, e ele percebe e abre um pequeno sorriso, no entanto seu sorriso é irônico. Estou começando a achar que destino existe e que ele está fazendo de pouco da minha pessoa. O universo realmente me odeia.


 Estou cogitando essa possibilidade.


O sorriso que ele tem nos lábios, me incomoda. Tenho vontade de ter outro copo de cappuccino, para jorrar na cabeça desse ogro. Ele vem até mim. Há um ar de prepotência e sarcasmo em seu modo de andar e olhar para mim. Ergo o olhar, e o olho com sarcasmo... Se ele pensa que vou baixar a aguarda, esse ogro está completamente errado. Jungkook para em minha frente, dando um sorriso falso, que sei que teremos muitos daqui para frente. 

_ Como minha mãe disse... _ Ele diz é pega minha mão direita, dando um beijo nela. Seus lábios são quente e macios. Ele ergo o olhar e pisca, se divertindo com a expressão incrédula que eu tenho. Apensar de que estou chocada com esse ato falso de cavalheirismo, sinto como se isso já tivesse acontecido antes. É estranho... Mais, eu sinto. _ Sou Jeon Jungkook. _ E assim, ele se afasta. _ Você deve ser a Hanna. Wang Hanna. É um prazer conhecer você. _ Eu já não posso dizer o mesmo. 

_ É... Sou a única Wang na sua frente. _ Digo em um tom, que só eu e ele podemos ouvir. _ É um desprezar reencontrar você. _ Esnobo dele e o moreno estreita o olhar. _ É um prazer te conhecer, jungkook. _ Falo em um tom mais alto, para a mãe dele ouvir. Ela abre um sorriso alegre, e eu sorrio verdadeiramente para ela. No fundo, me sinto mal de não tentar me dar bem com o filho dela. 

_ Eu fico feliz que vocês se deram bem. _ Ela sorri empolgada. _ Jungkook sempre quis ter uma irmã. 

_ Eu ia ter pena dessa garota. _ Mumurro baixo. Jungkook ergue o olhar para mim com a expressão fechada. Como ele conseguiu ouvir? Ninguém conseguiria, a esse ponto. Já que ele me ouvi tanto assim. _Muita pena. _ Sinto o olhar fulminante sobre mim, enquanto presto atenção na mãe dele.

_ Fico feliz por vocês, serão belos irmão. _ Engasgo minha própria saliva, e tenho uma crise de tosse. Jungkook solta um resmungo que não consigo ouvir e eu me recupero. Coitada de mim. _ Está bem, Hanna? 

_ Sim. 

_ Você deve descansar, querida. _ Ela incentiva e se vira para o filho. _ Jungkook... Leve as malas de sua irmã. 

_ O quê? Não...Yuna... Não precisa. _ Gaguejo nervosa e ela sorri. 

_ Hanna, não precisa se preocupar. _ Ela segura minhas mãos. _ Jungkook pode muito bem levar, e... 

_ Não precisa, eu mesmo le...

_ Eu levo. _ Jungkook me interrompe. _ Não tem problema, Hanna.

_ Ótimo! Viu, querida?! _ Ela diz enquanto faz carinho na minha mão. _ Jungkook é forte e jovem. Pode muito bem levar suas malas, não é? _ Perguntou ao moreno e ele concordou com a cabeça. _ Bem... Vou ver o que Miran, está preparando para o jantar. Vá descansar, Hanna. _  E assim, ela se afasta e eu a sigo, pois não vou ficar no mesmo lugar que esse garoto. O único problema, é que ele está me seguindo. Sinto uma mão quente fechar em meu pulso esquerdo, e me puxar com força. Meu corpo se vira com a puxada brusca do ogro que me olha da cabeça aos pés, com superioridade no olhar. 

_ Se você acha que eu me esqueci do banho que me deu de café, está enganada. _ Ele diz se aproximando e segurando minha mão estendida na altura do nosso rosto. Ele segura firme, porém não aperta e não machuca. Meu  pulso é apenas segurado.  _ Você não perde por esperar. _ Solto meu braço de sua mão. 

_ Eu vou esperar sentada. Ou melhor, deitada! _ Dou um sorriso provocador e me afasto do seu corpo que emana um calor. _ Não se esqueça das malas. 

Olho para a entrada é ao lado da porta, minhas malas se encontram. Duas malas, grandes. Jungkook olha na mesma direção e bufa, se eu soubesse que ele carregaria minhas malas, teria trago mais. Dou um olhar debochado e ele me olha com prepotência, afinal, ele não quer perder essa briga infantil. Seu olhar muda para curiosidade e olha para o pequeno corredor que leva a sala de jantar. 

_ Chocolate? _ Ele mumurra. Olho na mesma direção e não vejo nada e muito menos sinto. Alguns segundos depois, a Srta. Jeon, surge com um fatia de bolo de chocolate nas mãos. Chocolate? Olho para o jungkook assombrada e me afasto dele. Yuna me entrega a fatia e sorri para mim. _ Também quero, mamãe. 

_ Quando deixar as malas da hanna, pode ir pegar. _ Olho para ele e dou um sorriso de lado e sei que ele se esforça para não responder algo a mim. Pois ele tem que manter sua imagem de bom moço, para a mãe. 

_ Claro, mãe. _ Ele sorri bondoso para a mãe. _ Como a senhora disse, eu sou forte e Hanna é frágil. Tenho que carregar as malas para ela. _ Fecho o sorriso que tenho em meus lábios, xingo na minha mente o jungkook de todas as formas possíveis. Jungkook parece se divertir com minha irritação. Me seguro para não avançar em cima dele e estapia-lo. Por isso, fecho os punhos para me controlar. 

_ Obrigada, querido. _ Ela se afasta e vai direto para o corredor e some da nossa vista. Jungkook também a observa e eu aproveito e dou um soco no seu abdômen. Ele ofega, puxando o ar e me fuzila com o olhar. 

_ Fraca, não é? _ Debocho e subo as escadas com ele atrás de mim. 

_ Eu só estou levando suas malas, por que sou obrigado. 

_ Ninguém te obrigou a nada. _ Continuo subindo as escadas e dobramos um corredor. _ Leva... por que quer. _ Antes que ele pudesse revidar, olho para uma janela em um largo corredor, com duas portas. Lembro vagamente de taehyung, usava esse cômodo para suas pesquisas que até hoje, nunca descobrir o que era. Mais ele sempre deixava as portas trancadas, e agora não está diferente. A janela com a pequena varanda no fim do corredor, está com cortinas brancas, pesadas de poeira acumulada. Esse corredor, cheirava a mofo e naftalina. Era possível ver casas de aranha sobre as paredes ou, em qualquer parte do lugar. _ Quando foi que vocês chegaram? _ Perguntei dando meia volta e indo até jungkook que estava parado, olhando para o corredor. 

_ Há três dias. _ Ele apenas respondeu isso é seguiu na minha frente, para o corredor principal. 

_ Hum. _ Observo as paredes pintadas de carmesim. Hoje, elas estão desbotadas e diferentes do que foram um dia. _ Olho para a mão de jungkook e só vejo duas malas. _ Eu trouxe três malas... Você não viu a outra? 

_ Eu vi apenas essas duas. _ Ele responde carregando as duas com os músculos dos braços saltados. Apesar dele ser homem, tenho uma certa dúvida de como ele carrega com tanta facilidade. Olhando para seu corpo, posso ver o quanto ele é músculo. Não é exagerado, é apenas de acordo com o seu corpo. As coxas são grossas, para o tamanho ideal do seu corpo. Seus braços não são diferentes e seu ABS deve ser sarado, por que... Santo Deus! O que eu estou pensando? Ele é um ogro mal-educado! 

_ Você pode pegar a minha outra ma...

_ Não, Hanna. _ Ele me interrompe. _ Já estou carregando essas aqui. Não sou seu empregado. Não enche meu saco. _ Como eu disse, ele é um ogro mal-educado.

_ E Você tem um? _ Jungkook para bruscamente e se vira para mim. 

_ O maior que você possa imaginar. _ Ele responde com um sorriso sacana nos lábios avermelhados. E se vira seguindo adiante, agora ele anda com sua famosa prepotência. 

Que nojo. 


_ Seu tarado! _ Resmunguei constrangida. _ Pelo menos, pode colocar minhas malas no quarto? 

_ Claro. _ Ele responde sem me olhar. Logo chegamos em frente a uma porta branca, jungkook dá um chute brusco na porta e ela se abre. Dá porta, ele joga minha malas, fazendo um baque surdo. Arregalo os olhos e ele se vira para mim com um sorriso dissimulado nos lábios e eu estou pronta para avançar nele. Me aproximo dele e passo a fatia de bolo em seu rosto o melando por completo, o seu sorriso desapareceu e eu o olho querendo ri do seu estado atual. Ele se aproxima e a íris dos seus olhos mudam para reflexos vermelho novamente... Dou um passo para trás, mas já estou com a costa encostada na parede e o seu rosto, próximo ao meu. Jungkook passa a mão no seu rosto, tirando o excesso de chocolate e passa o resto no meu rosto. Ele ri e se afasta de mim. _ Agora... Estamos quites. _ Ele passa por mim, indo para a escada. _ Boa sorte com suas malas, vai precisar. _ Ele debocha e eu respiro fundo. 

_ Ora seu... _ Antes que eu consiga o xingar, ele desaparece da minha vista, como um passe de mágica. Ouço o eco dos seus passos na escada, cada vez mais longe. Filho da mãe! 

_ Aish, seu ogro. _ Respondo para o nada e entro no quarto. Esse foi um dos dias mais cansativos da minha vida.... Me pergunto se esse dia ficar terrível, claro.... É daqui para pior. 

***









Notas Finais


Então... O quê acharam do jungkook? E da relação dele e da hanna? Será que o dia via ficar pior? Jungkook é um cínico não?! Aguardo a opinião de vocês! Bjs e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...