História Girl Of Steel - Hope - Capítulo 8


Escrita por: e LRocha12

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Eliza Danvers, James "Jimmy" Olsen, J'onn J'onzz "John Jones" (Caçador de Marte), Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor, Winslow "Winn" Schott Jr.
Tags Kara Danvers, Lena Luthor, Lex Luthor, Supercorp, Supergirl
Visualizações 218
Palavras 2.066
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Científica, LGBT, Luta, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Desculpem a demora. Segue mais um capítulo fresquinho.

Espero que gostem e boa leitura.

Capítulo 8 - Supergirl


Fanfic / Fanfiction Girl Of Steel - Hope - Capítulo 8 - Supergirl

Após sair da Luthor Corp, passei na coordenação da universidade para assinar alguns papeis que seriam necessários para meu processo de colação de grau. Como o transito estava um pouco congestionado, cheguei em casa por volta das 19:15 horas da noite, e para minha surpresa, Alex já estava em casa. Aproveitei também e no caminho para casa, passei em uma confeitaria para comprar alguns doces, donuts e outras coisinhas que gostávamos.

-Hey Little Danvers, o que tem aí na sacola?

- Oi Alex, chegou mais cedo hoje? Trouxe alguns docinhos que sei que você gosta. - Digo sorrindo.

- Opa! Falou docinhos. - Ela disse enquanto comia um donut. – Como foi seu dia?

- Foi incrível. Hoje conheci uma pessoa maravilhosa! Incrivelmente legal. Ela é tão linda.

- Uhm, que bom... Espera, você disse linda? É uma garota então. – Ela fala arqueando um de suas sobrancelhas como se estivesse desconfiando de algo.

- Sim é uma garota, na verdade uma mulher. Uma mulher linda! Alex ela é uma das cientistas da Luthor Corp e você não vai acreditar no grande feito que ela fez.

- E o que seria de tão grande assim, a ponto de você estar tão admirada dessa forma? - Ela diz me encarando do jeito que só Alex Danvers sabe fazer.

- Ela descobriu a cura para o Câncer! Nossa isso é magnifico! Imagina quantas pessoas ela vai poder ajudar? Lena é uma pessoa de grande coração. Pelo que pude perceber, pelo tempo que passamos juntas hoje, ela sempre tenta encontrar uma forma de fazer o bem.

-Ual! Essa tal Lena é brilhante mesmo! Pela forma como você fala dela, deve ser uma mulher incrível. - Ela sorri de forma lasciva me deixando totalmente desconcertada.

-Alex! Pare de me olhar assim!

-Relaxa Little Danvers. Falo dessa forma porque é a primeira vez que vejo em você tanto entusiasmo em falar de alguém dessa forma. E por falar nisso, aproveita que ainda está cedo e convida ela para irmos ao PUB que fica aqui perto.

- Bem, é...Eu não tenho o telefone dela.

-Como assim você passa a tarde com uma mulher dessas e não pega o telefone?

- Alex eu esqueci. Conversamos sobre tantos assuntos diversificados que isso passou despercebido.

- Ah, tudo bem. Vamos olhar na rede social então. Qual o nome completo dela? Kara, ao menos isso você sabe não é?

- É...bem, ela não me disse o sobrenome! - Ri de forma nervosa, enquanto Alex estava morrendo de gargalhar de mim no sofá da sala.- Por favor, será que dá para parar de se divertir as minhas custas? - Falei um pouco irritada, mas no fundo eu não conseguia ficar chateada com Alex. Ela era como uma irmã para mim, e descobrir que não éramos de fato primas, não mudou em nada a nossa relação de irmandade e companheirismo.

- Não precisa ficar zangadinha Little Danvers, vem cá vem.- Ela diz de forma engraçada, e amorosa ao mesmo tempo, me deixando sem graça. Em seguida ela me abraça e me dá um beijo na testa.

– Vou te ensinar tudo o que você precisa saber sobre as mulheres. -Era incrível como Alex era convencida as vezes. De repente, começo a rir e ela me acompanha, deixando o ambiente bastante descontraído.

O restante da noite passou de forma muito tranquila. Regada a doces, sorvetes e filmes de comédia. Alex me deu algumas instruções sobre a minha primeira missão no D.O.E, e isso me deixou mais tranquila, pois eu também estava nervosa por conta disso.  Às vezes, eu me pegava lembrando de uma certa morena de olhos verdes, e isso acabava tirando os melhores sorrisos de mim. Alex estava atenta a todos os meus sinais, mas optou por permanecer em silêncio apenas observando.

Por volta das onze da noite, eu já estava morrendo de sono e achei melhor ir dormir. Me despedi de Alex com um beijo casto da testa e desejei boa noite, indo logo em seguida para o meu quarto. Meus dias ultimamente estavam sendo muito corridos e muitas mudanças haviam ocorrido.

 De todas as coisas que estavam acontecendo na minha vida, conhecer Lena foi de longe a melhor delas. Ainda que eu tenha sido criada com muito amor, cercada por pessoas tão especiais como minha mãe, Alex e Tia Eliza, sempre senti aquela sensação de faltar algo. Sabe aquele sentimento de que sua alma se encontrou com a de outra pessoa? Pois bem, era assim que eu estava me sentindo perto de Lena, a linda morena de olhos verdes. Pensar nela me fez adormecer mais rápido e quando dei por mim, já era um novo dia.

 

Após uma ótima noite de sono, acordei mais animada do que nunca. Hoje finalmente eu estaria de prontidão para meu primeiro teste nas ruas, J'onn decidiu que eu poderia começar a patrulhar a cidade atrás de alienígenas brigões e criminosos. Se eu estava ansiosa? Eu poderia facilmente furar o chão de tanto que minhas pernas balançavam enquanto eu estava sentada. Mas eu tinha a condição de que eu poderia intervir, e a qualquer sinal de que eu não daria conta do recado eu deveria chamar reforços. Eu não conseguia parar de pensar no que eu faria após sair da empresa, por Rao eu deveria estar focada em meu projeto. Eu encarava a tela do computador a minha frente que exibia milhões de dados, mas minha mente viaja em diversas possibilidades de crimes que eu evitaria. Eu consegui dar andamento a novas pesquisas e tudo estava saindo como o esperado, mas ainda faltava muitas coisas para que eu pudesse realmente dizer que o projeto estava finalizado.

Assim que olhei em meu relógio e notei que já era meio dia, eu saí às pressas do laboratório, ao mesmo tempo em que andava a passos largos pelos corredores. Quando passei pelo laboratório de Lena escutei a porta abrir e ela me chamar.

- Kara? - Ela colocou a cabeça para fora da porta e me olhava sorrindo.

- Hey Lena. - Eu parei e respirava ofegante.

- Algo aconteceu? Você está com bastante pressa.

- Oh sim, eu...eu preciso ver algo na faculdade. - Disse sem jeito, afinal eu não poderia dizer "hoje é meu primeiro dia combatendo o crime e não posso chegar atrasada."

- Claro, desculpe atrapalhar. - Ela sorri sem jeito. - Eu queria te mostrar algo, mas passe amanhã aqui, pode ser?

- Claro Lena, amanhã virei até seu laboratório com certeza! - Céus porque eu tinha que ser tão empolgada, ela deve achar que sou louca.

- Ok, até amanhã então. - Ela sorri e volta para dentro do laboratório. Eu olho através do vidro e aceno um tímido tchau para ela e volto a andar.

Como eu ainda não tinha um traje como meu pai, eu teria que ir de metrô até o D.E.O. Portanto, eu deveria me apressar, caso não quisesse chegar atrasada, não que eu já não estivesse correndo nas ruas. Assim que sai do metrô, subi as escadas da estação e andei mais um quarteirão até estar em frente ao imponente prédio do departamento. Entrei no elevador e logo escutei uma gravação.

 

"Por favor identifique-se"

 

- Kara Danvers. - Logo após alguns segundos a luz do painel ficou verde e a gravação me respondeu:

 

 "Acesso permitido, bem vinda Kara Danvers".

 

Sorri ao ouvir aquilo e esperei até que a caixa de metal me levasse ao andar onde Alex ficava. Não demorou muito para que eu a localizasse em meio a todos aqueles agentes, aquela pose de durona não passaria despercebido nem mesmo em meio a uma multidão. Alex sabia meter medo em alguém.

- Alex! - Falei e ela olhou para trás prontamente e sorriu.

- Preparada para o primeiro dia?

- Sim, quer dizer eu estou nervosa, mas isso faz parte não é. - Eu falei enquanto tentava controlar minhas mãos nervosas.

- Venha, tenho uma surpresa para você.

Andamos por alguns corredores até ela nos colocar de frente a uma grande porta de aço. Sua mão foi de encontro ao painel que havia ao lado, e o scanner avaliava suas digitais, logo a tela ficou verde assim como a do elevador e a porta se abriu. Meus olhos quase saltaram do meu rosto quando eu vi o que estava a minha frente. Era simplesmente magnífico

- Alex... isso é... - Eu tentava buscar as palavras enquanto lágrimas se formavam em meus olhos. Era o meu traje. Ele era praticamente idêntico ao do meu pai se não fosse pela saia no lugar das calças. - É incrível Alex!

Eu olhei para ela e deixei algumas lágrimas rolarem pelo meu rosto. Eu não poderia estar mais emocionada, eu tinha um traje e ele era igual ao do meu pai, quão fantástico isso era? Alex me abraçou e parecia emocionada também.

- Olhe, a capa é a do seu pai. - Ela foi até o traje e puxou o tecido vermelho e logo eu reconheci. - Pedimos a tia Lois e ela aceitou que você o usasse.

- Isso é demais! Obrigada Alex, obrigada! - Eu a abracei novamente então eu notei alguém entrando pela sala. Era aquele cara baixinho e simpático.

- Acho que eu deveria levar algum crédito sobre isso. - Ele dizia bem humorado.

- Kara, Winn quem construiu seu traje e sugeriu que ele fosse como o do seu pai.

- Winn muito obrigada.- Eu fui até o rapaz e o abracei, ele pareceu surpreso, mas logo retribuiu o gesto.

- Kara chega, senão ele vai ficar mal acostumado. - Alex fala durona e o rapaz ri. - Agora vamos ao que importa, seu primeiro dia como heroína.

Não demorou muito para que eu estivesse junto de J'onn em uma pequena reunião, ele me passava incansavelmente todos os detalhes que eu precisava saber e eu já havia os decorado de trás para frente.

- Estamos entendidos Supergirl?

- Claro J'onn, estou pronta. - Eu disse decidida e coloquei meus punhos em minha cintura aguardando um comando.

Eu estava há horas sentada na sala de controle, enquanto Winn vasculhava a cidade atrás de algum crime, mas nada acontecia e aquilo estava me aborrecendo. Logo no meu primeiro dia eu não faria nada? Mas aquela paz não durou muito, logo Winn olhou um alerta na tela do seu computador.

- Alex temos um roubo no banco central acontecendo nesse exato minuto. Um dos assaltantes está fazendo reféns.

- Vá Supergirl, é sua vez. - Ela disse sorrindo, e eu não esperei mais nenhum minuto para sair voando a toda velocidade até o banco onde estava acontecendo a movimentação.

Imediatamente, avistei dois homens fortemente armados pelo lado de fora, usando minha visão de raio-x logo pude notar mais quatro deles dentro do banco. Dois estavam com os reféns, enquanto os outros estavam dentro do cofre. Sem pensar duas vezes, eu voei em direção ao centro do banco e furei o teto quando desci até onde estavam os reféns. Rapidamente, os assaltantes começaram a atirar contra as pessoas amarradas e eu usando de minha super velocidade parei cada uma das balas.

Depois fui em direção aos homens dando um soco direto no primeiro e um chute na barriga do segundo, os dois caíram desacordados no chão. Olhei para o lado e o restante dos assaltantes entravam pela porta lateral do banco e atiravam em mim, o que não surgia efeito nenhum é claro, então eu pude ver os olhos deles arregalarem por trás das máscaras pretas. Assim como os outros, eu os derrubei fácil e logo após destruí cada uma das armas com as minhas mãos. A polícia já entrava no local e retirava os reféns com cuidado, eu os ajudava verificando se as pessoas não estavam feridas. Até que uma criança me abraçou pelas pernas e sorrindo me disse:

-Você é meu herói favorito agora. - Meu coração se derreteu enquanto eu a via andando para fora junto de sua mãe.

Então era isso que meu pai sentia quando salvava as pessoas? A sensação de poder ajudar era incrível e era ainda mais quando alguém reconhecia isso. Eu definitivamente fiz a escolha certa em me revelar para o mundo.

- Bom trabalho Supergirl. - Eu quase enfartei quando ouvi a voz de J'onn em meu ouvido, eu havia esquecido do comunicador e eu demoraria a me acostumar com alguém sempre falando comigo por ali.

- Obrigada J'onn.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...