História Girlfriend - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Astoria Greengrass, Draco Malfoy, Pansy Parkinson
Tags Astoria, Draco, Drastoria, Pansy
Visualizações 30
Palavras 3.009
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Musical (Songfic), Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sei que devia de estar atualizando minhas fics eoe mas sério, essas inspirações que surgem são demais.*-*

A música é Girlfriend de Avril Lavigne. O link da música está nos links finais e recomendo vivamente ouvir com a fic :3 .

A imagem encontrei no Google imagens.

Enjoy it!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Setembro de 1995

 _ Ai, o Theodore...é incrível Asty...

A aludida Astoria não ouvia a irmã nem um segundo, seu olhar não desviava um segundo que fosse de uma ponta da mesa, onde encontrava-se um rapaz loiro com um olhar distante, enquanto que uma garota pendurava-se no seu braço, gralhando – sim, gralhando- porque não falava baixo e ainda ria-se como se fosse a rainha do mundo.

—Astoria?

Ela não entendia de todo porque o loiro tinha aquele namorada do lado, parecia inconcebível, ela observava-o á um longo tempo, desde que havia entrado em Hogwarts, conhecia-o de nome, entre os puros sangues onde ela integrava-se, era das famílias mais ricas e influentes no meio onde ela circulava- não que se rala-se muito com isso- mas sempre achara curioso como ele era, porque um rapaz que era aparentemente popular, parecia-lhe sempre com um olhar tão solitário.

—ASTORIA...

Esta dera um pulo, olhando para o lado, vendo um tufo loiro querer atenção, a denominada olhava-lhe com um burro e querendo sair, ao que agarrara-a e apertara contra o peito, sorrindo ao que a outra cruzara os braços.

—Desculpa, Daphne...estava distraida...

—Sempre está, onde estava com a cabeça ?

—Pensando...

—Sim, mas estava contando a você..sobre  como...

E novamente, Astoria não conseguiu focar a sua atenção na irmã, pois naquela altura o mencionado loiro olhava-a, enquanto continuava a namorada a falar com ele, alto e bom som, conforme ele tinha um olhar confuso, como se questionando o porque de ela o estar olhando, ao que ela bebericara o seu suco de abobora, sorrira de modo calmo e levantou-se, deixando-o ainda mais confuso.

Enquanto que o olhar de uma menina de cabelo curto e olhos bem verdes, olhava-a com uma mirada desconfiada, ao que ela sorrira ainda mais, deixando o casal meio desconcertado.

Hey, hey

You, you

I don't like your girlfriend

No way, no way

I think you need a new one

Dezembro de 1996

Era um Natal particularmente sombrio aquele ano, tantas pessoas ainda recentemente triste em luto, pelo clima negro e de insegurança que se sentia no ar em Hogwarts.

Uma menina de já de alguma idade, encontrava refugio na torre que mais lhe encantava em Hogwarts, fosse pelo ar lhe fazer bem, fosse pelo silencio que tinha ali presente, era relaxante e tranquilo. Não queria ter de ir para casa, como numa tentativa de acalmar os seus pais e eles discretamente quererem fugir do País, para fugir á iminente guerra que avizinhava-se no horizonte.

Mas tudo que é bom, geralmente tem curta duração, pensara a jovem ao ouvir uma voz extremamente carente e triste , que detinha a voz mais fina que ela ouvira e pergurava seus timpanos.

E que ela conhecia até bastante bem, rodara a sua cabeça, enrolando-se mais na sua capa da sonserina e observando o cenário que desenrolava-se ante seus olhos.

Draco Malfoy quase implorando socorro com uma chorosa Pansy Parkinson de volta de si querendo atenção e querendo que ele gostasse dela, o que até ela que não era próximo dos dois, sabia que ele não era muito fã da garota que via-se obrigado a ter que olhar, parecia-lhe a seus olhos, que ele mais queria era fugir dali de perto, para bem longe dela.

—Mas, Draco você não me presta atenção...anda distraido ...que se passa...?

—Pansy...

—Não...sério, você não pode me deixar Draquinho você sabe que te amo...

E Astoria assistia aquilo de um canto das pilastras, encostada de modo bem despreocupado, verificando se os seus doces de alcaçuz estavam mesmo gostosos como o Zonko’s prometia, fazia relativo barulho,mas ela calculava que não ouviriam, mas para ouvir aquele chorô romântico ela definitivamente precisava de comer um doce ou algo que lhe fizesse manter acordada, porque era enjoativo demais.

Hey, hey

You, you

I could be your girlfriend

Hey, hey

You, you

I know that you like me

No way, no way

No, it's not a secret

Hey, hey

You, you

I want to be your girlfriend

Mas, enganara-se ao abraçar Parkinson, Draco olhara para quem fazia aquele minimo barulho, não que ele provavelmente notasse no dia –a-dia, mas aprendera a ser mais atento, desde que lhe calhara das piores missões que podiam acontecer e ter o seu pescoço e o de sua família a prémio caso falhasse, isso torna qualquer um mais atento.

 Mas quando olhara na direção, dera de caras com um rosto familiar, mas que ele não recordava-se de alguma vez de ter falado, sabia que era sua colega de casa, além de bastante bonita, mas nunca havia de facto passado pela sua cama, mas podia jurar que aquela expressão observadora e sorridente ele recordava-se de ter visto mais vezes, dera por si apertando a Pansy e com uma vontade assombrosa de aproximar-se da desconhecida e perguntar-lhe o porque do olhar.

E essa por sua vez, notara que fora observada e de facto, ela roia seus doces de alcaçuz e dera uma pequena risadinha, bem discreta e colocara um dedo sob seus lábios roseados e rodara o pescoço negativamente como lhe dizendo “Não, revele...”

E o loiro por sua vez, somente dera uma sorriso que não recordava-se de em tempos dar um e concordara com aquela pequena travessura de uma estranha que zuava com a sua atual namorada e ainda dizia para ser um segredo só deles.

E dito isto, piscara-lhe um olho e saira de modo discreto da Torre de Astronomia, onde havia estado até agora e saira dali, deixando um intrigado loiro olhando os seus passos para fora dali.

You're so fine

I want you mine

You're so delicious

I think about you all the time

You're so addictive

Don't you know what I can do

To make you feel all right?

Outubro de 1999

Pela época, era mais legal estar preparando-se para o baile de Halloween que iria have rem Hogsmeade, preparar uma boa make e festejar o Samhein da melhor forma, com muita cerveja amanteigada, muita dança e muitas vassouradas, tentando espantar o que de ruim tinha-se na vida e no caso particular dela, de ter sido aceite na carreira de Medibruxaria, após ter concluido Hogwarts naquele ano.

Mas, não ela tinha que  estar aturando a melhor amiga de sua irmã, numa de chorar – mais uma vez- pelo namorado que não lhe ligava nenhuma, tudo bem que ela estava sendo meio ruim, também era sua amiga, ela suspeitava que desde que tinha olhado para ela naquele Setembro de anos atrás, que ela quis ficar perto porque a considerava uma espécie de ameaça.

Pobre Pansy, não era mesmo nada feliz, pensava com algum aborrecimento, ao ver que ela chorava ainda mais, suspirara longamente, deixando que sua irmã se encarregasse de a acalmar.

—Ahhhhhhhhhhhh…não acredito que aquele imbecil me deixou, quero matá-lo...fiquei do lado dele, quis apoiá-lo...

—Pansy...

Tentara a sua irmã Daphne, pela milésima vez, tirar-la daquele movimento circular e movimentado que ela encontrava-se no quarto dela, só pelo detalhe, olhara discretamente para a sua irmã, que praticamente implorava com os olhos para ter paciência e aguentar, ao que Astoria suspirava de modo bem mais impaciente, levantara-se algo discreta,tão quanto se pode ser no seu próprio quarto.

Saira e olhara-se no espelho do corredor de corpo inteiro, visualizando-se, enfim ela estava bem não é mesmo, caminhara de encontro á rua, aproveitando o ar da noite, respirando fundo e permitira-se sorrir, vendo a lua que já ia alto no céu, era uma noite magnifica, apesar da sensação absurda em seu interior que algo faltava.

E quando chegara perto de uma Mansão bem particular e perto da sua , dera por si caminhar na direção dos portões, olhando uns longos minutos, era a Mansão dos Malfoy, quase ninguem passava ali perto e seus habitantes eram raramente vistos, como se estivessem fugindo dos olhares públicos, o que ela não duvidava nada, quando chegara perto vira um elfo doméstico vir na sua direção, olhando de modo bem desconfiado.

Pensara por um breve segundo, dar a volta e sair dali, mas ela nunca obedecia aos seus próprios instintos, era mais aos seus impulsos,na realidade.

Don't pretend

I think you know

I'm damn precious

And, hell yeah

I'm the motherfuckin' princess

I can tell you like me too

And you know I'm right

—Sim, senhorita?

—Posso falar com o sr. Draco Malfoy?

O elfo olhara-a de alto a baixo, ainda meio desconfiado, assentira e guiara para dentro de casa, se bem que parecia meio aflito, como se estivesse descumprindo ordens, guiara-a no interior até chegarem aos jardins da mansão, onde um rapaz tinha o olhar perdido olhando a lua do seu jardim, parecia-lhe á luz do luar, bem mais pálido provavelmente do frio e os seus lábios pareciam meio arroxeados, o que só confirmava a sua teoria, ao ouvir o movimento nem sequer virara-se até que o elfo começara a falar.

—Senhorzinho Malfoy, tem aqui uma visita para o senhor...

—Mas, eu não disse que...- Mas quando ele olhara e vira-a, calara-se quase instantaneamente, olhando-a diretamente nos olhos.- Você? Quem é você?

Ela dera o seu melhor sorriso e isso parecera avivar a sua memória por breves segundos, fazendo com que ele rodasse melhor o corpo, sentando –se por ventura melhor e olhando-a com reconhecimento.

—A menina da torre...?

—Bem, pode me chamar de Astoria Greengrass, menina da torre ficaria meio formal não acha?

Ele dera por si, gargalhando involuntariamente, colocando as suas mechas loiras para trás.

She's like so, whatever

You could do so much better

I think we should get together now

(And that's what everyone's talkin' about)

Draco franzira o cenho, olhando-a com algo de interesse, como se estivesse entorpecido a tempo de mais e ela viesse dar a ele alguma vontade de falar ou viver no caso. Mas, ela era mesmo um autêntico enigma.

—A irmã da Daphne...?

—Também sou conhecida assim, mas prefiro Astoria em todo o caso...- Dissera com o seu habitual bom humor, pelo qual era mais conhecida, ao que ele suavizara a expressão.

—Bem, não quero ser rude, Astoria...mas que faz aqui?

—Bem, pensei...essa noite de Halloween é demasiado bela e mágica, além de que estava caminhando e pensei...porque não arrancar o Draco Malfoy de casa?

Se ele estava desconcertado, nada se comparava á agora, ela era doida ou era alguém imprevisivel, ele apostava que era um pouco dos dois.

—Você nem me conhece...

—Conheço mais do que você pensa... e tenho os parabéns para te dar...

—Pelo que?

Ele via-se meio desconcertado com o á vontade que a Greengrass mais nova lhe falava, como se o conhecesse de anos e fossem grandes amigos, ao que ele não pode evitar sorrir mesmo que sem muitos motivos para isso.

—Por ter deixado ir quem vocênão gostava e te atrasava a vida...a Pansy merece alguém que a ame e você merece ser amado também...ela não era para você...

—Ahm...ok, eu acho que obrigado em todo o caso.

E dito isso, ela esticara-lhe a mão ao que ele olhara na direção da mão fina, pequena e delicada que ela possuia, subira pelo braço até alcançar o rosto dela.

—Não seria bom para você...não mesmo Astoria Greengrass...

—Vem comigo, não vai se arrepender de passar uma noite de Halloween com uma autêntica estranha, não acha?

E ele não soubera qual a ideia que lhe tinha dado, mas dera por si tocando a sua mão e caminhando na direção dos portões da propriedade Malfoy, somente tendo tempo de invocar o seu manto e seguindo-a.

E fora sem duvida, a melhor noite que ele havia passado em anos com uma autêntica desconhecida, mas que ele tinha amado ficar a conhecer.

Hey, hey

You, you

I don't like your girlfriend

No way, no way

I think you need a new one

No final da noite, Draco encaminhava-se para a sua mansão, mas acabara indo na direção da Mansão dela, levando-a .

Ela sorrira de modo bem discreto, ao que ele sorrira de modo algo timido até para ele, colocando as mãos no bolso.

—Amei esta noite, Astoria...mas posso questionar o porque?

—Porque?

—Sim,porque dos sorrisos em Hogwarts, porque me buscou na mansão,hoje e enfrentou olhares que suponho que nunca enfrentou na vida.

—Acredite, você sempre achei curioso, e quis conhecer simples...sou assim e além de que bem...olhares daqueles não me acobardam e nem a você deveria. Recupere seu orgulho, você é um Malfoy, para o bem ou para o mal.

E dessa vez, fora ele que dera um largo sorriso ao que Astoria ficara olhando-o com vontade de rir e quando aproximara-se, tocara a nuca dela com delicadeza.

—Foi só curiosidade?

—Talvez, algo mais...

—Algo mais?

—Não vai arrancar da minha boca, Draco...

—Bem, talvez sim, talvez não...

E dito isso, fizera algo que havia ambicionado a noite inteira, tocara os lábios de Astoria, que ao contrario, do breve pensamento que tivera de que ela o afastasse, ao contrário aproximara-o e enrolara os braços de volta dele, aprofundando o beijo que inicialmente lhe dera de modo timido, e aquele calor humano e aquela adrenalina percorrendo-lhe as veias, deixara Draco ainda mais ansioso por mais contato com o mundo .

—Não foi só curiosidade...

—Sabia...

—Um dia, digo para você...

—Amanhã?

—Quem sabe...

Draco ficara-a vendo, afastar-se pensando em que se estava a meter, mas não conseguia evitar a sensação de que realmente precisava de algo assim na sua vida.

E dito isso entrara dentro da Mansão, caminhando na direção do seu quarto, sorrindo imenso quando dera por si, vira que o seu quarto estava cheio de potes de sorvete, com mais um convidado extra, que no caso era Blaise consolando Pansy, parecendo dar-se bastante bem na sua opinião e sua irmã com seu noivo, Theodore no maior amasso possivel.

Ao que Astoria sorrira, retirando os seus saltos e cantarolando baixinho. Pansy notara-a e dissera de modo choroso.

—Viu passarinho verde, Astoria?

—Nem imagina...ânima Pansy, tem ai o seu cavaleiro da armadura reluzente bem do seu lado...- Ambos coraram imenso, como se ela nao soubesse que provavelmente não andaram por ai a fazer naquela noite pela mansão dela, sorte a dela que os pais não encontravam-se em casa.

I can see the way

I see the way you look at me

And even when you look away

I know you think of me

I know you talk about me all the time

Again and again

Outubro de 2000

Astoria caminhava pelo Beco Diagonal, depois de um longo plantão no Hospital St. Mungus, sentia todo o seu corpo dolorido, além de ter de aturar os dramas de Pansy sobre o Blaise que não lhe dava a atenção devida, suspirara ao avistar a sorveteria , seus ânimos estavam mais no alto, quando alcançou a porta, vira alguem que nao via ao tempo, acompanhando uma senhora já com alguma idade mais ainda bela, encontrava-se Draco Malfoy com um sorriso algo encantador.

—Olá, Astoria...e Pansy...

Esta segunda, olhava-o com algo de ressentimento mas cumprimentara-o e á senhora Narcisa que respirava fundo, com algo de receio que essa fizesse um escandalo como no dia que o filho terminara com ela.

Mas, Pansy logo arrumara uma desculpa para sumir dali e ainda enfatizar que tinha que ver Blaise que tinha um jantar romântico com ele, ao que Astoria vira que o loiro não podia estar menos interessado, na realidade o olhar dele não desviava dela, seu sorriso era todo um mistério.

Fazia mais ou menos um ano que não o via e a sensação não sumia, de sempre uma sensação de mistério e fascinio que ela tinha por aquele loiro e ele por sua vez,olhava-a com a mesma curiosidade.

—Olá, Draco...

—Vai á festa de Halloween?

—Bem...você vai?

—Amei a do ano passado...

E dito isso, sorrira de modo bem revelador a este, que retribuira o olhar, fazendo a mãe de Draco sentir-se como um candelabro ali no meio dos dois, mas não podia deixar de sentir curiosidade pelo que ali desenrolava-se, o que era ótimo assim evitava que o filho pensasse nos olhares que os cercavam.

—Porque não...?

E dito isso, ele aproximara-se dela, abraçando-a ali bem no meio dos cochichos e sussurros que espalhavam-se, ela apertara-o nos braços e sussurrara bem nos seus ouvidos.

—Eu quis você...pelo seu mistério, mas também pelo seu olhar solitário...

Draco não desviara dela, continuara a ouvi-la , sem esperar que ela dissesse aquilo num rompante, mas essa ele começava a ver que era Astoria.

—Porque?

—Eu sou assim...

—Pensei em você esse tempo todo...

—Eu sei...sou inesquecível...

Ele rira-se com vontade, ao que ela acompanhara-o. Afastaram-se ligeiramente,olhando-se ao que Draco não vira a mãe afastar-se com um sorriso bem satisfeito na face, de tão distraido que estavam nem notaram que ela havia ido, mas ao ver o filho tão absorvido, Narcisa não podia evitar.

 _Eu sabia que você olhava para mim e ainda estava com a Pansy...você me quis.

Ele sorrira de modo bem discreto, alisando os cabelos dela, sem sair daquele semi abraço que ainda encontravam-se.

—Não era bem...um exemplo nessa altura e ela é passado...

—Eu sei e você consegue deixar o seu passado para trás das costas..?

Essa pegara o Draco desprevenido, fixando os seus olhos azuis acinzentados bem nos olhos azulados que ela possuia.

—Eu...quem raios é você, Astoria? Ao longo desse ano , pensei que você fosse uma brisa que o vento leva...e você aqui de novo...quem é você?

—Bem, que posso fazer? Você é belo e a vida é curta, quanto a como sou... você terá todo o resto de minha vida por descobrir...

Ele rira-se, beijando-a de modo bem despreocupado, ao que ela correspondera de modo bem á vontade e já arrastando-o consigo para um canto bem mais discreto.

—Quer ser minha namorada?

—Sempre pensei que você precisava de uma nova...

In a second you'll be wrapped around my finger

Cause I can, 'cause I can do it better

There's no other, so when's it gonna sink in?

She's so stupid

What the hell were you thinkin'?

 

Hey, hey

You, you

I don't like your girlfriend

No way, no way

 

I think you need a new one

Hey, hey

You, you

I could be your girlfriend


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...