1. Spirit Fanfics >
  2. Girlfriends for Hire - SEULRENE >
  3. Thirty

História Girlfriends for Hire - SEULRENE - Capítulo 30


Escrita por:


Capítulo 30 - Thirty


Foram três semanas perfeitas antes de Joohyun ir para Seul cursar medicina, as duas moravam em Daegu, seriam no mínimo três horas de viagem. Mas concordaram que seria bem menos cansativo se Irene vivesse em Seul com sua irmã.

Yeri estava muito animada com a mudança, no fim as coisas com sua namorada Joy não deram muito certo e ela queria ficar o mais longe possível do lugar que a lembraria de sua ex.

Já Seulgi estava em um impasse há quase um mês. Ela tinha decidido fazer Artes, porém a decisão mais difícil era, ficar em Seul ou aceitar a oferta de seu irmão. Seulgi não conversou com Irene sobre esse assunto, no fim ela achava que sabia a resposta para a questão, Joohyun provavelmente falaria pra ela ficar com seu irmão. Seulgi não entendia esse lado de Joohyun, que priorizava sempre as outras pessoas e nunca ela mesmo. Se Joohyun gostava mesmo de Seulgi por que ela escolheria que a garota ficasse longe dela?

Mas, como dito antes, isso eram apenas suposições. Seulgi não sabia de fato qual seria a resposta da menor.

Agora faltava dois dias para Irene viajar.

— Você já decidiu sobre o que vai fazer? — A pergunta de Irene assustou a mais nova, que pensava exatamente nessa questão.

— O que? — Perguntou.

— Você vai fazer faculdade? Ou viajar? Eu lembro que você disse que queria viajar.

As duas estavam deitadas na cama de Seulgi agora, uma do lado da outra, de mãos dadas. Irene acariciava a mão de Seulgi enquanto entrelaçava seus dedos. Achava que tudo ficava menos importante quando as duas estavam daquela forma, mas era uma questão importante e ela precisava perguntar.

— O que você acha de eu ir morar com meu irmão? — Seulgi cogitava mais essa idéia a cada dia que passava.

— Isso seria bem legal. — Joohyun não queria deixar transparecer a tristeza que sentiu ao cogitar a ideia de ficar tão longe de Seulgi.

— Eu iria morrer de saudades de você, você não sentiria saudades? — Seulgi queria um motivo pra ficar, mesmo achando que Irene iria incentivá-la a ir.

— Mas você não iria morar definitivo, né?

Irene agora olhava os olhos de Seulgi.

— Não, fazer faculdade lá. Ele me chamou quando veio aqui na última vez, você sabe.. quando a mãe dele...

A maior não queria terminar a frase, mas Irene entendeu perfeitamente e acenou com a cabeça.

Ainda era um assunto complicado, já que Seulgi não se sentia mal pela morte da mulher, ela se sentia livre pela primeira vez. Livre para estar em sua casa sem que o medo constante de ser surpreendida e agredida a tomasse conta de si. Mas a morte de Dara causou muita dor em seu filho Minho e era por isso que Seulgi queria estar ao lado dele, mostrando apoio.

— E ele reforçou o convite ontem. Sem contar que esse é o sonho da vida do meu pai.

Continuou a mais nova, vendo a total atenção de Irene sobre si.

— Você quer ir? — Joohyun perguntou.

— Eu acho que sim.

— Então você devia ir.

— Mas... e a gente? — Seulgi tinha uma feição triste agora.

— O que tem a gente? Nosso relacionamentos consegue resistir a essa distância, e também, são só alguns anos.

Irene não pensou bem quando respondeu daquela forma, é claro que elas não eram namoradas ainda, mas Irene sabia o que queria e sabia que alguns anos de distância não iriam fazer com que ela mudasse de ideia. Não poupou palavras pra dizer o que queria e como deixaria Seulgi.

— Então você acha que a gente tem um relacionamento?

A mais nova não pôde deixar de sorrir, sim ela apenas focou na  parte do "nosso relacionamento".

Irene sorriu junto, pensou se deveria arrumar as palavras, mas pra que fazer isso se ela disse exatamente o que queria dizer?

— Eu sei o que eu sinto por você não acho que isso vai mudar assim tão fácil.

As duas agora estavam com os rostos bem mais próximos, Seulgi acariciava com uma de suas mãos as bochechas de Joohyun.

— Você acha que vai continuar me amando mesmo que a gente fique tanto tempo longe?

Joohyun apenas acenou com a cabeça, a proximidade do rosto de Seulgi fez com que ela não quisesse fazer mais nada além de beijá-la.

Seulgi estava feliz, ela sabia que Joohyun diria pra ela viajar, mas não sabia que suas palavras a deixariam tão feliz e tranquila com o futuro do relacionamento das duas. Ela tinha certeza de que Irene esperaria por ela assim como ela faria a mesma coisa.

As duas se beijaram ali, de uma forma simples e doce, e não tão rápida.

Depois de mais alguns selares, Seulgi se afastou minimamente. O que fez com que Irene a encarasse de volta.

As duas ficaram em silêncio por alguns segundos, minutos talvez.

— Irene? — Chamou quando percebeu que a outra poderia cair no sono a qualquer momento.

— Hm? — A mais velha não abriu os olhos, apenas sorriu em seguida.

— Eu... — Seulgi hesitou.

Por que você hesitou? Fala logo.

A maior se sentia nervosa e aquilo pôde ser visto por Irene, que abriu os olhos preocupada.

— O que foi?

— Eu ... — Mais uma vez Seulgi hesitou.

A verdade é que ela não queria fazer aquilo daquele jeito, parecia menos do que Joohyun merece.

— O que Seulgi? — A mais velha estava curiosa.

— Sabe eu queria fazer isso de um jeito diferente, mas não consegui pensar em nada.

Irene permanecia confusa.

— Eu amo você, sabe, é engraçado por que eu não sei quando isso aconteceu.

Irene sorriu, ela queria muito beijar Seulgi mais uma vez, mas deixou que ela terminasse sua fala, que demorava bastante inclusive.

— E pensar que se eu nunca tivesse visto aquele aplicativo eu provavelmente nunca teria  conhecido você. Talvez eu estivesse morta, ou teria me enfiado de vez nas drogas. Mas você me salvou.

Agora os olhos de Joohyun começaram a marejar e bem, ela não planejava isso para aquela boite.

— Isso me faz achar que eu estava predestinada a te conhecer. Você me fez uma pessoa melhor e eu te agradeço por isso.

Seulgi limpava algumas poucas gotas que desciam pelo rosto de Joohyun. No mesmo instante a mais velha segurou a mão da garota que limpava seu rosto. As duas sorriam feito bobas.

— Eu te amo e quero ficar com você pro resto da minha vida. Algumas pessoas dizem que romance de Ensino Médio não dura muito, mas eu preciso tentar. Porque eu sinto que vou me arrepender pelo resto da minha vida se a gente não fizer isso.

Joohyun permanecia calada, agora ela não sabia o que dizer.

— Eu realmente espero que eu não estrague tudo com meu jeito, prometo mudar por você. Porque eu acho que nunca vou sentir por alguém o que eu sinto quando estou perto de você. Por favor diz que sim, você aceita namorar comigo?

A maior não sabia de onde saiu a coragem pra dizer tudo que dizia, mas bom, ela disse. E agora a resposta de Joohyun estava ali em forma de beijos, vários selinhos seguidos de uma frase cortada palavra por palavra.

— Sim!

Um selinho

— Claro que eu aceito.

Um beijo.

— Eu te amo tanto meu amor.

Mais um selinho.

— Eu me sinto da mesma forma. — Joohyun queria falar alguma coisa diante daquelas palavras ditas por Seulgi.

— Eu não posso responder pelo futuro. Não sei se eu vou me sentir da mesma forma que me sinto quando vejo você, daqui a cinco ou dez anos. Mas eu sei que você me transmite uma calma que eu nunca senti com ninguém, e quando você sorri parece que meu dia melhora no mesmo instante. Eu amo absolutamente tudo em você e eu prometo tentar retribuir pelo menos um pouco do bem que você me faz.

Seulgi não conseguia mais esperar, precisava beijar sua namorada e não esperou nem mais um minuto para fazer isso.


Notas Finais


Ai esse casal ❤️❤️🤧


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...