1. Spirit Fanfics >
  2. Girls feelings >
  3. Capítulo Único

História Girls feelings - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Pois é, mais uma songfic. Amo demais essas duas e até hoje sofro pela morte da Ymir rsrs.
Caso haja algo ofensivo, por favor me avisem!
A fanfic não tinha verdadeiramente um título quando a escrevi, por isso o título meio improvisado.
Me inspirei no hino que é a música girls – girl in red. Super consulto ouvirem rsrs.

Capítulo 1 - Capítulo Único


“I've been hiding for so long

These feelings, they're not gone

Can I tell anyone?

Afraid of what they'll say

So I push them away

I'm acting so strange

 

(Eu tenho me escondido por tanto tempo

Esses sentimentos, eles não se foram

Posso contar a alguém?

Tenho medo do que vão dizer

Então eu os afasto

Eu estou agindo tão estranho)”

Nunca foi uma pessoa ansiosa, sem contar que até chegar na puberdade nunca notara como seu comportamento era diferente do das outras garotas de sua idade. As mãos suavam muito mais que o normal e o coração acelerava sem sequer estar praticando um esporte. O que era tudo aquilo e como poderia consertar toda aquela bagunça de sentimentos?

Arfava ao pensar nas soluções mais lógicas, apenas por... Medo? Vergonha? Nem sequer sabia dizer. No fim, a quem iria contar? Logo completaria 18 anos e teria de sair do orfanato, quiçá não fosse hora para pensar em sentimentos. Ou aquilo era somente uma desculpa para fugir da verdade.

“They're so pretty, it hurts

I'm not talking about boys, I'm talking about girls

 

They're so pretty with their button-up shirts

 

(Elas são tão bonitas que dói

Eu não estou falando de garotos, estou falando de garotas

 

Elas são tão bonitas com suas camisas de botão)”

 

Talvez, no fundo, sempre soubesse a verdade sobre si. Era tão difícil assim assumir? A quem estava tentando enganar? A quem estava querendo agradar? Sempre fora sozinha na vida, sempre sua única preocupação foi para consigo mesma, então por que agora estava com tanto medo de ‘se assumir’?

Tinha tantos amigos LGBTQIA+, eles não seriam preconceituosos com ela, seriam? Era óbvio que não, até porque aquele não era o maior problema. Seu maior problema tinha nome e sobrenome: Historia Reiss.

Também poderia ser conhecida como ‘a garota mais bonita da escola’, segundo uma pesquisa idiota feita pelos colegas; apesar de concordar plenamente com o resultado. Poderia ficar o dia todo encarando aqueles olhos tão azuis quanto o céu que nunca cansaria.

“I shouldn't be feeling this

But it's too hard to resist

Soft skin, and soft lips

I should be into this guy

But it's just a waste of time

He's really not my type

I know what I like

 

(Eu não deveria estar sentindo isso

Mas é muito difícil resistir

Pele macia e lábios macios

Eu deveria gostar desse cara

Mas seria apenas perda de tempo

Ele realmente não faz o meu tipo

Eu sei do que eu gosto)”

Embora tivesse tanto apoio de seus amigos, ainda tinha uma incerteza dentro de si. Sim, enfim ‘assumiu’ a todos – principalmente a si mesma – que era lésbica. Mas e agora? Ouvira tantos comentários maldosos lhe dizendo que “apenas não tinha encontrado o cara certo” e outras coisas que sempre quando se recordava sua única era vontade responder grosseiramente.

Ela gostava de garotas, não de garotos irritantes e inconvenientes como aqueles que sempre a incomodavam. O mais perto que chegou de um relacionamento com um rapaz foi quando teve de fingir ser namorada de Marco, apenas para o moreno poder evitar uma briga com seus pais preconceituosos e seu verdadeiro namorado, Jean. E aquilo com certeza era o máximo que queria chegar perto de um.

“No, this is not a phase

Or a coming of age

This will never change

(Não, isso não é uma fase

Ou algo da idade

Isso nunca vai mudar)”

Quando conversou com Sasha, sentiu-se ‘nas nuvens’. Apesar dela ser bissexual e não ter a vivência de uma homossexual, a Braus compreendia minimamente os sentimentos da maior. Com ela, aprendeu a bater no peito, orgulhosa de quem era e sem se deixar levar por conversas persuasivas que desmereciam sua luta identitária.

“They're so pretty, it hurts

I'm not talking about boys, I'm talking about girls

 

They're so pretty with their button-up shirts

 

(Elas são tão bonitas que dói

Eu não estou falando de garotos, estou falando de garotas

 

Elas são tão bonitas com suas camisas de botão)”

Historia Reiss era um sinônimo de perfeição, para sua visão. Até a forma sutil que ela colocava sua teimosa mecha de cabelo dourado atrás do cabelo era simplesmente encantador. Sorria só de lembrar a forma como ela sempre corava quando chegava perigosamente perto dela.

Viu-se novamente perdida na imagem da amiga. Ás vezes era suficiente apenas tê-la junto de si, no entanto existiam momentos em que tudo que mais ansiava era sentir aqueles lábios macios e rosados juntos aos seus.

“'Cause I don't know what to do

It's not like I get to choose who I love

Who I love, who I love, who I love

 

(Porque eu não sei o que fazer

Não é como se eu escolhesse quem eu amo

Quem eu amo, quem eu amo, quem eu amo)”

Desde quando ‘assumiu’ sua sexualidade ao mundo, não pôde negar que sofreu de diversas formas. Ela nunca escolheu ser assim, nunca escolheu amar Historia. Mas aconteceu, e não havia nada de errado com isso. Ao menos, o erro não estava nela, mas sim naqueles que não eram capazes de entender verdadeiramente o que é amor.

“They're so pretty, it hurts

Not talking about boys, I'm talking about girls

 

They're so pretty with their button-up shirts

 

And they're so pretty, it hurts

Not talking about boys, I'm talking about girls

They're so pretty, it hurts

(Elas são tão bonitas que dói

Eu não estou falando de garotos, estou falando de garotas

 

Elas são tão bonitas com suas camisas de botão

E elas são tão bonitas que dói

Não falando de garotos, estou falando de garotas

Elas são tão bonitas que dói)”

Afinal, querendo ou não, Historia Reiss conseguia ser simplesmente perfeita e isso era inegavelmente apaixonante. Mesmo depois de tanta coisa, a sensação de estar com ela valia á pena. Sempre valeu.

E foi quando completou 18 anos que conheceu o mundo todo em simples instantes. Foi quando, agora morando com um amigo, saiu correndo pela porta de entrada e capturou os lábios de sua amada assim que esta lhe deu como presente de aniversário uma declaração de amor.

O mundo poderia não ser fácil, muito menos maravilhoso. Mas tinha a mulher que tanto amava ao seu lado e, naquele simplório momento, era tudo o que importava. 


Notas Finais


Bom, foi isso! Espero que tenham gostado.
Postei uma história ontem e hoje já cheguei com outra, mas fazer o que né rsrs
A historia em si ficou bem curtinha, só teve esse tanto de palavras pela letra da música rsrs.
Sobre as aspas nas vezes que falava sobre “se assumir” é porque não gosto muito dessa palavra, mas senti que coube nas situações.
Mil perdões por qualquer erro ortográfico e até a próxima! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...