1. Spirit Fanfics >
  2. Give Love A Try - The Night >
  3. Undisclosed Desires

História Give Love A Try - The Night - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Mais uma att pra vocês!

Galera, espero que estejam todos tomando os devidos cuidados na segurança de vossas casas.

Fiquem em casa, se protejam por vocês mesmo e por aqueles que amam. Beleza? Beleza.

Tenham uma ótima leitura!

Capítulo 8 - Undisclosed Desires


Camila P.O.V

Se eu pudesse apenas desaparecer definitivamente, seria exatamente essa minha atitude agora. Eu simplesmente não posso acreditar no que meus olhos estão vendo, não posso acreditar no quão irônica a vida pode ser às vezes. Lentamente vou recuperando meus sentidos e mesmo lutando contra minha vontade de ir embora e fingir que esse momento nunca aconteceu, em passos lentos e respiração totalmente descompassada, acato sua ordem, porque foi exatamente isso que me pareceu, uma ordem. Meu coração bate tão forte que chego e desconfiar que ela pode ouvi-lo bater.

Assim que entro na casa, fico impressionada com a estrutura e beleza do lugar. Tudo de muito bom gosto e tanta elegância que é quase inevitável não me sentir completamente oprimida e sem graça só por estar pisando ali. Olho ao meu redor observando cada detalhe e posso perceber que aquele lugar era onde eu sempre sonhei em viver. Afastado da cidade, uma casa de madeira e vidro, grande e confortável o suficiente pra mim e pra uma futura família. Tudo como eu sempre quis. Toda decoração me satisfaz e por um breve momento, me sinto feliz ao pensar que Lauren talvez pudesse ter pensado em mim ao fazer isso tudo. Foram inúmeras as vezes em que planejamos um futuro juntas, fantasiando cada detalhe como se tivéssemos a certeza de que um dia, tudo aquilo seria a nossa realidade não importando o que acontecesse no meio do caminho.

Ao mesmo tempo, me sinto uma grande tola por pensar em algo assim, mas devido a situação, acho que não fará mal algum me iludir por um momento para ter uma pequena sensação de felicidade e realização, faz tanto tempo não sei como é me sentir assim que isso torna minha fantasia totalmente perdoável. Mesmo assim, tenho plena noção de que ela deve ter feito o possível para apagar qualquer traço meu da vida dela, era o que qualquer pessoa faria. E eu honestamente não a culpava por isso, em seu lugar, talvez, eu não saberia o que fazer. Mas se estávamos aqui, agora, nessa situação, era porque eu havia me esquecido por um infeliz momento, de que Lauren não era qualquer pessoa.

- Posso te oferecer uma bebida? - Lauren perguntou fazendo-me despertar de meus devaneios. Seu olhar fixo em mim me causa um leve rubor em meu rosto, o que me faz ter a sensação de estar sendo rigidamente analisada por ela e isso me causa um certo receio, porque muito tempo já se passou e sei que já não sou mais capaz de decifrar suas emoções através de seu olhar, não agora que se encontra em minha frente, uma mulher totalmente completamente diferente daquela que eu conheci um dia. Ela ainda é tão linda quanto era quando éramos jovens e por isso me permito admirá-la por alguns instantes, afinal, não acredito realmente que vamos ter algum tipo de contato após esta noite, e nesse momento, do fundo do meu coração, sendo tão sincera quanto posso, desejo que as coisas tivessem sido diferentes para nós.

- Não, obrigada. Estou bem. - Respondo simplesmente, tentando ao máximo não deixar que o nervosismo em minha voz me denuncie, não sabia até quando agiríamos daquela forma o que me deixa mais tensa do que já estou. Resolvo então agir da mesma forma que ela, assim poderei deixar isto bem menos difícil do que está sendo e, talvez, assim as coisas aconteçam mais rápido. O que é uma tolice de pensamento, já que não fazem nem dez minutos que estamos aqui e mesmo assim parecem que dez anos ou mais se passaram. Então apenas ignorar meus pensamentos e sentimentos é o melhor a ser feito, pelo menos, é o que acredito. Isso faz eu me perguntar por que as pessoas muitas vezes evitam as coisas difíceis e simplesmente não resolvem tudo de uma vez. Por que o ser humano é assim? Tão medroso, sempre tentando evitar tudo o que lhe tira de sua posição segura, sempre evitando mudanças. E talvez, apenas talvez, levando em consideração o atual momento, no fundo, eu saiba a resposta.

- Tem certeza? Ainda temos tempo e tem muitas opções, eu também não gosto de beber sozinha, então... – Diz ela enquanto vai caminhando até o que eu acredito ser a cozinha sem olhar para trás em momento algum e decido apenas acompanhá-la. A casualidade e o meio sorria que acompanha seu tom de voz me deixam menos incomodada com tudo e me afetam mais do que eu realmente gostaria e admitir, penso mais uma vez em simplesmente ir embora daqui sem falar nada, apenas ir embora e esquecer desse momento. Quero me desculpar e sair, mesmo que nesse momento, eu não saiba o motivo pelo qual eu quero me desculpar, mas sinto que seria a coisa certa a se fazer. Deus! Não sei porque eu estou com tanto medo! No fundo, sei que no lugar dela, eu agiria da mesma forma, por mais que eu não quisesse admitir, não posso culpá-la pelo que eu mesma havia causado, e até agora isso estava sendo muito menos do que eu realmente merecia, não nego. Mas depois de tanto tempo, há uma parte minha que quer levar esta noite até o fim, mesmo sem ter certeza se isso é uma boa ideia. Apesar de tudo, sempre tive em mim uma necessidade absurda de arriscar, sempre precisei saber o que eu poderia estar perdendo se não fosse por um certo caminho ou tomasse determinada decisão. Era uma parte teimosa minha que permanecia viva mesmo depois de todo esse tempo, mesmo depois de tanto ter quebrado a cara por pensar e agir assim. Porém, depois de muito cair e errar por conta disso, finalmente aprendi que nem sempre devemos arriscar. Pensando nisso, me dou conta de que se eu não tivesse errado no passado, estaria agora num cenário completamente diferente, numa circunstância diferente, e até mesmo... feliz. E tendo um pouco mais de sorte do que eu mereço, estaria feliz com Lauren. Certas escolhas são difíceis de serem feitas. Afinal, é como dizem por aí: sempre que houver escolha, haverá dúvida.

 

Lauren P.O.V

É incrível como podemos planejar algo em nossa cabeça milhares de vezes e ver aquilo acontecer de forma totalmente inesperada, caso tenhamos a sorte (ou não) de ver acontecer, porque quase nada na vida acontece da forma que imaginamos, essa é a verdade. E o maior exemplo disso estava acontecendo comigo esta noite. Eu não seria capaz de dizer com exatidão o números de vezes que imaginei um reencontro com Camila, ou que pensei em tudo o que eu gostaria de dizer para ela e até mesmo o resultado disso tudo. Mas eu posso afirmar que de todos os possíveis cenários e circunstâncias para esse momento, esse não era um deles. E eu simplesmente não posso manter afastados da minha cabeça os pensamentos sobre como isso foi acontecer, sobre o motivo dela estar aqui ou a razão pela qual eu estou fazendo isso. Tantas coisas passando por minha cabeça que eu tenho a sensação de que a mesma pode explodir a qualquer momento.

Para mim não restava dúvida alguma sobre isso, mas agora eu podia ter definitivamente toda certeza do mundo de que era ela e sempre fora a causadora de toda mudança que havia acontecido comigo. Todo esse vazio em meu peito, tudo o que sempre faltara, era ela. Mesmo sabendo de tudo isso, mesmo nunca tendo deixado de amá-la e admitindo isso dolorosamente pra mim mesma depois de tanto tempo, eu não posso simplesmente esquecer de tudo o que aconteceu. A dor ainda permanece alojada em meu peito e desde que ela foi embora, a cada dia se faz mais presente. Ao encontrá-la ali, fui tomada por muitas lembranças, boas e ruins, do começo ao fim de tudo o que passamos, o que consequentemente me fez sentir muitas coisas. Sentimentos que eu nem mesmo sabia que existiam e agora isso me preocupa muito porque é algo que não devia ter acontecido, ela não devia me causar nada, não depois de todos esses anos, não depois de tudo.

Ela continua simplesmente linda e eu posso dizer que nunca vi alguma mulher como ela em toda minha vida, devido a toda minha experiência com mulheres, posso facilmente ter essa opinião. Assim como ela, também me sinto tensa e é como se estivesse com uma mulher pela primeira vez, mesmo sabendo que essa é uma grande mentira. Conforme fui crescendo, chamava cada vez mais atenção das mulheres e muitas vezes de homens também, mesmo que eu nunca tenha me interessado por eles. Eu nunca liguei muito pra isso, sempre fui muito tímida, muito quieta, diferentemente das outras meninas. Eu sabia que poderia ter sempre a mulher que eu quisesse e como quisesse, mas não me vangloriava por isso. Obviamente eu sabia o motivo de tê-la trazido ou talvez eu esteja usando isso como uma desculpa para o fato de que não sei o que fazer e de que me encontro totalmente perdida com ela aqui. No meu mais profundo interior, sei que não haverá outra oportunidade como essa para finalmente resolver tudo o que aconteceu entre nós duas. Qualquer outra pessoa em meu lugar, faria de tudo para evitar um momento como esse, mas eu simplesmente não podia perder a oportunidade de recuperar minha paz e me livrar de tudo isso. Fisicamente ela havia ido embora, mas eu conseguia sentir cada parte sua comigo mesmo depois disso, em cada momento, e já não conseguindo lidar com a presença de sua ausência, eu me perdi e agora era a hora de me encontrar e deixar finalmente o passado para trás. Eu não podia adiar ainda mais toda essa situação, não quando haviam tantas feridas ainda abertas em meu peito.

O tempo havia passado e muita coisa havia mudado, principalmente em mim e em tudo ao meu redor e sei que o mesmo aconteceu com ela, e pelo que vejo, eu nem posso imaginar o quanto as coisas estavam diferentes pra ela agora.

Assim que termino de preparar as bebidas, me viro para ela e a encontro olhando para a sala admirando um quadro em uma das paredes, um desenho cego que formava um corpo feminino, para ser mais exata. Aquele era um dos meus quadros preferidos, simplesmente por permitir que fosse visto ali muito além o que a imagem mostrava, para quem realmente quisesse ver, é claro, e eu podia ver que ela via além. Percebendo que ela ainda não havia notado minha presença ali, fico um tempo a observando de longe, perdida em seus pensamentos. Ela era realmente linda. Uma beleza diferente, encantadora. Mas sem deixar que isso me distraia, vou até ela.

- Pronto. Aqui estão. - Ao ouvir minha voz, se vira um pouco assustada, mais uma vez estava perdida em sua mente, o que me faz desejar saber o que se passa em cabeça. Vejo que ela observou a diferença entre as bebidas e vendo sua reação àquele líquido em seu copo, percebo que velhos hábitos não morrem. A vodca em meu copo era a prova viva disso, e ao que parecia, vinho ainda era sua bebida preferida. A observo passar a língua por seus lábios e eu desejo provar o vinho diretamente de sua boca, misturado com seus gosto e me praguejo mentalmente por esse pensamento. Ela só está aqui há menos de dez minutos e minha mente já viaja apenas com sua presença. É inacreditável!

Essa será realmente uma noite longa e para mim e está apenas começando, e mesmo não tendo como escapar de um passado tão presente como Camila, essa noite não será esquecida por ela tão facilmente. Essa é minha grande chance e eu não vou desperdiçar nem um segundo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Beijos e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...