História Give Love a Try - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Demi Lovato, Fifth Harmony, Miley Cyrus
Personagens Demi Lovato, Miley Cyrus
Tags Camren, Diley, Dilmer, Justemi
Visualizações 226
Palavras 2.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Você que sabe, Miley.




Miley

– Sabe, eu achei que iria aparecer no apartamento das meninas hoje.

Lauren atirou o corpo em minha cama, deitando de barriga para cima e com as mãos abaixo da cabeça. A mesma se sente em casa quando chega aqui, meus pais só faltam chamá-la de filha.

– Não estou afim.

Dei de ombros, sentando na cadeira que havia em frente ao meu computador.

– Eita, que desânimo é esse. - Lauren sentou para me encarar melhor. – Pensei que queria pegar a ruivinha pra você.

– Ela perguntou de mim? - negou. – Pois é.

– Não entendi.

– Não aguento mais ir atrás dela, mando mensagens, quero saber como ela está e como foi seu dia, enquanto ela só me responde. Ela está diferente, não corresponde mais minhas investidas.

Suspirei, era a verdade. Demi parece que não me da a mínima, nem ao menos pergunta quando vamos nos ver, as vezes sinto como se a incomodasse e isso é horrível.

– Camila me contou que ela é muito insegura e você vacilou ao pressioná-la sobre sexo, vamos admitir.

Lauren repreendeu.

– Só cansei de correr atrás dela. Vou a uma festa hoje, o que acha?

– Camila me mata. - revirei os olhos com sua covardia. – Convida a Megan.

– Vou convidar, com certeza.

Sorri de forma forçada em sua direção, não estava feliz com isso. Queria estar com Demetria e que ela quisesse estar comigo, talvez ir para uma festa comigo para nos divertirmos.

– Convida a Demi.

– Convidar? - franzi a testa e Lauren assentiu. – Ela não vai querer.

– Exatamente, ai você fala que vai convidar a Megan. - piscou em minha direção. – Tenho certeza que ela vai demonstrar algo.

– Duvido.

Revirei os olhos. Lauren pegou em meu celular, aproximei-me dela e encarei a tela vendo a morena ir até as mensagens que troco com Demi.

– Vamos ver o que acontece.

“Hey, ruiva. Vou a uma festa hoje, o que acha de ir junto?”

– Sabe até como eu a chamo.

– Você só chama ela assim, Miley. - revirou os olhos e o meu celular vibrou em suas mãos. – Uh, ela é rápida.

“Oi, loira. Não estou no clima, desculpa.”

– Viu, ela poderia falar para fazermos outra coisa, mas não.

– Calma.

“Ok, vou ver se Megan vai comigo, tudo bem?”

“Você que sabe, Miley. Só se cuide…”

– Sabia! Ela nem ligou.

Levantei da cama, talvez seja melhor desistir.

“Você que sabe, Miley”. Quando uma mulher fala isso, não faça isso. - ela riu. – Demi morre de ciúmes de Megan.

– Vou esquecê-la, nem que seja por hoje a noite afinal, eu preciso transar.


– Qual é, Miley?

Megan aproximou-se da mesa em que eu estava sentada, não estava tão afim assim da festa. A verdade era que nem a morena estava me interessando hoje.

– Cheia de mulher te querendo e você negando todas.

– Megan, eu não to no clima.

Peguei meu copo de bebida, tomando um gole.

– Vou pegar algo que vai te animar, juro.

Sorriu empolgada, neguei revirando os olhos, sabia o que ela iria conseguir. Drogas. A mesma saiu em disparada, levantei andando um pouco pelo camarote. Com o copo em minha mão encostei-me na grade, dando uma visão perfeita da parte de baixo da boate. Sábado, era óbvio que estava lotada e eu via tantas mulheres me olharem e cochicharem que era até ridículo. Todas interessadas apenas em uma coisa.

Relaxei os ombros ainda observando o pessoal, bebendo mais um pouco. A música alta estava quase me deixando atordoada, talvez eu tenha enjoado um pouco dessas festas ou estou ficando velha. Minha vibe foi interrompida, mãos pequenas foram postas sobre meus olhos. Só podia ser Megan.

– Por acaso está sozinha?

Um sussurro bem pertinho de meu ouvido, tudo que foi preciso para que eu me arrepiasse dos pés a cabeça. Aquela voz tão inconfundível… Não podia ser. Peguei em uma das mãos que estava em meus olhos e cheirei o pulso, sentindo o perfume de Demi ali. Eu não poderia estar delirando mais uma vez. Virei meu corpo de imediato, encarando os castanhos e vendo um sorriso nos lábios da ruiva.

– Deus! O que está fazendo aqui?

– Pensei que ficaria feliz.

Fez beicinho, colocando seus braços sobre meus ombros.

– É claro que estou. - meu braço livre rodeou sua cintura. – Que surpresa boa!

Nós sorrimos juntas. Ainda era difícil acreditar, mas ela realmente estava ali na minha frente, sorrindo para mim. Fechei meus olhos por alguns segundos, para ver se quando abrisse ela ainda estivesse aqui e como em um sonho, Demi tocou seus lábios nos meus em um selinho demorado.

– A noite é nossa, ok? - sussurrou sobre meus lábios afastando-se logo em seguida. – Sem bebidas, podemos nos divertir sem isso.

A ruiva pegou o copo que estava em minha mão, a observei se afastar o levando de volta ao bar que não estava muito longe de nós. Só então, reparei em seu vestido preto e colado no corpo. O mesmo em que nos vimos pela primeira vez, estava gostosa demais.

– Miley.

Arregalei os olhos ao ouvir a voz de Megan. Encarei os olhos claros e então, vi sua mão aberta com pequenos saquinhos de droga.

– Consegui para nós.

Sorriu, se orgulhando de tal feito.

– O que é isso? - fechei os olhos ao ouvir Demi. – Você está usando, Miley?

– Não, eu juro. - a encarei. – Eu nem queria ficar nessa festa, Demi.

Tentei passar toda minha verdade para ela, a ruiva ficou olhando em meus olhos e eu estava com medo do que viria a seguir, mas a mesma me surpreendeu virando para encarar Megan.

– Ela pode muito bem se divertir sem isso. Qualquer um pode. - sua mão tocou a minha. – Miley não precisa disso e muito menos de você.

Demi falou na cara de Megan, deixando-me apavorada. A mesma não esperou resposta e me puxou, olhei para a minha amiga murmurando um “desculpa” com certeza ela ficaria chateada, mas Deus. Olha o jeito que essa mulher falou, foi tão sexy vê-la dando uma de durona na frente de Megan.

– Ei. - abracei o corpo da ruiva por trás. – Não sabia que era brava assim.

Sussurrei em seu ouvido. Demi virou seu corpo de frente para mim, sem sair de meus braços. Suas mãos tocaram na gola da minha camisa puxando-me para perto.

– Você não me viu brava ainda, baby.

O movimento de seus lábios marcados por um batom me fizeram ofegar, tudo nessa mulher no dia de hoje esbanjava luxúria.

– Baby, uhn?! Gostei.

– Chega de falar.

Beijou meus lábios, não dando nem tempo de eu responder qualquer coisa. Apertei sua cintura, aprofundando nosso beijo e Demi mexeu seu corpo, abraçando meu pescoço. Era realmente difícil acreditar que aquilo estava acontecendo. O beijo não demorou muito, a ruiva o cortou mordendo meu lábio e me puxou para que fossemos dançar.

Como estávamos na parte de baixo da balada, precisavamos andar de mão. Não era sacrifício nenhum para mim e para Demi também não parecia. Esbarravamos em várias pessoas por conta do local estar muito cheio, mas nem liguei. Qual é? Demi está aqui. Comigo.

– Aqui está ótimo.

Demi praticamente gritou em meu ouvido por conta da música alta. Concordei, estávamos no meio do salão. A ruiva não demorou a balançar seu corpo no ritmo da música e eu a acompanhei, era ótimo a ter tão perto e tão… Solta. Nós estávamos nos divertindo, fazíamos palhaçadas uma para a outra, dando muitas risadas.

Bom, até tocar Beyoncé e o clima mudar completamente. Drunk in Love chega a ser a música que mais me excita e parecia que o Dj e Demi sabiam disso. Um sorriso sacana brotou nos lábios da ruiva, a mesma virou seu corpo de costas para o meu e eu suspirei ao ver seu rebolado, sem ao menos encostar em mim.

A voz de Beyoncé e Demi dançando ali na minha frente só para mim, estavam me deixando até mesmo fora do controle. Aproximei meu corpo do seu, a ruiva rebolou ainda mais dessa vez esfregando sua bunda em mim e me fazendo arfar. Soltei um gemido quando a mesma rebolou bem em cima de meu membro. Minhas mãos foram a sua cintura e eu colei seu corpo no meu a impedindo de continuar.

– Não faça isso, Lovato. - pedi excitando-me a cada segundo a mais que ficavámos próximas. – Eu realmente não quero fazer nenhuma bobagem.

Ela ficou de frente para mim, nossa altura era a mesma por conta do salto então, conseguiu facilmente chegar ao meu pescoço dando leves beijos.

– Estou adorando provocar você, baby. - fechei meus olhos com sua voz manhosa em meu ouvido. – É ótimo te ver toda entregue.

Mordeu o nódulo de minha orelha, me fazendo respirar fundo para controlar qualquer tipo de atitude que passe dos limites. Não queria fazer a mesma bobagem de antes, estou enfrentando isso quase que como um teste feito por Demi. 

– Você é gostosa demais, ruiva.

Senti seu sorriso sobre minha pele, ela estava feliz com o que causará em mim. O rosto da mais baixa, ficou de frente para o meu, não demorou nem dois segundos para que estivéssemos nos beijando novamente. Nem consigo pensar em quem se aproximou primeiro, quando percebi os lábios estavam juntos, minhas mãos em sua cintura e as suas em meus cabelos. Um beijo quente que deixou-me ainda mais animada, tanto que meu amigo começará a dar um sinal de vida. Aproveitei que o ar estava faltando para separar Demi devagarinho de mim, deixando selinhos em seus lábios.

– Melhor pararmos.

Sussurrei em seu ouvido.

– O que houve?

– Estou animada demais!

Falei envergonhada por tal coisa, ainda bem que as luzes eram apenas aquelas que piscavam e era difícil chegar algo ali dentro principalmente o início da minha ereção.

– Oh… - ela riu. – Me desculpe.

– Tudo bem, ruiva.

Estalei um selinho em seus lábios. Dançamos mais uma pouco, dessa vez sem provocações. Era óbvio que a mulher só queria brincar um pouco comigo e não tinha intenção nenhuma de ir para a cama, mas já era madrugada quando a mesma colou nossos corpos mais uma vez e sussurrou em meu ouvido:

– Me leva pra sua casa?! - a encarei não acreditando no que estava ouvindo. – Ei, só quero dormir, ok?

Fingi um desapontamento, na verdade, não era tão fingimento assim. Demi declarou estar cansada e eu concordei em levá-la para minha casa, nem me despedi de Megan, apenas sai com a ruiva de mãos dadas da boate pensando em como seria dormir com ela depois disso tudo.

– O que deu em você hoje? Por que decidiu ir a festa?

Bombardeei Demi de perguntas enquanto dirigia para minha casa. A mesma estava sentada de lado no banco do carona, só para poder me olhar melhor.

– Precisava me divertir… - pausou por alguns segundos. – E bom, eu estava com saudade.

– Saudade? Você? - ri comigo mesma enquanto dirigia. – Saudade de mim, uhn?!

– Você sabe que sim.

– É, eu sei. - sorri convencida. – Só queria que você admitisse.

– Idiota.

Neguei rindo, posso jurar que a mesma revirou os olhos nesse momento. Percebi uma movimentação ao meu lado, não demorou para que Demi encostasse sua cabeça em meu ombro e sua mão tocasse meu braço fazendo um leve carinho.

– Talvez. - murmurou parecendo não ter coragem de falar algo. – Talvez eu não quisesse deixar você sozinha com Megan.

Falou baixinho, só ouvi porque a mesma estava bem pertinho de mim. Sorri largo vendo que pela primeira vez ela estava admitindo seu ciúmes.

– Oh, Lovato. Você por acaso, ficou com ciúmes?

– Não, mas viu que cheguei na hora certa? Não acreditei quando vi ela com drogas.

– Você poderia admitir só uma “vezinha”, por favor.

Pedi, ignorando totalmente o que ela falou.

– Não vou te dar esse gostinho, Cyrus.

Dei de ombros, não me importando. No fundo, ela havia admitido sim estar com ciúmes. Pelo menos, para mim havia. O resto do caminho foi em silêncio, apenas curtindo a música que dava no rádio e observando nosso caminho. Não demorou muito a chegar na minha casa, não era tão longe assim.

Coloquei o carro na garagem e agradeci mentalmente por ser madrugada, assim meus pais não precisam encher o saco sobre Demi. Nunca trouxe mulheres aqui em casa, nem mesmo Megan que conhece minha família. Nunca levei nenhuma para dormir no meu quarto.

– Seu quarto é grande.

A ruiva comentou assim que adentrou o mesmo, tirando seus saltos. Ela observava cada cantinho do local.

– Um pouco. - dei de ombros. – Quer uma roupa?

– Pode ser só uma camisa sua, não gosto de dormir com muita roupa.

– Ta bom.

Procurei uma camisa limpa minha e alcancei a ela, apontando para onde era o banheiro. A mesma foi se trocar e eu aproveitei para me trocar ali, ficando apenas de cueca box e um top. Joguei-me na cama realmente cansada e extremamente feliz com a noite de hoje. Demi ainda demorou um pouco, depois percebi o porque, ela voltou completamente sem maquiagem e com os cabelos amarrados em um coque.

– Ficou linda.

Não consegui evitar de elogiar, ela realmente estava linda ainda mais vestindo uma roupa minha. Ficou tão pequena dentro de minha camisa. Seu rosto ruborizou enquanto ela sentava ao meu lado.

– Você é tão pequena. - toquei em seu nariz e ela revirou os olhos. – Eu gosto de te chamar assim, sabia.

– Pode me chamar do que quiser, eu achei fofo.

Sorriu, enfiando seu corpo embaixo da coberta e junto com o meu. Demi aproximou-se um pouco e logo arregalou os olhos provavelmente sentindo que eu estava quase nua.

– O que está vestindo?

Franziu a testa.

– Cueca e top, tudo bem pra você?

– Claro, sem problemas.

Tentou transparecer o mais calma possível, mas eu conseguia ver em seus olhos e movimentos que a mesma estava nervosa. Levantei rapidamente, sendo observada por Demi, apaguei a luz do quarto deixando apenas meu abajur aceso. Voltei a me deixar do lado da ruiva, essa por sua vez virou de costas para mim e eu entendi como uma deixa, abraçando seu corpo por trás.

– Boa noite, pequena.

Sussurrei em seu ouvido, sentindo sua mão tocar a minha.

– Boa noite, baby.




Notas Finais


Alguém vai conhecer os Cyrus...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...