1. Spirit Fanfics >
  2. Give Me Love - Norenmin >
  3. Respostas para ambos os lados

História Give Me Love - Norenmin - Capítulo 22


Escrita por: starrjun

Capítulo 22 - Respostas para ambos os lados


Quando pisou em sua casa apenas seguiu direto para sua filha, ignorando Jaemin que abriu a porta para si ou sua mãe que estava na cozinha, abriu a porta do quarto de Hyein, aonde a garota brincava com o avó de algum jogo de cartas e sentou ao lado de sua pequena princesa, a abraçando a garota pequena e delicada a medida do que era permitido, sabia que se apertasse demais poderia causar algum mal a sua pequena, e jamais faria nada por seu mal, sua filha era tudo para si!

- Papai, eu amo você, mas eu estava quase ganhando do vovó - A pequena inflou as bochechas irritas, e Renjun apenas fez um carinho em seu rosto fofo, a cópia de Jaemin, sua pequena princesa era a coisa mais linda do mundo, seria capaz de tudo por sua pequena - Senti sua falta na hora de dormir, mas o Nana dormiu comigo e eu fiquei bem.

- Você se machucou boneca? - Olhou por todo corpo da filha preocupado, procurando algum engessado, algum roxo, qualquer coisa que fosse - Você sabe que não pode dormir com ninguém meu amor, é perigoso.

- Eu sei, mas o Nana só queria me tranquilizar, e ficamos os dois bem paradinhos - A pequena fez um bico extremamente fofo, que foi beijado e abraçado por seu pai, arrancando risos fofos da criança - Papai, amo você, mas agora quero jogar.

- Tudo bem meu amor, se diverte, e ganha todas do vovó tá? - A garotinha concordou e voltou para o tabuleiro que divia com o avó, o qual beijou a testa de Renjun antes que o garoto levantasse e saísse do quarto.

Passou da sala para a cozinha sem sequer dirigir uma palavra a Jaemin, precisava organizar rapidamente sua cabeça para conta-lo sobre tudo, e tinha que ser o mais cedo possível, porque dentro de uma semana estaria embarcando em um vôo para Xangai sem qualquer previsão de volta possível.

- Seja lá o que você aprontou, espero que não interfira um dedo na sua decisão de mais cedo - Assim que parou em frente a sua mãe, abraçou a mulher com força, fazendo um carinho gostoso nos fios escuros do único filho - Eu e seus pais estamos aqui para cuidar de você, não se preocupe com mais nada além disso tudo bem? As coisas de Hyein e as suas podemos arrumar, apenas se prepare da melhor forma, você sabe como mudar de país é complicado.

Enquanto falava, sentiu seu ombro ficar molhado, não era bem uma novidade que seu filho era bastante emotivo, só que Renjun mostrava aquilo ao mínimo, era como um super segredo que ninguém além dele mesmo poderia saber, mas no momento era somente do abraço da mãe que precisava, para tirar tudo de si, o peso de criar a própria filha, o cheiro de Jeno da noite passada, a culpa de separar Jaemin da filha que ele acabou de conhecer, era como se fosse tudo uma pedra caindo encima de si, e somente o abraço maternal conseguia suprir aquela dor.

- Podemos começar a empacotar tudo amanhã, até sábado estamos com tudo no mais perfeito estado e podemos ir - Limpou as lagrimas e forçou um sorriso, tendo o rosto acariciado por sua progenitora - Vai ser bom voltar para casa, Hyein vai poder praticar mandarim, ela vai amar a escola nova.

- Minha neta vai tirar tudo de letra, ela é tão inteligente quanto o pai - Sorriu fraco, mas era sincero, sua mãe poderia ser chata e rígida o quanto fosse, mas quando se tratava de si, a mais velha sempre era cuudadosa em doses fortes - E poderemos buscar medicos mais especializados para ajudar no tratamento, estar em casa sempre abre mais um leque de opções meu amor.

- A senhora sempre tá certa mamãe - Se soltou do carinho maternal e caminhou novamente até a sala, onde Jaelin esperava por sua explicação com a maior calma do mundo, sabia como era injusto deixar o garoto a deriva de tudo que estava acontecendo - Podemos conversar no meu quarto? Não são coisas que eu gostaria que a minha mãe ouvisse, além disso, eu preciso trocar de roupas.

-Como quiser - Foi curto, o que surpreendeu um pouco o chinês, afinal esperava algo mais doce vindo do Na, mas não lhe tirava a razão, eram dias exaustivos que ele esperava para que Renjun decidisse assumir um relacionamento unicamente com ele, e depois de não entender nada do que estava acontecendo, se sentia extremamente irritado.

Renjun trancou a porta de seu quarto, tirando aquela roupa elegante e pesada que tinha escolhido para a noite passada e colocando seus pijamas leves, estavam quase na metade do dia e ainda pretendia aproveitar seus pais e sua filha, quer dizer... Se tivesse algum ânimo depois daquela conversa.

- Por onde eu começo... - Pensou em mil formas de dizer aquilo no caminho, mas agora parecia que todas estavam fugindo de si, não entendia nada com nada em sua cabeça, então apenas declarou que iria com tudo e desde o começo - Você disse que descobriu sobre Hyein com as cartas que a mãe dela, Minhee, mandou a você, então era algo que estava em seu destino, e você se mostra incrível em se empenhar para segui-lo, digo... Você sempre está presente para tudo que Hyein precisa e é uma das coisas que eu mais admiro, a forma como você simplesmente abriu mão de tudo pela sua filha sendo que nem sabia se ela iria aceita-lo ou não.

- Eu sempre deixei claro como ela era tudo, nunca estivo disposto a receber um não, sei dos meus direitos como pai e você também, estou aqui para cumprir um papel - Renjun respirou fundo, nada daquilo era apenas sobre si, mas ainda era complicado demais refletir sobre tudo aquilo de forma tranquila, estava mais que na hora de parar de pensar e soltar tudo.

- Você é um pai excepcional e não tem como negar... Mas eu também vou fazer de tudo pela minha filha, e antes de qualquer outro juramento, o mais importante é que eu prometi que nunca iria me afastar dela - Respirou, soltou, e repetiu muitas vezes a frase que havia treinado em sua cabeça - Assinei o divorcio, optamos por guarda compartilhada, mas deixei claro para ele que tudo seria a meu favor.

- Isso é ótimo Renjun, finalmente vamos poder ficar juntos sem... Sem eu pensar que você se arrepende disso, eu sei que são motivos muito babacas, mas o que eu posso fazer se...

- Eu vou embora do país no fim de semana e vou levar Hyein comigo, e nada do que você fizer vai me impedir - Soltou de uma vez, sentindo um enorme alívio em seguida, Jaemin ainda exibiria alguma reação, mas por momento a melhor coisa do mundo era ter falado tudo - Não adianta começar alguma ação judicial, eu tenho documentos assinados por Minhee e ela mesma me disse que pode vir a tribunal dizer que abre mãos da guarda da filha para que eu, e somente eu, possa assumir.

Jaemin estava chocado, não precisava perguntar, ela só olhar para o garoto para ver o quão surpreso ele havia ficado com aquela chuva de informações, não esperava e não queria que fosse assim, mas tinha que ser de algum jeito.

- Renjun... Você não acha que está tomando decisões por impulsão e que vai acabar se arrependendo amanhã ou depois? - Foi a primeira coisa que Jaemin conseguou falar depois de muito tempo calado, não cobraria nada agora, sabai que o mmento era tenso - Digo... Não é melhor pararmos por mais de cinco minutos e pensarmos?

Jaemin podia ser apenas um fotógrafo de celebridades desocupado e esperando alguma grande oportunidade cair em seu colo, mas não era nada bobo, estava claramente tentando ganhar tempo para bolar estratégias para que o chinês que continha a guarda de sua filha mudasse de opinião, não apenas por Hyein, mas sim porque estava apegado, não queria perder os carinhos, os momentos fofos e dengosos que tinha junto a Huang.

- É aí que mora a droga do problema, eu pensei durante muito tempo da minha vida Jaemin - O chinês levantou, suspirando e andando para um pouco mais longe que o fotógrafo - Eu quero recomeçar de um lugar onde eu não faça ideia do que vai acontecer, mas eu não irei mais ter problemas com nada, não existiria divórcio ou traição, seríamos apenas eu e Hyein seguindo uma boa rotina pela semana e saindo aos fins de semana para algo que nem nos mesmo sabemo.

- O que você pede é basicamente uma família - Tentou se aproximar, mas novamente Renjun negou e andou para o outro lado - Podemos ter uma família aqui Renjun, você sabe que podemos.

- Não podemos Jaemin, eu não posso simplesmente seguir minha vida como se nós não tivessemos acontecido da forma que foi e com a proporção que tomou - Bateu o pé e ficou mais próximo da porta ainda - Eu amo Jeno, ele foi meu primeiro de muitas coisas e me ensinou muitas outras, eu não posso fingir que nada entre nós aconteceu, eu também te amo e quero você junto de nós a cada segundo, mas sei que essa droga nunca vai acontecer porque ele tem cabeça dura demais para perceber o quanto eu desejo os dois.

Jaemin estava literalmente congelado.

Renjun disse que lhe amava.

E aquilo era a resposta que precisava, mais que todos os pedidos de casamento e o que mais inventaram.

Se Renjun o amava estava tudo certo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...