História Giving Up On You - ( Imagine Kyungsoo - Exo) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Visualizações 43
Palavras 2.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Luta, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - I hate loving you


Quando eu havia terminado de tomar café, Chanyeol adentrou a cozinha e se sentou no balcão me olhando lavar a louça que eu havia sujado. Olhei para ele e limpei minhas mãos com obpano de prato, dando assim, um sorriso gentil para o mais novo.

— O que foi? – Eu perguntei.

— Eu queria ver como você estava, creio que ainda não está bem... – Ele disse e eu desfiz meu sorriso. 

— Eu estou muito longe de estar bem, Chanyeol. – Pronunciei me aproximando dele. – Mas eu ficarei bem.

— Mentirosa. – Ele se levantou assim que eu iria tocar seus cabelos. – Você sempre diz isso quando está triste, mas no final, você se magoa mais ainda!

— Chany- – Quando eu iria pronunciar seu nome ele saiu correndo da cozinha com os olhos cheios de lágrimas. 

— Está sendo difícil para ele processar tudo o que está acontecendo. – Ouvi a voz de Baekhyun. – Ele confiou em Kyungsoo ao deixá-lo se casar com você, mas no final, Kyungsoo estragou tudo. – Baekhyun pegou no meu ombro e me puxou para um abraço. – Chanyeol considera você como uma irmã mais velha que ele quer cuidar. 

— Me desculpem. – Afundei o rosto no peito de Baekhyun. – Eu só trouxe mais problemas para vocês. 

— Você é uma idiota mesmo. – Ele riu. – Você jamais seria um incômodo. 

— Mas...

— Agora cala a boca. – Ele me abraçou mais forte.

Ouvimos a campainha tocar suavemente, nos separamos e fomos para a sala. Quando estávamos lá, todos os meninos haviam vindo ao mesmo tempo para atender, menos Chanyeol que estava sentado no chão da sala chorando. A porta foi aberta, revelando o rosto do homem que eu menos queria ver nesses últimos dias. Seus olhos se encontraram com os meus, me dando ânsia de vômito, meu coração doía somente de olhá-lo. Meu estômago começou a revirar, eu sai correndo para o banheiro com a mão sobre a minha boca. Quando eu estava dentro do cômodo, abri a tampa da privada joguei tudo para fora junto com as lágrimas que começaram a cair. Maldito seja. Você não sabe o quanto eu estou com nojo e raiva de você. Dei descarga no vômito e vi Sehun adentrar o banheiro junto com Chanyeol, lavei minha boca e minhas mãos antes de sair do banheiro.

— Você está bem? – Sehun tocou meu ombro.

— Sim... – Passei as mãos sobre o meu rosto limpando minhas lágrimas. 

— Se você quiser, pode ficar no quarto até ele ir embora. – Eu concordei com a cabeça olhando para o mesmo.

Sai do banheiro e fui direto para o meu quarto, não olhei para trás, mas podia sentir seu olhar sobre mim o que, de certa forma me deixava desconfortável. Eu jamais havia pensado que Kyungsoo seria capaz de me trair, eu confiei tanto nele para no final meu coração ser despedaçado da pior maneira possível. Ao invés de me trair, por que ele simplesmente não me deixou? Você fez da pior maneira possível.

— O que você quer? – Ouvi a voz de Chen.

— Eu vim terminar de pegar mimhas coisas, não se preocupem, eu jamais entrarei nessa casa novamente e muito menos tocarei nela novamente. 

Ouvi passos pesados em direção ao quarto, me escondi embaixo da cama para não see vista por Kyungsoo. Quando ele entrou no quarto, vi seus pés indo para o guarda-roupa. Ouvi seu celular tocar assim que ele parou em frente ao guarda-roupa. 

— Alô?

— Filho? Eu preciso que-

— Precisa do que?! Já não foi o suficiente em ter acabado com o meu casamento?! Olha, vê se me deixa em paz.

Ele desligou o celular, me assustei quando ele jogou o celular no chão. A parte de trás do celular veio parar logo perto do meu corpo. Agora sim, ele iria me ver. O vi jogar uma das malas dele sobre o chão e a abrir, o mesmo colocou todo o resto de suas roupas dentro da mala. Dessa vez não havia sido o celular dele, pelo contrário, era o meu que esgava encima da cama. Kyungsoo veio até a cama e parecia ter o atendido.

— Filha! Você está bem? O Sehun me contou o que aconteceu, eu não pude ir na Coréia pois tenho coisas para resolver aqui no Brasil. 

— Ah, Senhora (S/M)... É o Kyungsoo,  eu não sei onde a (S/n) Está.  Me desculpe. 

— Meu filho... O que aconteceu com você? Eu não o reconheço mais. Você não é o mesmo de antes.

— Eu sinto muito... Eu realmente sinto muito.

— Você não tem que pedir desculpas a mim, mas sim a ela. 

Eu fiquei perdida em todas as coisas que eles falavam, fechei os olhos por alguns instantes e notei que estava tudo quieto. Olhei para ver se Kyungsoo havia saido, foi quando senti meus pés sendo puxados para sair debaixo da cama. Quando eu sai de baixo da cama, Kyungsoo estava encima de mim com as mãos sobre o chão me olhando sério. Eu acabei acertando um tapa sobre o rosto dele fazendo o mesmo ficar imóvel por alguns segundos.

— Me desculpe. – Ele disse voltando a olhar para mim.

— Isso é por fazer te amar demais. – Eu acertei outro tapa nele. – Isso é por ter me feito de idiota! – Acertei outro tapa do outro lado do rosto dele. – Eu estou com tanta raiva de você. 

Sem que eu percebesse eu estava chorando, coloquei minhas mãos sobre meu rosto o tampando.

— Eu odeio amar você. 

Senti pingos cair sobre minhas mãos, quando olhei para Kyungsoo o mesmo estava chorando. Eu nunca havia o visto tão vulnerável assim, jamais havia o visto dessa maneira.

Me desculpe!

[...]

3 meses depois...

Noona, você engordou. – Sehun disse olhando para mim.

— E você está muito magro, né?! – Acertei um tapa na cabeça dele.

— Aiii

— Merda! – Eu corri para o banheiro.

Abri a tampada privada e vomitei novamente. Hoje já foi a terceira vez que isso acontece, eu estou doente ou algo do tipo? 

— Vamos para o hospital. – Suho disse. 

— O que? Nem pensar, já viu que horas são? – Eu disse limpando a boca. 

— 22:30. – Ele pegou no meu braço. – Vamos.

— Não. 

Eu me soltei. Quando iria sair do banheiro Jong-In apareceu na minha frente e me entregou uma sacolinha.

— O que é isso? – Perguntei. – São doces?! – Eu sorri alegre.

— Não. – Ele retirou uma caixinha de teste de gravidez.

— O que? Nem pensar! – Eu cruzei os braços. 

— Faça isso agora, ou você quer que eu force você a fazer? – Eu corei e tomei o teste da mão dele. – Boa garota.

Os meninos se retiraram do banheiro me deixando sozinha. Quanfo acabei de fazer, me sentei encima da tampa da privada esperando o resultado. Eu não posso estar grávida... Como isso aconteceu?

— Pronto?! – Chanyeol perguntou impaciente. 

— Sim.

Eles entraram no banheiro e veio até mim, ficamos aguardando para ver o resultado. Em poucos minutos o resultado havia aparecido me deixando de boca aberta. 

— O que? – Eu me levantei. 

— Positivo?! – Os meninos perguntaram impacientes.

Fui para frente do espelho do meu quarto e olhei para a minha barriga um pouco grandinha, passei a mão direita sobre a minha barriga sorrinso feito boba.

— Eu vou ser mamãe, é? 

♡~♡~♡~♡~♡~♡

Flashback 

Exatamente a três dias antes do término do relacionamento deles, depois de casados finalmente eles tiveram uma noite amorosa juntos. Eles tinham 3 anos de namoro e 1 de casados, nesse período todo Kyungsoo sempre achou que seria muito rápido para a mulher ainda ter relação sexual. Ele queria que fosse tudo no tempo dela, quando ela quisesse, quando ela estivesse certeza. Foi justamente naquela noite no escritório de trabalho de Kyungsoo. Eu irei contar a história, então venha comigo.

23:30

Estava muito tarde e (S/n) estava preocupada com o seu marido que não voltava para casa, hoje eles iriam jantar juntos, mas ele parecia ter se atrasado. A mulher impaciente resolveu ligar para ele, porém ele não atendia, o que de certa forma, a deixava mais preocupada. Então ela foi até a empresa em que seu marido trabalhava para procurar por ele.

Quando a mulher entrou na sala dele pode o ver dormindo confortávelmente sobre o sofá que havia no canto da sala. A mesma pegou o terno do mesmo e o colocou sobre o corpo de seu marido o tampando.

— Você é tão descuidado. – Ela sorriu beijando a testa do mesmo. 

 A mesma afirmou indo até a enorme janela que havia ali, seus olhos estavam sobre a lua cheia que brilhava. A mesma fechou as cortinas e foi até a porta com a intenção de ir embora, porém uma voz ecoou pelo local. 

— Amor, deite aqui comigo. – A voz de Kyungsoo a fez se arrepiar por completo. 

A moça retirou seus sapatos e caminhou até seu marido, sendo assim, ele a puxou para deitarem seu peito. Kyungsoo inverteu as posições deitando a cabeça sobre a barriga de sua esposa, assim voltando a fechar os olhos.

— Me desculpe por não ter ido para a casa mais cedo, eu acabei pegando no sono. – A mulher passou as mãos sobre os cabelos de seu marido.

— Está tudo bem, querido. 

O homem se levantou um pouco e colocou as mãos sobre o sofá, assim ele beijou sua esposa com desejo. Os lábios de Kyungsoo se encontraram com os dela iniciando um beijo calmo. Kyungsoo segurou na cintura de Sua esposa e se colocou entre as pernas dela a faze do arfar. 

O homem tocava a pele de sua esposa todo segundo. Seus lábios se separaram dos dela e foram para o seu pescoço dando beijos e mordidas a provocando. A mão da mulher foi para os botões do mesmo o retirando, sua camisa foi completamente jogada no chão pela mulher.

— Eu te amo. – O homem sussurrou no ouvido da moça e beijou o pescoço dela. 

Kyungsoo parou e a olhou por alguns minutos. Ele pensava em como era sortudo em ter ela ao seu lado, essa mulher sim ele deveria cuidar bem. A sempre o apoiou nas suas decisões boas e ruins, sempre deu opiniões qie ele precisva, sempre o aconselhou e sempre cuidou dele.

Kyungsoo retirou a blusa da mulher com cuidado, sendo assim o mesmo ele fez com o short da moça. A mulher onservava cada ação do seu marido com as bochechas cada vez mais vermelha. O homem retirou o sutiã dela, mas antes que pudesse ver seus mamilos ela os tampou com as mãos.

— A-Amor, eu estou com tanta vergonha! – Ela disse fechando os olhos engergonhada. 

— Se você não se sentir bem com isso podemos parar. – Ela negou com a cabeça. – Você sabe que não precisa ter vergonha, seu corpo é bonito, e mesmo se você estivesse alguma cicatriz no corpo ou até mesmo estrias eu jamais deixaria de amar você.

A mulher olhou para o lado e retirou as mãos dos seios, revelando seus seios médios. Kyungsoo retirou toda a sua part de baixo ficando apenas com a cueca, mas logo ele se despiu ficando completamente nu. O homem podia ver que a mulher estava nervosa com aquilo, claro, era a sua primeira vez. Kyungsoo beijou a mulher suavemente, tirando o nervosismo da garota, e mostrando para ela que ele seria carinhoso e que poderia confiar nele.

A mesma se sentiu mais segura, sendo assim, ele retirou a calcinha dela e começou a masturbar a si mesmo bem devagar. Com a mão direita ele segurou sobre o sofá, com a esquerda ele segurou toda a extensão do pênis até a entrada da intimidade dela ja começando a colocar aos poucos. A mulher agarrou o braço direito  dele e o apertou com força sentindo dor, Kyungsoo logo parou e viu que a mulher estava prestes a chorar.

— Está doendo... – Ela tentou se mexer mas acabou gemendo de dor ao sentir o pênis entrar mais por causa do seu movimento. – Amor, isso dói!

— Ei, ei, ei.– E abracei ela. – Está tudo bem, ok? 

Foi ai que eu tive uma idéia, sorri para ela beijanfdo sua testa. Então comecei a cantar um trecho de uma música.

Gavin James - Always

Você está na minha cabeça, ainda, em loop

E repito nossas esperanças e dúvidas

Eu prefiro engasgar com minhas más decisões

Então apenas carregue-os para o meu túmulo

Você está na minha cabeça

Sempre, sempre, sempre


Os dias, os meses, as lágrimas que ainda estão fluindo

Eles saem, voam para longe os pedaços do meu coração

Apenas remorso permanece

E um dia um brilho

Primeiro olhe e adore mergulhar

No azul dos seus olhos

As pequenas mãos dela foram para o sofá mostrando qie estava mais calma e qie eu ppderia prosseguir. Forcei um pouco mais e foi quando eu estava completamente dentro, senti uma pequena dose de líquido escorrer pelo meu pênis. Seu himen havia se rompido. Agora você é completamente minha, de corpo e alma.

Kyungsoo segurou as mãos dela entrelaçando os dedos, ele segurou as mãos dela contra o sofá. O homem deu o seu primeiro movimentos fazendo a mulher apertar a mão dele com força. Os movimentos dele eram devagares, porém ainda a machucava por dentro, seus gemidos eram de dores e seus olhos lacrimejavam.

Por outro lado, Kyungsoo estava completamente duro, estava dando tudo de si para não sair do controle e machucá-la. Ele se sentia tão apertado dentro dela que dava para sentir seu pênis até pulsando.

Depois de alguns minutos os movimentos ficaram um pouco rápidos, deixando todo aquels local fedendo a sexo. Kyungsoo estava todo suado, então o mesmo pegou a mão direita dela e a colocou sobre o peito dele.

— Está sentindo isso? – Ela sentia o coração dele bater rápido. – Isso é sua culpa, você me faz te amar cada vez mais, eu não posso ver você que o meu coração acelera. Eu te amo! 

Kyungsoo apenas concentrado nso movimentos, seus gemidos ficarm altos junto com os dela. Sem que ele percebesse acabou despejando o líquido de seu pênis dentro dela a assustando.

— Amor, o que é isso? – Ela olhou para baixo.

— Eu gozei dentro. – Ele disse. – Amanhã eu compro remédios. 

— Tá. 

Kyungsoo se retirou de dentro dela e colocou a cueca, o mesmo se deitou e puxou sua mulher pra se dritar no seu peito.

— Eu sempre te amarei, (S/N).






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...