História Gladiator - Capítulo 6


Postado
Categorias Mitologia Grega, Mitologia Romena, Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hiruzen Sarutobi, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Jiraiya, Kisame Hoshigaki, Konan, Pain, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shisui Uchiha, Tsunade Senju
Tags Deuses, Drama, Gladiador, Gladiadores, Guerra, Hentai, Imperador, Imperatriz, Império, Itachi Uchiha, Itakonan, Konan, Konoha, Lenda, Luta, Magia, Roma Antiga, Romance, Sasusaku, Songfic, Submundo, Traição, Vingança
Visualizações 61
Palavras 4.711
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Yooo Konan aqui! o/
Tudo bem com vocês? Espero que sim né. Bom, trago mais um capítulo para vocês, esse demorou um pouco devido a correria do dia a dia.
Enfim, esse tem um pequeno hentai, não sou muito boa nisso, mas tentei. O título significa: "Desejo proibido".
Espero que gostem, tenham uma boa leitura.

Capítulo 6 - Capítulo IV: Prohibitum Desiderium


Fanfic / Fanfiction Gladiator - Capítulo 6 - Capítulo IV: Prohibitum Desiderium


“O proibido me atrai, de uma forma que não consigo resistir. Vem com charme e sedução. Consequências? Eu deixo pra depois.”



Maria bonfá




A batalha finalmente chegou ao fim. O povo gritava como loucos, ao ver que seu amado gladiador continuou em pé, e o outro estava lá estirado no chão apenas esperando para ser cremado. A Ásia menor, fazia parte a partir de agora do grande império Romano, Pain não se cabia de tanta felicidade, é óbvio, depois de quase endoidar com cada golpe de espada que o Uchiha desviava. Como sempre, sua impaciência total em uma batalha, louco para ver a areia do coliseu ficar vermelha com sangue. Enquanto meu “amado” marido, infelizmente tenho que chamá-lo assim, comemorava com a vitória de Roma, meus pensamentos iam apenas em uma coisa. Seria uma longa noite pela a frente, a batalha de Itachi havia acabado por hoje, enquanto a minha estava para começar. Embora eu tenha esse pensamento, o Uchiha não parecia ter o mesmo, me olhava com desprezo da arena, ao decorrer do discurso furado do Pain. Não gosto que me desafiem, sou uma imperatriz, e meus súbditos devem respeito para comigo, não tolero nem ministros ou militares de patentes altas me desafiarem, para tolerar um mísero escravo. Pouco me importa se ele já foi general de meu pai, que já tive um sentimento infantil por ele, e ele ser o centurião da lenda, mesmo eu não acreditando nessas baboseiras, eu tenho que respeitar né? Resumindo, pouco me importa quem ele foi no passado, ele é agora um escravo e não tem autoridade alguma, para ter esse tipo de comportamento com sua imperatriz.




Mas, como ele me mostrou suas habilidades, e que é capaz de lutar pelo o meu império. Não custa nada, ele me dar a recompensa por eu ter apostado nele. A outra rainha, do império asiático, até tentou apostar nele, o olhando com outras intenções. Só que ela iria esperar sentada, já que eu cheguei muito antes, desde da última batalha onde ele matou meu ex-escolhido. E foi lá que dei meu veredicto, dando a ele a honra de ser meu novo escolhido. Por hora, tudo que sinto ao olhá-lo, é apenas desejo, aquela curiosidade de saber se ele é bom em todos os quesitos, e não só em uma arena. Deixei de lado aquele sentimento idiota de menina, agora ele servirá apenas para suprir minhas carências. Eu não acho do meu marido, então vou atrás de gladiadores qual é o problema? É claro que não é qualquer um.





-Hoje é seu dia de sorte minha senhora.






Sakura aparece ao meu lado. Com aquele sorriso, que eu também carregava no rosto. Diferente de Izumi que permaneceu calada, apenas observando aquela bagunça, que diabos está acontecendo com ela hoje? Está calada desde manhã, entre aspas, porque na hora da batalha ela gritava o nome de Itachi que nem uma louca. Olha só que engraçado Uchiha, você conseguiu ser o ídolo de minha serva, é algo que não dá pra entender, como um escravo tem fã? O Pain também tem as dele, onde eu também me questiono. Como alguém tem cabeça para ser admiradora daquela praga, mas ao contrário de Itachi, o meu marido é o imperador. Daí já temos uma explicação, o imperador pode vir do submundo com toda a maldade do mundo, mas ele ainda vai ser admirado pelo o seu povo. Bizarro isso, e não sei porque estou falando que isso é estranho, já que algo pior ao meu ver, mais peculiar ainda, acabou de tomar conta do ambiente. Aquela fala crucial de Pain, no pé do meu ouvido, que não me fez ter arrepios de prazer e sim de pavor.





-Quero que vá aos meus aposentos hoje. E não irei tolerar atrasos.





Ele saiu na minha frente como sempre, feliz devido a vitória e furioso por causa que o Uchiha não prestou reverências para ele, na hora que seu imperador “poupou” a sua vida. Nesse ponto eu terei que concordar com o Uchiha, se eu que sou sua imperatriz consorte, não tolero o Pain, imagine um escravo. Pra mim, esse atual imperador não merece reverência alguma, uma pessoa como ele, deveria está em um chiqueiro, mas não, coitados dos porcos, teriam que dividir a casa deles com aquela peste. A única coisa que fiz, foi dar um sorriso falso para ele, confirmando a minha presença em seu cubículo. Mal sabe ele, que irei fazê-lo dormir como pedra, já que tenho coisas melhores para fazer durante a noite, que ao meu ver será longa. Como esperado, Pain já se enfiou dentro de seu gabinete, solicitando a presença de Itachi lá, e o pior de tudo, me deu ordens para não comparecer na reunião deles. Quem ele pensa que é pra me tratar dessa forma? Ele só está nesse trono por minha causa, que deveria ser o contrário, sua pessoa seria o imperador consorte e eu a imperatriz do império, já que sou a herdeira legítima. Sinceramente não sei o que meu pai, tinha na cabeça pra passar o império para as mãos desse ser humano desprezível, ele só tem cabeça pra crescer cabelo. Mas isso não me interessa agora, estou em meus aposentos, procurando uma forma, para colocar algo na bebida do Pain. Bom, isso eu já decidi, uma porção feita de ervas que fazem dormir, embora eu queira uma para levá-lo a óbito, mas não posso por enquanto. A luz da lua tomou conta do ambiente onde me encontro, não pude evitar um sorriso, ela é meu amuleto de sorte, e toda vez que ela dar o ar de sua graça, tenho uma certeza que algo bom acontecerá. E tive razão enquanto a isso, pois Izumi logo adentrou meu quarto, com um pequeno lenço em suas mãos, onde eu sabia que escondia o meu segredinho.




-A porção que pediu minha senhora.-Diz ela com todo o cuidado, olhando para todo o canto, enquanto tirava o lenço revelando aquele pequeno frasco.-Quer que eu a coloque na bebida dele?




-Não Izumi, isso eu mesmo farei.-Digo olhando aquela belezura, que não tinha tamanho ou cor, era totalmente inútil, aos olhos de outros. Mas para mim, que domino a arte da cura, era muito poderosa.Com um sorriso leve em meu rosto, voltei minha atenção a morena que estava em minha frente.-Quero apenas, que avise ao Uchiha que irei aos seus aposentos essa noite.  E que é uma ordem me receber.




-Claro minha senhora. Farei isso imediatamente.






Izumi se curvou a mim. E se retirou do quarto rapidamente, e Sakura a olhou torto assim que adentrou o local. Foi impossível não revirar os olhos e rir com aquela cena. As duas viviam em pé de guerra, mas acredito que tudo isso apenas ciúmes. Mas pra que isso minha gente? Gosto de ambas, não tem porque essa implicância.






-Senhora. O imperador solicitou sua presença em seus aposentos.-Diz ela vindo até a mim. Olhando aquele pequeno vidro, que estava em minha mão.-Já separei o vinho e no copo de ouro de sua majestade.





-Obrigada Sakura. O resto deixa comigo, Pain costuma cair fácil, quando eu apareço sem roupa alguma em sua frente.-Digo abrindo a capa que eu usava, revelando meu corpo sem nenhuma roupa. Embora eu já tenha um propósito maior de estar assim, tenho que atrair a atenção do imperador, e dar a ele uma ideia de que viu meu corpo antes de apagar.





-Mas sua alteza vai…-Sakura deixou a pergunta no ar. E com seu olhar assustado me medindo de cima abaixo, eu sabia aonde ela queria chegar.





-Jamais Sakura! Não irei me deitar com ele, sabe que isso me enoja, não me deito com Pain faz meses, desde da noite núpcias.-Digo fechando a capa. E rindo do suspiro de alívio vindo dela.-Sabe muito bem, o porque estou sem roupa.





Sakura apenas sorriu maliciosa, pois ela sabia que eu estava planejando dormir na ala dos gladiadores, e no quarto de um certo alguém. Não demorou muito, para eu sair de meus aposentos e seguir para os de Pain. Onde já cheguei e dei de cara com ele, deitado em sua cama luxuoso e rodeado de servas. Foi impossível não revirar os olhos com aquela cena, ele se achava um “deus” mas não era praticamente, porcaria nenhuma. Dei um jeito de dispensar todas ali, ficando apenas com ele. Era a hora de usar meus poderes de sedução, acreditem isso sempre funciona. Sakura logo adentrou o quarto para servi-lo, e é claro eu também. Tive que fazer isso, ou ele iria achar estranho só ele está tomando e eu não.




-Achei que iria se atrasar de novo.-Diz ele me olhando, com aquele olhar cheio de desejo. Isso me deu um pavor, eu preferia está no submundo.-Você anda me dando muitas desculpas, para não visitar meus aposentos senhora.





-As vezes estou exausta. Mas agora estou aqui meu senhor, vamos esquecer tudo isso e aproveitar a noite o que acha?-Dei um jeito de retirar a capa que eu vestida, eu pretendia fazer isso apenas para Itachi, mas tenho que distrair esse homem. É lógico que as mãos dele já vieram para meu corpo. Como eu o abomino de todas as formas, dei um jeito de fazer um brinde.-Vamos beber meu senhor, temos que relaxar antes da nossa diversão.





Pain me deu um sorriso malicioso e tomou de vez aquele vinho. Foi o pior erro dele, já que faria rapidamente o efeito. Ele caiu no sono como uma pedra, achei ótimo, apenas vi se ele estava respirando, embora eu queira ele no submundo, mas fazer o que né. Isso seria errado ao ver de outros, mas no meu não, sei que tenho que continuar a dinastia, tendo um herdeiro, e irei fazer isso. Mas com Pain, nem pensar! Desci da cama e sai daquele cubículo, minha diversão estava prestes a começar. A primeira barreira eu já venci, fazer o idiota do meu marido dormir, a segunda estou para vencer agora mesmo, passar pelos os guardas que tomam conta da ala de gladiadores. Mas nada que dez moedas de ouro para cada um não resolvesse, e é claro que eu passei facilmente, e melhor de tudo, ainda estava tudo calmo, nenhum gladiador pra fazer brincadeiras sem graça com minha pessoa. Pois já cruzei muito esses corredores nas madrugadas então é grande minha fama por aqui. Mas como nada é fácil e muito menos um mar de rosas, encontrei mais uma barreira pela a frente, acredito que essa seria minha última até chegar ao meu destino. O quarto no final do corredor, parece que já me atraía, o dono dele é claro. Aquele no qual eu tinha apostado na batalha demonstrativa, e que não tive vontade alguma de cobrar minha recompensa, estava lá parado na frente da porta do quarto mesmo.




-O que faz aqui essa hora alteza?-É lógico que ele sabia, mesmo sendo novo por aqui. Deve ter escutado sobre minha fama por aqui. Mas fazia aquilo para ver como seria minha reação com sua pergunta.





-Nada demais, volte a dormir cavalheiro. Não se incomode comigo.





Se ele acha que eu iria ficar sem graça ou que iria gaguejar com a resposta, está muito enganado. Sou muito profissional no que faço, não tenho um pingo de vergonha de dormir com meus escolhidos, afinal de contas sou uma monarca, nada me intimida, nem mesmo a morte. Se um dia eu tiver medo de algo, pode ter certeza que o motivo de eu ter esse medo, será muito verdadeiro. Sai com toda classe de sua presença, sabendo muito bem que ele tinha um olhar malicioso para comigo, mas nem me importei, eu iria fazer o que ele estava pensando mesmo. Não demorou muito, e cheguei ao meu destino, sem nenhuma cerimônia, adentrei seu quarto o encontrando já deitado, apenas me olhando e com certeza já me esperando, pois mandei Izumi avisá-lo. Meu corpo se arrepiou de desejo, ao vê-lo daquela forma, com apenas um mísero pedaço de roupa cobrindo seu corpo, que com certeza era atlético.




-Boa Uchiha… a Ásia menor, pertence ao império romano agora.-Digo enquanto fecho a porta, e delicadamente vou me aproximando dele, que mantém seu olhar firme pra mim, sem ao menos abaixar a cabeça. Bem esperado de um ex-general.-Bom trabalho.




-Obrigado… Mas a que devo a honra?-Perguntou de uma forma direta. Assim como eu, ele não gostava de enrolar as coisas, queria na hora e ponto. Então darei uma resposta bem direta, já que minha vontade é de ter seu corpo junto ao meu rapidamente.





-Vou direto ao ponto. Como é meu novo favorito e venceu a batalha, que apostei com outra rainha. Vim cobrar minha recompensa. Irei passar a noite aqui.-Digo com toda a firmeza, apenas fitando o corpo dele que era extremamente atraente, mesmo ele sendo daquela forma desaforado. Eu já esperava isso dele. Afinal de contas, sempre foi dessa forma quando meu pai o treinava.




-O que?- Questionou ele, totalmente confuso com a minha exigência. Achei isso estranho, pois ele já devia saber qual é a função de um escolhido da imperatriz.-Que recompensa?  





-A minha recompensa por ter apostado em você. Quero dormir com sua pessoa. Você venceu a batalha. -Vou me aproximando mais dele. Sem sentir nenhum sentimento a não ser a vontade de ter aquele corpo perto do meu. Ele estava deitado então, tomei a liberdade de subir em cima de si. Tirando a capa que eu vestia, revelando meu corpo sem roupa alguma, e me divertindo com o olhar confuso que ele fazia.





— Mas que... — sequer dei chances de ele continuar com a pergunta. Deixei meu corpo totalmente exposto, com certeza ele sabia o que eu queria, só estava se fazendo de desentendido. Por incrível que pareça, isso me divertia, naquela situação. Onde eu poderia dominar muito bem. Até ele arquear uma das sobrancelhas, pelo o jeito estava caindo em si. — E é uma aposta então?






-Vamos lá... Não faça essa cara. Sou atraente não? Aposto que nunca dormiu com uma rainha.-Levei minhas mãos até seu peitoral nu. Deixei deslizar ali, ainda olhando a cara de confuso dele, que como eu havia dito antes era apenas um teatro. Era o que mais excitava, dando um de mocinho inocente que fingia não saber o motivo por eu está nua em sua frente. E ainda fiquei mais ainda com sua pergunta, que terei a satisfação de responder. -Sim é uma aposta, já que é meu favorito. Irá dormir comigo toda vez que vencer, terá a honra da minha visita em seus aposentos.




-Entendo — Diz ele, levando suas mãos até as minhas que acariciavam seu peitoral. Com uma certa firmeza e brutalidade, mas nada que eu não já estivesse acostumada.— Posso até participar de seus jogos alteza, mas empunharei minhas regras.





   -Humm... Uma pessoa como você exigindo regras de uma imperatriz?-Minha voz saiu em tom de deboche. Enquanto, suas mãos seguravam as minhas me fazendo parar com tal carícia, pois seu corpo era do jeito que eu gostava. E não tive medo de tocá-lo. Olhei para ele, que se mantinha sério demais para aquela altura do campeonato mostrando sua formosura misteriosa. Embora aquilo me deixasse louca, já que gosto desse tipo de submissão e muito esperada de um gladiador. Dei um jeito de acordar seu membro, rebolando devagar em cima dele. Não iria pedir permissão para agir dessa forma era o que eu quero e ponto. Mas no caso dele irei abrir uma exceção talvez seja divertido. -Diga então suas regras... Logo após direi as minhas, que não são muitas mas necessárias.





    -Você tem permissão para tocar em qualquer outra parte de mim, mas aqui.-Retirou minhas mãos de seu peito.- Aqui não.






Primeiro ele fechou os olhos com minha provocação, que logo fez seu membro acordar.  E como ele não fecharia? Isso era prazeroso quanto para mim, quanto para ele. Mas após ele dizer essa regra, voltou a me olhar novamente e foi aí que vi algo diferente. Seus olhos não eram mais negros e sim vermelhos, uma cor viva que ganhava destaque com a pouca luz do ambiente. Abaixei os olhos para o local, onde era o meu limite e tudo fez sentido. Aquela marca, feita com uma lâmina que com certeza pela a profundidade da cicatriz, havia o levado a óbito. Lembrei-me da lenda, do centurião que Jiraiya havia me dito, que a identificação do escolhido desta profecia, teria uma marca em seu peito, mostrando que havia passado pela a morte. Admito, que fiquei assustada e confusa, aquilo realmente fazia sentido embora pra mim seja apenas baboseiras. Mas não era hora para teorias, meu corpo fervia de desejo por ele e estava na hora de matar essa vontade, por incrível que pareça, aqueles olhos escarlates me excitava. Deixava Itachi, mais belo do que ele sempre foi. Afinal de contas mesmo tendo aquele limite, não era apenas o peitoral dele que me atraía, ele tinha outras partes mais divertidas que isso. Puxei o cabelo dele fazendo-o levantar e se sentar na cama, algo que adoro fazer, mostrando quem está dominando a relação e fitei em seus olhos mais uma vez.




-Irei fazer sua vontade. Pelo o fato de ter aceitado o meu acordo. Mas assim como você tenho minhas regras. Você pode tocar em meu corpo onde quiser. Menos olhar em meus olhos durante o ato ou tocar em meu rosto. E de forma alguma tentar me beijar nos lábios.





O beijo, o toque no rosto e a troca de olhares para mim é muito importante. Só tem que ser feito com sentimentos, que não é o nosso caso. Pois minha atração por ele é apenas carnal e não passará disso. Embora eu tenha tido sentimentos por ele, mas isso agora não interessa mais.






-Estamos de acordo?-Deslizo minhas mãos pelo o seus ombros. Descobrindo cada pedaço daquele local.




-Feito!





O toque da suas mãos calejadas, em minhas coxas e daquele jeito rude mas ao mesmo tempo carinhoso ao seu modo. Me fez arrepiar até o último fio de cabelo. Sua voz sussurrando em meu ouvido dando outro arrepio gostoso naquela direção. Eu estava fazendo a coisa certa, já que foi o único que realmente sabe tratar uma mulher. Já tive alguns mas não ao nível dele. Soltei um gemido baixo enquanto mordia o lóbulo da orelha dele. Deslizando minhas mãos por suas largas costas. Enquanto o meu quadril faz o serviço esfregando no local onde mais desejo, após ele me puxar para si.






-Não ouse voltar atrás com sua palavra.






Sussurrei em seu ouvido enquanto descia meus lábios para seu pescoço. Ele que não ousa morrer em uma batalha ou desistir de tudo. Não irei perdoar, já que agora ele é minha diversão e um como ele é bem difícil encontrar, já que tem um jeito diferente, de tratamento, mesmo sendo por puro prazer. Fui possessiva e deixei beijos, mordidas e chupões ali, ele é um guerreiro, as marcas de chupões perto das de lâminas, são fichinhas e isso é até bom, para mostrar aos outros quem é o novo escolhido da imperatriz. Suas mãos possuíam rapidamente o meu corpo, me deixando ainda mais, fora do meu juízo perfeito. Quando me dei conta, já estava encaixada em cima do membro dele, que foi rápido em me penetrar. Não pude conter o gemido, era praticamente impossível, ainda mais com aqueles movimentos que já haviam começado intensos. Me perdi não só naquilo, mas também em cada parte do corpo dele que me deixava hipnotizada.




Seu corpo é um país das maravilhas
Seu corpo é um país das maravilhas (usarei minhas mãos)
Seu corpo é  um país das maravilhas
Seu corpo é um país das maravilhas.

Jonh Mayer-Your body is a wonderland





Tudo que se podia ouvir, era apenas ambos gemidos em cada canto do quarto. Estava intenso demais para ficarmos calados, pouco me importa se alguém iria ouvir. O meu objetivo era voltar satisfeita para o palácio, e com certeza eu voltaria. Estava prazeroso e só de imaginar, que o idiota do meu marido estava lá dormindo como pedra, e eu me deitando com o gladiador que ele mais odeia, me deixava ainda mais excitada, escondido é mais gostoso. As mãos dele apertavam minhas nádegas, acelerando ainda mais os movimentos, enquanto as minhas deslizavam pelo os seus ombros e costas, deixando uma trilha de arranhões, a única forma de suportar todo aquele prazer, e deixar a minha marca nele. Meus seios encostaram em seu peitoral, involuntariamente mesmo sendo limitado, eu não poderia me conter, era só minhas mãos que não poderiam encostar ali. Aquela posição estava ótima, mas minha intimidade latejava, pedindo mais dele. Mesmo sendo por puro prazer, eu não queria terminar aquilo, se eu pudesse ficaria ali o tempo inteiro.




-Quero você em cima de mim agora, Uchiha.-Sussurro essa ordem com dificuldade, devido às rápidas estocadas. Eu gosto de dominar, mas também gosto de ser dominada.




-Com todo prazer…




Agora, se estamos falando de corpo.
Você tem um perfeito.
Então coloque-o em mim.
Juro que não vai levar muito tempo.
Se você me amar direito.
Nós transamos a vida toda
De novo e de novo e de novo.”


Talking Body-Tove lo





Ele sussurrou mordiscando minha orelha, rapidamente trocando a posição e ficando por cima, onde sem aviso prévio penetrou com mais força. Não aguentei e gemi alto, cruzando minhas pernas em sua cintura e arranhando suas costas com toda minha força. Não sei se irá machucá-lo ou não, eu espero que não, mas quero marcá-lo da melhor forma. Não queria que ele me olhasse, mesmo ele cumprindo o limite. Então encostei minha boca em seu ombro mordiscando aquele local e apertando sua nuca e cabelos. Eu estava quase no meu limite, mas era tão excitante e gostoso, que não queria parar de forma alguma.



                  

-Você é bom, acertei em ter te escolhido.-Falei sem perceber, apenas deixando-me levar pelo o prazer que me consome.




-Hmmm…-Ele gemeu de forma convencida, até mesmo naquela hora, seu ego era nas alturas. E continuou com uma frase, que fez o meu ego ultrapassar o teto.- E você é uma delícia.





-É o que todos dizem....




Assim como ele, meu orgulho também fala mais alto, independente das situações. Os gemidos e grunhidos dele, adiantaram ainda mais o meu ápice, que já estava próximo, não consegui me segurar e liberei tudo que tinha prendido, apertando forte o corpo dele contra o meu, e mordendo seu ombro, minha intimidade apertava seu membro, anunciando meu limite. E é claro que ele continuou a me penetrar, com certeza não era daqueles que chegava ao êxtase, antes de sua companheira. Uma mordida leve em meu ombro, foi o anúncio de seu orgasmo, seu líquido quente me inundou também me levando ao paraíso. Era algo que eu costumava evitar, meus escolhidos nunca ejacularam  dentro de mim. Mas com ele eu deixei, queria ter essa experiência e não me arrependerei disso, já que foi a melhor até agora, se tiver consequências posso muito bem, dar um jeito nisso. Meu corpo relaxou debaixo do dele, minha respiração estava ofegante, mesmo querendo mais, estávamos exaustos, então deixarei para outra vez.




-Irei ficar aqui… Voltarei aos meus aposentos antes de amanhecer.




Ele apenas retirou-se de dentro de mim, com um certo cuidado. Acabei soltando um gemido baixo, com aquele gesto, já que minha intimidade ainda estava sensível. Fiquei olhando para a lua que brilhava do lado de fora, sem ao menos me importar com ele ali do lado, e Itachi também tinha feito o mesmo se entregando ao sono em seguida. Meus pensamentos tomaram conta, por incrível que pareça foi uma noite prazerosa, algo que eu com certeza não teria com Pain. E isso me deixava com desejo de ter ainda mais noites parecidas com aquela, e isso iria sim acontecer. Meus olhos rolaram novamente para o corpo dele, analisando toda aquela escultura feita pelos os deuses, e também para aquela cicatriz que me deixou curiosa. Será que ele é mesmo enviado da deusa Nêmesis? Isso é algo que ainda irei procurar saber mais, pois pra mim tem que ter provas concretas. Adormeci com esses pensamentos, estava cansada demais para perder tempo com lendas, só queria descansar.


O dia estava prestes a amanhecer. Me levantei depressa vendo o Uchiha dormir profundamente ao meu lado. Aproveitei que ele nem ao menos se mexia e dei um leve beijo em seu rosto. Eu sei que não sinto nada a mais por ele, pelo menos não mais, só que independente disso, sua pessoa de qualquer forma, ainda me encanta. Sei jeito de tratar uma mulher é especial, mas não sei explicar como. Então esse beijo, foi apenas uma forma de agradecer a noite que ele havia me dado. Coloquei minha capa novamente e prendi meus cabelos, saindo devagar dali para não acordá-lo. O corredor era grande e todos ainda dormiam. Todos menos um. Aquele que encontrei antes de entrar no quarto de Itachi, encostado em uma das pilastras com uma caneca em suas mãos. Me olhando de cima abaixo como se quisesse me dizer algo.



-Cavalheiro... Acordou cedo.-Foi o que consegui dizer. Escondendo um pouco minha vergonha de dar de cara com ele ali. Mentira eu não sinto vergonha de nada.





-Somos obrigados a acordar cedo alteza, mas sem querer ser indelicado com sua pessoa, eu fico bem irritado quando acordo antes do sol nascer.-Diz ele com um sorriso leve em seu rosto. Enchendo uma caneca, com cevada e me entregando.-Não precisa aceitar, se não quiser mas seria muita falta de educação não oferecer nada a sua alteza.





-Que isso, eu não me importo. Estou acostumada com falta de educação, e acredite cavalheiro, dificilmente isso vem de um gladiador.-Digo pegando a caneca, com aquela bebida que fazia parte da dieta deles. Mas era muito boa, pelo menos eu gostei.-Obrigada! Vejo que deve está se perguntando o que estou fazendo aqui.





-Na realidade alteza, não tem um gladiador aqui nesse nosso lar doce lar...-Ele diz em tom de deboche, que eu já estava bem familiarizada.-Que não saiba da fama da senhora.





-Exatamente, mas não me importo com isso. É a verdade, porque isso iria me incomodar.-Digo colocando a caneca em cima da mesa, pois já havia acabado de tomar.-Mas peço que não deixe isso sair daqui cavalheiro, posso pagar a você pra manter segredo, assim como fiz com alguns que hoje estão no submundo ou nos campos elíseos.




-Senhora, não preciso  fazer chantagem para conseguir bens, posso morrer como um escravo, mas pelo menos não dei o golpe em ninguém. Algo que acontece muito em seu palácio.-Diz ele fitando a lua da janela.-Vai por mim, se eu estivesse no lugar de sua alteza, também colocaria o chifre naquele desgraçado do Pain, depois de tudo que ele fez, é o mínimo que ele merece.





-Então isso significa que vai manter a boca fechada, sem condição alguma? Isso está me soando estranho cavalheiro.-Digo em tom de deboche, olhando para o mesmo que solta uma gargalhada.





-Acredite alteza, eu não tenho motivo algum para pedir algo em troca. Cada um de nós temos nossas aventuras não é mesmo?-Ele diz curvando sutilmente.-Só tenha paciência com aquela mula do Uchiha, ele é estressadinho. Tenha um bom dia alteza.





Nossa conversa foi tão rápida, que não tive tempo de perguntar o nome dele. Sempre me deparei com algum gladiador, assim que saia do quarto de meu escolhido, e logo teria que ouvir piadas sem graças e alguma condição para manter segredo. Ao contrário dessa situação, onde ele ao menos veio com piadas ou me julgou de alguma forma. Ele se retirou de minha presença e voltou para seus aposentos. Confesso que ainda estou com o pé atrás, mas ele foi muito sincero com sua afirmação, vou deixar pra ver até onde aquele cavalheiro vai. Ele falou de Itachi de um jeito engraçado, foi impossível não soltar uma risada, realmente ele tinha razão e olha que o conhece há menos tempo do que eu. Me retirei rapidamente daquele local, passando com mais facilidade ainda pelo os guardas, é claro né depois de pagar muito bem, nada mais justo. Dessa vez, não encontrei nenhuma barreira de volta ao palácio, onde tive que voltar aos aposentos de meu marido que ainda dormia, também depois de um vinho bem feito daqueles. Como não iria dormir como pedra? Com certeza eu teria que aguentar ele se gabando no dia seguinte, de que teve uma noite maravilhosa comigo, e entre outras baboseiras a mais. Mas nada disso interessa agora, por hora só deitei ao seu lado na cama para simular essa tal noite, pois tenho que ser discreta não é mesmo? E me entreguei novamente ao sono, com lembranças da verdadeira noite maravilhosa, que ficou como uma ótima lembrança.





Escrita por: KonanUchiha2820              


Notas Finais


E aí o que acharam? Coloquem nos comentários, sugestões e críticas são sempre bem vindas, desde de que venham bem educadas.
O próximo é por conta da maravilhosa @Crows. *u*
Obrigada por terem lido, e até a próxima meus amores.
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...