1. Spirit Fanfics >
  2. Go ninja! Uma história do mundo de Naruto >
  3. Time 0: lições passadas pela dor Parte 1

História Go ninja! Uma história do mundo de Naruto - Capítulo 50


Escrita por:


Capítulo 50 - Time 0: lições passadas pela dor Parte 1


Mais um dia teve início na aldeia da Folha, mais um dia para o Time 0 sem treinos, missões e sem encontrar seus amigos da mesma forma de sempre. Em seu apartamento, sozinho, Iwa não aguentava mais ficar em seu canto, sem fazer nada, mesmo que não tivesse vontade após sua falha como líder de sua equipe durante o Exame Chunin, assim como o choque após a revelação do segredo de sua melhor amiga; decidindo sair para uma caminhada pela Vila, o jovem ninja deixou seu lar, cabisbaixo como nos últimos dias, caminhando lentamente pelas ruas movimentadas com turistas e aldeões.

[ Não consigo parar de pensar na história da Meri... Justamente alguém tão gentil como ela, nasceu com um poder tão perigoso e mortal... Droga, deveria apoia-la depois de tudo isso, como um amigo, mas...por que não consigo olha-la da mesma forma mais? ] – Pensou Iwa, confuso com seus próprios sentimentos, irritando-se consigo mesmo por deixar sua amiga sozinha.

Enquanto caminhava distraidamente, dois velhos amigos de Iwa o avistaram de longe, assim, a atenção do jovem deprimido foi chamada pela animada Tenten, que vestia roupas mais casuais, não as suas habituais de ninja, e carregava consigo um buque de lindas flores.

- Iwa! Vem aqui! – Chamou Tenten, acenando para o rapaz, que, apesar da surpresa, se aproximou a jovem e de Neji, seu acompanhante. – Faz tempo que não nos vemos, desde o fim da primeira prova do Exame Chunin! Como você está?

- Olá... Estou bem, apesar de tudo, muitas coisas aconteceram... – Disse Iwa, suspirando tristemente.

- Como a eliminação da segunda prova, eu imagino. – Adivinhou Neji, friamente.

- Neji, não diga isso tão diretamente! – Repreendeu Tenten, preocupada.

- Não é nada surpreendente, não vimos ele e seu time depois da segunda fase, então é obvio. – Disse Neji, dando de ombros.

- Bom, é, foi isso mesmo..., mas e vocês? Como foram? Não fiquei sabendo mais de nada desde que fomos eliminados. – Disse Iwa, um pouco aborrecido, mas curioso quanto ao progresso de seus velhos amigos.

- Lamento a sua eliminação, Iwa, mas meio que entendo... Aconteceram muitas coisas, tivemos que participar de um torneio preliminar, e foi aí que fui eliminada..., mas o Neji passou adiante, a última prova do Exame Chunin será um torneio e acontecerá em um mês, aqui mesmo! – Disse Tenten, com um sorriso no rosto.

[ Então aconteceu um torneio preliminar? Muitos devem ter passado da segunda prova... ] – Pensou Iwa, surpreso com a novidade.

- Entendi, nesse caso, parabéns Neji, já sabe contra quem irá lutar daqui a um mês ou os oponentes ainda precisam ser decididos? – Disse Iwa, olhando para o jovem Hyuuga.

- Os oponentes foram decididos em um sorteio, vou encarar Naruto Uzumaki na primeira batalha. – Respondeu Neji, tranquilamente.

- O Naruto!? Ele passou também!? – Disse Iwa, espantado.

- Pois é, difícil de acreditar, há há há! Mas, olha, eu nunca pensei que diria isso, o Naruto até que mandou muito bem, ele foi o responsável por eliminar o Kiba e...fazer um monte de outras coisas! – Disse Tenten, rindo bastante. – Porém, ele não tem a menor condição de vencer o Neji.

- Claro que não, o destino daquele perdedor é fracassar mesmo. – Disse Neji.

[ Que horror... Mesmo que eu goste do Neji, adoraria ver o Naruto vencendo..., mas bem, talvez só em um outro universo... ] – Pensou Iwa, sem graça com a falta de credibilidade que Naruto tinha, mas logo se lembrando de outra pessoa.

- É mesmo, e o Lee? Ele passou para o torneio final também? – Perguntou Iwa, bastante curioso.

Apenas em mencionar o nome de Lee as feições de Tenten e Neji se fecharam, com a jovem logo abaixando a cabeça e exibindo um triste olhar, o que deixou Iwa bastante confuso e um pouco preocupado.

 

- Ele não passou...foi eliminado em uma das batalhas também e está em estado crítico no hospital, desde que a prova acabou... – Disse Tenten, com tristeza.

- Estado crítico...? Como assim? Contra quem ele lutou? – Disse Iwa, preocupado.

- Contra um dos ninjas vindos da Vila da Areia... Gaara do Deserto, foi como chamaram. – Respondeu Neji, sério. – Um ninja assustadoramente forte...o Lee não tinha a menor chance.

- Neji, isso não é verdade! Gai-sensei disse o quanto ele se esforçou, conseguindo até mesmo pressionar o seu oponente e quase vencer! – Retrucou Tenten, visivelmente irritada.

- Eu vi com meus próprios olhos, não desmereço o esforço do Lee, apenas acho que ele deveria ter desistido antes das coisas piorarem...afinal, ele quase morreu. – Disse Neji, desviando o olhar.

- Como é!? Ele quase morreu!? Esse pessoal da Areia...o que eles têm na cabeça? – Disse Iwa, assustado.

- Não faço ideia, mas coisa boa não é... Também fui eliminada por um deles, Temari, e posso dizer em primeira mão o quão poderosos eles são... – Disse Tenten, apertando forte o buque em sua mão esquerda, logo respirando fundo. – Estamos indo ao hospital para visita-lo, gostaria de nos acompanhar?

- Claro que sim, se eu puder... – Disse Iwa, rapidamente recebendo a permissão da jovem ninja, assim acompanhando dos dois para o hospital da aldeia.

Como nos últimos dias, Yukan acordou, comeu, se despediu de sua avó que iria para o trabalho no hospital, e se escondeu em seu quarto, planejando ficar por lá pelo resto dia, pensando em como havia falhado com sua equipe e como teria decepcionado seus pais; deitado de bruços sobre sua cama, observando de canto uma das antigas fotografias que tinha de ambos seus pais, repousada na cômoda à esquerda, Yukan suspirou longamente, pensando em como seus pais teriam ido no Exame Chunin deles.

 

[ Aposto que vocês não falharam tão feio quanto eu... Droga, sei que estou sendo um mané por me lamentar, mas...como pude ser tão idiota e fraco!? Sempre estrago os planos dos outros...e ainda tento fazer pose dizendo que serei um ninja tão poderoso quanto vocês... ] – Pensou Yukan, nervoso, logo prestando atenção na fotografia atrás da de seus pais, a imagem tirada do Time 0 poucos dias após sua formação.

- Mas sou um ninja de nada... Um covarde que mal tem coragem de encarar seus amigos depois da falha gigante... – Disse Yukan, deprimido, enterrando seu rosto em seu travesseiro.

Porém, a campainha de sua casa o tirou de seus pensamentos, o forçando a levantar de sua cama e seguir para a porta da frente, logo a abrindo e se surpreendendo com quem aguardava do lado de fora.

- Shikamaru!? – Disse Yukan, chocado.

- Oh, que bom, então não morreu. – Disse Shikamaru, coçando a cabeça.

- O que...? Por que veio aqui? – Disse Yukan, confuso, ainda bastante afetado pela visita surpresa.

- Não te encontrei no hospital, considerando que foi eliminado na segunda prova, pensei que estaria por lá, mas como não te achei decidi tentar sua casa e pronto, aqui estamos. – Respondeu Shikamaru, calmamente.

- Como sabe que eu... Que eu falhei no Exame Chunin? – Disse Yukan, surpreso.

- Não “falhou”, só foi eliminado deste ano, não seja dramático, como diz a Ino, é irritante... – Disse Shikamaru, logo bocejando. – Você não estava na torre para o torneio preliminar para a terceira prova, então supus o óbvio.

- Torneio preliminar? Teve isso!? – Disse Yukan, surpreso.

- Sim, agora vem, sai dessa casa e me segue. – Disse Shikamaru, concordando com a cabeça.

- Sair...? Para onde? – Disse Yukan, confuso.

- Só vem, Yukan, como você é chato, fazendo tantas perguntas... – Disse Shikamaru, estalando a língua.

 

Confuso, mas curioso, Yukan se vestiu melhor, calçou seus sapatos e deixou seu lar, seguindo Shikamaru até uma pequena praça da aldeia, o lugar estava tranquilo e sem grande movimento, apesar da grande quantidade de pessoas na Vila da Folha; lá, então, Shikamaru se deitou em um dos bancos de pedra, observando o céu azul e as nuvens, Yukan sentou-se ao seu lado, assim, ambos começaram a conversar.

Shikamaru contou ao seu amigo sobre o Exame Chunin, sobre todos que haviam sido classificados para a final em um mês, enquanto que Yukan contou, em partes, sobre a eliminação de seu time da segunda fase, bem como da difícil recuperação de todos os seus membros.

- Que saco... Deve ter sido uma barra, sinto muito pela situação da sua equipe, Yukan, mas é por isso que detesto essas provas malucas e cheias de combates desnecessários... – Disse Shikamaru, concentrado nas nuvens acima de si.

- Desnecessários... – Repetiu Yukan, lembrando-se do espião, a causa de sua eliminação, logo rindo baixinho. – Sinceramente, nem sei como é um ninja, do jeito preguiçoso e desleixado que é...

- Nem me pergunte, também não sei... – Disse Shikamaru, suspirando.

[ Mas, cara...teria um torneio, poxa...e até o Shikamaru e o Naruto passaram! Me sinto pior agora, acho... ] – Pensou Yukan, sentindo-se triste por perder uma prova tão interessante.

- Então, você vai enfrentar essa tal Temari no mês que vem... Como está se preparando para isso? – Perguntou Yukan, curioso.

- Há! Eu nem quero saber, todo esse estresse dos últimos dias me deixou exausto, além disso o Asuma não tem me deixado em paz, querendo treinar, treinar e treinar... Consegui fugir hoje e gostaria de descansar o máximo que puder, quando o dia da luta chegar, penso em alguma coisa. – Disse Shikamaru, cansado.

- Então foi por isso que em convidou para sair... – Disse Yukan, sem graça. – Mas, poxa, Shikamaru, que inveja...queria eu poder ter um oponente para enfrentar, voltar a treinar e chegar perto assim da promoção para Chunin...

 

- Não sinta inveja, esse é meu trabalho... Na minha opinião, você deu sorte de se livrar dessa cedo. – Disse Shikamaru.

- Não, não tive... Meu objetivo era me tornar o ninja mais forte...e depois de deixar o Exame Chunin daquele jeito, foi... Foi uma super derrota... – Disse Yukan, cerrando os punhos, um pouco nervoso.

Percebendo a raiva e tristeza de Yukan, Shikamaru suspirou e se sentou.

- Sabe, entre nós dois, eu acredito que você seja o que mais tem chance de ser um ninja poderoso... Suas habilidades de combate são melhores que as minhas, nem preciso lhe ver lutar para saber, além disso, você tem mais motivação, garra e vontade do que jamais desejarei ter. – Disse Shikamaru, surpreendendo Yukan. – Ter deixado o Exame Chunin deste ano não invalida nenhuma de suas habilidades e qualidades, assim como na Academia Ninja, é uma prova como qualquer outra...e sempre há como passar, lembro de você nunca desistindo, mesmo depois de diversas reprovações quando éramos mais novos.

- ...Ainda assim, isso é diferente...eu já sou um ninja, já passei por muitas missões...deveria ser diferente de quando era criança... – Disse Yukan, de cabeça baixa.

- Hum...não entendo, por que tanta pressa em passar no Exame Chunin? Quanto mais tarde, melhor, porque teria mais experiência e tudo o mais... – Disse Shikamaru, confuso.

[ Não é pressa... Eu queria tanto mostrar que posso ser como meus pais... Meus amigos ficaram empolgados...e o capitão Iyasa nos indicou mesmo sendo novatos... ] – Pensou Yukan, tristemente.

- Eu...não queria desapontar ninguém... – Respondeu Yukan, sem nem perceber, surpreendendo o seu amigo.

- Olha só, nunca pensei que veria o dia em que o Shikamaru tentaria dar lição de moral em alguém, há há há! – Disse Asuma, aparecendo atrás dos dois Genins, os assustando.

- Mas que droga, Asuma...me achou mais rápido... – Disse Shikamaru, coçando a cabeça.

- Pensou que deixaria passar, não é? Parece que não me conhece, há há há! – Disse Asuma, logo percebendo a cara assustada de Yukan. – Oh, desculpe, Yukan, pensei que me notaria antes com sua habilidade...

- Ah, sim...é que estou meio desligado esses dias, não foi nada... – Disse Yukan, sem graça.

Observando Yukan, notando rapidamente o quão desanimado ele estava, Asuma se lembrou de quando o conheceu, assim como do quão bem Iyasa falou dele e de seus outros alunos em mais de uma ocasião; o Jounin, porém, desviou seu olhar de Yukan, direcionando-o para seu aluno preguiçoso.

- Vamos, Shikamaru, já está mais do que na hora de seguir seu treinamento, fugir não melhorará nada! – Disse Asuma, levando sua mão esquerda até a cabeça de seu aluno, bagunçando se cabelo.

- Tá, que saco..., mas por que diabos só eu? Ino e Chouji estão de folga faz dois dias... – Disse Shikamaru, afastando a mão do professor, se levantando do banco, aborrecido.

- Eles receberam alta do hospital depois de você, então precisavam descansar mais um pouco, mas não pense que eles terão a mesma moleza a partir de amanhã! Agora vamos. – Disse Asuma, indicando para seu aluno ir na frente.

- Que saco... Até depois, Yukan. – Disse Shikamaru, acenando para o amigo e logo desaparecendo diante dele e de Asuma, que ainda ficou na praça.

- Escute, Yukan, não acho que tenha desapontado ninguém até agora, muito pelo contrário... – Disse Asuma, chamando a atenção do jovem Genin. – Só posso falar pelo Iyasa, porque conversamos algumas vezes, então posso dizer que ele tem muito orgulho de todos vocês...afinal, só ouvi coisas boas sobre você e seus amigos, mesmo das histórias em que vocês, aparentemente, falharam! Então, não pense o pior de você mesmo, está bem? É um ninja de grande coração e coragem, é isso o que importa.

Após deixar suas palavras com Yukan, Asuma se despediu e desapareceu logo em seguida, fazendo com que o jovem Genin permanecesse sozinho na praça, pensativo sobre tudo o que ouviu de Asuma e Shikamaru, bem de como seus próprios pensamentos sobre si mesmo e toda aquela situação.

Desde que voltou para casa, Raion não conseguiu relaxar, sua raiva sobre o espião que eliminou sua equipe, de si mesmo por sua fraqueza e por Meri, sabendo agora de seu segredo e o motivo de ser vigiada pela ANBU todos os dias, era grande demais para deixa-lo até dormir; porém, o jovem temia sair sem rumo pela aldeia, receando encontrar o grupo estranho de ninjas da Pedra, liderado por Beijing, e ser pressionado sobre seu assombroso e antigo acordo com o Tsuchikage de seu velho lar.

Como saída, Raion deixava sua casa para ir diretamente para a área de treinamento 3, onde descontava sua ira golpeando árvores e pedras, com ou sem jutsus; não era nenhum treino, longe disso, apenas uma forma para deixar seu poder destruidor agir fora de seu corpo e por mais que se ferisse assim, ou que soubesse que nada essa atitude resolveria, o jovem se sentia mais leve apenas assim.

- DROGA! Dane-se o tal espião! Dane-se a droga do Exame Chunin! Dane-se o velhote! Dane-se a ANBU desgraçada desta aldeia! – Gritou Raion, não parando de socar todas as árvores que via pela frente, provando marcas de lava derretida em todas, assim como grandes estragos ao redor, suando muito e ofegante.

[ Que patético eu sou, MALDIÇÃO! Não aguento mais essa situação! Essa minha fraqueza! ] – Pensou Raion, furioso, logo cansando de atacar a vegetação sem rumo, caindo sentado no chão.

Quando se cansava, Raion retornava para casa, mas não sem antes comer alguma coisa no caminho, e foi isso que o jovem fez, porém, inesperadamente, encontrou em seu caminho Shino, Kiba e seu cachorro Akamaru, que o identificou primeiro e correu em sua direção.

- Vocês... – Disse Raion, surpreso e se agachando, acariciando o cãozinho.

- Raion! Cara, te procuramos bastante depois que acabou a segunda fase do Exame Chunin... – Disse Kiba, se aproximando do colega.

- Se não estava, provavelmente sua equipe foi eliminada na busca dos pergaminhos, então-

- E aí... É, acabamos tendo azar..., mas e vocês? Tiveram mais sorte? – Disse Raion, se levantando, interrompendo a fala de Shino.

- Bom...passamos da floresta, claro, mas rolou um torneio preliminar logo depois, de surpresa! Tivemos que lutar um contra o outro, aí, quem passasse, entraria na fase final do Exame Chunin, um torneio oficial que começa mês que vem. – Disse Kiba, pegando seu companheiro canino no colo, sem graça. – O Shino aqui passou na boa, mas...

- Mas o Kiba perdeu vergonhosamente para o Naruto. – Disse Shino, rapidamente.

- SHINO! Não sabe calar a boca!? – Retrucou Shino, irritado e envergonhado.

- O que? Perdeu pro Naruto mesmo? Aquele Naruto? Há há há há! – Disse Raion, chocado, rindo bastante em seguida. – Eu queria ter visto essa, poxa...

- Não ria, Raion! Você não tem moral! – Disse Kiba, aborrecido.

[ É...rolou um torneio então? Me pergunto se aquele canalha chegou a passar...] – Pensou Raion, disfarçando sua tristeza e raiva, lembrando-se do espião.

- E a Hinata? Não imagino ela num torneio, então estou curioso. – Perguntou Raion, interessado.

Rapidamente os dois Genins, assim como Akamuru, abaixaram suas cabeças, demonstrando olhares tristes e deixando o jovem Raion levemente preocupado.

- O que foi? – Insistiu Raion.

- Ela foi eliminada durante uma batalha no torneio preliminar, mas ela lutou bravamente...de uma forma que nunca pensei que a Hinata seria capaz. – Respondeu Shino, sério.

- Fui eliminado antes então não pude assistir, mas...a Kurenai-sensei contou que ela foi valente e forte, que deu orgulho ao Time 8, mas...não consigo ficar contente sabendo que nossa amiga está presa numa cama de hospital, há mais de dois dias! – Disse Kiba, com os punhos cerrados, nervoso.

Imediatamente, Raion se lembrou de como se sentiu enquanto Meri estava entre a vida e a morte, por isso seu sangue subiu de uma forma que ele não pôde explicar, deixando a raiva de sempre o possuir de novo.

- E quem foi que eliminou ela e a deixou nesse estado? – Perguntou Raion, segurando seu nervosismo.

- Neji Hyuuga...e mesmo sendo primos, ele não teve pena alguma. – Respondeu Shino.

- Aquele canalha...um dia ele vai ver! – Disse Kiba, irritado.

[ Aquele Neji...ele tem cara de ser um filho da mãe mesmo, mas deixar a própria prima num hospital... ] – Pensou Raion, furioso.

- Nós vamos visitar a Hinata, parece que houve uma melhora no quadro dela, então-

- Oh, sim! Quer vir com a gente? Ela ia gostar de te ver! – Disse Kiba, se animando, interrompendo seu amigo mais uma vez.

- Pode ser, mas deixam cachorros entrar? – Disse Raion, acompanhando os amigos.

- O Akamaru não é um cachorro, é membro do Time 8 também, oras! – Retrucou Kiba, juntamente com seu companheiro sobre sua cabeça, que latiu em acordo.

Desanimada em sua casa, tanto pela incerteza de reencontrar sua mãe quanto pela reação de seus amigos após revelar seu segredo, Meri não tinha vontade de fazer nada, cozinhava em cima da hora e procrastinou todas as suas tarefas de casa, deixando Saskia bastante confusa e preocupada na maior parte do tempo. Naquele dia, Meri deu pela falta de diversos ingredientes para cozinhar, então, de má vontade, deixou seu lar na intenção de visitar o mercado mais próximo.

[ Imaginei que não seria fácil para ninguém entender meu segredo, mas, ainda assim...os olhares dos meninos foram... Mesmo que eu entenda a preocupação deles, não gosto disso...me sinto uma criatura exótica... ] – Pensou Meri, suspirando tristemente, lembrando-se de como seus amigos a olharam no hospital.

Porém, caminhando sem atenção, a jovem acabou trombando com outra pessoa, assim os dois caíram para trás, mas logo que se levantaram se reconheceram e se surpreenderam.

- Naruto!? – Disse Meri, surpresa.

- Ui... Oh, Meri! Foi mal, eu não tava olhando para onde ia... – Disse Naruto, sem graça.

- Eu também não, desculpe... – Disse Meri, cabisbaixa.

- Hum? Tá passando bem? Está com uma cara péssima! – Perguntou Naruto, curioso. – Se liga!

[ Péssima!? Tanto a ponto do Naruto notar!? ] – Pensou Meri, assustada.

- Não é nada, sério... – Mentiu Meri, desviando o olhar do ninja loiro.

- Hum...quer ir comer um ramen no Ichiraku comigo? – Convidou Naruto, desconfiado.

- Hoje não, Naruto, não estou com muita fome... – Disse Meri, suspirando.

- Ahá! Tem mesmo algo de errado com você! Ninguém nega um ramen do Ichiraku sem uma boa razão! – Disse Naruto, apontando para a jovem, confiante.

- Hã!? Nã-Não, eu-

- Nesse caso, vem, você precisa espairecer e eu tenho o lugar ideal! – Disse Naruto, pegando a mão direita de Meri e a puxando pela aldeia, não a deixando sequer falar.

Forçada a seguir Naruto, Meri acabou no topo do monumento dos rostos dos Hokage da Vila da Folha, a jovem sabia que existia um acesso para lá, mas nunca o havia o usado antes, assim, foi fácil deixar a Genin impressionada e encantada com a linda vista de toda a aldeia.

- Há há há! Legal, né? Venho aqui sempre que me dá na telha, é meu canto especial! – Disse Naruto, rindo do olhar de admiração da amiga, se sentando no chão.

- Puxa, é tão lindo! Dá para entender porque é tão especial... – Disse Meri, maravilhada.

- Pois é, há há há! – Concordou Naruto, logo coçando o rosto, tímido. – Então, quer me dizer qual o problema?

Percebendo a boa intenção de Naruto, Meri suspirou e se sentou ao seu lado, decidindo partilhar com o amigo ao menos parte de sua tristeza: a sua derrota no Exame Chunin.

- Ah...é verdade que não vi você e seus amigos na torre depois... Sinto muito, Meri, deve ser bem chato... – Disse Naruto, coçando a cabeça.

- Sim..., mas e você? Como foi na segunda fase? Não soube de mais nada desde que minha equipe e eu fomos eliminados... – Disse Meri, olhando curiosa para o rapaz.

- Bom, eu passei, óbvio! Mas logo que a gente chegou na torre rolou um torneio preliminar para a terceira fase da prova! Aconteceram tantas batalhas iradas, fiquei super empolgado, mas no fim ficamos sabendo que a final da prova vai ser só no próximo mês! – Contou Naruto, empolgado. – Foi um balde de água fria, por mim resolvíamos tudo lutando lá mesmo...

- Um torneio!? Minha nossa...e quem se classificou? – Disse Meri, interessada.

- Eu, claro, o Sasuke, claro, o esquisito do Shino, aqueles três ninjas assustadores da Vila da Areia, um dos doidos da Vila do Som, Shikamaru e o babaca do Neji! Acho que foram todos... – Disse Naruto, contando nos dedos. – Meri, devia ter me visto, eu dei uma surra colossal no Kiba, foi inesquecível, há há há!

[ Naruto, Sasuke, Shikamaru e Shino passaram então...e o Gaara também... ] – Pensou Meri, triste por não ter podido chegar tão longe, mas, no fundo, feliz por saber que tantos conhecidos seguiram em frente.

- Deve ter sido incrível mesmo, há há há! Parabéns, Naruto, mas já sabe contra quem vai lutar no próximo mês? – Disse Meri, rindo baixinho.

- Ah sei sim! Vou enfrentar o Neji logo de cara...e isso é perfeito, pois quero dar o troco por tudo o que ele fez e disse com a Hinata! – Disse Naruto, sério.

- Como assim? Ele fez algo ruim para a Hinata? – Disse Meri, confusa.

- Foi contra ela que o Neji lutou...e a Hinata foi incrível, nunca pensei que ela fosse tão forte! Mas aquele canalha menosprezou ela, a atacou sem piedade, enquanto a Hinata deu seu melhor... Que ódio! Aquele cara me paga! – Explicou Naruto, claramente nervoso só de se lembrar do fato.

- Nossa...então, você vai lutar pela Hinata, é? Ela deve estar feliz! – Disse Meri, surpresa, logo sorrindo ao se lembrar do quanto a sua amiga observava o Uzumaki.

- Hum? Bom, não sei, não nos falamos ainda, ela está no hospital..., mas eu vencerei o Neji, isso com certeza, por ela e por mim! – Disse Naruto, um pouco confuso.

- Entendo, nesse caso boa sorte, torço por você! – Disse Meri, gentilmente.

- Valeu, há há há! – Disse Naruto, sorrindo também. – Aí, Meri, tem certeza de que foi só o Exame Chunin? Você ainda parece meio triste ou sei lá...

Logo o sorriso de Meri enfraqueceu, logo ela abaixou sua cabeça e decidiu tentar contar o que realmente a entristecia, mas sem revelar toda a verdade por trás de suas palavras.

- Tem algo...que me faz diferente da maioria das pessoas, não posso dizer o que, mas...eu contei a verdade para meus amigos de equipe. – Disse Meri, sem olhar para seu amigo ao seu lado. – Quando fiz isso, todos me olharam de uma forma diferente...como se algo ruim vivesse em mim... Não sei explicar isso, pode até ser bobagem, mas...quando eles me olharam, me senti tão sozinha...e me senti inferior...isso me deixa irritada...e triste.

Surpreendentemente, para a Genin, Naruto ficou calado, ouvindo o desabafo de Meri com seriedade, logo o ninja deu uma leve risada, surpreendendo a menina, que o olhou com curiosidade.

- Engraçado...eu sei bem como você se sente, só não acho que seja pelas mesmas razões... Eu recebo olhares do tipo desde que nasci, desde que virei ninja isso diminuiu um pouco, mas ainda acontece...esses olhares sempre estão por aí. – Disse Naruto, encarando a vista de seu lar. – Isso também me deixa irritado e triste, quando era pirralho isso era mais forte, me sentia sozinho...e isso machucava.

- Naruto... E o que faz sobre isso? – Disse Meri, surpresa, mas mais interessada nas palavras do amigo do que nunca.

- Eu deixo eles para lá, não deixo que me julguem, porque não podem...só eu sei o que passei e só eu me conheço de verdade para me julgar! Tomei a decisão de me esforçar além do limite, para me tornar um grande ninja e, no futuro, o Hokage, assim poderei mudar os olhares de todos...e aí todos poderão me olhar com respeito, não com estranheza! – Respondeu Naruto, virando-se para a amiga e exibindo um grande sorriso. – Meri, se seus amigos a veem dessa forma agora, só precisa se empenhar para que isso mude e, com o tempo, eles te enxergarão como realmente se deve, se liga!

- Mas...como faço isso? – Perguntou Meri, ansiosa.

- Como? Hum...isso é difícil... Ah! Tipo, o Sasuke é um mané, mas ele é meio que meu rival, e eu odeio o olhar dele superior ao meu! Então eu treino, como, durmo e me esforço todo dia pensando em superar ele! Se ele treina o dobro de vezes, eu treino quatro vezes mais! – Disse Naruto, pensando em uma resposta, logo pensando em um de seus melhores amigos.

- E está dando certo? – Disse Meri.

- Bom...ainda não, mas um dia vai, com certeza! Eu não vou desistir, se liga! – Disse Naruto, sem graça, mas determinado.

Ouvindo as palavras de Naruto, Meri se lembrou de tudo o que ele disse na primeira etapa do Exame Chunin, assim se sentiu um pouco melhor e riu baixinho, agradecendo o amigo pela ajuda, que, mesmo sem entender, gostou de ajudar.

No hospital da Vila da Folha, Iwa só foi capaz de ver seu amigo Lee através do vidro do quarto de observação: observando o jovem que sempre se esforçou sozinho, mesmo sem poder usar jutsus, daquela forma, entubado e coberto de ferimentos, afetou bastante Iwa, que sentiu uma raiva pessoal do trio da Areia, mas ao mesmo tempo fez com que percebesse o quão difícil e cruel o mundo dos ninjas era, não apenas para ele, mas para todos também.

Ao mesmo tempo, Kiba, Akamaru e Shino foram capazes de visitar e conversar com Hinata, que dizia se sentir melhor, a menina ficou contente e lisonjeada ao ver Raion a visitando, mas o jovem tímido não quis permanecer no quarto, ele se contentou em apenas cumprimenta-la de longe e sorrir. Decidindo deixar o Time 8 a sós, Raion caminhou pelos corredores do prédio, planejando deixar aquele ambiente tão familiar, mas ao avistar Neji Hyuuga mais adiante ele parou.

Lembrando-se da história contada por Kiba e Shino, ao mesmo tempo recordando de sua amiga e de seu estado de saúde, a raiva que possuía Raion voltou mais forte, assim o Genin caminhou a passos pesados em direção ao Hyuuga, que parecia aguardar alguém diante de uma porta e estava acompanhado de outra pessoa, a qual Raion nem sequer foi capaz de ver tamanha era sua ira.

- Qual o seu problema, babaca!? – Disse Raion, agarrando a gola da camisa de Neji, o puxando para perto, furioso.

- Me solte, não sei do que está falando! – Disse Neji, aborrecido.

- Por causa da sua babaquice a sua própria prima está aqui no hospital, como tem coragem de se chamar de homem!? Você é um covarde! – Disse Raion, encarando o calmo Hyuuga com uma fúria ardente.

[ Mas que!? É o Raion! ] – Pensou Iwa, enfim entendendo a situação, se aproximando de seu amigo de time, preocupado.

- Raion, pare! Solte o Neji, o que está fazendo!? – Disse Iwa, confuso demais.

- Qual a sua proximidade com a Hinata para se importar tanto? Nos enfrentamos em um duelo justo e eu ganhei, agora me solte. – Disse Neji, se mantendo calmo.

- Como ousa!? Disseram que você a menosprezou e mesmo agora dá para entender por esse seu olhar vazio... A Hinata deu tudo de si, dê mais respeito a ela e não a deixe numa droga de cama de hospital! – Retrucou Raion, prendendo o Hyuuga com mais força.

[ Espera...isso não pode ser só sobre a Hinata... ] – Pensou Iwa, entendendo a verdadeira fonte da raiva de seu amigo.

- Raion, por favor, chega! Estamos dentro de um hospital, pense nisso! Além disso, não é do Neji que você tem raiva, eu sei! Vamos embora! – Disse Iwa, chamando a atenção do amigo, que pareceu se dar conta do que estava fazendo, logo largando Neji.

- O que está acontecendo!? Dava para ouvir vocês de dentro do quarto do Lee, ele está dormindo, poxa! – Disse Tenten, saindo do quarto do paciente, encarando os Genins com muito aborrecimento.

- Se me encostar de novo, não me responsabilizo pelo que pode acontecer, repetente. – Disse Neji, sério.

- Vá se ferrar... – Disse Raion, estalando a língua e dando as costas ao grupo, caminhando para longe.

- Ah... Desculpa gente, ele não fez por mal, preciso ir! – Disse Iwa, se desculpando com seus amigos, logo correndo atrás de Raion. – Cara...o que foi isso? Posso não saber da história da Hinata, mas vocês nunca foram muito próximos...

[ Não foi por ela... Droga, o que deu em mim? Essa história do espião e da Meri em perigo não param de me assombrar... ] – Pensou Raion, calado diante das palavras do amigo.

- ...Foi pensando na Meri, não foi? Imagino que isso não deva sair de sua cabeça também... – Adivinhou Iwa, tristemente.

- É o conjunto da obra... Droga, queria poder fazer alguma coisa quanto a todos esses sentimentos, mas nada do que faço adianta... – Disse Raion, cansado.

- Sei como se sente... – Concordou Iwa.

Deixando o hospital juntos, Iwa e Raion foram surpreendidos pelo surgimento de seu líder diante deles.

- Aí estão vocês, precisamos conversar, para valer. Me encontrem agora na área de treinamento onde aprenderam o controle de chakra pela primeira vez, estou esperando. – Disse Iyasa, logo em seguida fazendo um sinal de mão e desaparecendo.

- Um clone... Saco, nem para vir pessoalmente, esse incompetente... – Disse Raion, suspirando.

- Ele está esperando...naquele paredão, lembra? Vamos? – Disse Iwa, lembrando-se da localização da área de treinamento requisitada pelo seu líder.

Concordando com o colega, Raion e Iwa seguiram ao ponto de encontro, ao mesmo tempo, outro clone surgiu diante de Yukan, que voltava lentamente para casa, o convidando para o mesmo lugar.

- Naquele lugar... Bom, não tenho o que fazer mesmo... – Disse Yukan, pensativo, dando de ombros e seguindo para a direção certa.

Enquanto voltava para a aldeia, após se despedir de Naruto, Meri também foi encontrada por um clone de seu líder, que a instruiu sobre o encontro e rapidamente desapareceu; diante disso, a jovem respirou fundo, sabendo que teria de, mais cedo ou mais tarde, encarar os olhares de seus amigos se quisesse seguir em frente, assim se apressando para o ponto de encontro também. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...