1. Spirit Fanfics >
  2. Go To Sleep >
  3. O Doce Sabor Do Seu Beijo

História Go To Sleep - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, demorei um pouco mas voltei

Capítulo 4 - O Doce Sabor Do Seu Beijo


Fanfic / Fanfiction Go To Sleep - Capítulo 4 - O Doce Sabor Do Seu Beijo

 Estou rastejando em seu coração querida 

Irei te quebrar te virar e te engolir 

Irei te roubar e desfrutar de você 

Eu vou te bagunçar toda

Estou gravado em seu coração

Então, mesmo se eu morrer, quero viver para sempre

Você me chama de monstro

Eu vou entrar em seu coração

        Monster- EXO



Any:


Alguns dias se passaram e tudo continuou na mesma, Jeff saia quase todos os dias e voltava cheio de sangue, o que me deixa apavorada, eu apenas finjo que não sei de nada 

Jeff disse que iria sair mas não iria demorar, então em sua ausência descido lavar as roupas, resolvi  ver tv enquanto espero a máquina realizar seu trabalho mas acabo escorregando no corredor e batendo a cabeça no chão, me sentei e toquei minha cabeça vendo o líquido carmesim em meus dedos, cambaleando fui até o banheiro de Jeff a procura de algo, talvez algum remédio para dor 

Abri o armário vendo ali vários frascos, quais que não consegui identificar pela visão turva e distorcida, peguei qualquer um e tomei logo duas pílulas já que a dor era infernal. Caminhei até o quarto mas me senti tonta por instante e tentei me segurar em algo mas falhei sentindo meu corpo ir de encontro ao chão frio e em segundos minha visão escureceu me fazendo perder a consciência


Jeff:

Assim que cheguei em casa o único som que ouvi foi da máquina de lavar... Onde está Any?... Ela fugiu...senti o ódio me possuir, como impulso larguei as sacolas no chão fechando meus punhos trincando o maxilar, sentindo minha respiração ofegante pela raiva 


__ ANY?- gritei mas não obtive resposta, fui até o porão mas ele estava vazio, olhei o banheiro e ele estava igualmente vazio... Mas quando entrei no quarto vi Any desacordada e corri ate ela ficando ao seu lado- Any... Chacoalhei seu corpo mas ela não se mexeu - ANY ACORDA- chacoalhei mais forte mas nada...- ACORDA PORRA- dei um tapa em seu rosto vendo ela abir levemente os olhos mas logo os fechou 

Que porra você fez Any? A peguei no colo a deitando em minha cama, e quase arrancando meus próprios cabelos andei em círculos tentando decifrar a merda que ela fez,foi quando notei a luz do banheiro acesa, corri até lá vendo uma cartela de calmamente na pia... Ela tomou logo dois comprimidos...e eu não podia fazer nada além de esperar Any acordar, fui até ela notando seu pulso lento e a respiração calma 


__ o que você foi fazer?- me sentei ao lado dela- garota idiota..- olhei para seu rosto sereno em meio ao sono profundo, passei a mão tirando o cabelo de seu rosto vendo em sua testa um corte não muito profundo


×{...}×


A lua cheia em seu ápice ilumina a pequena cidade, uma ótima noite para uma caçada... Uma brisa suave passe por mim me arrepiando levemente, carregava meu machado a procura de uma boa vítima pra ele. Paro de frente a uma janela onde consigo ver uma mulher se arrumando no espelho, silenciosamente entrei no quarto me mantendo nas sombras até que a mulher vê meu relfexo através do espelho

Ela se assustou se virando bruscamente me olhando com um olhar apavorado


__ quem é você ?- perguntou trêmula 


__ seu pesadelo- ela arregalou os olhos e tentou correr mas eu sou mais rápido e da seguro pelo braço logo em seguida fazendo com que meu machado acerte seu ombro, ela soutou um grito de dor e conseguiu se soltar de mim correndo casa a dentro... E eu como um ótimo caçador ... Adoro jogos ..


__ certo! Vamos brincar de pique-esconde - soltei uma risada alta - agora onde minha presa se escondeu ?- perguntei retoricamente e ouvi seus soluços de longe

Sigo os rastros de sangue até o banheiro principal da casa, olho para a banheira com a cortina fechada - acho que te achei...- abri a cortina vendo a mulher se desesperar- não fique assim... Você é péssima em se esconder - levantei meu machado vendo o terror eminente em seus olhos 


__ por favor .... Eu te imploro - sorri diabólico


__ eu adoro quando imploram- deixei a gravidade fazer seu trabalho logo vendo o sangue jorrar do corpo da mulher. Contente apoiei meu machado sobre os ombros e sai de lá calmamente, caminhando pelas ruas sem iluminação e ao longe avistei dois adolescentes bêbados cambaleando pra lá e pra cá e quando chegaram perto o suficiente esbarrei em um deles 


__ ai arrombado- gritou... Tks... Tão bêbado que notou o brinquedinho que carrego comigo 

Olhei seriamente em seus olhos e vi suas pupilas dilatarem de medo 


__ olha só Dylan... Ele gosta de bancar o lenhador - diz o outro em deboche, só então perceberam meu machado 


__ porque não nós divertimos um pouco?- sorri 


__ de que porra você tá falando ? - o tal Dylan diz alterado e eu apenas continuo sorrindo 


__ vamos brincar- acertei com o má gado em sua perna esquerda quase a decepando 


__ Ah! Que porra!- diz aos gritos e o outro tenta me dar um soco mas eu desvio o fazendo socar o nada, com a oportunidade cravei a lâmina afiada do machado em suas costas vendo o sangue manchar a camiseta branca, volto a olhar para que está no chão... Agora sim é visível o seu terror 


É hora do show


×{...}×


Any


Eu corri pra fora da cabana ... Porque ? Não sei ... Só sei que corri, aos poucos a cabana se distanciava e eu me sentia aliviada mas com medo de Jeff me pegar, ele está atrás de mim segurando uma faca com um olhar de ódio 


__ ANY!- gritou meu nome mas eu continuei correndo a plenos pulmões, desviava das árvores galhos e arbustos que apareciam em meu caminho e quando me vi longe o suficiente me escondi atrás de uma árvore ... O medo me corrói por dentro... Eu não quero morrer... Coloco a mão na boca para impedir que qualquer som seja emitido 


__ cadê você Any?- posso ouvir seus passos pesados a poucos metros de mim- aonde você está sua rata insignificante- rosna e eu seguro um soluço de desespero- não adianta se esconder Any querida...

Eu vou te achar e quando te pegar você vai dormir eternamente- sem muita opção saio de meu esconderijo encarando aquelas orbes que tanto me arrepiam


__ aí está você- o semblante de seu rosto agora é calmo- agora prepare-se para dormir


Acordei atordoada e com pontadas fortes na cabeça, olhei ao redor e vi que estava no quarto de Jeff... Mais especificamente em sua cama ... Mas que diabos estou fazendo aqui? Sinto que  enlouqueci de vez .... Sinto uma dor aguda na região da cabeça e levo a mão até ela sentindo um curativo em minha testa ... Eu não me lembro muito bem do que aconteceu... 


__ ah! Já acordou- sua voz grave me desperta de meus pensamentos, olhei em sua direção e vi que estava deitado no chão usando alguns cobertores como travesseiro ... Ele estava aqui o tempo todo? 


__ hm.. já ..- digo baixo e ele se levanta vindo até mim se inclinando sobre meu corpo pondo sua mão em minha testa me fazendo corar ... Ele está perto de mais ... 


__ sua febre passou- disse em tom de .. alívio? Isso mesmo produção? 


__ o que aconteceu?- perguntei e ele se sentou ao meu lado 


__ eu cheguei em casa e você tava desmaiada no chão, tinha um corte na testa e um cartela de calmamente na pia do banheiro - calmantes ? ... - não sei o que estava tentando fazer ... Mas deu certo ...- senti meu estômago roncar- vou trazer algo pra você- assenti- e ele saiu


Calmantes ? Acho que confundi com algum remédio para dor mas acho melhor não falar nada se não ele vai me achar idiota. E que sonho foi aquele? Porque sonhei com ele me matando? Realmente enlouqueci... 


__ sua comida chegou- Jeff disse empurrando a porta com os quadris já que as mãos estavam ocupadas, me entregou a comida e se escorou na porta cruzando os braços - você apagou desde ontem... Tá querendo se matar? 


__ você parece meu pai falando- digo de boca cheia e ele revira os olhos 


__ tanto faz- suspirou e eu não sei o porquê aquilo doeu ... Ele não liga pra mim ... Não.. ele se importa.. se não eu ainda estaria jogada no chão ... E lá estou eu tendo pensamentos desse tipo com o meu sequestrador ... Any você não tem salvação... Eu sei que ele mata pessoas... Apesar de nunca deixar evidente. Espanto esses pensamentos sacudindo a cabeça e percebo que ele não está mais lá. Me levanto sentido a tontura chegar e me apoio na parede até voltar ao normal, levei as coisas até a pia e o vi deitado de um jeito desleixado no sofá 


__ você devia ficar na cama- disse assim que me viu 


__ eu estou bem... De verdade! E eu não gosto de passar o dia deitada- ele deu de ombros voltando sua atenção a tv e eu me sentei ao seu lado 

Algum tempo se passou em completo silêncio até eu decidir quebra-lo 


__ eu... Posso ir lá fora? - perguntei abraçando meus joelhos enquanto o olhava receosa 


__ não - disse automático


__ por favor, eu não vou fugir... Na verdade não tenho pra onde ir e eu não vou voltar pra aquela casa- me referi a casa de meus pais com desgosto- querendo ou não você me deu abrigo... Porque eu fugiria?- ele me olhou por alguns segundos até se levantar 


__ vamos antes que eu mude de ideia- senti meu rosto se iluminar e levantei em um pulo me sentindo tonta por um segundo- tem certeza disso?- perguntou com a sobrancelha arqueada 


__ sim, porque ? Está preocupado?- provoquei 


__ claro que não- disse sem expressão e eu me senti decepcionada... Como se ele gostasse de mim 


__ que seja...- passei por ele indo em direção a porta


Assim que saímos respirei fundo sentindo o cheiro da natureza me invadir e trazer grande satisfação, alguns raios solares ultrapassavam as densas copas das árvores tornando tudo mais bonito 


__ é lindo- comento 


__ é sim- parou ao meu lado, sem demorar comecei a caminhar ouvindo os sons da mata, andamos por alguns minutos até eu me sentar debaixo de uma grande árvore, Jeff se sentou ao meu lado mexendo em uma folha que ele pegou do chão a pouco tempo 


__ gostei desse lugar- digo sorrindo 


__ sabia que iria gostar- sorri convencido- eu sei tudo sobre você Anelise Collins 


__ sabe meu nome todo..- digo surpresa 


__ não disse que sabia tudo sobre você?- inclinou levemente a cabeça em minha direção


__ então diga seu nome também... Digo não justo que só você saiba- ele riu


__ certo, não vejo problema nisso... É Jeffrey... Jeffrey Woods- prendi meus olhos em seu rosto analisando cada traço, a pele pálida fazia um contraste perfeito com os cabelos escuros seus olhos contiam um brilho acizentado hipnotizante e o corte em sua boca ... O deixava único 


__ não me olhe assim, não sou bonito pra isso- tentou jogar longe a filhinha mas falhou 


__ as coisas que acho mais bonitas em uma pessoa quase nunca são físicas- digo sincera 


__ então piorou, sou horrível por fora e podre por dentro - me olhou 


__ eu não me importo com o que você faz dentro de casa... O que me interessa é como você age dentro de casa... E mesmo com seus defeitos eu acho você bonito- em um ato rápido ele colou nossos lábios, no primeiro instante me senti surpresa mas aos poucos me rendi a ele sentido o doce sabor do seu beijo... O qual também exalava perigo 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...