1. Spirit Fanfics >
  2. Go to Sleep (Jikook) >
  3. Bebê chorão

História Go to Sleep (Jikook) - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Bebê chorão


Havia acabado de acordar de um sono que não fazia idéia de onde e nem quando começou. 

Sua cabeça latejava fortemente, e fez uma careta de dor quando tentou levar a mão até sua nuca. Sentiu uma pressão dolorosa em seus dois pulsos e tornozelo, o que o levou a grunhir. Confuso, abriu os olhos lentamente, vendo que estava amarrado a uma cadeira desconfortável, e, por provavelmente ter ficado tanto tempo nessa posição, seus músculos e articulações estavam doloridos.

Estava completamente confuso, não sabia onde estava e não lembrava de como chegou ali.

O desespero o acertou em cheio.

Se debateu, achando que assim pudesse conseguir se soltar e saber o que estava acontecendo, mas obviamente tudo que conseguiu foi mais dor e uma quase queda.

Frustrado, suspirou e olhou em volta.

O cômodo estava sendo iluminado precariamente por uma lâmpada de luz amarelada acima de si, estava frio e não conseguia ver praticamente nada ao seu redor, o fazendo engolir em seco por não saber se tinha alguém ali, além dele.

— Quem está aí? — Disse, e sua voz trêmula ecoou em meio a escuridão.

Demoraram alguns segundos, mas uma risada baixa e bizarra tomou conta do ambiente frio e escuro, fazendo os pêlos do homem se arrepiarem e seu corpo tremer dos pés a cabeça.

— Pois bem, então a madame acordou? — Falou num tom que esbanjava ironia.

O rapaz arregalou os olhos, estava tão apavorado que jurava ter ouvido o próprio coração batendo e seu corpo começou a transpirar, e sua respiração falhou.

— E-eu tenho dinheiro... É isso que você quer? Eu tenho bastante dinheiro, posso te dar o quanto quiser, certo? Mas deixe-me viver, por favor!

Jungkook gargalhou.

Mas não foi uma gargalhada normal, era quase infantil, tão histérica e alta que chegava a ser doentia. O outro não entendia a graça e achava que não poderia ficar mais desesperado.

— Do que está rindo?

Jungkook encerrou as risadas subitamente, sua expressão se tornando séria outra vez. — A única coisa que eu quero de você, é a sua morte. Mas antes disso acontecer, vamos nos divertir um pouco, sim?

Se aproximou de uma cômoda a frente da parede descascada, abrindo a gaveta e tirando de lá um bisturi.

Ele imediatamente sacudiu a cabeça para os lados, apavorado.

— Eu te dou o quanto você quiser, realmente tenho bastante dinheiro! P-por favor, não faça isso!

Irritado, Jungkook andou em passos rápidos na direção á ele, lhe desferindo um tapa estalado no rosto.

— Cala a boca, você fala demais.

Ele então abaixou a cabeça e, amedrontado, murmurou um pedido de desculpas que o outro quase não ouviu. Lágrimas começaram a descer pelo seu rosto avermelhado.

O outro, a perceber, se ajoelhou na frente dele e com o polegar e indicador, agarrou o queixo dele sem a mínima delicadeza o forçando a encarar a sua máscara, quando disse numa sarcástica voz infantil: — Oh, me desculpe. Eu fiz o bebêzinho chorar, foi?

O outro fechou os olhos com força e balançou a cabeça num movimento brusco para tirar as mãos do psicopata do seu rosto, não obtendo muito sucesso.

Para tentar descontar seu medo de alguma forma, mordeu o lábio inferior com tamanha força que chegou a sentir o gosto metálico de seu sangue.

Jungkook apenas levou um de seus dedos até o lábio inferior do outro, e depois levou o dedo até a própria boca por debaixo da máscara, sentindo um pouco daquele gosto metálico também, e sorriu em satisfação.

O rapaz amarrado a sua frente apenas começou a chorar, se debatendo desesperadamente na cadeira.

— Ei... pare com isso. — O outro disse, com um tom sério na voz. 

Ele não deu ouvidos e começou a gritar o mais alto que conseguiu, até sentir sua garganta arranhada,  desesperado para que alguém conseguisse ouvi-lo.

Puto, Jungkook ficou de pé, agarrou os fios do outro e inclinou a cabeça do mesmo para trás com brutalidade, o forçando a olhar para si.

— Fique quieto, sim? Talvez eu deixe você viver. — Mentiu.

O rapaz parou de se debater e gritar, mas continuava chorando e soluçando.

— Por favor. — Disse, num fio de voz.

— Não fique assim... — Aproximou suas mãos do rosto do outro que instintivamente tentou se esquivar.

— Estou com pena de te ver desse jeito... — fez um biquinho. — Vamos colocar um sorriso nesse seu rosto. O que acha?

— O quê?

Jungkook sorriu. Se afastou apenas para pegar a pequena faca que antes tinha deixado encima da estante e levantou a mão com o objeto até a altura de seu rosto, andando na direção do rapaz.

Entendendo o que o psicopata iria fazer, começou a gritar angústiantemente, pedindo por socorro repetidas vezes.

Furioso, tirou sua máscara a jogando em qualquer canto e agarrou seus fios escuros com ainda mais força e colocou o bisturi na altura dos olhos arregalados do outro.

— EU JÁ NÃO MANDEI VOCÊ CALAR A BOCA, FILHO DA PUTA? 

O ódio que a expressão de Jungkook carregava o fez parar de falar imediatamente, e, demonstrou surpresa quando viu quem estava por trás daquela máscara.

— Jungkook?

O dono do nome proferido abriu um sorriso imenso acompanhado de olhos bizarramente arregalados, e gargalhou, sem distanciar a mão dos seus cabelos negros e se distanciar do rosto do dele.

— Surpreso, hyung?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...