1. Spirit Fanfics >
  2. GOD IS WOMAN (Roseanne Park) >
  3. Minha pequena

História GOD IS WOMAN (Roseanne Park) - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Minha pequena


Fanfic / Fanfiction GOD IS WOMAN (Roseanne Park) - Capítulo 3 - Minha pequena

Depois que o policial foi embora eu e minha mãe ficamos conversando enquanto minha pequena estava fazendo suas atividades da escola, uma vez ou outra a mesma me pedia ajuda em alguma questão mas desde de pequena Lily sempre foi uma criança super inteligente, com certeza ela não puxou o pai dela 

Quando a noite se fez presente minha mãe já tinha ido embora e como minha filha estava vendo desenhos resolvi preparar o jantar, dando uma olhada nas opções percebi que eu precisava ir ao mercado urgentemente. Com tantas coisas em minha mente acabo me esquecendo do básico aqui de casa 

– O que acha de pedirmos uma pizza? – Perguntei a mais nova enquanto me encostava na entrada da cozinha 

– Eba! Pizza!

Soltei um sorriso largo com a animação da mesma, caminhei até o sofá onde me sentei logo pegando meu celular que estava na mesinha de centro. Minha filha voltou a prestar atenção no desenho que passava na TV enquanto isso comecei a procurar alguma pizzaria boa, não demorei muito para encontrar para não atrapalhar a mais nova retornei até a cozinha onde era mais silenciosos 

– Olá boa noite, gostaria de fazer um pedido de uma pizza de queijo

– Uma pizza só? – A atendente me perguntou 

– Sim, mas pode ser metade de queijo e metade de bacon por favor, e um refrigerante de um litro – Respondi enquanto observava minha filha gargalhar com o desenho 

– Certo, nome e endereço por favor  

– Roseanne Park, o endereço é XXXXXX XXXXXXX, torre E, apartamento 43 

– Tudo certo, deu XXXXX. Logo vamos estar liberando seu pedido 

– Certo, muito obrigado – Encerrei a ligação – O que acha de assistir aquele filme que você gosta? – Perguntei a mais nova enquanto retornava à sala, antes de me sentar fui até minha bolsa para separar o valor da compra 

– Sim! – Rapidamente ela pegou o controle me entregando em seguida, depois de procurar o filme apenas dei o play 

O filme foi correndo assim como o tempo, quando me dei conta o interfone começou a tocar então me levantei indo até o aparelho. Como era de se esperar o motoboy havia chegado, avisei ao porteiro que a entrada dele estava autorizada e em seguida desliguei, fui até a cozinha para pegar os pratos, talheres e copos 

– A pizza chegou mamãe?

– Sim meu amor – Respondi colocando tudo na mesinha de centro, não demorou muito e logo o barulho da campainha ecoou pela casa. Caminhei até a porta abrindo-e revelando o motoboy

– Roseanne Park? 

– Isso mesmo – O motoboy abriu sua bolsa retirando de lá meu pedido, deixei tudo na mesinha e entreguei o dinheiro e uma gorjeta ao mesmo 

– Muito obrigado, bom apetite! 

– Bom serviço – Comentei e em seguida fechei a porta 

Retornei à pequena mesa de centro onde minha já se encontrava comendo pizza com uma felicidade muito grande. Após me sentar me servi de um pedaço enquanto prestava atenção no filme que estava passando na TV, no final das contas consegui comer apenas dois pedaços enquanto minha filha comeu pelo menos uns três

– Está ficando tarde, vamos dormir sim? – Comentei enquanto juntava os pratos, com a ajuda da mais nova levei as coisas até a cozinha colocando-as dentro da pia 

– Vou escovar os dentes – Ela se retirou rapidamente 

Terminei de organizar a sala e em seguida desliguei a TV, em passos curtos caminhei até meu quarto enquanto mexia em meu celular vendo se tinha alguma mensagem ou notificação importante. Depois de entrar no cômodo e me sentar em minha cama mandei uma mensagem para minha secretária avisando que eu iria chegar tarde no escritório ou que talvez eu fosse não aparecer   

– Vim lhe dar boa noite – Retirei meu foco do aparelho focando em minha pequena que estava entrando no meu quarto 

– Boa noite, durma bem! – Dei um beijo em sua testa 

– Boa noite mamãe, eu te amo! 

– Eu também meu amor – Com isso ela se retirou indo para o quarto dela, retornei a sala para apagar as luzes e trancar as portas 

Antes de dormir tomei um banho rápido apenas para poder relaxar e não dormir “suja”, de banho tomado e roupa trocada coloquei meu aparelho para carregar em cima do criado mudo. Ao deitar em minha cama soltei um leve suspiro, um vento se encontrava do lado de fora fazendo a árvore do vizinho dançar tranquilamente, não demorou muito para que eu caísse no sono   

NO DIA SEGUINTE 

– Lily acorde, você vai se atrasar para aula! – Gritei da cozinha apressando minha filha que estava se arrumando para a escola, enquanto a mais nova não aparecia comecei a colocar as coisas do café sobre a mesa 

– Bom dia mamãe – Ela me cumprimentou sorridente e logo se sentou à mesa

– Bom dia meu anjo – Dei um beijo no topo da sua cabeça – Coma direito seu café está bem? – Ela concordou – Vou te dar dinheiro para o lanche, hoje irei ao mercado fazer as despesas por isso estamos com quase nada 

Não tenho o costume de sentar e comer como a maioria das pessoas fazem, apenas tomei um pouco de café sem açúcar e em seguida fui pegar minhas coisas. Com minha filha pronta e de estômago cheio apenas peguei tudo indo para o estacionamento, digamos que estávamos quase atrasadas, se nós tivéssemos saído uns dez minutos mais tarde com certeza isso seria um problema 

– Tenha um bom dia na escola – Comentei parando o automóvel de frente a escola da minha filha 

– Obrigada mãe – Com isso a mesma se retirou do carro, ao se encontrar com uma amiga as duas entraram juntas dentro do colégio

Saindo do local em questão comecei a dirigir em direção ao supermercado, foi então que meu celular começou a tocar quando fui ver era um número desconhecido aproveitei que o sinal havia fechado e então atendi a ligação 

– Alô?   

– Senhora Park? – Era o policial, acabei me lembrando da nossa conversa de hoje  

– Bom dia policial, como conseguiu meu número? – Questionei o mesmo, assim que o sinal abriu coloquei a ligação no viva voz e comecei a dirigir 

– Sua secretária disse que era bem provável que você não fosse aparecer hoje, como temos uma conversa pendente resolvi pedir seu número a ela para verificar como podemos fazer isso  

– O senhor pode me encontrar no XXXXXXXXXX, daqui uns 15 minutos? 

– O supermercado? 

– Sim! 

– Está bem! – Encerrei a ligação voltando minha atenção para a estrada 

Dito e feito, assim que cheguei ao supermercado encontrei o policial parado na entrada com uma cara nada boa

– Bom dia agente – Cumprimetei o mais velho – Perdão por lhe fazer esperar – Comentei enquanto pegava um carinho e adentrava ao local sendo seguida pelo menos 

– Está tudo bem, mas porque estamos num supermercado? Digamos que aqui não é o local mais adequado para uma conversas dessa 

– Preciso fazer as despesas de casa, afinal tenho uma filha para cuidar – Respondi já começando a pegar as coisas que eu considerava necessárias

– Por falar nisso… Não imaginava que uma mulher como você já teria filhos – Ele comentou enquanto olhava alguns produtos – Não é casada suponho

– Sim, eu tenho uma filha. Foi um acidente de adolescente, eu tinha 18 anos quando descobri a gravidez que foi uma confusão afinal eu estava terminando o ensino médio

– E o pai da sua filha? 

– Morreu na guerra – Respondi simplista enquanto colocava as coisas no carrinho 

– Mas ele era contra? 

– Ele nunca foi muito expressivo com isso, mas pela cara que ele fazia dava pra ver que o mesmo nunca gostou 

– Então pode-se dizer que você ficou feliz pela morte dele? 

– Talvez… Mas enfim, você vai querer ouvir o resto da história? 

– Seria muito bom…














Notas Finais


até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...