1. Spirit Fanfics >
  2. GodDamn! - JooKyun >
  3. Capítulo Treze

História GodDamn! - JooKyun - Capítulo 13


Escrita por: strawberry_juyce

Notas do Autor


Falta 1 pra 200 seguidores a
Tenham uma boa leitura meus amores 💕

Capítulo 13 - Capítulo Treze


Fanfic / Fanfiction GodDamn! - JooKyun - Capítulo 13 - Capítulo Treze

Jooheon não protestou, pelo contrário, se permitiu ser cuidado por Changkyun; este que acariciava seus cabelos e repetia que tuda daria certo. Im e Jooheon deixaram a empresa antes mesmo do horário de almoço.

Changkyun deixou ordens explícitas para Kihyun de que apenas voltaria na empresa caso outra polêmica grande surgisse como empecilho para a editora, disse também que iria cuidar da crise de ansiedade de Jooheon e por isso se ausentaria por um dia. Tratou de levar o Lee para a mansão de I.M, onde se sentia mais confortável para lidar com a crise do garoto.

No carro o clima era tenso. Jooheon estava silencioso, algo que incomodava I.M que sempre se via contagiado pela falação alegre e cotidiana do outro, era seu dever moral trazer a felicidade do homem de volta, não deixar Serim nas mãos daquele crápula e principalmente, garantir a saúde do garotinho.

Em um ato de coragem — e por causa de um fogo abrasador que carbonizava todo lado racional que exista em I.M — cobriu a mão de Jooheon com a sua, tentando de alguma forma trazer conforto para o outro, deixando até mesmo carícias nas costas da mão. Lee por sua vez olhou suas mãos juntas e depois olhou para I.M, que sorriu terno para si. Se permitiu sorrir pequeno e aceitar o carinho.

Aceitar. Era isso que faltava para Jooheon.

Aceitar que problemas são normais, que estar mal é normal, que amar é normal, que ser amado é simplesmente maravilhoso. Mesmo que tivesse inseguranças, ainda assim a aceitação era o caminho para uma futura boa vida. Se aceitação era o caminho, I.M era a luz que revelou esse trajeto mais curto à felicidade.

Chegaram na casa de I.M e entraram em silêncio na residência, deixando os sapatos ao lado da porta evitando de sujar outros cômodos. Changkyun fez uma rápida prece para a Deusa e acendeu um insenso na sala.

Se sentou no sofá e Jooheon se sentou ao seu lado. Levou a mão até os fios loiros — que estavam terrivelmente desalinhados —, passando os dedos entre os fios.

Jooheon estava um turbilhão de sensações. Seu corpo as vezes tremia com a vontade de se machucar, os olhos deixavam escapar algumas lágrimas, mas nenhuma palavra era dita. Se aproximou e deitou a cabeça no ombro de Changkyun que o abraçou, sentiu como se estivesse protegido do mundo externo, do pai, dos problemas... Como se estivesse protegido de si mesmo.

Changkyun suspirou pesadamente antes de beijar os fios do loirinho, queria tanto poder tirar essa dor do garoto. Sua mão direita rumou para as do outro, acariciando-as em um ato de amor.

As vezes sentia que eram como Adam e Ethan do livro de Jooheon. Duas almas opostas que por algum motivo enxergaram algo único um no outro, algo que não enxergavam em si mesmos.

E a luta pelo amor parecia tão difícil para Jooheon e Changkyun quanto foi para Adam e Ethan. Torcia de verdade que tivessem seu final feliz como o casal do livro teve.


Notas Finais


Aceitem que estar mal é normal e está tudo bem!
Obrigada por ler meus nenéns 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...