1. Spirit Fanfics >
  2. Gods And Angels >
  3. O Pesado Vento Salgado 2

História Gods And Angels - Capítulo 43


Escrita por:


Notas do Autor


OII AMORES!!!
ENTÃOO...Primeiramente queria agradecer aos 105 favoritos... Sério voces são demais...
Eu amo todos voces !!
Obrigada pelo apoio e pelo carinho!
Boa Leitura!
BEIJOS DE CARAMELO!!!!😘😘😘😘😘
AVISO: CAPITULO NÃO REVISADO!!!

Capítulo 43 - O Pesado Vento Salgado 2


Fanfic / Fanfiction Gods And Angels - Capítulo 43 - O Pesado Vento Salgado 2

Eu me lembro...  

Eu me lembro de dizer que não me voltaria a pronunciar a cerca da minha vida... Ao da forma triste de como a encarei durante tanto tempo.  

De qualquer forma... Não é isso que está em causa nesse momento.  

O que eu quero dizer... É quando ainda vivia na casa do meu avo, havia um homem.  

Todas as manhãs, esse mesmo homem, se sentava no banco do jardim que ficava perto do parque infantil.  

Era com o seu chapéu de veludo marrom, com a camisa xadrez e com as longas barbas brancas, que tranquilamente alimentava os pombos.  

Eu gostava de olhar para ele... Para a felicidade... Para o sorriso dele enquanto alimentava aqueles animais esfomeados.  

Pode parecer demasiado exagerado, mas a verdade é que eu gostava muito de observar o homem... O observava todas as manhãs... Ia ás 6 e se ia ás 9.  

Nunca falei com ele... Nunca sequer troquei um único olhar com ele... Mas mesmo sem me conhecer, ele me ensinou uma coisa muito bela... E muito simples.  

A felicidade se encontra nas coisas mais simples da vida.  

Narradora On  

O chão tremia, assim que sentia os pés pesados daqueles homens o pisando firmemente.  

Os passos eram de tal forma violentos, que de longe se conseguia ouvir o seu batimento contra a terra seca.  

Para além dos passos... Nada se ouvia.  

Nem os pássaros, que enfeitavam as árvores...  

Nem a  água do rio, que docemente embainhava a floresta...  

Nem mesmo as respirações daqueles homens, que apesar de inspirarem força... Tudo temiam.  

Eram tão cobardes quanto o seu líder que, na frente, montado no seu cavalo de armadura reluzente, os coordenava.  

Sakura tinha razão... Ela tinha toda a razão.  

Assim que Itachi soube da traição, tanto por parte de Naruto como por parte de Sasuke, não fez outra coisa se não ir em busca do irmão e do loiro.  

Para ele, aquilo nada mais era, do que um absurdo.  

Embora tivesse razões, Sasuke nunca pensou que Sasuke fosse esconder dele a mulher que poderia destruir tudo aquilo que ele criou... Com tanto “esforço” e “dedicação”.  

Não lhe restava muita opção... Ele não queria aquilo...  

Ele não queria aquilo... Mas ele o traiu... E traição, não se perdoa no Reino Divino. Mesmo sendo irmão, traição é traição. E traição não passa de uma traição.  

Do outro lado, para lá dos portões de ferro negro, dentro das muralhas do Reino da Coragem... Sasuke já os esperava.  

Sakura já havia partido com os corpos de Hinata e Naruto, que ainda se encontrava debilitado.  

Da janela do seu castelo, já conseguia ouvir... Já conseguia ver, o montão de homens que vinha em busca dele.  

Apesar dos muitos homens, Sasuke permanecia calmo. Por muito que lhe custasse e acreditar, Itachi realmente estava vindo atrás dele. Abanou a cabeça, provavelmente desiludido com o que os seus olhos presenciaram... E dirigiu, então, os seus olhos ao povo... Que se abrigava dentro das respetivas casas, assim como Sasuke havia mandado. O moreno, assiste a Karin, que atentamente verificava as ruas.  

Karin, tinha ficado responsável por recrutar as ruas, vendo se realmente todos tinham entrado e se protegido dentro de casa. Ele sabia que podia fugir... Mas, ele nunca abandonaria o seu povo...  

Pedir ao povo para fugir, também poderia ter sido uma solução... Mas eram demasiados homens... Demasiadas mulheres... Algumas até grávidas... E para onde elas iriam? Para baixo da ponte? Que reino os aceitaria?  

Sasuke, respira fundo, quando a porta abre.  

-Todos obedeceram ás ordens indicadas Sasuke! 

-Todos? 

-Sim. As ruas estão vazias, e assim como ordenou, ninguém sequer tem uma vela acesa.  

-Ótimo...  

Saber que o seu povo respeitava a sua autoridade, era algo que realmente orgulhava Sasuke da melhor forma.  

O barulho de cavalos relinchando, e de pesados passos alerta o Anjo.  

-Vá embora... 

-Mas para onde? 

-Não sei...Você precisa sair daqui... Eles estão vindo. 

-Não... Eu não posso abandonar voce.... Eu não...Eu não posso...  

-KARIN SAIA DAQUI...  

-NÃO! 

Aquela atitude, completamente infantil e desnecessária estava irritando realmente Sasuke. Os militares estavam se aproximando, e agora para além de ter a morte batendo á porta, tinha uma mulher que insistia em ser a salvadora da pátria.  

-Você não entende... Se eles te encontrarem aqui, você e eu seremos mortos...Entendeu? Seremos mortos? Você quer morrer? Você quer morrer? Me diga, VOCE QUER?  

A ruiva arregalou os olhos, e por momentos até as palavras faltaram.  

-Na-Na-Não... 

-Então saia daqui...  

-Mas... 

-AGORA! 

A ruiva se afastou, como quem vai mas deixa o coração em terra, demasiado carregado de mágoa.  

-Sasuke...  Por favor, não morra.  

Sasuke não respondeu.  

Não porque não tinha resposta... Nem porque queria ser indelicado com a mulher que naquele momento parecia demasiado frágil...  

Mas, nem ele sabia se ia viver.  

Quando a ruiva abandonou a sala, o moreno respirou fundo e se dirigiu até á janela.  

Os soldados, já tinham passado pelos portões e já passeavam pelas ruas em direção ao castelo. 

Viu seu irmão na frente... Toneri no final da fila...  

-Pobres almas de espirito...  

Sussurra para consigo.  

-Que Deus tenha piedade de todos vós, carentes de ternura...Carentes de amor... Que ele tenha pena de todos vós.  

Enquanto Sasuke, fazia uma última prece... Já os soldados tinham invadido o castelo... 

Da sala, ele conseguia ouvir as coisas partindo..  

As escadas delicadamente pintadas a verniz, serem calcadas com os pés maliciosos e pouco delicados.  

Se ele fechasse os olhos, ele conseguia ver na perfeição, todos aqueles homens invadindo a sua residência da forma mais brutesca que podia existir.   

-Que pelo menos ele... Dono das palavras, dono dos seres...Dono deste mundo, que nos rodeia...Tenha pena de todos os vossos corações infiéis...E desonrados.  

A porta se abre.  

Todos eles, como homens que são, entram e rodeiam Sasuke com arco e flexa e espadas demasiado afiadas.  

O moreno, continuava de olhos fechados, orando, enquanto lá fora uma tempestade se formava. As nuvens se agrupavam, e formavam um céu escuro e cinzento. A trovoada, que anunciava a chuva que se aproximavam, rebentava como bombas no céu.  

Itachi é o último a entrar... E faz se silencio quando a sua presença é notada.  

-Sasuke, por traição e infidelidade, para com o Anjo dos Mares e seu irmão... As ordens e leis reais, apontam que será condenado á pena de cadeia.  

As palavras, quase nobres de Itachi, fizeram Sasuke dar um sorriso irónico.  

-Algo a declarar?  

O silencio era a sentença final de Sasuke...No entanto...  

-Que Deus abençoe todos vós, que a culpa vos caia sob os ombros... Que nenhum, daqueles que me tocar, tenha direito á vida eterna após esta pós vida que nos condena a todos... Que minhas palavras, cheguem ao céu e sejam refletidas...  

Itachi, deu uma alta gargalhada... E acrescentou: 

-Voce acha, que Deus ouve traidores? 

-A você ouviu... Então porque a mim não ouvirá? 

-O prendam! 

Pela resposta, foi claro que Itachi não  gostou das palavras de Sasuke.  

O mesmo, sem nem um suspiro soltar, foi obrigado a se ajoelhar perante todos.  

Suas mãos foram prendidas atrás das costas... E Sasuke, continuava com um galã sorriso nos lábios.  

-Do que está rindo? 

Questiona Itachi se aproximando do mais novo.  

Sasuke, não responde, de inicio e sua voz só foi ouvida quando dois soldados o levantaram e Itachi virou costas.  

-Você... Itachi...Você... Devia queimar no fogo do inferno....Devia ter seu corpo queimado pelas chamas do...  

Seu discurso é interrompido, pelo tapa que recebe do mais velho, que é de tal forma forte que seu rosto virou.  

Itachi, se aproxima do ouvido de Sasuke... 

-Irmãozinho tolo...Um castigo de aguarda... Um castigo te aguarda.  

E foi a última coisa dita pelo Anjo dos Mares, antes de colocarem uma corda em torno do pescoço de Sasuke e o  arrastarem como um cachorro para fora das portas do palácio.  

Foi de baixo das frias gotas de chuva, e do pesado vento salgado...  

Que o Anjo das grandes asas cinza, foi chorado pela tristeza divina.  


Notas Finais


AVISO: CAPITULO NÃO REVISADO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...