1. Spirit Fanfics >
  2. Gods and monsters >
  3. The sharpest lives

História Gods and monsters - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!! Olha só quem resolveu aparecer durante a madrugada invés da manhã.
Basicamente eu não tenho nada pra fazer e resolvi atualizar.
Andy Biersack na mídia

Capítulo 8 - The sharpest lives


Fanfic / Fanfiction Gods and monsters - Capítulo 8 - The sharpest lives

As ruas mal iluminadas assustam Gerard, toda a atmosfera daquela região era assustadora. Ele nunca esteve em um bairro desse nível o que o fez pensar se foi uma boa ideia ter vindo com Frank. A temperatura está mais baixa do que o normal para aquela época do ano e de alguma forma um nevoeiro tomou conta dali – estranho, aquele bairro é na parte baixa da cidade. Um cenário de terror, Gerard pensou, tudo ali é digno de um terror.

Tudo piorou quando Frank parou a moto em uma esquina a espera de alguém. Uma calafrio percorreu a espinha do mais novo quando duas figuras altas aproximaram-se, dois homens sérios com quase dois metros de altura. Suas expressões mudaram drasticamente ao reconhecerem o piloto.

“Frank! Como vai, amigo?” O homem loiro disse sorridente apertando a mão do baixinho. “O que podemos fazer por você?”

“Cuidar da minha moto enquanto falo com você sabe quem.”

“Mas é claro.” Frank levantou-se da moto, puxando o anjo para fazer o mesmo. “Não precisa se preocupar, não vamos deixar ninguém tocar nela.”

Os dois começaram a andar pela rua deserta, Gerard olhava para trás observando os dois desconhecidos fumando encostados na parede. A princípio teve medo deles, no entanto, demonstraram amistosos.

“Bob e Nikki Sixx, antes que você pergunte.” Iero pronunciou baixo.

“Seus amigos?”

“Unhum, pode-se dizer que sim.” Respondeu entrando em um beco sujo. Tudo parecia imundo, muito lixo acumulado e Gerard tem certeza que ratos passaram por seus pés. Sem contar pelo forte odor, em toda sua vida nunca sentiu um cheiro tão horrível e essa era a realidade das criaturas daquele bairro.

Pensou em respirar fundo para acalmar-se mas não parecia uma boa ideia. O beco parecia não ter fim, de modo desajeitado, o anjo desviava dos lixos espalhados e abertos pelo caminho. E foi então que percebeu olhares vindos de cima, olhares vermelhos e sedentos – talvez raivosos. Ele apressou o passo para segurar a mão do outro. Frank por outro parecia muito tranquilo com a situação e até sorriu para alguns dos olhos que devolveram com aceno.

Gerard observou tudo atônito, apesar de saber que Frank devia conhecer todos ali. Mas conhecer é diferente de manter uma relação boa.

De repente a conversa que teve com Bert veio a sua mente e lembrou da pergunta que queria fazer. “Frank...” o moreno parou para fitar Gerard. “Quem é Andy Biersack?”

Iero arregalou os olhos em completa surpresa. Gerard não deveria saber da existência daquele nome. “Como você sabe esse nome?” perguntou sem desviar o olhar.

“Bert.” Disse simples.

“Aquele acéfalo imbecil...” Resmungou com as mãos na cintura. O outro levantou a sobrancelha esperando pela resposta. Frank suspirou passando por Gerard abrindo uma grande porta de ferro.

Em contraste com todo bairro, aquele cômodo era bem iluminado. Havia demônios subindo e descendo as escadas mas todos pararam ao verem Frank. Aparentemente o baixinho era respeitado ali. Eles entraram em outro cômodo, Gerard engoliu em seco ao ouvir a porta ser trancada por fora e outro calafrio percorreu sua espinha. A sala – que parecia uma sala de reunião – estava lotada de demônios. Olhando bem, não apenas demônios mas anjos das duas classes também. O que iria acontecer?

No meio de tantos desconhecidos o anjo reconheceu três deles. Bert Mccracken, Quinn Allman e Ray Toro. Ele franziu o cenho mas Frank puxou seu braço e quando notou estava no centro de todos. Gerard olhou para o tatuado a procura de respostas mas o outro olhava para frente com um sorriso, o anjo fez o mesmo. Um homem alto retribuiu o gesto, em passos pequenos aproximou-se, os olhos absurdamente azuis analisaram Way.

“Você deve ser o Gerard Way, Frank falou muito de você.” Seu olhar alternou para o tatuado. “Espero que você esteja certo.”

“Um Way desconhecido, isso é novidade.” Uma voz soou no canto da sala. Gerard girou nos calcanhares a procura do dono da voz. Um homem de cabelo espetado, por volta dos 30 anos encostado na parede. Com um sorriso cínico caminhou até o meio da sala. “Porque você não é conhecido como seu irmão?”

“Porque não somos da mesma área.” Gerard não se deixou intimidar, ele levantou a cabeça e o nariz empinado o fez esnobe.

“Ah, erro meu. E qual sua área, anjo real?”

“Eu não sou um lutador, se é o que você quer saber. Não tenho tamanha habilidade.”

“Um anjo real que não consegue lutar... agora isso sim é novidade! Consegue voar pelo menos? Ou não tem tamanha habilidade.” O loiro ficou centímetros de seu rosto.

Gerard apertou o maxilar e sorriu fraco, ele estava no limite. Aquele homem era insuportável ao extremo.

“Consigo melhor que você.” Disse entre os dentes. A realeza presente arregalou os olhos com a resposta atrevida de Way e ainda mais quando o loiro tentou aproximar-se mais, logo impedido por Frank.

“Chega de show, Dirnt. Foi o suficiente por hoje.” Iero interviu fazendo o loiro voltar para o seu lugar. O tatuado virou-se para Gerard. “Você queria saber quem é Andy Biersack, ai está ele.” Apontou para o homem que havia falado minutos atrás.

“Esperamos muito pela sua presença, Gerard. E culpe Frank por isso, ele não queria voltar para o Palácio.” Andy falou sentando-se em uma mesa. “Você parou de tomar o chá?”

“Hm... sim.” Respondeu um pouco incerto. “Posso saber do por que queria me ver?”

“Você pode ser importante para algo que vamos fazer. Mas é claro que você tem que concordar primeiro.”

“E o que seria isso?” Gerard perguntou passando o apoio para a outra perna, aquela situação o deixava impaciente.

“Olhe ao seu redor,” Andy pediu enquanto andava pela sala. “por que tantos demônios se reuniriam de madrugada? Pelo óbvio, derrubar um governo opressor.”

Então a revolução era real. Gerard sentiu seu corpo flutuar, nunca aprendeu a nadar mas Frank o ensinou a boiar. E assim ele estava se sentindo mas em um segundo seu corpo afundou e ele se afogou. A revolução parecia necessária, o povo sofria, no entanto como ficaria a família do Way? Pode soar egoísta porém ele preferiria a família viva e bem do que qualquer coisa.

O anjo pensou nas possibilidade de um combate direto entre os demônios e a guarda do reino, os dois estariam prontos para morrer pelas suas causas mas o número de demônios e anjos caídos insatisfeitos era maior – e também contavam com a ajuda de anjos.

“Eu aceito.” Disse convicto. Frank tentou esconder o sorriso largo com a mão falhando miseravelmente. “Mas com uma condição.” Biersack levantou a sobrancelha pedindo para continuar. “Quero a proteção da minha família.”

“Justo. A partir de hoje temos um acordo, Gerard Way.”

Todos saíram do cômodo, ficando apenas o anjo, Andy e Frank. Os dois últimos estavam conversando enquanto Gerard processava o que havia acontecido. Ele concordou com uma revolução, revolução contra o rei que nada de mal o fez e ainda assim ele concordou. Mas Gerard tinha um coração e sabendo que sua ficaria bem, poderia participar de um levante popular pelo bem de todos.

Ele se sentiu um herói das histórias em quadrinho que tanto admirava.

Mas essa era a vida real e sabia que seria difícil derrubar um governo, mas Andy parecia ter um grande plano e tinha a ajuda de Frank. Gerard aproximou-se deles para relembrar Frank que deveriam ir embora.

“Porque demorou tanto?” O demônio perguntou.

“Jamia.” Iero respondeu dando de ombros, apesar da expressão despreocupada seus olhos tinha uma certa preocupação.

“Nenhuma notícia dela?”

“Não, parece que evaporou da terra. Mas ela é boa em se esconder então deve estar bem.”

Jamia, o nome soou familiar, muito familiar. Gerard fechou os olhos tentando buscar em suas lembranças alguém com esse nome, ele tinha uma breve imagem de uma garota de cabelos escuros, ela conversava com Frank em seu último baile. Era outro anjo. Talvez fizesse parte da revolução também.

“Frank.” O anjo chamou puxando a jaqueta do outro. “Temos que ir.”

Ambos se despediram de Andy e saíram pelo mesmo caminho que entraram. Os olhares do alto ainda estavam lá, observando cada passo deles. Way manteve o olhar no chão, quanto menos encarasse melhor seria.

No final da rua encontravam-se Bob e Nikki que riam alto como se não fosse madrugada. Gerard se perguntou que horas demônios dormiam ou se sequer dormiam, em qualquer lugar da cidade eles já teriam sido presos ou os moradores os expulsariam da calçada.

“Obrigado rapazes.” Frank agradeceu enquanto batia nas costas dos dois.

“Que isso, não precisa agradecer.” Bob respondeu, ele parecia mais sociável.

“Quer uma cerveja?” O outro ofereceu sorridente.

“Não, não. Agora eu preciso ir.”

Os dois subiram na moto e partiram. Todo o trajeto foi silencioso, mas não era um silêncio ruim. Os dois estavam imersos nos pensamentos, foi uma noite longa. Tudo o que precisavam era dormir durante um dia inteiro para recuperar a energia psicológica.

Logo chegaram na trilha, Frank escondeu a moto perto de uma árvore no meio das folhas. Eles andaram rápido agradecendo pela falta de guardas. Quando chegaram próximo do quarto tiveram que se esconder do guarda que andava tranquilamente por ali. Gerard foi o primeiro a subir e então ajudar Frank.

“Acho que você não vai conseguir ir para o seu quarto. Tem muitos guardas rondando os corredores e eles vão perguntar estava.” Way comentou fechando as portas da varanda.

“Eu durmo no seu divã.”

“O quê?! Não precisa fazer isso, a minha cama é grande o suficiente para até cinco pessoas.” O anjo afirmou.

Demorou um pouco mas Frank cedeu e aceitou dormir ali. Gerard notou o tatuado mais relaxado quando voltou do banheiro com a roupa já trocada. Frank estava sentado na cama apenas com uma box preta. O anjo arfou por alguns segundos antes de se recuperar e parar na frente do outro. Em uma atitude ousada, ele apoiou um joelho na cama enquanto suas mãos deslizaram pelo ombro tatuado.

Gerard não entendia por que a pele de Frank era tão quente. Seus dedos frios quase tiveram um choque térmico ao toca-lo.

“Por que continua fazendo isso?” Iero perguntou, sua voz soando mais rouca do que o normal.

“Porque eu gosto de você.” Sorriu. Ele se inclinou e beijou os lábios alheios.

Frank puxou Gerard para cama e o abraçou, o anjo se aninhou em seu peito exposto e fechou os olhos. Os dois tiveram ótimos sonhos.


Notas Finais


Finalmente a relação deles está melhorando e logo logo vem lemon
N sei se ficou claro mas o Dirnt é o baixista do Green Day.
Próximo capítulo já está sendo escrito e tem a introdução de um novo personagem. Quem será? Ele odeia portas abertas e tem a mania de invadir casamentos.
Até segunda 🖤🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...