1. Spirit Fanfics >
  2. Gold Rush >
  3. Capítulo 1

História Gold Rush - Capítulo 1


Escrita por: CameliaBardon

Notas do Autor


Oi gente! Como vão vocês? Espero que bem!
Esse projeto é novo mas também não é. Ele nasceu em 2019 numa RP com minha melhor amiga, e guardei a ideia com todo o carinho no coração para uma ocasião que estivesse com mais projetos encaminhados para o final. Então, chegou a vez de "gold rush", que é o amor da minha vida toda. Espero que vocês gostem! Os dois primeiros capítulos são introdutórios, a partir do terceiro o tamanho já aumenta porque essa história é bem longa.
Boa leitura ♥

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Gold Rush - Capítulo 1 - Capítulo 1

Claire amava as sinestesias que compunham suas manhãs. O cheiro de café passado e o cheiro de pão fresco e manteiga derretida remetiam-na a uma sensação agradável de ter alguém por quem zelar. Mais do que café, pão e manteiga, era uma confirmação de que tudo estava em ordem e Claire estava provando sua competência no trabalho.

O sol nascia. O café estava servido e mais um dia estava prestes a terminar. Ao menos, para Claire. Às 6h30, pontualmente, Meg descia as escadarias da mansão e juntava-se a ela no café. Naquela manhã não foi diferente.

— Bom dia, Cleo — ela desejou entre bocejos, abraçando a mulher de lado. Meg cheirava a carinho e a creme de coco. — Dormiu bem?

— Olá, querida. Muito bem, e você?

— Como um anjinho! Deveríamos fazer chá mais vezes, eu dormi em dez minutos!

Claire riu laconicamente, se rendendo somente a um afago nas costas da garota. Acostumada ao jeito reservado da amiga, Meg sentou-se à mesa com o bom humor inabalado. Com habilidade, ela ajeitou os cachos descoloridos num coque prático. Claire ainda associava sua imagem aos fios de cabelo rosa; com a nova tintura em tons acinzentados e roxos, Claire podia chamar aquilo de leve quebra de rotina.

— É bom! Mas com chá precisamos tomar cuidado, senão o corpo se acostuma e deixa de fazer efeito.

— Nossa, o chá é mesmo a cafeína reversa... Bom, eu aceito a cafeína agora de manhã. Para a semana me derrubar ela vai ter que me levantar primeiro!

Meg gargalhou com a própria piada, lançando ao ar o som melodioso e doce de seu riso. Mais do que dinheiro, a felicidade e Meg era o pagamento de Claire. Sorrindo de lado, a mulher serviu duas xícaras e levou-as até a mesa, recebendo um suspiro como agradecimento. As duas sorveram o líquido quente apreciando a companhia uma da outra – cada uma a seu modo. Claire guardava o segredo de que, na verdade, o café de todos os dias era descafeinado. Meg já era hiperativa por si só, Claire não iria se arriscar em colapsar a pobre garota daquele modo.

— O que vai fazer hoje? — ligeiramente mais desperta, Meg puxou assunto. — Algo empolgante? Novo? As segundas-feiras têm algo de muito bonito, como se fosse um... Recomeço interno semanal, não concorda?

Claire assentiu com a cabeça, comovida pela positividade da garota se fazer presente mesmo tão cedo.

— Eu vou... Fazer compras. O máximo de empolgação vai ser se eu passar por alguma loja de roupas que esteja em liquidação, no caminho do supermercado. Ou encarar uma fila gigantesca. Ou pior... Uma velhinha caçadora de promoções. Essas, particularmente, são as piores. Elas usam a carinha adorável para enganar e verificam todas as datas de validade para não pagarem pelo máximo de coisas possíveis.

Meg crispou os lábios, incapaz de conter o riso e a decepção. Em geral, ela não era muito boa em esconder qualquer emoção ou reação que fosse.

— Não acredito que você vive presa aqui, Cleo. Deveria sair mais... Você é tão bonita, tão inteligente... Não se cansa de ficar só aqui comigo?

Claire apenas deu de ombros, optando por não responder a nenhum dos questionamentos da garota. Ao invés disso, Claire tomou mais um gole do café e replicou:

— Eu aprecio muito a sua companhia, na verdade. E sou responsável por você, tampinha, o que significa que nem se eu quisesse eu teria tempo e disposição para essas... Atividades extracurriculares que vocês chamam de diversão hoje em dia. Certo?

Tampinha! — Meg arquejou, levantando-se para colocar mais café em sua xícara e atacar o armário em busca de biscoitos. Concentrando-se em sua fome por um minuto, ela murmurou: — É, falta chocolate. Enfim! Eu não sou tão mais nova que você para me chamar desse jeito, sabia? Há! Tampinha, mas essa é boa! Inventou essa?

— Ah, sim. Foi logo antes de descer para o café, estava me sentindo particularmente inspirada. Pensando melhor, com essa ânsia por chocolates a essa hora da manhã, eu deveria chamá-la de formiguinha.

— Engraçadinha. Desde quando faz piadas?

— Desde hoje! É o meu “algo empolgante” do dia, que tal?

Meg estreitou os olhos ao resgatar o pote de biscoitos, como se o mero ato fosse torná-la intimidante de uma hora para a outra. Era mesmo uma tentativa adorável.

— Não é como se eu te desse trabalho — Meg deu prosseguimento ao seu protesto. As próximas frases, entretanto, vieram em meio a mastigações: — Quer dizer, eu vou de casa para a universidade e da universidade para casa. Daí, em casa, eu fico enfurnada no quarto lendo, ou aqui na cozinha fazendo os deveres. E de vez em nunca a gente vai ao cinema. O máximo de preocupante nisso são as escadas no escuro!

— Acrescente os casais se beijando no fundo e as pipocas nos corredores e vai ver que há muito mais a temer. Então, sim, você me dá muito trabalho.

Meg contorceu o rosto numa careta cômica, fazendo com que Claire risse um pouco mais do que lhe era característico. Por sua vez, Meg congratulou-se por isso, voltando a sentar-se com a mulher de feições tão sérias. Cutucando sua bochecha, ela comentou despretensiosamente:

— Deveria sorrir mais, Cleo. Seu sorriso é lindo.

— E você, tampinha, deveria tomar o seu café antes que ele esfrie. Não vai querer se atrasar, vai?

Meg resmungou e enfiou mais um biscoito na boca, dando-se por vencida. Ainda assim, não saiu do lado da amiga.

Claire amava segundas-feiras. Mais do que isso, amava que Meg fizesse parte delas.

 

Enquanto Meg terminava de se arrumar – afinal, ainda que fosse seu segundo ano na universidade, continuava sendo o primeiro dia de aula; portanto, era um dia importantíssimo –, Claire verificava se tudo estava em ordem. Seu canivete foi devidamente realocado de volta ao coldre em sua coxa, ao lado da pistola carregada. Coberta pela sobrecasaca, Claire mais parecia uma londrina fora de contexto do que uma protetora. Olhando o próprio reflexo na cafeteira, ela deu-se ao trabalho de apenas ajeitar as sobrancelhas com a ponta dos dedos e prender os fios de cabelo preto num rabo de cavalo simples.

Quando Meg anunciou-se ponta, Claire girava as chaves do carro por entre os dedos, encostada ao balcão. Faltando dar pulinhos de empolgação, Meg acompanhou-a até o carro, acomodando-se confortavelmente no banco de trás. Com seus dezenove anos, Meg não se incomodava com o espaço extra; sentar-se atrás era seu equivalente à liberdade adulta de ocupar o banco do carona. Lá, podia ser ativa o quanto quisesse – não atrapalhar a direção de Claire era mais importante.

Ah, Claire... Meg tinha a impressão de que a mulher sabia tudo a seu respeito. Já ela, seria para sempre uma grande incógnita para Meg. Seria mais fácil para ela determinar o que sabia a respeito da protetora. Vejamos, Meg sabia que seu nome era Claire Smith, ela vinha do Tennessee e...

E era isso. Meg supunha que ela tinha entre 25 e 30 anos, supunha que não tinha familiares próximos e supunha que não tinha amigos. Era um acordo silencioso entre as duas, estabelecido unilateralmente: Meg não fazia perguntas e Claire não respondia. Quanto tentava, a protetora desconversava ou fingia não ter escutado, como de manhã.

É claro que Meg respeitava sua decisão de manter a privacidade – afinal, ela não tinha obrigação nenhuma de dividir qualquer coisa que fosse com Meg –, seria imprudente de sua parte colocá-la contra a parede. Mesmo sendo uma “empregada”, Claire a única amiga que tinha. Mesmo assim...

Sua compreensão e respeito não faziam sua curiosidade sumir da noite para o dia. Meg não podia evitar: as nuvens nubladas continuariam ali, e mesmo que tivesse dez mãos e a altura de um gigante, simplesmente não lhe era possível espantá-las dali só porque queria.

Suspirando, Meg observou o banco da frente com insistência. Como queria ler pensamentos...

— No que está pensando, querida? — Claire indagou, tirando-a de seus devaneios. Talvez ela leia pensamentos, Meg pensou com certo assombro. A ideia a divertiu por alguns instantes. — Parece distraída... Está tudo bem?

Meg assentiu com a cabeça, apertando a alça de sua mochila.

— Eu vou fazer amigos esse ano. Estou bem confiante! Se não fizer pela minha beleza e pelo meu carisma arrebatador, eu compro um! É isso, está decidido.

Claire gargalhou, estacionando o carro no campus da universidade. Meg respirou fundo, desejando em silêncio que seu dinheiro lhe comprasse um punhado de coragem. Seria tão conveniente...

— Boa aula, minha querida — Claire lhe desejou ao destravar a porta do carro. Um sorriso orgulhoso lhe estampava o rosto, o que comoveu a doce estudante ansiosa. — Venho te buscar às 17h, combinado?

— Sim, mamãe, eu prometo que vou ser uma boa menina — Meg saltou do carro com um sorriso insolente. — Até mais tarde, Cleo. Boas compras!

— Torça para que eu não tope com nenhuma idosa, tampinha!

Meg deu-lhe a língua, provocando mais uma risada na amiga. Motivada a ser a idosa rica e atrevida no futuro, ela caminhou com confiança pelas portas do campus, repetindo a si mesma seu mantra de costume.

Esse ano será melhor. Você consegue, Meg.

Bem, o primeiro passo é parar de falar sozinha. Mas ninguém estabeleceu nada com relação à ordem...

Rindo sozinha, Meg reiniciou o processo.


Notas Finais


Sim, a moça do destaque é a Meg! (Zendaya de cabelo cacheado, entenda: eu a amo) A cada "maior narrativa", por assim dizer, vou colocar o perfil dos personagens para vocês memorizarem melhor as carinhas e associar a imagem ao personagem. Fiquem atentos nas datas, elas são importantes!
Quem quiser teorizar, já estou aceitando teorias xD bora interagir que hoje é terça mas todo dia aqui é sábado -q
Nos vemos daqui duas semanas ♥

Ah! Temos playlist!
https://open.spotify.com/playlist/3ITHxxcQoJvcmKYJczGSPP?si=4e8b6a2609d44c1e


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...