História Golden Chase - Next Age - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Grand Chase
Personagens Amy, Arme, Azin, Dio, Edel Frost, Elesis, Holy Serenity, Jin, Lass, Lin, Lire, Lupus Wild, Mari, Personagens Originais, Rey Von Crimson, Ronan, Ryan, Sieghart, Uno, Veigas Terr, Zero Zephyrum
Tags Ação, Amy, Arme, Aventura, Cindy, Comedia, Elesis, Grand Chase, Grandiel, Jin, Kyle, Lass, Lin, Lire, Lupus, Mari, Romance, Ronan, Sieghart
Visualizações 5
Palavras 3.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shounen, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Opa! Como vão pessoal?

Pra quem não me conhece, é um prazer, me chamem de Yard, e pra quem já me conhece, há quanto tempo em? `:D

Essa história foi algo que pipocou na minha cabeça a algum tempo, principalmente depois do lançamento do Grand Chase Mobile (Que agora já não está aquela maravilha, mas isso não importa agora), então decidi escrevê-la e acabei sendo incentivado a postar, pois é
...

Espero que vocês curtam esse projeto e que acompanhem essa saga!

Capítulo 1 - Prólogo


Era manhã em Vermécia, o continente todo respirava um ar límpido de paz e tranquilidade após o sacrifício dos membros da lendária Grand Chase, o grupo que ficou conhecido por reestabelecer a paz no mundo controlado pela escuridão da rainha das trevas Cazeaje.

Suas incontáveis aventuras em busca de seu maior objetivo tornaram-se bem conhecidas por todas as dimensões, e perduraram como heróis mesmo 12 anos após a última vez que foram vistos, entrando em um portal para enfrentar a ameaça do asmodiano Astaroth, que libertou-se de seu confinamento e iniciava uma nova tentativa de conquistar o mundo, desde então, acreditam-se em vários mitos, como o de que foi uma batalha Kamikaze, onde ambos Grand Chase e Astaroth haviam se destruído, ou o de que a batalha ocorre até os dias atuais em alguma dimensão inacessível pelas fendas dimensionais tradicionais.

O que de fato aconteceu, ninguém em Vermécia, Xênia ou Ellia sabe dizer.

Em meio a uma floresta, próximo às fronteiras de Canaban, um jovem, de aproximadamente 12 anos de idade, cabelos pretos levemente encaracolados, pele amorenada, olhos cor-de-âmbar, trajado de vestimentas leves; uma camisa preta que cobria o que parecia uma proteção de couro, bermuda azul e tênis brancos com detalhes em azul, caminhava trazendo consigo uma mochila e uma cesta, enquanto calmamente verificava os arredores, alerta a qualquer coisa que parecesse hostil, apesar de tudo, parecia não saber exatamente onde estava.

- Ai... Por que eu tive que ir tão longe? – Reclamou suspirando pesadamente – Isso tudo por conta da droga dos Giraldis, eles vão pagar por terem nos saqueado! –

Ele caminhava sempre em frente, temendo perder-se naquele local; daquela forma, pelo menos saberia o caminho para sair da floresta depois, e então poderia seguir para seu lugar de origem.

Seguindo, ele lembrava-se que havia conseguido coletar algumas frutas, o suficiente para encher a cesta que portava até a metade, enquanto sua mochila ainda estava vazia, pois queria guardar para algum bicho que achasse dando mole na natureza, apesar de que mantinha-se limitado a enfrentar apenas criaturas passivas ou de pequeno porte, evitando combate com os animais mais selvagens.

Repentinamente, o jovem ouve um grito que parecia próximo dele, rapidamente seguindo para o lado do qual ouvira o chamado, temendo pela segurança da pessoa...

Após uma leve corrida para sua direita, ele percebe que o grito que ouviu nada mais era do que um chamado de combate, ao perceber uma garota em guarda contra um urso de aparência estranha, já que lembrava um boneco de pelúcia, apesar de seu tamanho.

A garota tinha cabelos longos e lisos presos em um rabo de cavalo lateral, de cor avermelhada com a ponta do rabo de cavalo variando entre roxo e azul de forma quase que homogênea, apesar de uma combinação estranha, não parecia ser pintado, e sim o tom natural dos fios da mesma, que ainda possuía olhos azuis que transmitiam animação e intensidade, pele clara e um porte aparentemente preparado para lidar com combates.

Seus trajes consistiam em uma cota de couro sob uma simples camisa preta, um calção estilo legging que era coberto por uma saia levemente longa de cor roxa e botas de cano curto de cor marrom, ela também portava uma espada curta, aparentemente feita de bambu, em uma das mãos e um escudo de madeira simples na outra.

A garota e o urso trocavam olhares desafiadores, tentando prever o que o outro faria, até que a criatura avança com as patas levantadas em direção à garota, que esboça um leve e solitário sorriso.

O rapaz, que observava tudo com atenção de trás de um arbusto, rapidamente coloca a sua cesta de frutas no chão e põe uma das mãos no bolso lateral da mochila em busca de algo, temendo não conseguir ajudar a menina, mas sua visão é tomada por algo que ele não esperava.

Em um rápido movimento, a garota vai de encontro ao urso, que ao perceber se prepara para disferir um golpe com suas garras, a menina segue a investida, golpeando a pata do urso em alta velocidade com a sua espada, desarmando-o por um breve momento, suficiente pra que ela fosse de encontro ao corpo do mesmo, golpeando-o com o escudo, que fez a criatura ser jogada contra uma árvore.

- Incrível... – O menino deixou escapar ao ver a agilidade e engenhosidade da garota, que recuava um pouco para analisar a situação do adversário.

O animal, já recuperado do golpe sofrido, envolve o próprio punho com uma energia alva inconstante e disfere um soco no chão à sua frente, arremessando terra e pedras na direção da garota, que prontamente defende-se com o escudo, mas não contou com a aproximação do animal em extrema velocidade, que atacou-a com o punho, ela defende por reflexo, mas recua pela intensidade do golpe, que iniciara uma sequência de socos rápidos provindos da criatura, os quais a garota defendia com dificuldade, precisando utilizar a espada em conjunto ao escudo para ter uma defesa mais efetiva, mesmo que recuasse um pouco a cada golpe.

-*Eu preciso ajudá-la, se não ela estará em problemas!*- Pensou o moreno finalmente puxando uma adaga de sua mochila enquanto rangia os dentes e se preparava para atacar.

- AHHHHH! – Um grito logo acima do rapaz foi escutado, e ao tentar ver do que se tratava, sente um corpo pequeno sobre seu rosto, sentindo leves arranhões no mesmo, que não o machucavam de fato, mas incomodavam.

- AHHHH! – Gritou o moreno, largando a sua adaga e tropeçando em sua cesta, indo ao chão enquanto tentava retirar a criatura de sua face.

- Em? – Os gritos fizeram a semi ruiva distrair-se, assim como o urso que ainda atingiu a espada com um último soco, que a quebrou parcialmente, fato que fora ignorado naquele momento, já que ambos foram averiguar o que acontecia, se deparando com o garoto sendo atacado por uma espécie de lêmure, uma cesta virada com várias frutas ao chão e uma pequena adaga jogada.

- Ei Gary! O que é isso? – Questionou o urso, retirando o lêmure de cima do rapaz, que recuou instintivamente por conta do ataque repentino.

- Um urso que fala!? – Questionou incrédulo o moreno, sendo ignorado pelos demais.

- Ele estava armado, achei que fosse atacar vocês... – Explicou o animalzinho, irritado por estar sendo segurado por sua pele, como um gato doméstico.

- O lêmure agressivo também?! – Novamente incrédulo, ele questionou a capacidade de falar dos animais, que fez a garota soltar uma leve risada.

- Ei! Quem que você tá chamando de agressivo, esquisitão? – Questionou indignado o ser falante, virando a cara em desafeto.

- Se acalme, G. – Pediu docemente a garota enquanto se aproximava do rapaz caído, estendendo-lhe a mão direita – Você está bem? –

- Ah... E-eu estou sim, obrigado. – Respondeu levemente surpreso pela atitude, agarrando a mão oferecida e levantando-se.

- Qual é o seu nome? – Questionou o urso, compartilhando da simpatia da garota para com o menino.

- É... Me chamo Zack Sheffard. – Respondeu, ainda meio receoso.

- Sou Benny, e esse é o Gary. - Apresentou-se a criatura maior, mostrando a menor mais uma vez, nota-se que o urso era azulado, enquanto o lêmure era dourado.

- Eu sou Eleanor Lawford, é um prazer conhecê-lo – Introduziu-se a semi ruiva, sorrindo simpática para o moreno – Por que estava nos observando? –

- É que eu ouvi um grito e vim verificar o que era. – Respondeu sincero, coçando a nuca em prova de vergonha – Aí te vi lutando com o urso, achei que estivesse em perigo... –

- Que nada, estávamos treinando. – Respondeu a menina, olhando determinada para os dois animais.

- Sim, eu sempre ajudo a Ellie nos treinos dela. – Afirmou Benny sorridente e orgulhoso.

- E eu fico aqui pro caso de algum dos dois exagerar. – Acompanhou o lêmure, meio desanimado.

- Pode não parecer, mas o Gary é um ótimo usuário de magia curativa. – Afirmou o urso, de forma a fazer o animalzinho se exibir com uma pose de confiança e um sorriso convencido.

- E você, Zack? – Questionou a garota – O que faz por aqui? –

- Na verdade, eu me perdi... – Admitiu coçando a nuca, fazendo os três ficarem em estado de gota – Estava procurando por frutas e coisas assim para a minha vila, já que fomos saqueados há dois dias. –

- Então você não mora pelas redondezas? –

- Eu nem ao menos sei onde eu estou... – Novamente admitiu, fazendo todos caírem de vergonha – Eu só sei que eu acabei andando bastante até achar essa floresta, bom que ao menos eu sei me localizar fora dela. –

- Então, essa aqui é a Floresta Élfica, e fica nos arredores da cidade real de Canaban. – Revelou Benny, surpreendendo o garoto.

- Você quer dizer que estamos próximos à Terra dos Espadachins, a cidade real do Reino de Canaban? – Questionou, sendo respondido com um aceno de cabeça pela garota – Eu não acredito que eu cheguei até aqui! –

- De onde você é exatamente, zé ruela? – Perguntou Gary, ainda não simpatizando tanto com o garoto.

- Eu ia perguntar a mesma coisa... – Comentou Eleanor

- A minha vila fica no território do reino, só que bem próxima à fronteira com Serdin. – Revelou, surpreendendo o urso.

- Você andou isso tudo até aqui? – Questionou a criatura, recebendo um aceno positivo em resposta – E ninguém veio com você? Quantos anos você tem? –

- Eu tenho 12, mas ninguém me acompanhou porque eu sou um dos poucos por lá que consegue manusear bem uma arma, então faço parte da equipe de expedição que o nosso prefeito armou. – Explicou objetivo, tentando acalmar o urso – Já participei de algumas, mas essa é a minha primeira vez sozinho. –

- Então você é um guerreiro, como a Ellie? – Questionou o lêmure

- Sim –

- Isso explica a adaga... –

- Essa é a sua única arma? – Perguntou a garota, pegando a adaga do chão e devolvendo-a ao rapaz.

- Eu uso ela e uma Kunai – Revelou, puxando a arma referida de sua mochila – Gosto de como posso me movimentar com liberdade com elas –

- Entendo. – Soltou Eleanor, levemente feliz pelo rumo da conversa – Eu gosto de espada e escudo por que assim eu me sinto segura em combate, por isso ataco sem me preocupar, pois tenho o meu escudo pra me defender. –

- Legal, deve ser ótimo estar sempre seguro de suas ações. – Comentou Zack, também interessado no assunto.

- Olha aqui, ô cabelinho em nó. – Chamou o lêmure, referindo-se ao garoto – Aquelas frutas ali eram suas? –

O animal chamou a atenção à cesta caída no chão e as frutas espalhadas pelo chão, onde o garoto percebe que pisou em uma, para seu desagrado.

- Eram sim... – Respondeu, chateado com o que via – Cara, deu trabalho colher essas coisas... –

- Se é com isso que está preocupado, não tem problema. – Afirmou a semi ruiva sorrindo – Tem alguém por aqui que pode nos ajudar. –

- Sério?! - Empolgou-se o rapaz, estando claramente contente com os dizeres da garota.

- Claro, vou te levar até ele. – Disse, indicando o caminho com uma das mãos e iniciando as passadas, até ser chamada novamente.

- Espera... –

- O quê? –

- Já que eu acabei interrompendo o seu treinamento, que tal se fizermos uma luta de treino? – Sugeriu o garoto

- Então, é uma boa, mas eu acabei quebrando a espada de treino dela sem querer. – Disse Benny, lamentando o ocorrido.

- Não tem problema, Ben. – Afirmou a garota com simpatia – Eu consigo outra depois, fora que eu queria treinar mais com os movimentos do escudo mesmo. –

- Então topa? – Questionou novamente o jovem

- Claro, seria ótimo! – Concordou – Já acabamos por hoje, Ben e G, se quiserem podem ir. –

- Tá louca? Eu não perderia essa luta por nada! – Disse Gary, demonstrando que curtiu a ideia do “cabelo em nó"

- Quero assistir também. – Completou o urso.

- Tudo bem então – Iniciou a garota posicionando-se a alguns metros do rapaz, ela retoma a postura de combate, posicionando o escudo à frente de si, enquanto o garoto mantinha a adaga em sua mão direita e a kunai na esquerda, ambas posicionadas a frente do corpo – Vamos começar! –

- Beleza! – Exclamou o menino, iniciando uma investida em alta velocidade, quase não percebida pela menina, que por instinto levanta o escudo, bloqueando o ataque frontal do rapaz, que num piscar de olhos já tinha se locomovido até ali.

-*Ele é muito rápido!*- Pensou a garota, vendo o garoto retirar a sua adaga fincada do escudo da mesma e recuar um pouco, ela inicia uma investida frontal, tal qual a usada contra Benny, com o escudo diante de seu corpo.

Zack recorda-se do que viu no embate anterior, preferindo tentar um desvio ao invés de um contragolpe, ele gira para a direita da garota, evitando o encontro com a mesma, porém a sua segurança não estava assegurada, já que Eleanor percebeu a sua ação anterior e, em um rápido movimento, foi capaz de travar sua investida com seus pés e atirou o escudo como ofensiva ao garoto, que rapidamente pulou em evasiva, com o escudo passando reto e se chocando contra uma árvore, o que foi rapidamente percebido pelo garoto que pulou e pegou o escudo pra si.

- Acho que não foi a melhor escolha, dessa forma você perde a defesa do seu escudo em combate. – Afirmou o moreno, que viu a garota dar de ombros e manter a postura de combate.

- Pode vir assim mesmo. – Desafiou a menina com a confiança inabalada, o urso e o lêmure, que acompanhavam o combate, deram uma leve risada do garoto.

Ele avança contra a semi ruiva estando claramente em vantagem, imediatamente ele percebeu que não poderia manter a movimentação que estava acostumado usando o escudo, da mesma forma que havia pendurado sua kunai na cintura, já que não poderia usá-la, mesmo assim tentou imitar os passos da garota, que deixou ele se aproximar o suficiente para então estagná-lo dando um forte e técnico chute no escudo, onde o repuxo fez o garoto recuar.

- Vai subestimando a lutadora de Caratê na lata, toma-lhe porrada! – Zoou Gary, rindo junto de Benny, que não conseguira se segurar, resultando em um leve sorriso da menina.

- Você também faz artes marciais? – Questionou Zack, surpreso pela postura inabalável da garota mesmo diante da desvantagem.

- Um bom guerreiro tem que estar preparado para qualquer situação. – Afirmou a mesma com firmeza, acarretando num brilho no olhar do rapaz – Não acha? –

- Modo gigante: Ataque do Titã! – De repente, escutasse um clamor e em um instante uma criatura com teor espectral surge, rumando um de seus punhos ao rapaz, que joga o escudo para um dos lados e pula para o outro, desviando-se do golpe de oportunidade.

- O que foi isso?! – Indagou o moreno, assustado com o recém ocorrido.

- Fica de boa, é só um bobão...- Disse Eleanor, revirando os olhos ao perceber a presença de mais um garoto ali, este que era mais alto do que os outros dois, perdendo em tamanho apenas para o urso, seus cabelos eram levemente longos, chegando até um pouco abaixo da altura dos ombros, e de cor roxa, seus olhos eram avermelhados e sua pele era clara, suas vestimentas consistiam em uma camisa e uma calça simples, ambos em cor preta, tênis brancos com detalhes em roxo e um pequeno curativo sob seu nariz, além de carregar em seu cinto uma espécie de bastão bem fina, feito de aço, e uma mochila de couro em suas costas, em sua volta, mana era liberada por sua aura também arroxeada, ele parecia irritado.

- O que você pensa que está fazendo com ela, seu baderneiro? – Reclamou o dono de cabelos roxos, claramente incomodado com a situação e já preparando um novo ataque.

- Para com isso! – Exclamou a garota, virando-se para o atacante claramente incomodada.

- Relaxa, zé beterraba. – Pediu o lêmure, zoando com o rapaz – Esse aí é de boa. –

- Agora você diz isso, né? – Questionou o urso, ressaltando o “agora” da frase, que irritou de certa forma o amigo menor – Pode ficar tranquilo Elliot, eles não estão em um duelo mortal. –

- Benny e Gary estão aqui? – O jovem estranhou a presença dos bichos, aproximando-se dos presentes – Então quem é esse cara? –

- Eu me chamo... –

- Ele é só um garoto que se perdeu e precisa de um pouco de ajuda. – Disse Eleanor com certa frieza, interrompendo o moreno – O G acabou derrubando as frutas que ele colheu e precisava levar para o vilarejo dele... Ainda tem aquelas que trouxemos? -

- Tenho... – Disse, claramente insatisfeito com a resposta que recebera, enquanto retirava a mochila de suas costas e pegava uma vasilha tampada de tamanho considerável, essa que continha vários tipos de frutas silvestres, e entregando ao outro garoto, que por sua vez já havia devolvido o escudo para a garota. – Estão aqui. –

- Obrigado, mas... –

- Esse é o Elliot, meu irmão mais velho. – Disse a menina, antecipando a pergunta do garoto.

- Elliot Hans Lawford – Apresentou-se – Desculpe por te atacar de repente, é que achei que você quisesse machucar a minha irmã. –

- Ele tem um problema muito sério quanto à minha proteção... – Disse Eleanor revirando os olhos.

- Não é errado querer proteger a um familiar, Ellie! – Refutou o roxeado

- Mas é chato você ficar em cima de mim como se eu fosse um bebê de colo! – Rebateu a garota, levemente irritada com a situação.

- É... Gente? – Chamou o moreno inseguro, sendo ignorado pelos dois que discutiam sobre aquilo.

- Fica de boa, eles sempre fazem isso... – Consolou Benny, aproximando-se do rapaz.

- É... Logo eles param. – Concordou Gary.

- Entendi... – Disse o mesmo com uma gota na testa – Será que tem como vocês me ajudarem a sair dessa floresta? Eu preciso realmente levar essas frutas pro meu vilarejo... –

- Claro. – Concordou o urso - Posso te levar para uma saída que vai fica mais próxima da fronteira, de lá você deve conseguir se guiar. –

- Beleza, obrigado. –

- Que nada feirante, pode contar com a gente. – Disse o lêmure, confundindo os dois que prestavam a atenção com o apelido.

- Então tá... –

Repentinamente, os dois irmãos param de discutir e percebem que os três estavam se preparando para deixar o local.

- Já vão? – Questionou o rapaz, chamando a atenção do trio.

- Sim, preciso voltar ao meu vilarejo. –

- E nós vamos guiá-lo pela floresta – Justificaram os dois em uníssono, logo Benny retoma a fala – Depois voltamos para te ajudar, Ellie. –

- Não precisa, estamos voltando pra casa também – Afirmou a garota – Tenho que fazer esse aqui pagar por ter interrompido meu treinamento. –

- Ah, Qual é! – Reclamou o mais velho, fazendo os demais rirem da insatisfação do mesmo.

- É isso, até a próxima! - Despediu-se Zack, sendo recebido com um aceno e um “até" de ambos, deixando os irmãos para trás juntos da dupla de animais falantes. -*Parando pra pensar: Se aqui é a Floresta élfica, porque raios eu não vi um elfo sequer?* -

Os três seguem juntos até o final da floresta, onde o garoto separa-se do urso e do lêmure, que voltam a adentrar a mata, enquanto o mesmo segue pelas planícies rumando o seu lar.

Jamais passaria pela sua imaginação naquele momento que aquilo seria um início de algo maior, o primeiro estágio de uma grande caçada.


Notas Finais


É isso pessoal, eu tentarei estar mais ativo no site para postar não só essa, como outras histórias (Incluindo as inativas), só não garanto que serão atualizações rápidas... `:D

Então, como sempre foi costume meu, aí vão as perguntas do capítulo:

1 - O que acharam?
2 - Gostaram dos personagens?
3 - Por que será que não foram vistos elfos na Floresta Élfica?

Agora a pergunta aleatória, que é algo que eu pretendo começar a adotar, pra poder ter uma interação maior com vocês: Estão jogando o GC Mobile?

É isso pessoal, obrigado por terem acompanhado o capítulo, espero ver vocês numa próxima vez.
Falou!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...