1. Spirit Fanfics >
  2. Golden Tokyo (Jikook - ABO) >
  3. Capítulo 1

História Golden Tokyo (Jikook - ABO) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


LEIAM PIMENTINHA ANTES, aqui é a 2° temporada!

A história é um REPOST aqui no Wattpad, pois perdi minha antiga conta que estava no e-mail do meu primo e sem querer ele apagou a conta. É isso, caso queiram saber.

Tem menção de flex, porém não ter a flex e não me peçam isso!

Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo 1


 VOCÊ ESTÁ GRÁVIDO?

Jungkook continuava a manter sua cabeça baixa e Yugyeom já estava ficando irritado. Passaram quase dois meses desde o descobrimento que ele realmente estava com um bebê em sua barriga e sequer tinha contado para o outro pai. Os dois estavam perseguindo Taehyung por um tempo para conseguir o número de Jimin, só que Jungkook sempre engasgava na hora de falar com o outro. Claro que eles tiveram um desentendimento em algum momento do passado, principalmente porque faziam piadas sobre Jimin e, consequentemente, ele. Porém, aquele assunto era bem mais sério do que piadas entres grupos "rivais".

— Aproveita que ele está sozinho! — Yugyeom sussurrou no ouvido de Jungkook.

— É melhor não, Yu. — ele respondeu baixo para o outro beta. — Eu vou me mudar para Tóquio e ficar com meus pais lá. Mesmo que eu ache que eles vão me matar, né? O grito que minha mãe deu, quando descobriu que eu estava grávido e ainda falou "Vem para Tóquio!", deixou bem claro que vou morrer lá mesmo.

— Ela só não esperava isso, ok? Seus pais se mudam de país para trabalharem, te deixam voltar para fazer faculdade na Coreia e você, quatro anos depois, engravida. Era para você voltar para lá com um diploma e não um neto.

— Eu vou voltar com o diploma e o neto. — Jungkook olhou para o amigo. — Eu...

— Você tem que contar para o Jimin, tá? Não é como ele fosse um babaca que não fosse cuidar do próprio filho. Você precisa contar isso e não é só por ele, mas pela criança. Com certeza, ela vai querer conhecer o pai.

— Vou falar para ela que foi produção independente.

— Pelo amor de Deus!

— Eu não quero ficar com o Jimin, eu só queria transar com ele e pronto.

— Ok... Qual a parte que eu falei que você tem que procurar Jimin e casar com ele? É só falar, "Jimin, estou esperando um filho seu. Eu espero que me ajude e se não quiser me ajudar, eu cuido da criança sozinho." e acabou, Kook.

— Ele vai me matar!

— Vai nada. Ele não foi obrigado a transar com você! Ele enfiou o pauzinho dele em você porque ele quis!

— Ainda bem que ele quis. — Jungkook admitiu. — Às vezes fico imaginando aquele dia e fico desejando por mais.

— Mas o pau é pequeno.

— É tipo sobremesa. Vem um pedaço pequeno, mas é gostoso para caralho e você fica pedindo por mais.

— Nojo de imaginar vocês transando.

— Então não imagina! — Jungkook se irritou. — E se tivesse pegado o Jimin, você ia ver o quão gostoso é.

— Tudo bem... — Yugyeom levantou-se, agarrando Jungkook pelo colarinho. — Eu cansei de você!

— Yu, não! — Jungkook pediu.

— Se contar para Jimin e ele for um babaca contigo, eu te ajudo a bater nele. Só que eu não vou te deixar fazer isso com seu filho. É por causa da criança e não de vocês dois. — ele foi reclamando, até chegar à mesa que Taehyung tomava seu lanche.

— Oi. — Yugyeom sentou-se, puxando Jungkook.

Jungkook estava com seu rosto vermelho e uma vontade de vomitar bem forte. Taehyung só franziu a testa, vendo que as duas pessoas que ele menos gostava naquela faculdade, estavam sentados com ele.

— O que foi? — o ômega foi grosso. — Qual o prazer de tê-los aqui? O "pau pequeno" foi embora e vieram me zoar?

— Ah... — Yugyeom riu, dando uma cotovelada em Jungkook. — Fala logo!

— Oi. — Jungkook deu uma risada nervosa. — Sabe...

— Sei o quê?

— Ele está esperando um bebê do seu amigo e a gente quer o número dele para dar essa notícia. — Yugyeom cortou o caminho.

— Gente... — Taehyung ficou paralisado, trocando olhares entre eles. — Como?

— Eles transaram, né? — Yugyeom já se encontrava sem paciência e Jungkook só conseguia sentir seu rosto ficar cada vez mais quente. — Como se faz um bebê?

— V-vocês transaram? — Taehyung fez uma cara de nojo. — Ok, né... Eu sempre questionei o gosto dele para as pessoas.

— Vai me xingar? — Jungkook perguntou.

— Não. — Taehyung coçou a cabeça.

— Aconteceu! Ele queria e eu também, e nenhum dos dois estavam planejando uma criança.

— Cara! Tanta pessoa no mundo para Jimin ter um filho, mas foi logo com o beta babacão da faculdade. — Taehyung começou a ficar com raiva e procurou um papel e uma caneta em sua bolsa.

— Não sou o babacão da faculdade!

— É sim. Passou anos perseguindo e ainda zoou o tamanho do pau dele, para depois sentar. Sem contar que depois descobriu a gravidez! — o Kim olhava um número do celular e passava para o papel. — Bem, quem vai ter que aturar você pro resto da vida é ele, né? — ele entregou o papel nas mãos de Jungkook. — Eu sou o padrinho, tá bom? É menina ou menino?

— Não sei, vou fazer quatro meses daqui a duas ou três semanas ainda. Obrigado, viu? — o beta levantou-se, com um sorriso amarelo no rosto. — Por favor, se falar com ele, não diz nada, tá bom? Eu quero falar isso para ele.

— Eu não vou.

— Obrigado, hyung! — Jungkook começou dar passos longos tentando se afastar dos dois.

— Me espera! — Yugyeom pediu.

— Me deixa em paz, hyung! — ele pediu, entrando no banheiro.

Entrando em uma das cabines, ele sentou-se na tampa do vaso e respirou fundo, tentando não chorar, o que foi em vão. A gravidez estava o deixando bem sensível e chorando por qualquer coisa.

Droga!

Ele olhou para os lados, lembrando-se que ali era o mesmo banheiro que Jimin tinha o ajudado a se masturbar. Nem na hora de chorar, ele poderia fazer sem lembrar do Park. Deveria ser algum sinal para que ele contasse para o pai da criança o que estava acontecendo.

Jungkook secou suas lágrimas, tentando se recompor para voltar à aula. Mesmo tentando adiar aquilo, ele sabia que teria que contar para Jimin o que estava acontecendo.

× × ×

Yugyeom pegou o celular, digitando o número que Taehyung tinha dado para eles e quando começou a tocar, entregou para Jungkook.

— É de manhã lá. Ele deve estar se arrumando para a faculdade.

— É. — Jungkook respondeu fraco, ouvindo os toques do telefone. — Ele vai me matar.

— Quem vai te matar sou eu, pois eu não aguento mais esse mimimi de vocês. É só contar e se ele não gostar, eu assumo o bebê e a gente mata ele!

— Yugyeom...

Alô. — uma mulher atendeu. Jungkook só conseguiu sentir seu coração parar por um minuto, ouvindo aquela voz feminina e pensou em desligar. — Alô?

— Alô, quem é?

Com quem você gostaria de falar?

— Esse é o número de Park Jimin? Quer dizer, Jimin Park?

Não tem ninguém com esse nome aqui, senhor.

— Ok, obrigado! — ele falou, desligando o celular. — Não tem ninguém com esse nome lá.

— Então Taehyung passou errado! — o outro entregou o papel para o amigo.

— Não era 6, era 0, idiota! — Jungkook brigou com Yugyeom, depois de comparar os números.

— A letra feia é do ômega!

— Bem... É 0. — ele digitou o número todo de novo. Cada vez que o telefone tocava e Jimin não atendia, o coração dele ficava mais acelerado.

Oi. — ele ouviu a voz de Jimin. — Quem é?

— Ji-Jimin... — Jungkook falou.

Jungkook! — a voz dele ficou animada. — Quanto tempo! Eu pensei que nunca mais falaria comigo depois daquela noite.

— Ji... Min... Eu...

— Fala logo. — Yugyeom sussurrou. — Fala que vocês vão ter um bebê.

Está tudo bem, Jungkook?

— Jimin, eu espero que você não ache estranho o que vou falar. — ele falou de vez. — E-eu nunca imaginei que isso poderia acontecer e... Eu não fiz isso de propósito.

Você está me deixando com medo. Fala logo!

— Sabe aquela noite que nós transamos?

Sim.

— Então... — o beta deu uma longa pausa.

Não me diz que está grávido! — a voz de Jimin ecoou do outro lado bem grave.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...