História Good Boy - Capítulo 45


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Show Nu, Won Ho
Tags Boysxboys, Changki, Changki É O Poder, Changkyun, Kihyun, Monstax, Romance, Yaoi
Visualizações 113
Palavras 1.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~Boa leitura

Capítulo 45 - Você acha que atende esses requisitos?


- Yoo Kihyun?! - Escutei alguém chamar, enquanto percebia a familiaridade naquela voz.

- Sim? - Olhei em direção a porta, sorrindo tímido para a garota loira que caminhava em minha direção com um sorriso radiante.

A sala já estava relativamente cheia e logo todos voltaram sua atenção a ela.

- Para você. - Estendeu uma sacola de papel para mim e eu logo a reconheci como a garota que trouxera meu "pagamento" na primeira vez em que briguei com Changkyun.

- O-Obrigado. - Peguei o pacote timidamente, esbarrando minha mão trêmula nos dedos dela. A garota sorriu amável e saiu da sala, passando ao lado de Jimin que havia acabado de entrar.

- O que é isso? - Questionou após sentar na cadeira ao meu lado, fazendo-me despertar de meu choque momentâneo. Olhei o conteúdo da sacola e sorri ao ver as duas caixas ali.

- KitKat. - Sorri de modo tímido, mas logo pensei no quanto Changkyun estava querendo me engordar com esse doce.

- Oba, divide comigo. - O Park disse animado, já colocando a mão dentro da sacola.

- Não, vou dividir com ele. - Falei de modo seco e puxei o pacote para o lado, fazendo-o me encarar indignado. O smartphone vibrou em meu bolso e eu o peguei rapidamente. Sorri ao ver o nome de Changkyun ali, indicando que ele havia mandado uma mensagem.

Im Safado Changkyun ❤
Espero que isso possa fazê-lo sorrir hoje ><

Não precisava se preocupar comigo


Im Safado Changkyun ❤
Mas isso não vai sair de graça, Pesseguinho rs

Changkyun...


Im Safado Changkyun ❤
Estou apenas brincando, jagiya (・ω<)☆

Meu professor chegou (--_--)

Nos vemos no intervalo?

Sim... (⁄ ⁄•⁄ω⁄•⁄ ⁄)


Im Safado Changkyun ❤
Até daqui a pouco, Pesseguinho (≧◡≦)


Coloquei o aparelho sobre a mesa, cobrindo as bochechas com as mãos enquanto sentia que elas queimavam. Sorri de modo bobo, não sabendo lidar com aquele novo apelido. Fiquei disperso por alguns segundos, logo assustando-me quando percebi que Jimin tentava tirar uma das caixas de chocolate da sacola. Afastei-o com um tapa, mostrando-lhe a língua ao puxar a sacola e salvar meu agradinho.

- Não acredito! - Assustei-me com o grito de uma das garotas da turma e percebi que Jimin havia ficado no mesmo estado.

- Pois é, dizem que eles se beijaram e tudo. - Outra garota comentou e eu franzi o cenho, confuso.

- Que nojento. - Jimin encarou um ponto fixo a sua frente e eu me virei, curioso. Observei a garota parada atrás de mim. Ela era a segunda melhor da turma.

- O que foi? - Questionei de cenho franzido, recuando quando ela inclinou-se em minha direção.

- É verdade que você e Changkyun são um casal? - Questionou de modo seco e eu arregalei os olhos por receber a pergunta sem rodeios.

- É sim, qual o problema? - Jimin falou um tanto ríspido, fazendo-me engolir em seco sob o olhar frio que a garota me lançou antes de afastar-se e sentar em seu lugar.

- Por favor, apenas ignore isso. É que ela gosta do Changkyun e não quer aceitar que ele não está mais disponível. - Sejeong, a representante da turma, falou um tanto envergonhada, fazendo uma leve reverência a minha frente.

- Tudo bem. - Senti meu rosto corar por sua atitute e me senti um tanto estranho quando ela me encarou sorrindo.

- Aliás, vocês formam um belo casal. - Percebi o tom rosado em suas bochechas e não pude deixar de sorrir em quão fofa ela parecia e pelo fato de não ter sido xingado.

- O mundo precisa de mais garotas como ela. - O Park falou quando ela saiu e eu assenti em concordância.

- Todos em seus lugares, por favor. - O professor ditou ao entrar na sala e logo todos ficaram em silêncio.

☆☆☆☆☆☆☆

Caminhei a passos calmos pelo corredor, observando alguns alunos passarem apressados ao meu lado. Jimin já havia sumido com a desculpa de que iria comer KitKat com o namorado e depois me encontraria no refeitório. Suspirei por um momento, não acreditando que havia dado metade da caixa de chocolate para ele, mas Park me provocou dizendo que eu era ingrato por não saber agradecê-lo por ter cuidado de mim no meu momento ruim.

- Olha se não é o nerd com cara de bolacha. - Fui desperto de meus devaneios ao escutar a voz de Jisoo, junto a suas amigas nojentas que logo pararam a minha frente.

- Ah não, agora ele é a bicha com cara de bolacha. - Uma garota ruiva falou e eu comprimi os lábios impaciente.

- Não me encham. - Tentei desviar meu caminho, mas parei ao esbarrar em Lalixo, que aparecera de sei lá onde.

- O quê? Está todo sensível agora que abre as pernas para garotos? - Falou de modo ácido e eu a encarei com frieza.

- Lalisa, o que ganha com isso? - Cruzei os braços diante do peito, sentindo-me irritado quando ela jogou os cabelos loiros para o lado.

- Satisfação. - Sorriu de modo superior e eu não pude deixar se rir amargo por um momento.

- Isso é ridículo. - Balancei a cabeça negativamente, ainda não acreditando que um dia pude ser amigo de alguém como ela.

- Ridículo é você que pensa que pode desviar o Changkyun do caminho certo. Acha mesmo que ele está interessado em você? Você é gordo, feio e pobre. Acha mesmo que alguém iria te querer? - Cutucou meu ombro com sua unha postiça e eu recuei antes que perddsse o controle e a agredisse.

- Durante um tempo eu pensei que você tinha salvação, mas percebi que não dá para mudar uma pessoa tão vazia assim. - Proferi de modo cansado, pois já estava ficando farto de toda essa atitude ridícula dela.

- Fala isso só por inveja, porque sabe que no final ele vai ficar comigo. Eu sou bonita, magra e rica. Changkyun precisa estar com alguém a altura dele. - Passou a mão sobre o tronco em uma atitude esnobe e eu suspirei pesado antes de abrir a boca para respondê-la, mas parei no instante em que vi Changkyun aproximar-se por trás do grupo.

- E você acha que atende esses requisitos, Lisa? - Questionou baixo, passando ao lado das garotas e parando diante de Lalixo, ficando poucos centímetros a minha frente, mas sem tampar minha visão.

- Obviamente, Chang. Nós formamos um belo par. - Sorriu maliciosa e eu fiquei brevemente confuso quando o mais novo riu.

- Pode até ser, mas sabe muito bem que não estou interessado em você. - A essa altura do campeonato, o pequeno alvoroço já havia chamado a atenção de outros alunos e logo uma série de cochichos começou.

- A culpa é desse garoto, que fica colocando ideias erradas na sua cabeça. - Lalixo me empurrou pelo ombro e isso me deixou levemente assustado.

- Não sou alguém facilmente influenciado e você sabe disso.

- Eu tenho dinheiro e posso curá-lo dessa coisa que você tem. - Ela apoiou as mãos nos ombros de Changkyun e eu quis gritar para que ela não o tocasse, mas nem precisei fazer isso, pois segundos depois, o Im já afastava as mãos dela para baixo.

- Em primeiro lugar, não pode curar algo que nem mesmo é uma doença. - O tom de Changkyun era frio e por um momento me senti atordoado com isso. - E segundo, pelo que sei, a empresa do seu pai faliu, então acredito que não esteja mais tão bem abastada assim... - Sorriu ladino, fazendo Lalisa arregalar os olhos enquanto ficava extremamente pálida.

- Como sabe... - O Im ergueu a mão diante do corpo, interrompendo-a de concluir sua fala.

- Desculpe, não estou com tempo para discussões fúteis. - Ele fez menção de sair, mas foi parado quando Seyeon apoiou as mãos em seu peito.

- Changkyun, você está cometendo um grande erro. - Ditou em um sussurro suplicante e pude notar que ela quase chorava. Changkyun a encarou de cima, logo afastando-se dela e aproximando-se de mim.

- E você está atrapalhando o intervalo do meu namorado. - Falou de modo seco, deslizando a mão por meu braço até que entrelaçasse nossos dedos - Com licença. - Ele me puxou para longe do grupo, onde todos ficaram extremamente chocados com suas palavras, inclusive eu, que não esperava por aquilo. Caminhamos até uma sala vazia, onde o Im entrou e fechou a porta, logo andando até a mesa do professor.

- Changkyun, você está bem? - Ele apoiou as mãos atrás das costas, recostando-se contra a mesa. Colocou a mão sobre o peito e fez uma careta.

- Não.

- O que está sentindo? - Questionei preocupado, observando-o de todos os ângulos que consegui.

- Estou me sentindo um lixo por ter falado sobre a situação financeira da família dela, mas Lalisa estava me tirando do sério. - Deslizou a mão pelos cabelos, enquanto resmungava algum xingamento que não entendi bem.

- Você não precisava ter comprado aquela briga. - Apoiei-me em uma das carteiras, suspirando aliviado por não ser nada tão grave.

- Eu não podia deixar que ela o maltratasse por minha culpa. - Falou emburrado e eu senti minhas bochechas esquentarem. - O que foi? - Questionou de cenho franzido, possivelmente estranhando o fato de eu estar naquele estado.

- Eu estou feliz que você me defendeu. - Falei um tanto nervoso, sorrindo tímido  quando ele me encarou.

De fato, eu havia gostado da forma que ele me tirou dali, provando que realmente não se envergonhava do que nós temos.

- Vem aqui. - Changkyun sorriu de lado, balançando a mão em frente ao corpo. Aproximei-me a passos calmos, sentindo minhas pernas tremerem levemente. - Você sabe que a culpa é minha, então eu tenho que fazer o máximo para manter seu sorriso lindo. - Abraçou minha cintura, puxando-me para o meio de suas pernas.

- Idiota. - Resmunguei emburrado, sentindo minhas bochechas esquentarem ainda mais. Changkyun apoiou a cabeça em meu peito e eu o abracei pelos ombros, deslizando uma das mãos por seus cabelos. - É verdade que a família dela está falindo? - Questionei baixo, sentindo-o aconchegar-se ainda mais contra meu corpo.

- Sim. Os pais dela nem foram àquele evento beneficente que teve no final de semana e o assunto mais comentado foi esse, já que a alta sociedade adora uma fofoca. - Torci o nariz, pensando em como algumas pessoas se achavam superiores, mas eram tão mesquinhas quanto qualquer pessoa mais comum.

- Pessoas ricas costumam ser esnobes. - Comentei sem pensar muito, só então lembrando que Changkyun odeia ser chamado assim.

- Ainda bem que sou milionário então. - Riu de modo travesso e eu revirei os olhos antes de beliscar sua orelha. - Seu tosco. - Ele resmungou emburrado e eu sorri antes de voltar a acariciar seus cabelos. Ficamos abraçados assim por alguns minutos e estranhei o fato de Changkyun não ter feito nenhuma gracinha comigo. - Vamos para o refeitório? Os meninos já devem estar loucos atrás de nós. - Assenti breve e afastei-me a contragosto, seguindo ao lado dele até o refeitório, onde Jimin me fez uma série de perguntas sobre o que havia acontecido no corredor.


Notas Finais


Como eu cortei esse capítulo, Hyunwoo só aparece no próximo hahahahaha

Changkyun não e do tipo que gosta de usar o fato de ser de familia rica para diminuir as pessoas, por isso ele se sentiu mal pelo que falou para a Lalixo.

Aliás, Lalixo me tira do sério falando essas coisas para o Pesseguinho do Changkyun ò.ó

Não sei se volto quinta ou sábado :v

Até o próximo ^^

Ps.: Prometo que responderei aos comentários quando meu humor tiver melhorado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...