História Good Boys, Bad Influences (NoRenMin-NCT) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Haechan, Hansol, Jaemin, Jeno, Jisung, Mark, Personagens Originais, RenJun
Tags Chenle, Chensung, Donghyuck, Haechan, Hansol, Jaemin, Jeno, Jisung, Mark, Markhyuck, Nct, Nctdream, Nomin, Noren, Norenmin, Renjun, Renmin
Visualizações 113
Palavras 1.810
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um, haaa, não me aguento
Boa leitura ♡

Capítulo 2 - Bem-vindo


Fanfic / Fanfiction Good Boys, Bad Influences (NoRenMin-NCT) - Capítulo 2 - Bem-vindo


02: BEM-VINDO


      Eu havia cedido ao convite de Donghyuck e as duas da manhã eu estava indo para seu quarto ao lado de Jaemin e Jeno que agiam tão naturalmente ao lado um do outro que seu não tivesse visto, não diria que aqueles dois se pegavam. Ambos estavam bem vestidos, com jaquetas, Jaemim de jeans e Jeno de couro, calças largas e tênis esportivos, bem másculos, mas charmosos seria a palavra mais adequada, já eu estava numa bermuda preta, uma camisa branca e um casaco vermelho por cima, não estava preocupado em parecer bonito.

- vem. - as mãos de Jeno puxaram as minhas e então adentramos o quarto um pouco a frente do nosso.

Ali haviam quatro camas e apenas nós sete.

Que tipo de festa é essa?

- não vem mais ninguém? - perguntei baixo para que só Jeno ouvisse.

- somos apenas nós... sete agora. - piscou para mim.

- então vocês são uma espécie de ceita? - perguntei assustado.

- calminha aí, Renjun, não é pra tanto, somos apenas um grupo fechado. - Jaemin se defendeu.

- e por que me deixaram entrar nesse "grupo fechado"? - franzi o cenho, desconfiando das "boas atitudes" dos garotos.

- porque vai dividir quarto com a gente, então teria que saber. - Jeno deu de ombros, se juntando na roda dos amigos.

- não somos maus, Renjun, eu juro. - o olhar pretensioso do Na fora substituído por um apelativo.

- tudo bem. - sacudi a cabeça afim de afastar a desconfiança de mim.

Era fato, eu não poderia recusar amigos ou companhias, até porque também não sou flor que se cheire.

- você veio! - Chenle me abraçou animado - esse é o Jisung. - me apresentou o seu namorado.

- prazer, Jisung. - apertei sua mão fria por conta da bebida gelada que tinha em mãos.

- prazer. - ele foi breve em me cumprimentar.

- você também aprontou para vir parar aqui? - franzi o cenho.

- matei meu ex-namorado. - deu de ombros.

- como? - arregalei os olhos na direção de Chenle, que caiu na gargalhada.

- ele tá brincando. - dizia entre risos - ele só quis me acompanhar, né amor? - ele beijou rapidamente o namorado que assentiu também tirando sarro de mim.

- você precisa relaxar, Jun. - Chenle bateu em meu ombro e se mandou com o namorado para uma das camas disponíveis ali.

- todos vocês dividem quarto? - perguntei a Donghyuck quando o mesmo me entregou um copo.

- sim, aqui somos em quatro. - ele falou apontando para o respectivo número de camas no cômodo.

- não têm medo de serem pegos? - olhei para a bagunça do quarto.

- ninguém passa nos quartos depois das onze, fica a dica. - ele piscou pretensioso.

- vocês se divertem tomando Coca-Cola? - perguntei após bebericar o líquido escuro no copo entregue por ele.

- não, a diversão começa agora. - apontou para o namorado que vinha com uma garrafa nas mãos.

Me virei para eles e vi a roda se formar no bom espaço entre as camas.

- Vem, Ren. - Jaemin me chamou, batendo num lugar vago exatamente entre ele e o nosso outro colega de quarto.

Me sentei ali e então Mark começou a falar.

- sabem como funciona as boas-vindas, né? - olhou para todos naquela roda.

- não. - falei óbvio.

- você não conta, Jun. - Chenle desprezou minha resposta.

- e por quê? - ergui um sobrancelha.

- porque você é o "bem-vindo", bobo. - Donghyuck se levantou, pondo uma venda em mim enquanto Chenle amarrava minhas mãos para trás com a ajuda de uma corda.

- vocês não vão me estuprar, vão? - engoli a seco.

- precisaríamos? - a voz sexy de Jeno ecoou em meus ouvidos, extremamente convencido.

- não. - confessei e eles riram.

- o jogo é o seguinte, Renjun, todos vamos fazer algo com você e você tem que descobrir qual de nós é, a cada acerto alguém te diz "bem-vindo", e a cada erro você terá que tomar uma dose do Gim que o Mark tem aqui. - Donghyuck explicou o jogo, me fazendo engolir a seco.

Que tipo de coisas eles fariam? Oh, Deus, não me desgrace agora, não estou pronto para isso.

- que tipo de jogo é esse? - perguntei estranhando o silêncio que ficou depois das regras serem dadas - meninos? - os chamei, sentindo um nó se atar em minha garganta.

- estamos aqui, relaxa, Jun. - a voz de Chenle ecoou no cômodo.

Graças a Deus!

- é o jogo do "bem-vindo". Todos já passamos por isso. - a voz grossa de Jisung contou.

- quem inventou isso? - perguntei mais para mim do que para eles.

- o primeiro de nós a chegar aqui. - Mark falou risonho.

- foi assim que me apaixonei por ele. - Donghyuck falou animado.

Ah, Mark, eu te mato, juro que mato!

- podemos começar? - Jaemin perguntou impaciente.

- podem. - assenti, deixando o medo ser substituído pela curiosidade.

Mais alguma sensação poderia tomar conta de mim?

Senti uma presença a minha frente, a respiração quente soprou em meus lábios, me fazendo contorcer os mesmos, mas então a boquinha pequena apenas selou um de meus ombros. Era macia, pequena e carnuda, lábios realmente convidativos.

- qual de nós acha que é? - a voz doce de Donghyuck perguntou após o feito.

- Jisung. - falei rapidamente, tentando não parecer mexido com o ato do rapaz, até porque aquele tinha namorado.

- Renjun... - ouvi a voz chateada de Chenle.

- errei? - perguntei atônito.

- bem-vindo! - todos disseram juntos, me fazendo tranquilizar.

- próximo! - Mark falou.

Não demorou muito para um arrepio tomar conta do meu corpo, o ser atrás de mim lambeu minha nuca.

- quem é, Jun?- Chenle me perguntou.

- Jaemin. - falei sem pensar.

- uma dose pra ele! - Hyuck falou animado, feliz por me ver indo pelo pior caminho daquela brincadeira.

Mark se aproximou e me entregou um copinho. Levei o mesmo até o nariz sentindo o álcool subir até minha cabeça, em seguida o levando até a boca, deixando o líquido amargoso descer livremente por minha garganta, acelerando meus batimentos cardíacos e o fluxo de sangue em minhas veias.

Não era acostumado a beber, então uma pequena dose já despertava coisas novas em mim.

Ninguém disse nada, não anunciaram outro, mas um deles beijou minha bochecha, um beijo rápido e cheio de nojo.

- Mark. - falei sem surpresa.

Era nítido que o moreno era o menos carinhoso ou afetivo ali.

- bem-vindo! - gritaram, talvez decepcionados por não me verem beber novamente.

- próximo! - Mark falou.

Senti a presença ao meu lado e logo os dentes se prenderam em minha pele do pescoço. Céus, que sensação é essa que atormenta meu corpo?

- Donghyuck. - disse após pensar um pouco.

- mais um shot pra ele! - o próprio falou entre risos.

E lá estava eu virando mais uma dose goela abaixo.

Meu corpo já estava quente e agitado. Quando essa brincadeira acaba?

Sem delongas alguém mordeu minha orelha, tão rápido e tão vagamente que não me deixou dúvidas.

- Chenle. - falei.

- bem-vindo! - eles disseram em uníssono.

Mais um e agora alguém tinha pego no meu... Ah, céus, quem se atrevera pegar no meu membro. Apenas me mexi incomodado e logo a pessoa se afastou.

- J-Jeno. - falei com dificuldade.

- bem-vindo! - eles disseram outra vez.

- isso não tem graça. - falei nervoso, sentindo uma excitação se apoderar de mim.

Aqui não, por favor...

Enquanto estava emburrado senti dentes se prendendo em meu ombro, não fora doloroso, entretanto também não fora nada excitante, alguém ali ainda presa pela minha sanidade. Obrigado!

- Donghyuck. - falei certo.

- bem-vindo de novo, Jun! - Chenle falou sozinho.

O silêncio predominou, deixando-me atento a ouvir apenas minha respiração descompassada, até que lábios quentes e úmidos com sabor de álcool encostaram levemente nos meus, mas fazendo um choque percorrer da minha espinha até minha nuca.

- Jae...min. - não me contive e lambi os lábios que degustavam álcool.

- bem-vindo, Renjunnie. - sua voz atrevidamente sexy disse em meu ouvido.

Eu vou beijar esse garoto, juro que vou!

- Parabéns, Jun, você foi muito bom, Jisung saiu daqui carregado na vez dele. - Chenle disse rindo enquanto soltava minhas mãos, permitindo que eu mesmo me livrasse da venda.

Pisquei algumas vezes e então reencontrei os rostos dos garotos, aqueles todos bonitos e corados por conta da bebida.

- não te ofendi, né? - Jeno se aproximou.

- ninguém disse que ia haver este tipo de contato. - falei chateado, estalando a língua no céu da boca.

- e não costuma ter. - Chenle falou.

- exceto com a gente. - Donghyuck disse beijando possessivamente o namorado.

- ah, vão transar no banheiro. - Jaemin falou fingindo nojo.

- vamos mesmo. - o garoto disse puxando o moreno para o cômodo.

- preparem-se para os gemidos. - Jisung zombou do casal.

- se isso já acabou eu quero ir pro meu quarto. - falei sem graça.

- você gostou da festa? - Chenle perguntou.

- gostei. - sorri fraco e abri a porta, saindo do local, encontrando o corredor vazio.

- Renjun! - a voz de Jeno ecoou atrás de mim.

- o que foi? - me virei para ele assim que adentrei nosso quarto.

- eu não quis te ofender, eu juro, só fiquei sem opções do que fazer. - ele se justificava, realmente arrependido.

- tudo bem, Jeno, mas que isso não seja uma opção entre nós, ok? - ergui uma sobrancelha para o acastanhado a minha frente.

- tudo bem. - assentiu - mas você não é gay?- ele franziu a testa para mim.

- isso é um colégio para meninos e não para gays. - o lembrei.

- tá, mas você não pareceu se importar com o NaNa te beijando. - ele se escorou no batente da porta.

- mas eu me importei. - falei dando de ombros, começando a arrumar minha cama para dormir, tentando fugir do assunto.

- mesmo?- ele segurou levemente em minha cintura, aproximando seu corpo forte do meu.

- sim. - relutante, afastei suas mãos de mim, indo para o banheiro.

Se ele me visse de frente teria visto seu efeito sobre mim.

Droga! Não seja tão fraco, Renjun! Aqueles dois só querem sexo, mas você quer algo a mais?

Respirei fundo e decidi que iria deixar aquele banheiro para beijar Jeno, mas ao abrir a porta me deparei com meus colegas se pegando freneticamente na cama de um deles.

Não tem espaço para mim.

Apenas fui para minha cama, pus os fones de ouvido e me escondi debaixo dos lençóis, não querendo fazer parte daquele momento.


Notas Finais


Aish, espero que tenham gostado ♥
Até o próximo →


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...