História Good Boys, Bad Influences (NoRenMin-NCT) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Haechan, Hansol, Jaemin, Jeno, Jisung, Mark, Personagens Originais, RenJun
Tags Chenle, Chensung, Donghyuck, Haechan, Hansol, Jaemin, Jeno, Jisung, Mark, Markhyuck, Nct, Nctdream, Nomin, Noren, Norenmin, Renjun, Renmin
Visualizações 112
Palavras 2.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ♡

Capítulo 3 - A verdade por trás da boa fama


Fanfic / Fanfiction Good Boys, Bad Influences (NoRenMin-NCT) - Capítulo 3 - A verdade por trás da boa fama


03: A VERDADE POR TRÁS DA BOA FAMA


    Cocei meus olhos assim que senti a forte luz do sol vir de encontro ao meu rosto. Com os olhos entreabertos vi Chenle abrir a cortina da janela do meu quarto.

O que ele faz aqui?

- Chenle... - resmunguei.

- estou me vingando por você ter reconhecido o Jisung tão rápido ontem. - ele falou fazendo um bico infantil.

- você tá brincando, né? - murmurei me sentando na cama.

- tô. - sorriu fraco - não quero que se atrase no seu primeiro dia. - falou atencioso, sentando na beirada da minha cama.

- e aonde estão os outros? - franzi o cenho, vendo as camas arrumadas dos meus parceiros.

- ah, eles já estão todos tomando café. - moveu as mãos sem pretensão.

- hum. - assenti.

- anda, Jun, vá se arrumar para encontrarmos eles lá. - bateu em minhas pernas.

Assim eu fiz, me pus de pé e fui para o banheiro tomar um banho rápido e escovar os dentes. Apenas sequei os cabelos com a toalha e logo vesti meu uniforme, uma camisa branca, um blazer e calça sociais na cor vinho, tendo o logo do internato no lado direito do blazer.

- nossa, isso caiu muito bem em você. - ele falou assim que deixei o banheiro.

- ahn, obrigado. - não sei se era isso o que deveria dizer, mas foi o que saiu.

- vamos? - ele perguntou abrindo a porta do quarto.

- vamos. - peguei minha mochila e então deixamos o quarto.

Cruzamos o corredor e o pátio da escola e logo estávamos no refeitório do internato. Ali havia uma dezena de mesas longas, todas lotadas. Os garotos engravatados estavam concentrados em suas tigelas, mal falavam e nem sequer se olhavam, pelo visto ali era hora de atacar de "bons garotos".

Deus, eles são tão cínicos...

- está tudo bem, Jun? - Chenle perguntou indo pegar sua bandeja, me levando consigo.

- está. - respondi atordoado.

- é estranho não sermos os mesmos de ontem, né? - ele me olhou por cima dos ombros enquanto passava a bandeja pela bancada de comidas.

- é um pouco, eu confesso.

- você vai se acostumar. - ele murmurou e eu apenas me limitei a assentir.

Pegamos nosso café da manhã e então fomos para a mesa onde os outros estavam. O clima era completamente diferente da noite passada, ninguém ali parecia um casal, estavam todos dispersos, nem se parecendo amigos, apenas companhias de um refeitório. Era tão estranho ver aquela cena depois de tudo o que aconteceu na noite passada, eles pareciam sofrer de personalidade dupla, ou talvez só sejam muito cínicos mesmo.

- bom dia. - digo pegando meu lugar, conseguindo apenas acenos de cabeça como resposta - a manhã é sempre assim por aqui? - perguntei para Chenle, que apenas assentiu.

Me calei e mal toquei na comida, indo para a sala de aula assim que o sinal bateu, levando todos os garotos para suas respectivas salas.

Peguei minha carteira que para meu azar ficava entre Jeno e Jaemin.

Que sorte!

- dormiu bem na sua primeira noite, Renjunnie? - a voz provocativa de Jaemin soou atrás de mim.

- aham. - assenti, não o olhando.

- podia ter dormido com a gente. - Jeno se virou e sussurrou, conseguindo se tornar ainda mais sexy.

Se controle, Huang Renjun!

- eu passo. - revirei os olhos.

- alunos! - uma professora adentrou a sala.

- Olá, senhora Jung! - eles falaram em uníssono.

- parecem uma classe do primário. - falei rindo pelo nariz.

- faz parte do show. - Jeno soltou uma piscadela para mim.

- acham divertido brincar desse jeito com suas personalidades? - perguntei incrédulo para o acastanhado.

- é, vai. - ele mordeu os lábios para mim.

- até você acha divertido brincar assim com a sua mãe? - me virei, olhando para o Na.

- eles não gostam de como a gente realmente é, então sejamos o que eles querem que nós sejamos. - ele deu de ombros.

- talvez porque o "eu" de vocês não seja a melhor versão para alguém conhecer. - comentei rolando os olhos.

- é, talvez. - Jaemin nem ligou para o insulto, dando total atenção para a aula da senhora Jung.

Pelo visto manter as notas altas e o padrão do internato fazia parte do disfarce.

A sequência de aulas terminou e então fomos todos para o almoço, pegando nossas comidas e tomando os mesmos lugares de antes.

Que ciclo!

- você come pouco, Jun. - Chenle falou, vendo que em menos de dez minutos eu já estava deixando a mesa.

- estou sem fome. - digo dando de ombros saindo do refeitório, indo para o meu armário me livrar do peso depositado em minha mochila.

Parei ali e deixei no meu armário alguns dos livros que já tinha usado e assim que fechei o mesmo, dei de cara com o rosado escorado no armário vizinho me olhando com um sorriso assanhado.

- me assustou. - falei bufando.

- me desculpa por isso e por ontem também. - ele falou se desgrudando do armário, afundando as mãos nos bolsos da calça social.

- eu já nem lembro mais. - dei de ombros, fingindo desinteresse mediante o assunto.

- eu não devia ter te beijado, Renjun. - ele continuou.

- nossa, foi tão ruim assim? - questionei ofendido.

- não, mas você se importa que eu goste ou não? - ele sorriu ainda mais atrevido, erguendo perigosamente uma de suas sobrancelhas.

- não, eu definitivamente não me importo. - me virei, mas ele segurou um dos meus braços.

- não foi ruim, foi ótimo, pena que rápido demais. - ele soltou meu braço e falou em meu ouvido, soltando um riso ladino por cima dos ombros e seguindo pelo corredor.

Deus, esse garoto realmente quer me enlouquecer!

[...]

     O tédio provavelmente era um companheiro presente dos garotos dali. Sete da noite e já havíamos jantado, escovado os dentes e estávamos trancados no quarto. Eu na minha cama desenhando, Jeno na sua mexendo no celular e Jaemin falando com a mãe no telefone, mentindo descaradamente sobre como era exemplar.

Como ela cai naquele papo?

- o que foi? - ele perguntou para mim ao desligar o telefone.

- é impressionante a facilidade que tem em mentir para sua mãe. - comentei negando com a cabeça, voltando minha atenção para meu desenho.

- pelo menos eu falo com a minha. - ele foi ríspido.

Aquilo me atingiu em cheio, afinal um final de semana já havia se passado e nem ao menos um recado na caixa postal meus pais me deixaram.

- é, pelo menos isso. - disse sem encará-lo, deixando uma lágrima cair na folha em meu colo.

- grosso! - Jeno disse, vindo até mim - Ren, você não é o único nessa situação. - ele pegou minhas mãos.

- eu sei. - assenti, me livrando de seu contato.

- esses somos nós? - ele perguntou olhando para o desenho que tentei esconder, mas não deu, a folha já estava em suas mãos.

Ali haviam os seis garotos que conheci e mais eu, um desenho completamente criado pela minha imaginação, pois nunca havíamos tido o momento retratado na ilustração.

- ei, você é bom nisso. - ele elogiou, expressando com os olhos.

- valeu, mas me devolve. - digo ficando de pé na cama para pegar a folha que o garoto levantou acima do próprio corpo, deixando ainda mais inacessível para mim.

- gosta mesmo da gente? - ele sorriu.

- num lugar como esse sou capaz de gostar de qualquer coisa. - dei de ombros, puxando o papel dentre seus dedos.

- assim você me ofende, Ren. - ele fez biquinho.

- sem graça. - voltei a me sentar na cama.

- o que acham de brincarmos? - Jeno alternou seu olhar entre mim e o rosado.

- de quê? - Jaemin perguntou desanimado.

- o de sempre. - ele sorriu para o rosado que pareceu se animar com a ideia de "sempre".

- e o que seria "o de sempre"? - perguntei ganhando sua atenção novamente.

- "responda ou me beije." - Jeno falou abrindo o sorriso mais ainda.

- vocês inventam cada coisa para tirar proveito. - falei sorrindo.

- qual é, Ren, não fuja. - ele implorava.

- depois de ontem nada pode ser pior e com esse tédio topo qualquer coisa. - revirei os olhos, vendo os dois se entreolharem maldosos - quase tudo, seus babacas. - saí da cama, guardando meu material de desenho.

- então vamos. - Jaemin disse pegando uma garrafa de água e pondo no centro do círculo que formamos com nossos corpos.

- apenas um jogo da garrafa. - comentei nada impressionado.

- mais do que isso, Renjunnie, você vai ver. - o rosado sorriu pervertido para mim.

- não vamos chamar os outros? - franzi o cenho.

- eles são casais muito fechados para este jogo. - Jeno explicou.

- você quer dizer decentes, né? - o encarei divertido.

- talvez. - deu de ombros.

- podemos? - Jaemin perguntou tocando a garrafa.

- pode. - Jeno permitiu.

- Jeno pergunte qualquer coisa ao Renjun. - ele disse após girar a mesma - se ele não quiser responder, terá que escolher um de nós para beijar. - me olhou malicioso.

- Ren, você é gay? -ele soltou.

Eu poderia não responder, mas não queria ter que escolher um daqueles dois para beijar.

- sou. - assenti e ambos sorriram.

- agora eu pergunto pro Jeno. - Jaemin girou a garrafa mais uma vez.

- manda. - Jeno falou.

- se pudesse transar com um de nós hoje, quem seria? - ele soltou, me constrangendo.

Antes que eu pudesse processar, os lábios de Jeno grudaram num selar com os meus.

- não posso escolher. - ele se justificou - você é sempre tão bom, mas Renjunnie me atiça. - ele falou sorrindo enquanto olhava fixamente para mim.

- cretino! - Jaemin sorriu batendo no ombro do acastanhado.

- sua vez, Junnie, pergunte para mim. - ele disse me olhando com segundas intenções.

- hum... - pensava na pergunta - teria coragem de transar com alguém na sala da diretoria? - soltei e eles me olharam animados.

- boa ideia. - assentiu.

- seu pervertido! - gargalhei.

- ah, qual é, seria excitante. - ele se defendeu.

- que nojo! - resmunguei.

- agora pergunte ao Jeno. - ele falou após mais um giro na garrafa.

- Jeno, você já transou com garotas? - estava curioso.

- eu ainda transo com elas quando saio daqui. - ele sorriu sapeca.

- que moderno. - murmurei.

- e você, já ficou com meninas? - ele perguntou pretensioso.

- não é sua vez. - reclamei.

- ah, é sim. - Jaemin se divertiu vendo a garrafa nos indicar outra vez.

- responde, Junnie. - Jeno sorria.

- nunca fiquei com ninguém. - falei rápido.

- você é virgem? - Jaemin me questionou boquiaberto.

- não é a sua vez, Na. - falei girando a garrafa e vendo que Jeno tinha o direito de lhe perguntar algo.

- NaNa, você transaria com qual dos meninos que não estão aqui? - ele perguntou.

- hum...Donghyuck, certeza. - ele sorriu pervertido.

- que Mark não te ouça. - Jeno brincou.

- chega, essa brincadeira é bem invasiva, não? - os encarei chateado, voltando para minha cama.

- não queríamos te deixar sem graça, Junnie. - Jeno se pronunciou após eu me deitar e dar as costas para eles.

- tudo bem. - falei cobrindo-me e fechando os olhos.

Ainda era cedo, mas era melhor dormir do que encará-los após praticamente confessar minha virgindade para eles.

Isso é tão estúpido! Céus, o que eu estou fazendo?

- boa noite, Renjunnie. - eles disseram em uníssono, fazendo meu coração acelerar.

Eu posso gostar de duas pessoas ao mesmo tempo?

Esses garotos são verdadeiros demônios, isso sim. São pervertidos, conquistadores, safados e maus, essa é a verdade por trás da boa fama dos garotos desse internato.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ♥
Amanhã tem mais, eu prometo 0:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...