1. Spirit Fanfics >
  2. Good or Bad? >
  3. 15. Family Day

História Good or Bad? - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Oi meus amores💕
Pode não parecer mas me importo com vocês, e como magicamente tenho uma vida (que envolve apenas livros e estudos) planejo, se tudo der certo, postar todo o sábado. As vezes no domingo.
Então teremos uma semana de diferença entre um capítulo e outro (como já estava acontecendo, só que agora, de forma definitiva).
Bjs e boa leitura💕

Capítulo 16 - 15. Family Day


[Pov Autora]


 O dia está muito agradável. Com o sol do meio dia brilhante no céu e uma fraca brisa refrescante, o que torna-o perfeito para atividades ao ar livre (como nadar ao lado dos amigos ou um piquenique romântico, entre várias outras possibilidades). Hoje é dia da família e por conta disso os alunos e seus pais, ou responsáveis, estavam reunidos na área verde da escola.

 As pessoas estavam espalhadas por todo o local fazendo as mais diversas atividades. Alguns parentes conversavam entre si, outros  preferiam conversar com os amigos, mas sempre tinha os esfomeados que circulavam a mesa do bufê.

 Sabina encarava o local com admiração, além da quantidade absurda de comida presente nas grandes mesas retangulares, a decoração foi feita com flores diversas, mas que combinam muito bem.

 - Aí está você - A garota se vira e vê Sina vindo em sua direção - Como vai a estrela do time?

 - Vou bem, e tu capitã? 

 - Ótima. Tá esperando alguém?

 - Não em particular, a maioria das pessoas que conheço já está ocupada.

 - Quer ficar andando por aí e roubar chocolate enquanto ninguém está olhando?

 - Seus pais não vão se importar?

 - Eles não vieram. Minha mãe está grávida e a data de nascimento está próxima, por isso acharam melhor não vir. Então estou sozinha.

 - Não mais - Sabina cruza seu braço com o dela - Avante minha companheira de convés, os doces nos esperam - Sina ri do gesto e as duas caminham juntas.

 Enquanto isso um casal se encontrava afastado da multidão, escondidos em uma das cabines do banheiro (que tirando os dois encontrava-se vazio) aos beijos e amassos.

 - Tem certeza que seus pais ainda não chegaram? - Josh pergunta entre um beijo e outro.

 - Tenho, seu bobo. Não se preocupe com isso, eles vão me avisar por mensagem - Noah deixa um rápido selinho nos lábios do outro - E sobre a mensagem de texto, o que quer me falar? 

Josh encara o garoto por um momento antes de responder:

 - Eu falei com meu pai hoje.

 - Mas… como? - Ele questiona surpreso e incrédulo.

 - A Fada Madrinha fez uma espécie de surpresa pra mim e pros outros nos colocando em uma chamada de vídeos com nossos pais. No começo tudo foi bem, menos para o Krystian pois o Shan Wu não estava presente. Aí, quando chegou minha vez, a diretora acabou falando um pouco demais.

 - Ela comentou do clube de música?

 Josh afirma com a cabeça e prossegue:

 - Ele ficou furioso. Nós brigamos, joguei umas verdades na cara dele, ele me xingou, contei que era gay e continue sendo xingado.

 - Ah, Josh… - Noah acaricia o rosto dele delicadamente - Eu não imagino pelo que esteja passando. Seu pai é horrível.

 - Sei disso, mas não preciso dele. Já que tenho você - Após isso, voltou a beijá-lo.

 Os dois continuaram o gesto até o um som de vibração de celular preencher o ambiente. Noah o pega de seu bolso traseiro e após conferi-lo, diz:

 - Tenho que ir, meus pais chegaram - Ele encara Josh - Tem certeza que não quer vir comigo?

 - Sei que não gosta de esconder o que temos, nem eu gosto. Porém, a nossa discussão ainda está bem fresca na mente das pessoas; além de todo o preconceito e discriminação. Creio que teremos que continuar assim por mais um tempo.

 - Não sei não, acho que tá com medo de conhecer meu pai.

 - Bom… - Josh coça a parte de trás da cabeça.

 Noah solta uma risada:

 - Eu poderia ficar horas explicando que meu pai não é a fera que todo mundo pensa. Mas o tempo não está a nosso favor - Ele dá selinho de despedida - Até.

 - Até.

 O garoto saí do cubículo em que estava e vai de encontro a sua família, passando pelas irmãs Li (Hina e Heyoon) e Shivani que estavam com o rei ea rainha. Eles faziam perguntas sobre a escola e questionaram a Paliwal como estava sua adaptação.

 - Vai de boa - A garota respondeu de maneira descontraída, mas sem sua grosseria rotineira.

 - Fico feliz em ouvir isso - Mulan diz com um doce sorriso - Se as coisas continuarem assim poderemos expandir o projeto no próximo ano.

 - Expandir?! - Questiona  incrédula.

 - É - Shang respondeu - A Hina e a Heyoon não te contaram? - Ele pergunta olhando as filhas que responde "não".

 - Eu faço isso por elas - Mulan volta a falar - O projeto já estava na lista de espera a muito tempo, porém, como minha agenda sempre estava cheia, não consegui colocá-lo em prática. Agora, com a coroação da Heyoon chegando, e ela assumindo as responsabilidades, poderei ficar todo meu tempo no projeto durante minha "aposentadoria". Quem sabe trazemos mais jovens.

 - Isso seria maravilhoso - Hina diz - Aposto que muitos deles adorariam vir para Auradon.

 - Nem todos - Shivani fala, quebrando as expectativas da amiga - Conheço pessoas que odiaria viver num lugar cheio de regras como aqui.

 - Que interessante - Heyoon comenta - Mãe, acho que devia deixar a Shivani ajudar a escolher os jovens.

 - A-ajudar?!

 - Que ótimo idéia querida! Tenho certeza que ela sabe mais deles do que eu.  O que diz Shivani?

 - Eu-eu… - Ela não sabia o que responder. "É uma proposta interessante. Provavelmente vai ser um saco ter que aguentar um bando de reuniões em que não vou entender nem uma palavra dita, por outro lado, eu poderia fazer algo mais útil que ler as cartas. Mas isso implica diretamente em abrir a barreira. MERDA! Por não podia ser mais fácil?!" - Preciso de mais tempo pra decidir - Ela diz de forma rápida, quase atropelando as palavras.

 - Claro querida, demore o tempo que achar melhor. 

 - Obrigado majestade.

 -  Por favor me chame de Mulan.

 - Como quiser majesta… digo Mulan.

 Enquanto essa conversa acontecia  Krystian Wang estava na mesa do bufê, servindo-se de macarrão com bastante molho; mas não estava com fome.

 Ele caminha pelas pessoas fingindo procurar um lugar para sentar, quando avista o seu objetivo, caminha um pouco e tropeça, propositalmente.

 Todo o conteúdo do prato foi despejado nas roupas de alguém.

 - Olha por onde anda! - A pessoa, que não era ninguém mais ninguém menos que Naveen (O príncipe sapo), exclama enfurecido.

 - Desculpa - Krystian levanta com o rosto abaixado, fingindo um arrependimento que não tinha - Eu não tinha a intenção…

- O que está acontecendo aqui? - Mulan pergunta se aproximando do local junto a todos que estavam conversando com ela.

 - Esse garoto nojento derrubou comida no terno de seda do meu pai - Diarra diz - Não devem ter ensinado bons modos na ilha.

 - Quem é você pra falar de modos? - Shivani questiona assumindo a dianteira do garoto. Ela não sabia se havia sido um acidente ou de propósito, mas, que com certeza o julgariam por causa de seu pai - não por sua ação.

 - Alguém cujo o pai conseguiu o dinheiro de maneira correta, não enganado os outros.

 - E o que dinheiro tem haver com isso? Tirando o fato que isso te tornou uma mimada, e olha que estou me controlando nos xingamentos, não faz diferença.

 - Quem você pensa que é para chamar minha filha de mimada?

 - Ela é filha do Doutor Facilier. É óbvio que ia falar algo assim.

 Até aquele momento, todos já haviam se aglomerado em um circula ao redor dos envolvidos.

 - Por que não resolvemos isso de maneira pacífica? - Hina pergunta.

 - Esses animais não devem nem saber o que a palavra pacífico significa.

 - Não chame eles assim! - A princesa protesta.

 - Por que? Eu não falei nada menos que a verdade. Não vai me dizer que se  apaixonada pela vadia, sua puta lésbica?

 - Vai se fuder sua vadia de quinta categoria que fode por 1,99! - A Paliwal explode. Mesmo não sabendo o motivo, havia ficado furiosa com a ofensa direcionada a amiga.

 - Papai ela me xingou!

 - Papi ela mi xingiu - Shivani diz em tom de falsete - Me poupe. Uma mulher da tua idade choramingando pro papai, vê se cresce sua piranha.

 - Não fale assim com a minha filha! - Tiana, que até então permanecia quieta, diz.

 - Então eduque ela direito

 - A única pessoa que precisa de educação é você! - Joalin dispara de um dos cantos - Pois assim aprenderia a se colocar no seu lugar!

 - Cala a boca sua merda que a conversa ainda não chegou no puteiro! 

 - Para com isso - Krystian pede - Não quero ter que te dever nada.

 - Fica tranquilo narcisista, minha lista de palavrões tá só começando.

 - E esse é o tipo de pessoa que você quer que viva com a gente majestade? - Alguém aleatório pergunta - Eles são selvagens!

 Vários protesto de concordância voam pelo ambiente (mesmo com os professores e a família real tentado apaziguar tudo), e sem muita escolha, os quatro saem do local sendo vaiados e xingados das mais diferentes maneiras. Os únicos que seguiam uma mesma direção eram Krystian e Shivani, indo em direção aos dormitórios.

 "Esse dia "não podia ser melhor"" a garota pensa "primeiro, fui tratada bem pela família real. Depois, teve o acidente do Krystian e a ofensa a Hina… Aquela filha da puta! Mesmo sem eu entender o motivo, fiquei brava. Acho que foi o xingamento a sexualidade (afinal sou bissexual, mesmo preferindo homens), ou o fato dela ter me defendido. Não sei porque, mas queria que fosse eu a protegê-la  de todos os males do mundo… Pêra, o que eu acabei de pensar?! Se recomponha Shivani, foque no que realmente importa.

 "Você vai abrir ou não a barreira?"

 Enquanto a Paliwal sofria com esses pensamentos, o Wang comemorava internamente. Tudo havia saído do jeito que ele queria, mas como não era burro, iria colocar o plano reserva em ação.


Notas Finais


O que acharam?
Bjs e até o próximo😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...