História Good or Evil...? - Capítulo 5


Escrita por: e ClaraMoon

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Bem, Colegial, Demonios, Escola, Evil, Good, Mal
Visualizações 17
Palavras 1.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Pov Amaya


Fanfic / Fanfiction Good or Evil...? - Capítulo 5 - Pov Amaya

A presença de Jim continuava insuportavelmente irritante e constante. Afinal, o irmão de Hayato era o braço direito de Lúcifer, o que meio que me coloca numa posição em que tenho de fiscalizá-lo o tempo todo.

A luz do dia já batia forte em meu rosto, passando pelas claras cortinas do quarto de Hayato.

Dei um leve bocejo e olhei em volta. Hayato dormia confortavelmente em sua cama e Yumi na dela, enquanto eu e Jim em nossos respectivos futons.

Senti uma pequena, porém firme pressão sob meu corpo e fitei a fonte de tal incômodo.

Era Jim. O demônio havia cambaleando para fora de seu futon e viera direto para o meu, já que estávamos bem próximos um do outro.

Retirei seus braços que agarravam minha cintura e empurrei seu corpo de volta ao local adequado.

Desci para o andar de baixo e resolvi preparar algo para comer.

Estava tão distraída cozinhando e cantarolando que não percebi que Hayato encontrava-se parado no batente da escada com os braços cruzados e um sorriso travesso nos lábios.

—Por favor, não pare de dançar- pediu brincalhão—Você não sabe o quanto estava divertido.

Mostrei a língua para ele, o que apenas o fez rir mais ainda.

—Acha que Jim vai conseguir?—inquiriu de repente, assumindo uma postura séria, me lembrando do anjo que fora um dia.

Suspirei. Conheço Hayato o suficiente para saber que sente falta do Céu e que não está contente com a vida que escolheu há tantos anos atrás.

—Não sei, Hayato—respondi sinceramente. Tenho certeza que o seu irmão é capaz de tudo para obter êxito em seus objetivos—Jim está certo em uma coisa: Ele sempre consegue o que quer.

—Devemos nos preocupar com Yumi?

—Creio que sim. E mantê-la afastada do seu irmão o máximo possível.

Terminei de fritar os ovos e os coloquei em um prato.

—É engraçado o quanto Jim é contraditório—comentou meu melhor amigo, rindo do próprio comentário.

—Como assim?

Me sentei na mesa ao lado de Hayato.

—Ele segue as leis do diabo, mas ama  uma mulher de Deus—respondeu, sem rodeios—Jim a ama, May.

Engoli em seco.

—Receio que Jim não saiba o que é o amor, Hayato—retruquei, sem saber quais argumentos além desses podia usar.

Ele é um demônio. Meu inimigo natural. A criatura mais abominável do planeta, que não liga para ninguém além de si mesmo.

Mas, ainda assim, por que sinto um fagulha especial e ardente em meu coração quando o vejo?

Balancei a cabeça, no intuito de afastar tais pensamentos perigosos.

—Se eu sou capaz de amar mesmo depois de tudo que fiz—lembrou Hayato— Tenho certeza que Jim também é.

Não pude desmenti-lo ou contraliá-lo. Ele estava certo.

Muitas vezes presenciei as recaídas de Hayato e o ajudei a levantar. Sei que ainda existe bondade e amor em seu coração.

Já Jim...o vejo apenas como o irmão mais novo que destruiu as chances de Hayato possuir uma vida plena e feliz.

—Você sabe que eu te amo, não é?—indaguei, segurando a mão do meu amigo com delicadeza.

—Sei-—confirmou—E saiba que eu sinto o mesmo.

Sorri. De fato eu e Hayato formamos uma bela dupla. Confesso que até já gostei dele como algo mais, contudo agora só consigo olhá-lo como amigo, melhor amigo, e companheiro de equipe.

Como não se apaixonar por esse maravilhoso e cativante rapaz?

Yumi será louca se não gostar dele de outro jeito. Não vai demorar para estar suspirando por ele pelos quatro cantos dessa casa.

—Vou para casa-—avisei, terminando meus ovos mexidos e lavando o prato sujo.

—Tão cedo?—perguntou chateado.

—Quero deixar a casa em ordem e mais tarde venho pegar Yumi para um passeio.

Ouvi passas rápidos e fracos de alguém que subia a escada. Sorri marotamente.

—Acho que alguém ouviu nossa conversa—alertei.

Ele sorriu.

—Temo que tenha sido nossa querida híbrido—sugeriu ele.

—Não acredito que possa ter sido Jim—falei—Aquele lá dorme que nem uma pedra. Não acordaria nem se o mundo tivesse acabando.

Ele riu. Baguncei suas lindas madeixas claras e saí da casa dos Choi.

                            ******

Era fim da tarde quando busquei Yume na casa de Hayato. O sol se punha ao longe em misto de vermelho e laranja belíssimo.

—Eu amo o pôr do sol—comentou ela, enquanto caminhávamos pelas calçadas de Tóquio—Sempre o via com meu avô. E você?

—Eu o quê?—perguntei distraída, sem realmente prestar atenção nas palavras da minha protegida.

Estava mais interessada em checar se Yumi não corria perigo aonde nos encontrávamos.

—Perguntei se fazia algo de especial com sua família.

Senti um bolo se formar na minha garganta, como se, de repente,  tivesse esquecido como se fala.

—Meus pais trabalham muito—confessei, sem mentir, nas também sem contar toda a verdade—Fui praticamente criada por minha avó.

Ela pôs a mão sobre a minha e sorriu amigavelmente. Não sabia como reagir. Não estava acostumada com tamanho carinho.

—Sinto muito—disse ela, por fim.

Abri a boca para falar, mas não continuei. Segurei Yumi abruptamente e soube que havíamos nos metido em uma fria.

Jim e mais dois demônios saíram de um beco e não pareciam nem um pouco interessados em ter uma conversa pacífica.

—Docinho—cumprimentou—Que coencidência nos encontramos aqui.

O cinismo na voz dele me deixa enjoada.

—O que você quer, Jim?

-—De você? Absolutamente nada!

Soltou uma risada fria.

—Mas infelizmente está com algo que eu quero, o que a torna um empecilho em meus planos.

—Amaya...—sussurrou Yumi, agarrando meu suéter, sem entender o que se passava diante de seus olhos.

Eu já estava em posição de ataque, colocando Yumi atrás de mim, visando protegê-la.

Me preparei para essa missão a minha vida toda. Vou morrer se isso significar que a híbrida ficará longe das garras de Lúcifer e Jim.

Deus confiou em mim. E eu prometi honrá-lo até os últimos dias da minha vida.

—Não é nada pessoal, docinho—afirmou o demônio, acariciando minha bochecha. Dei um tapa em sua mão asquerosa—Mas, assim como você, eu sigo ordens. E odeio perder.

Tudo aconteceu muito rápido. Um demônio veio por detrás de Yumi e acertou com um soco na cabeça, que caiu de joelhos no asfalto frio.

O outro veio em minha direção, mas consegui desviar de seu golpe, acertando um soco certeiro em seu queixo.

Contudo não pude escapar de Jim e seu famoso golpe silenciador.

Tudo o que me lembro antes de apagar, foi de ser posta no ombro de Jim e Yumi sendo carregada pelo outro demônio.

Se estiver correta, Jim não tem boas intenções para conosco.

Vai nos levar até Lúcifer e só Deus sabe o que o comandante do inferno fará com a híbrida das escrituras e o arcanjo braço direito de Deus.

Certamente não coisas boas.








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...