História Good Vampire - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Taeyeon, Tiffany, Yuri
Tags Taeny
Visualizações 135
Palavras 1.490
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, como vocês estão???
Então, não é mais uma one-shot...
Eu tinha prometido um capítulo novo pra A Demons Fate, mas eu meio que perdi ele, então pra não ficar sem postar nada, eu decidi fazer mais um cap dessa estória aqui...
Espero que vocês gostem.
Boa leitura!!!!

Capítulo 2 - Maldito vestido


- Eu te odeio tanto! - Gritei para Tiffany que me tinha pendurada em seu ombro enquanto corria para fora do prédio abandonado que estava prestes a explodir.

- Desculpa TaeTae! – Resmungou manhosa.

- Não. Sem desculpas. – Apliquei vários tapas e socos em suas costas, mas aposto que ela nem sentiu. – Eu avisei que ele ia me pegar, não avisei? Você não acreditou em mim. Por que acreditaria, né não?

- Foi mal, mas eu não mandei você abrir a porta pra ele, isso não teria acontecido se você não tivesse deixado ele entrar! – Bronqueou. – Agora é só um estranho chegar na sua casa falando que é Testemunha de Jeová que você já sai convidando? – Finalmente chegamos do lado de fora do prédio, mas isso não fez a vampira diminuir o ritmo da corrida. – Onde já se viu? Ele poderia ser um psicopata!

- Foi você que deixou um rastro até minha casa, sugadora de sangue desmiolada! Ele não teria me encontrado se não fosse por isso! – Respondi com um pouco de dificuldade pois o ombro dela estava pressionando meu diafragma.

- Ai, TaeTae. Eu já resolvi isso. Águas passadas. – Desconversou.

- Ah, agora são águas passadas? As coisas não funcionam assim! – Falei me debatendo sobre ela. - E da pra largar essa cabeça nojenta? – Acreditam que ela teve a pachorra de ir atrás do dito cujo e matá-lo antes mesmo de ir me procurar? Eu estava lá trancada num quarto escuro morrendo de fome à dois dias e esse traste faz isso comigo! Não obstante, ainda está levando a cabeça dele debaixo do braço.

- Não dá, TaeTae. Preciso de uma prova de que matei ele, senão não recebo a recompensa!

- Você não foi me salvar, sua babaca! - Tentei me desvencilhar de seu aperto, mas ela não diminuiu a força nem por um segundo. – Você só foi atrás dessa maldita cabeça pra poder ganhar uma grana!

No timming perfeito, assim que viramos a esquina, o prédio explodiu, jogando-nos no chão, mas Tiffany foi rápida em se colocar de modo a ser a única a sofrer o impacto da queda. Me levantei com um pouco de dificuldade e olhei ao redor. O estrago havia sido grande. Quero ver qual explicação a polícia vai dar pra isso...

- Claro que não, TaeTae. Eu fui somente pra te salvar, mas eu não podia deixar o cara sair livre! – tentou amenizar a situação. – Se ele não tivesse te sequestrado, eu não teria motivos para matá-lo. Eu até receberia mais se o levasse vivo! Mas o valor da recompensa caiu pra metade agora.

Algumas horas depois do ocorrido, depois de ser muito bem alimentada pela minha escrava vampira, eu ainda estava possessa com a situação, e pra me vingar um pouco, nada melhor do que testar mais algumas coisas perigosas na Fany.

Eu a estava observando a alguns metros de distância, ela estava na varanda do apartamento, olhando as ruas de cima, ela parecia distraída, mas eu sabia que ela estava verificando as ruas ao redor, pra ter certeza de que não foi seguida. Ela tinha tomado banho e trocado as roupas chamuscadas por um leve vestido de estampa floral, da posição que ela estava eu só conseguia ver seu perfil, e o contraste da iluminação da rua em seu rosto à deixava magnífica, como uma escultura de mármore, perfeita e fria. Sacudi a cabeça assim que notei minha linha de pensamento. Hora de colocar o plano em prática. Vagarosamente peguei o balde que estava ao meu lado e me aproximei dela o mais silenciosamente possível, assim que cheguei em uma boa distância, joguei todo o conteúdo do balde sobre ela. Tiffany nem se moveu, como se já estivesse ciente de minha presença. As vezes eu acho que ela deixa eu fazer esses testes por pena. “Coitada da humana, vou deixá-la fazer isso pois sou um ser muito superior.”

- Sério, TaeTae, água com sal? – Perguntou virando em minha direção. Uma sobrancelha levantada divertidamente. – Já não basta a água benta? – Riu suavemente pelo nariz.

- Você podia nos poupar de todo esse trabalho se me desse algumas informações. – Tentei. – Mas já que você não quer. – Dei de ombros.

- Não vou te falar como me matar, querida. – Pronunciou lentamente, como se estivesse explicando algo para uma criança. – Ah, e é melhor você secar esse chão. Já pensou se eu caio quebro o pescoço? – Riu ao final da frase, como se fosse uma grande piada. Passou por mim calmamente indo para dentro de casa, mas não sem antes retirar o vestido que usava. Jogou-o em minha direção. – Melhor não entrar com a roupa molhada. – Sorriu inocentemente. Cínica.

Ela fez isso pra me provocar. Eu sabia. E o pior é que aparentemente Fany tinha algum tipo de alergia a roupas de baixo. Nunca a vi usando sequer uma calcinha. Ela arranja qualquer desculpa para tirar a roupa na minha frente, gosta de ver meu rosto vermelho néon. Era uma ótima visão, não vou negar, mas que me deixa extremamente constrangida.

- Tiffany, os conjuntos de lingerie que eu te dou não é pra ficar só de enfeite, use-os!

Ela se moveu tão rapido que foi só eu piscar e ela estava em minha frente. Tão perto de mim que nossas respirações se misturavam. Todo o meu campo de visão era tomado por suas íris castanhas, era só o que eu via e só o que queria ver. Ter seu corpo nú tão próximo do meu era estranho, sentir o calor que emanava de si, sentir seu hálito tão perto. Ela era a perdição em pessoa. Minha perdição, feita sob medida. Seus olhos eram a armadilha perfeita, me prenderam assim que lhes encarei.

- Achei que você gostasse de me ver... – Sussurrou tão perto de mim que nossos lábios se roçavam.

- Gosto. – Respondi no automático, intercalando o olhar entre suas íris castanhas e seus lábios carmim.

- Então por quê não posso ficar assim? - Empurrou-me levemente para trás, me prensando contra o parapeito da varanda.

- Por que eu tenho vontades estranhas quando te vejo assim. – Minha voz mal era um sussurro.

- Tão estranhas quanto as que eu tenho? – Questionou, passando o nariz pela extensão de meu maxilar e pescoço. Assim que chegou na base do mesmo começou a distribuir pequenos selares pela região.

Fechei os olhos, era tão bom... Uma pequena parte de mim dizia que era errado, mas eu não estava dando muita bola pra isso. Tiffany começou a intercalar os beijos e um pequeno roçar de seus dentes, aquilo me fez arrepiar por completo. Ela iria me morder e eu queria tanto que isso acontecesse, mas parecia que ela não iria passar disso. Estava a espera de minha permissão.

Fany passou os braços por minha cintura me trazendo contra seu corpo nú. Um leve gemido deixou minha garganta e depois disso a única coisa que consegui dizer foi:

- Sim. – A palavra mal deixou minha boca e senti os dentes de Tiffany perfurando minha pele. A dor foi tão rápida que quase nem senti e logo depois do primeiro gole meu corpo foi preenchido por um prazer imensurável. Tiffany já havia me contado sobre isso, a toxina na saliva dos vampiros dá a sensação de prazer tanto pro doador quanto para quem está bebendo. Sentia minha mente nublando a cada sucção, até não sentir mais nada.

Acordei lentamente sentindo o corpo de Tiffany atrás de mim, distribuindo suaves beijos por minhas costas nuas. Uma de suas mãos acariciando levemente minha cintura. Eu não poderia estar mais em paz. Até que a realidade da situação me fez acordar completamente enriquecendo meu corpo.

- Ah cara, era bom demais pra ser verdade. – Tiffany resmungou. Seu agarre em minha cintura ficou mais firme. – Sinto muito, TaeTae, mas não vou deixar você sair daqui pra se esconder e fingir que nada aconteceu. – Passou seus braços envolta do meu corpo e encaixou seu queixo na curva do meu pescoço. É, ela realmente não iria me soltar.

Eu estava tentando lembrar o que exatamente tinha acontecido, as peças se encaixando vagarosamente e me trazendo um sorriso no rosto. Consegui virar de frente para Tiffany, a mesma estava com os olhos fechados e as sobrancelhas franzidas. Como um ser tão mortal quanto ela podia ser tão fofo assim?

- Essa é a parte em que as coisas ficam estranhas entre nós e eu perco a sua amizade? – Perguntou, a manha preenchendo sua voz rouca. Eu ri de leve pela pergunta.

- Não, bobinha. – Sussurro colocando uma mecha de seu cabelo atrás de sua orelha. – Essa é a parte em que eu falto o trabalho e a gente faz de novo.

Tiffany arregalou os olhos em espanto pela minha resposta. Apenas lhe sorri e beijei-lhe brevemente os lábios. Seu espanto logo deu lugar a malícia.

- Essa é uma ótima ideia. – Seu sorriso era radiante. - Bom dia, TaeTae.

É, eu definitivamente poderia me acostumar com isso.


Notas Finais


E então, o que vocês acharam???
Gostaria muito de saber a opinião de vocês!!!
E sobre o capítulo de ADF, estou reescrevendo tudo de novo e como é um cap meio complicado, que é onde se inicia o TaeNy da estória, ainda vai levar mais uns dias pra poder postar... Foi mal...
Mas, espero que tenham gostado desse aqui e até a próxima!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...