1. Spirit Fanfics >
  2. Good Wife >
  3. Quando uma mãe deve agir Pat 1

História Good Wife - Capítulo 6


Escrita por: Toyzinho

Capítulo 6 - Quando uma mãe deve agir Pat 1


Quando Isaac deu a notícia de que Stiles havia localizado o pequeno bebê, Scott arregalou os olhos em surpresa por alguns milésimos de segundos. Não entendeu como no meio da madrugada o amigo havia conseguido localizar o sobrinho e nem como ele havia chegado à conclusão de que o pequeno não estava com a mãe.

A ligação não foi totalmente instrutiva, uma vez que o outro não disse nada especifico para o casal, apenas pediu para Scott expedir um mandado assim que pisasse na agencia mais cedo.

Mccall tinha uma sensação estranha no peito, algo o incomodava e sabia que isso era sua preocupação com Stilinski e ainda com o cunhado e se não fosse o bastante, sabia o que passava com a cabeça do marido.

Suspirou sentindo-se ainda mais cansado, não conseguiu voltar a dormir, nem mesmo recebendo os carinhos de Isaac –Mesmo que o loiro também estivesse acordado– a preocupação e a inquietação era palpável e quase audível, mesmo que tudo estivesse em um completo silencio.

A mente de Scott trabalhava para ao menos entender a situação sem suas emoções aparecerem, por outro lado o mais novo dos Hale ali deitado do seu lado fungou, dissipando o silencio.

O homem de queixo torto saiu do peitoral do marido e logo o puxou para si –Trocando as posições, fazendo o loiro se acomodar em seu peitoral –não precisava perguntar nada, ele entendia o que Isaac sentia, ele sempre entendeu.

Apertou o outro nos braços e sem nem perceberem o dia amanhecia preguiçosamente, dando indícios através das cortinas.

– Não tem problema chorar meu amor, mas não é sua culpa, ninguém saberia que ela faria isso, vamos acha-lo! – Determinou o mais velho, beijando a cabeleira loira que tanto amava.

– Você promete Scott? – A pergunta soou em um fio de voz, com um pequeno soluço, fazendo com que Isaac escondesse o rosto no peitoral do marido, inspirando o perfume da pele tão conhecida por ele, tentando buscar calma, ele não poderia perder a cabeça.

Mas sentia-se culpado por não ter as mesmas atitudes que Stiles tinha quando se tratava de Derek e seu sobrinho.

Culpava-se por sempre se sentir impotente ante uma situação como aquela e pela segunda vez Derek precisava de alguém que tomasse a frente e o segurasse, mas novamente quem os socorreu fora Stilinski e isso o fazia sentir-se um péssimo irmão e agora um péssimo tio.

Mccall sabia o que acontecia com seu homem, entendia o que o mesmo sentia. Suspirou uma vez que sentiu as lagrimas do outro em sua pele, os soluços mais audíveis, o corpo ainda mais tremulo do que antes. O seu coração afundou ainda mais dentro de sua caixa torácica, queria dizer para o marido que cada um tinha seu jeito de agir entre situações e que o assunto família sempre era o ponto fraco para todos.

Mas tudo que Scott fizera fora deixa-lo chorar, enquanto acariciava o seu loirinho sussurrando o quanto ele estava ali por ele, sempre estaria, pois para o homem de queixo torto, Isaac Hale-Mccall era o homem mais corajoso e bravo que conhecera, pois, para ser corajoso não era preciso muita das vezes tomar a frente de peito aberto, mas sim apenas deixar todos seus sentimentos sair não importasse como uma vez que se aparentar ser forte o tempo todo era uma fraqueza também.

(....)

O barulho de salto alto fora ouvido no saguão do prédio, o porteiro logo endireitou-se em sua posição, uma vez que esse estava com sono e ficar ali durante a madrugada era exaustivo. Porém assim que seus olhos bateram na mulher que tinha perfeitos cabelos negros modulando seu rosto de pele clara com expressões dura e seus inconfundíveis olhos claros, vestia um sobretudo negro que servia bem suas curvaturas, talvez ela usava algum vestido por baixo desse sobretudo, uma vez que repentinamente estava frio na Califórnia.

A mulher não precisou se identificar assim que andou segurando apenas uma única mala de rodinhas em direção ao elevador o porteiro pode então pegar o interfone e avisar que Stilinski teria visita. E assim que o castanho ouviu a campainha soar, andou em passos ligeiros para a porta, não antes de verificar se Derek ainda dormia confortavelmente –Uma vez que sair do aperto daqueles braços fortes e quentes era difícil– girou a maçaneta e deu um suspiro em alivio quando vislumbrou aquela mulher, sentiu seu coração apertar ao ver o cansaço e preocupação naqueles olhos tão iguais os de seu melhor amigo.

– Talia – Sussurrou Stiles e jogou-se contra a matriarca Hale, sentiu o perfume que tanto lembrava quando ia passar o dia na casa de Derek e aquilo estranhamente o tranquilizou o fazendo voltar alguns anos atrás onde tudo parecia mais tranquilo, mesmo que o passado tinha feridas que ainda não cicatrizaram para ninguém.

– Meu menino! – Foi tudo que a mulher disse, mesmo que eles sempre passassem as festas dos fins de ano juntos, para a mulher viver longe de parte da sua família era angustiante. Separaram o abraço, não antes da mulher olhar bem para o castanho, dizendo que ele parecia abatido e magro demais e por um momento Stiles quis que seus pais também estivessem ali.

– Depois que eu atualizar a senhora com tudo que eu sei, a minha cozinha sempre estará a sua disposição para um bom café da manhã! – Pediu o homem de olhos âmbar e em sussurro contou para Matriarca o fatídico dia anterior o qual encontrou Derek bebendo e chorando sobre Paige e todo o círculo em volta do sumiço de Tyler.

Durante a conversa a mulher não deixou de esboçar o nojo que tenha de até então nora e o quanto ela sentia por Derek, ela sabia o que o filho havia feito, ela sabia quem ele de verdade queria, mas infelizmente o filho sempre teve medo misturado com receio de perder as poucas coisas boas que haviam ficado em sua vida. Talia suspirou e logo tocou o rosto de pintinhas de um dos seus meninos.

– Eu vou vê-lo, tome um banho e se troque, farei o café, – Disse simplista e sorriu quando Stiles inclinou-se mais no carinho em que recebia como um cachorrinho filhote fazia, então a Hale mais velha soube que ter pego um jatinho particular e ter deixado tudo para trás assim que recebeu o aviso que solicitaram ela na capital, fora algo prudente a ser feito. Afinal, não era só seu Derek que precisava de uma mãe.

Logo quebraram o contato e sem hesitar Stilinski fizera o que fora pedido, não antes sem levar a mulher até sua suíte, ele adentrou seu closet e rapidamente pegou tudo que precisava e notou que Talia deitava onde ele estava alguns minutos atrás, deixou um suspiro de alívio escapar e rumou para seu banheiro fechando a porta.

A matriarca abraçou a cintura do homem que ressonava tranquilo e com a mão livre acariciou em um cafune os cabelos negros, tão iguais os seus, mesmo que as marcas fortes no rosto indicassem alguns dos seus traços, seu filho lembrava tanto o próprio pai que era cômico, até o jeito fechado trazia o patriarca.

A mulher fitou ainda mais o rosto sereno e calmo de Derek sentido emoções virem à tona, perguntas incansáveis voltando.

Sabia que o seu menino– Não tão menino assim– não merecia o que estava acontecendo com ele, mesmo que a decisão final do matrimonio e de continuar aquele relacionamento enquanto o mesmo era jovem, fora totalmente fora do seu controle, uma vez que era a vontade do seu primogênito. E ao ver de Talia o relacionamento de Paige com o Hale mais novo era um jeito do mesmo se punir por todas os acontecimentos anteriores em que este culpava-se por ter atingido todos naquela família.

A mulher fechou os olhos, sentido o cansaço a atingir e não percebeu o momento em que Stiles saiu do banheiro, já perfumado e trocado, encontrando uma cena tão linda de mãe e filho juntos. O castanho apenas saiu do quarto e rumou para a sua cozinha e começou a preparar o café, sem dar conta que já era próximo das 06:30 AM. Assim que estava com tudo pronto e preparou-se para uma boa mordida na sua torra com geleia de morangos e amendoim novamente a campainha tocou, não estranhou quando fora abrir a porta e encontrou Isaac e Scott, ambos com olhos tão cansados e profundas olheiras.

– Não sabia que The Walking Dead estava com abertura para cast de Zombies. – Tentou brincar Stiles, mas tudo que recebeu foi uma dúzia de palavrões de Scott e um revirar de olhos de Hale.

– Bom, eu peguei o mandado. – Disse sem humor algum, assim que o casal acompanhou o amigo para cozinha sentando-se na bancada ali próxima para continuar sua refeição.

– Ótimo! – Exclamou Stilinski com a boca cheia. – Você poderá levar isso para o chefe enquanto eu Isaac vamos na casa de Allison e Lydia buscar nosso sobrinho. – A sentença veio com arfo de surpresa de Isaac, mas o mesmo não aconteceu com Mccall. O homem suspeitou que a criança poderia estar no ninho das cobras, afinal, bastou acalmar o marido para começar a pensar nas hipóteses e pessoas que a ex-mulher de Derek tinha próximo a si.

Porém o que lhe incomodou fora o fato de seu marido ser cogitado para algo assim, não iria deixar o seu loirinho perto daquelas mulheres, principalmente perto da Argent.

– Não, eu posso levar depois! – disse incisivo, o seu tom era seco e em desgostoso quando continuou: – Isaac fica olhando Derek e eu vou com você! – Stiles arqueou a sobrancelha, não entendendo o motivo de que o amigo ignorou totalmente o seu pedido, mas não precisou contestar, quando o loiro o olhou irritadiço, levantou-se logo e encarando o marido com seus olhos claros em irritação:

– Por que eu não posso ir com Stiles? – Ainda que o homem estivesse surpreso com a vontade do amigo de olhos castanhos querer sua ajuda em algo referente a esse tipo de coisa, o estranhamento veio de que Scott, seu marido que sabia sua insegurança sobre o fato de que se sentia inútil e menor diante do Stilinski em certas situações e até um pouco de ciúmes do mesmo, o impedir de participar disso.

– Não é que eu não confiei em vocês dois ou algo do tipo, mesmo que você seja da família e isso concerne a você, mas Allison estará lá e eu não quero ela perto de você! – Disse por fim, já que Scott Hale-Mccall nunca escondeu o ódio que tinha da garota, uma vez com tudo que ela fez com a cabeça do seu homem quando eram adolescentes, ele nunca a perdoou por aquilo tudo.

Isaac respirou fundo, então era sobre isso?

Scott também o achava fraco e indefeso, sentiu seus olhos marejar, e lá estava novamente a sensação de impotência, olhou o marido e mesmo que o loiro abrisse a boca nenhuma palavra saia, ele fechou os olhos em um aperto para dissipar as lagrimas. Mccall o olhou em espanto quando entendeu o que o outro homem pensara, levantou-se e ao tentar se aproximar do marido o mesmo o afastou.

– Isaac eu não quis dizer isso, eu só – pausou respirando e modelando o tom tremulo de sua voz, Stilinski pela primeira vez em anos parecia que havia perdido algo na vida dos seus amigos, já que não entendia o que acontecia diante a si. – Eu não quero que ela te machuque, não quero que você pensa aquelas coisas, não quero que cicatrizes fechadas se abram, eu lutei anos para te fazer enxergar o quanto te amo.... Eu só não vou deixar você ir por isso! – seu tom era melancólico. Porém a forma que a frase terminou nos lábios de Scott acabou piorando a situação.

–Deixar? – uma risada sem humor correu pela garganta do loiro. – você é meu marido, não meu dono, não sou um cachorro que foi maltratado e foge de carinho Scott. – Rebateu indignado, se fosse em outra ocasião Mccall teria rido da comparação, mas sabia bem o que aquilo se tratava. – Eu sei me defender, não sou mais um adolescente me descobrindo, eu sei quem elas são e sei o que elas fizeram em mim e na minha família. – Ditou raivoso – E novamente foi essa mesma mulher que trouxe essas dores para nós, eu não estou aceitando sua recusa aqui, eu vou e pronto.!

Os dois homens na cozinha estavam boquiabertos com a sentença do loiro, não que para Stiles aquilo fora muito, ele entendia o amigo, sempre tiveram cuidado ao redor dele, mas na sua cabeça a sensação que ele não sabia de algo o atingiu forte, não queria ser tão displicente com Isaac ou até mesmo Scott, baixou seus olhos para o prato agora vazio, o ar na cozinha estava pesado e torcia para que essa confusão não tivesse acordado nem Derek e nem mesmo Talia.

Mccall iria retrucar, dizer que era um absurdo o marido pensar tais coisas, ele só queria o bem de Isaac e que por todos os deuses ele entendia os seus motivos, mas não poderia imaginar o seu homem ainda mais machucado. E conhecendo o inferno que era aquelas cicatrizes ele sabia que isso traria vestígios, por um momento ele levou os olhos para o melhor amigo que não os encarava mais, ele quis xinga-lo por lhe colocar nessa situação, Mccall até abriu a boca para começar um monologo, porém novamente a voz de Isaac soou e ele virou-se para a entrada onde agora seu menino abraçava sua sogra, a mesma sumiu no abraço de seu caçula, pode ouvir o seu menino fungar naquele abraço e bem, a matriarca definiu que ela realmente deveria estar ali, pois não era só Derek que precisava dela. 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro e a demora, tive alguns problemas com minha ansiedade.

Não esqueçam de comentar, ajuda um autor a ser feliz ❤

Abraço e até o próximo🐺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...