1. Spirit Fanfics >
  2. Goodbye, My Love - Markhyuck >
  3. 8 Dias: O Show

História Goodbye, My Love - Markhyuck - Capítulo 5


Escrita por: ZH0NGL0V3S

Notas do Autor


e ai gente, mais um cap?

espero que tenham uma boa leitura amo vcs

Capítulo 5 - 8 Dias: O Show


Naquela manhã, havia realizado o quarto tópico da sua lista. A madrugada já tinha chegado, mas ele ainda estava muito animado. O resto de seu dia ele passou com Jeno e Jaemin, casal que não poupava carinho entre eles e com o amigo, depois jantou com seus pais, que estranharam tamanha animação de seu filho e quase desmaiaram quando souberam que ele foi pular de asa delta, mas após um sermão de que o mais novo deveria falar para eles quando fosse participar de aventuras radicais, se acalmaram e quiseram saber cada detalhe. Era raro ver Donghyuck animado daquela forma, então eles ficaram felizes de saber que ele estava bem.

E por volta da uma da manhã, Donghyuck pensava no que ia realizar naquele dia. Tinha mais sete coisas para realizar em oito dias.

Ele tinha apenas uma preocupação no momento: como passaria o dia com Mark. Apesar deles terem se aproximado bastante depois da festa, ainda não tinha coragem de chamá-lo para sair e muito menos de se declarar.

Enquanto pensava no mais velho, o mesmo lhe mandou mensagem pedindo para contar mais sobre seu dia, já que ficou sabendo do grande acontecimento. Poucos segundos depois de mandar as mensagens, Mark ligou para Donghyuck. Surpreso com a ligação, ele atendeu no mesmo instante e tentou conversar sem entregar sua empolgação.

— Mark! Não esperava que fosse ligar.

— Achei melhor, para você contar tudo direitinho.

— Curioso em. Sua sorte é que eu gosto de falar muito. Então, você já deve ter conhecido o Jaemin e o Jeno.

— Sim, estudo com o Jeno e já vi o Jaemin com ele na faculdade. Casal lindo.

— Perfeitos, né? Esperando o pedido. Enfim, fui com eles e tava todo mundo tão animado que nem vimos o caminho passar. Ai lá eu fui o primeiro a pular.

— Corajoso.

— Ah, queria mijar nas calças, mas não podemos ir contra o pedra, papel e tesoura. O cara da asa delta ficou conversando comigo até eu me acalmar e disse que eu era um dos mais calmos que passou por ali, alguns desmaiavam de medo na hora, sabia? Bom, me encheram de equipamento e eu pensei que o vento não ia suportar e que eu ia cair assim que saísse daquela montanha, mas deu tudo certo e cara... foi impressionante. É inexplicável o sentimento de estar voando, muito único. Você parece invencível e capaz de qualquer coisa, tudo é tão lindo e perfeito. Lá em cima você não se sente pequeno, um ser qualquer no mundo, passa a ser até acolhido pela paz, sabe? E a vista.... Sem condições, é maravilhosa. Uma hora deu para ver a cidade e é engraçado como ela começa a se mesclar com o natural, fica muito bonito. É muito bom, você precisa ir algum dia.

— Uau, que intenso. Ninguém conta dessa forma que você falou.

— Devo ter soado meio besta.

— De jeito nenhum. Foi muito bom te ouvir, você passa uma intensidade que é boa. Me deixou até agitado para ir agora mesmo.

— Deve ser muito bom olhar para o céu e ver um Mark Lee voando em cima da sua cabeça.

— Um anjo fazendo suas atividades naturais, né?

— Não poderia concordar mais. — Sorriu com a frase de Mark. Realmente o achava um anjo.

— Bom, eu liguei meio tarde, desculpa se atrapalhei seu sono ou coisa assim.

— Não atrapalhou nada, imagina. Como foi seu dia?

— Ah, nada demais. Aproveitando as férias da forma mais relaxada possível: deitado na cama jogando vídeo game.

— Não sabia que você jogava — ele sabia, já stalkeou o twitter de Mark — pensei que era atleta e corria toda tarde.

— Não sei quem te contou isso, mas essa pessoa com certeza não me conhece. Sou atleta apenas pra correr dos monstros que querem me matar nesses joguinhos.

— Isso foi muito nerd da sua parte, Mark Lee, preciso te converter.

— E eu devo acreditar que você não é um sedentário e sim um leitor fiel?

— Claro! Nunca soube o que é Mario Kart, só vou para a praça caminhar e ler com os pombos do meu lado.

— Confio nisso — Mark riu e Donghyuck sentiu-se a pessoa mais feliz por ouvir aquele som — Você não me engana. O que vai fazer hoje?

— Não sei, não lembro de ter nada marcado pra hoje…. Ah, nossa como eu esqueci isso? Eu tenho um show!

— Você faz shows?

— Não, eu vou em um, do Justin Bieber.

— Mentira.

— Verdade. Você gosta dele?

— É um dos meus cantores preferidos! Eu queria ir mas o ingresso já tinha esgotado, quase chorei. 

— Não acredito, Mark, eu podia ter comprado pra você! 

— Você não me conhecia, Hyuck, como que ia comprar?

— Ah verdade, você foi burro de não puxar papo comigo antes. 

Ei! Você que é lerdo e não veio falar comigo! — Donghyuck sentiu que o universo tinha mandado uma imensa indireta para ele — Tire bastante fotos pra mim, fala que eu amo ele e to esperando ele aparecer na janela da minha casa meia noite.

— Sim, porque ele com certeza vai aparecer na janela do seu quarto no décimo quinto andar.

— Ele pode tudo — os dois riram e suspiraram ao mesmo tempo — Ai, espero que a gente possa se ligar mais. 

— Nós podemos, ligue quando quiser. Obrigado, aliás.

— Eu que agradeço. Vou te deixar por hoje. Durma bem.

— Você também. Tchau, Mark.

Mark encerrou a ligação e Donghyuck notou o quanto seu coração palpitava. Acabou de realizar o sonho de conversar com o seu amor de madrugada e também foi melhor do que ele pensava que seria. Ele era apaixonado pela voz do mais velho, pela forma que as palavras saíam de sua boca, pelas risadas que ele soltava... ficou feliz de ouvi-la antes de dormir.

A tela do seu celular acendeu, iluminando o quarto escuro e interrompendo seus pensamentos. Era um lembrete que ele havia marcado.

"Justin Bieber - 8:00 pm"

Agora que eu sei que o Mark gosta do Justin, eu to mais ansioso para ir… Temos muito em comum, ele é muito minha metade.

Desligou a tela do celular e respirou fundo. Mais um item de sua lista com certeza seria realizado. Donghyuck estranhou as coisas estarem ocorrendo como o planejado rápido demais, mas se lembrou de que seus desejos eram simples e fáceis, com exceção do oitavo, e seria rápido de realizá-los.

Mesmo não sentindo sono, ele decidiu dormir. Colocou o celular em cima da cabeceira e deitou em sua cama, se enrolando em seu cobertor e fechando os olhos, esperando o sono chegar. E sem perceber, foi adormecendo.

❆ ❆ ❆ ❆ 

Dessa vez, Donghyuck acordou com sua mãe o chacoalhando, reclamando que ele já tinha dormido demais e que já eram duas da tarde. Pensou que ela estava exagerando, mas quando viu o relógio de seu celular, percebeu que ela tinha até amenizado a situação, pois eram quase três horas da tarde. Em um pulo, se levantou da cama e foi ao banheiro, fazendo suas necessidades e se trocando rapidamente. Odiava acordar tarde dessa forma, seu máximo era meio dia.

Desceu até a cozinha para tomar o café da tarde. Seu pai estava sentado na mesa, lendo um livro que Donghyuck desconhecia, e sua mãe falava com sua amiga pelo telefone, uma cena que o filho presenciava desde pequeno. Ele gostava de presenciá-la, e já sentia falta dela.

— Você vai com alguém nesse show? — Seu pai perguntou, sem tirar os olhos do livro.

— Não, vou sozinho — Respondeu enquanto tentava alcançara a caneca na prateleira mais alta. Quase a derrubou, mas conseguiu mantê-la inteira.

— E você acha que vai curtir um show sozinho?

— Vai estar cheio de estranhos, não vou estar sozinho. E shows sempre valem a pena. O senhor sabe, já foi em vários, não é?

— Ah sim — O pai soltou uma risada baixa — Bons tempos foram esses.

— Queridos — A mãe os interrompeu — Vocês olharam o grupo no Whatsapp do casamento da Ah Yejin?

— Não — Responderam ao mesmo tempo. Donghyuck queria acrescentar que tinha silenciado o grupo por um ano, mas resolveu não comentar.

— Vocês podiam se importar um pouco... — A mulher revirou os olhos — Se lembram que vai ser em uma praia, pelo menos?

— Sim — Responderam ao mesmo tempo novamente.

— Lembram que a senhora Lee não sabia se ia ou não?

— Sim.

— Não — Dessa vez a resposta de Donghyuck foi diferente do pai.

— Pois agora eles vão. E o Mark queria saber se você vai, já que ele só conhece você da festa toda.

O coração de Donghyuck não sabia se acelerava ou se parava. Controlando para não deixar um sorriso rasgar seu rosto, respondeu apenas que ia falar com ele e deixou a cozinha, subindo para seu quarto com rapidez e pegando seu celular no quarto. A conversa era a terceira mais recente, clicou nela com a mesma velocidade que pegou o celular e mandou mensagem.

"Eu vou no casamento sim. Não vai escapar de mim fácil assim. "

A mensagem mal fora enviada e Mark já a visualizou

"Você que não vai escapar fácil"

"Não conheço ninguém, vou ficar grudado em você"

"Nossa que tortura"

"Você mal pode esperar por esse momento que eu sei, hyuck"

"Não vou concordar só para ferir teu ego"

"Me ama demais"

O coração de Donghyuck se apertou nesse momento, até pensou que fosse ter uma parada cardíaca.

"Bobão"

Bloqueou o celular e suspirou. Feliz era muito pouco para descrever o estado do coreano, talvez não existisse palavras para expressar as sensações que ele estava tendo. Ele ficou impressionado com o quão rápido sua amizade com Mark se formou e se xingou por ter deixado 3 anos se passarem sem uma única tentativa de aproximação. 

Lembrou-se de que precisava ir ao show. Se apressou e pegou suas coisas, se despediu de seus pais, pegou seu carro e dirigiu até o local. As ruas estavam quase vazias por algum motivo. A mente de Donghyuck começou a incentivar a acelerar o carro assim que viu a câmera do radar se aproximando. Uma adrenalina começou a invadi-lo e ele resolveu tornar mais um tópico em realidade, afinal era o momento ideal. Pisou no acelerador sem dó e correu pelas ruas vazias, estourando o limite de velocidade por longos minutos.

Ao se aproximar do local do show, foi desacelerando para não atropelar alguém. Sorriu satisfeito, mais uma missão cumprida.

Deixou o carro no estacionamento próximo e entrou na fila. Ainda faltava um tempo para o portão abrir, então Donghyuck aproveitou para conversar com algumas pessoas perto dele, já que amava conhecer novas pessoas. Ele fez amizade com três que estavam na sua frente, Chenle, Jisung e Renjun, que ficariam do seu lado na hora do show. Se juntar a eles apenas fez sua animação crescer ainda mais, apesar de todos estarem demonstrando estar controlando a histeria dentro de si.

Quando deu seis horas da tarde, abriram o portão e a multidão se agitou para entrar rapidamente. Os quatro praticamente correram para seus lugares, que dariam uma ótima visão da performance, quase derramando lágrimas de ansiedade, afinal esperavam por esse show a muito tempo. Esperaram mais duas horas, curtindo a conversa entre eles e a comida que compartilhavam, e a luz apagou, os pegando de surpresa. O show começaria, e aí sim eles não puderam conter a histeria. Ao ver o ídolo subir no palco, cantando a tão querida música Sorry, Donghyuck sentiu o frio na barriga do dia anterior voltar, junto com o sorriso que rasgava o rosto. Novamente, varreu tudo de sua mente e sobrou apenas o momento.

Ele estava a pouquíssimos metros de distância do cantor e até podia jurar que Justin o olhou enquanto cantava. Seu corpo estava elétrico, seu peito estava preparado para dar o ar que precisava para cantar e gritar a noite toda, seus sentimentos estavam vibrando assim como o chão do local. A cada instante Donghyuck virava para surtar com seus novos amigos, que deixavam a experiência mais marcante e divertida. Todos estavam emocionados e compartilhavam lencinhos e garrafas d'águas enquanto gritavam elogios.

Três horas de música, gritaria e grandes apertos no coração se passaram e Justin deixou o palco. Era hora de ir embora. Donghyuck não queria deixar aquele lugar, nem seus novos amigos, mas era obrigado. Estava cansado, apesar de não admitir, e os outros também precisavam ir. Eles trocaram números de telefone e cada um foi para sua casa. Donghyuck não dirigiu rápido dessa vez, pois sabia que já tinha levado uma multa cara.

Ao chegar em casa, ele se deu conta de que estava muito cansado. Seus pés doíam e suas pernas estavam fracas. Até sua mente estava cansada demais para pensar em alguma coisa. Mesmo assim, não pulou o banho da noite, estava muito suado e se sentia sujo demais para deitar em sua cama, então tomou um banho refrescante e rápido antes de se render ao sono. Naquela noite, ele sonhou com Justin Bieber cantando em um show particular para ele e Mark Lee.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e que marquem presença no próximo capítulo porque esses markhyuck vão se encontrar e algo pode acontecer...........


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...