História Gorgeous - Capítulo 44


Escrita por:

Postado
Categorias Life Is Strange
Personagens Chloe Price, Rachel Amber
Tags Amberprice, Chloe Price, Rachel Amber
Visualizações 431
Palavras 3.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, FemmeSlash, Festa, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 44 - Sex With Me


Fanfic / Fanfiction Gorgeous - Capítulo 44 - Sex With Me

Sex with me, so amazing

Vodka and water, and a lemon

And a few other things I cannot mention




"CHLOE... EU QUERO TANTO você..." ela gemeu sem parar de se acariciar.

Chloe estava bem ali, a propósito. Amarrada. Presa. Tão perto e tão longe. Os lábios de Rachel se partiram esperando por um beijo, implorando por isso. Esses lábios macios estavam cobertos de marcas escuras de suas próprias mordidas. A outra mão estava implorando por braços ao redor dela, pra segurá-la, arranhá-la. Mas na ausência deles, ela apenas segurou o branco e limpo cobertor num ato desesperado. Chloe gemeu, segurando a cabeceira da cama, sem conseguir parar de assistir, derrotada e presa em sua própria miséria. Ela amava isso pra caralho, mas odiava isso pra caralho também.

Então algo ali se encaixou. Algo mudou em seus olhos azuis. Rachel estava muito ocupada pra notar, talvez ainda muito tímida pra realmente observar a mudança nos olhos de seu amor. Ela criou um monstro, uma rainha mandona que queria tirar vantagem da situação, alguém que queria controle. O queixo de Chloe trancou, se peito inflou num rápido suspiro.

"Tira a blusa. Agora." ela ordenou, e Rachel obedientemente se livrou de sua camiseta, quebrando o ritmo de seus próprios dedos apenas por um breve momento.

Agora ela estava nua, exceto pelo brinco. Claro.

Elas estavam as duas perdendo suas cabeças, e a mão de Rachel estava direcionando a rapidez em que elas iriam enlouquecer. Chloe nunca viu sua garota tão excitada, tão inocente e tão pervertida ao mesmo tempo, se ter certeza de como ela realmente queria isso.

"Continua falando." ordenou de novo, dessa vez nem reconhecendo a própria voz.

"Baby..." Rachel perdeu o controle do próprio jogo, mas não dava a mínima, tentando achar força o suficiente pra encaixar as palavras nos pensamentos sujos e sexuais. "Eu preciso que você toque... Preciso de você dentro... Só você... " seus dedos seguiram suas palavras, expondo ainda mais. Chloe quase engasgou. "Sempre foi só pra você, porra..."

Ela esqueceu de como era ser tímida.

"Eu sempre... estive com você." Chloe mordeu os lábios, pensando por que diabos ela não fodeu essa menina na primeira oportunidade que teve essa noite.

Ela queria Rachel, nunca parou de querer, estava sofrendo toda noite e toda hora, mas se convencendo de que era melhor assim, que elas precisavam de um tempo. Dizer que isso não está sendo difícil seria uma gigantesca mentira, também.

E agora? Rachel estava se tocando, gemendo e suspirando seu nome bem ali. Isso tudo estava sendo sobre punição. Ela sabia. Elas duas sabiam. Sobre a mágoa ainda crua e aberta pra ambas, mas agora mesmo a única coisa que Chloe conseguia pensar era no quanto ela estava perdendo.

"Mentirosa..." O sussurro de Rachel foi rápido e fraco. Ela estava lentamente perdendo a habilidade de falar. "Não para... Não ouse... Parar." ela estava fazendo amor com sua namorada, com seu olhar, intenso olhar, respondendo apaixonada como sempre, esquecendo que a mão não era dela, assim como todas as noites que ela nunca a teve.

Em sua mente, Chloe estava a fodendo tão forte agora, atravessando qualquer obstáculo real, recriando tudo novamente.

"Rach... Me desamarre." era pra ser outra ordem, mas soou como um pedido exasperado.

Chloe percebeu que estava começando a suar, sua camiseta estava começando a pegar em seu corpo e ela mal havia se movido. As mechas azuis de cabelo estavam queima do sua testa, tão sensível agora mesmo.

Dolorida dentro e fora, ela estava bem perto de gozar apenas assistindo e escutando. Sua visão estava começando a ficar desfocada, ela mal conseguia sentir seus dedos, ainda apertando a barra de metal da cama.

"Amor..." Rachel estava em um mundo diferente agora, sem escutar nada, sem absorver nada, focada apenas em seu próprio calor, sua própria febre, e seu próprio toque. Era intoxicante para as duas, estavam tão delirantes agora mesmo. "Mais forte... Assim..." ela pressionou mais firme, fazendo mais rápido, sabendo exatamente o que e como queria, como sua garota iria levá-la ao topo.

"Me desamarra!" a cama balançou quando Chloe balançou. "Rachel, pelo amor de Deus, me livra disso. Preciso tocar você."

"Não." ela balançou a cabeça fracamente, acordada por um segundo. "Não terminei." falar estava sendo difícil. Tudo estava sendo. Querer Chloe era a única coisa que vinha fácil. "Chloe... Amor..."

Ela estava quase lá.

Ainda que Rachel quisesse que o show continuasse, estava excitada e molhada demais, além dos limites, só pelo fato de que estava sendo observada, então o fim veio mais rápido do que o esperado. Seus dedos pararam por um segundo, tentando adiar o momento final, mas já era tarde mais, mesmo. Ela não gozou silenciosamente, nem quieta. Gemeu e rebolou o quadril, se apoiando um espasmo longo, e então outro, com seu cabelo cobrindo seu rosto e seus olhos fortemente fechados. Chloe quase quebrou a porra da cama, inteiramente cativada pela sua visão, tensa e destruída.

Queria estar ao seu lado, nela, em cima dela, e principalmente dentro dela. Só pra fazer parte daquilo.

Mas ela era. Na mente ousada de Rachel, ela era tudo.

O silêncio ficou mais leve. Rachel estava calmamente ficando mais lenta, gentilmente tirando o cabelo. Do rosto, voltando realidade de sua cama e sua namorada amarrada nela.

Seus lábios estavam tremendo, a lembrando se sua própria safadeza. Os olhos azuis estavam assistindo cada pequeno movimento e gesto.

Aí, Chloe Price. Aí o que você está perdendo.

"Eu fazia isso quase toda noite pensando em você." ela suspirou finalmente, os olhos ainda fechados, de repente tímida demais pra olhar seu amor. "Quer saber... um segredo? Ainda faço. Não consigo me controlar quando penso em você."

Ver Chloe todo dia e não poder tocá-la era um maldito inferno. Ter quee aceitar os beijos desajeitados de Zachary pensando nela era pior ainda. Mas se tocar nela, como ela havia feito agora, era o paraíso. Pensando em seus lábios, voz, mãos...

"Me desamarra." foi a ordem final. Forme, rude e direta. Se discussão. Chloe estava bem longe de implorar, provocar ou pedir liberdade. Ela queria ser desamarrada. Rachel precisava dela desamarrada.

"Porque?"

"Porque eu quero comer você a noite inteira agora. Chupar você."

E com essas sentenças, Rachel já sabia que Chloe estava perto da insanidade. Chegando no topo da loucura, atravessando a linha e se transformando numa fera azul. Rude e primitiva, despreocupada com seu desconforto anterior, sobre compromisso e toda aquela merda, ela só queria pegar o que era dela agora. Essas poucas palavras fizeram Rachel respirar fundo. Sua imaginação sendo puxada até o limite, mais encorajada ainda.

Chloe ainda não olhou pra ela, lutando contra o pano amarrado em seus pulsos, ajoelhada no piso do quarto. Arrepiada com antecipação e pressão, esperando. Esse show custou muito a ela. E ela estava preparada pra pegar tudo de volta.

"Excitada, hmm?" Rachel finalmente sentou na cama. Pernas ainda trêmulas, pequenos espasmos passeando em seu corpo inteiro a lembrando do que ela havia acabado de fazer.

Ela engatinhou até sua esposa, nua e ainda cheia de tesão, tão necessitada de um beijo quanto Chloe.

"Sim." aqueles selvagens olhos azuis olharam pra ela, sem nem esconder suas intenções. "E quero que você me foda. Bom, o que ainda resta de mim." Admitiu, a voz ainda rouca, tão profunda em emoções que Rachel quase perdeu o ar novamente.

Queria tanto destituir aquela porra de cama. Ela seria liberta, ou iria forçar aquela merda. Tanto faz. Rachel se aproximou, implorando por um beijo muito merecido, como fiança do aprisionamento de sua criminosa. 

Algo nos olhos de Chloe forçou ela a parar antes do beijo e pensar em quem realmente estava no controle ali. Ela facilmente tirava qualquer coisa de qualquer pessoa, acostumada com sua gloriosa dominância, mas só aquieta tempestade azul de paixão podia ditar as regras ali. Ela sempre era a porra da vencedora.

Vencedores fazem suas próprias regras, de qualquer jeito.

Elas estavam apenas uma respiração de distância, mas congeladas num último momento, aproveitando a antecipação ainda mais. Apenas uns segundos, um minuto, e elas teriam tudo de volta, mas aquele momento apaixonado elas não queriam quebrar ainda.

Sofrer nunca foi tão bom.

Desamarrando lentamente, Rachel quase parou as mãos, tentando provocar de novo. Chloe nem a apressou, apenas esperando, pronta pra pular em cima dela e começar um incêndio naquele quarto. Rachel hesitou por um segundo, percebendo que estava prestes a libertar uma força selvagem força da natureza. Se não fosse Chloe, sua garota, ela ficaria assustada.

"E suas regrinhas...?" ela perguntou, irônica olhando pra Chloe que finalmente se levantou e se livrou da própria camiseta num só direto movimento.

Nua em questão de segundos, ela andou até a cama e beijou Rachel com brutalidade, puxando seu cabelo com força. Foi tão forte e repentino e quente e gostoso que Rachel gemeu em choque, impressionada com o fervor.

Não que ela esperasse outra coisa, mas puta merda.

"Que se fodam as regras." Chloe murmurou, jogando Rachel na cama e a cobrindo com o próprio corpo. Pele na pele, sem desperdiçar um pensamento sequer com outra coisa. Não era uma boa hora pra pensar, mesmo. Elas duas precisavam disso, prontas pra caíram de novo, dessa vez juntas.

"Bom, eu não iria convidá-las..." Rachel tentou brincar, mas o horário pra piadas morreu segundos depois. "Oh... Uau." foi a última coisa que ela conseguiu expressar depois de ser tomada pela tempestade azul.

E que tempestade. Chloe é bruta, e ela gosta. Sabia que a punk odiava quanto Rachel teve o controle nessa situação ridiculamente excitante. Queria puni-la. E só conseguia deixa-la mais excitada. Então Chloe estava lá, e empurrando, e dentro, e oh... oh... Deus, Rachel também estava dentro. Dentro dela. Ficaram paralisadas em meio a um beijo, quando entraram uma dentro da outra.

Os planos de distância de Chloe foram pro inferno. Mas como poderia, quando estavam tão completamente unidas por atração sexual rodeando aquele amor?

Nada parecia mais assim tão definido. Embaixo, com as costas esfregando no colchão pelo movimento delas, Rachel se agarrou a Chloe enquanto ela a abraçava e enfiava mais. E então Rachel também ia mais forte.

Elas se beijavam e gemiam enquanto ofegavam no ritmo dos corpos. Chloe afastou o rosto só um pouco pra ver como aquele tornado loiro estava lindo. As maçãs do rosto coradas, os olhos fechados. A boca entreaberta gemendo. Era tudo tão bom. Tão certo. Como se tivessem nascido para ser parte uma da outra assim.

Rachel sentiu falta da boca dela na sua, então abriu os olhos pra suplicar com os lábios. Chloe esfregou a boca na dela com a compostura de um animal selvagem. Hoje ela era um felino também, com a graça de uma onça, a precisão da porra de um tigre e a dominância de um leão possessivo.

Separando o beijo, colou a testa na dela e permaneceu ali olhando dentro dos olhos verdes, que por sinal, mal conseguiam ficar abertos.

"Olha pra mim." ela mandou, a mão livre foi direto pro rosto bonito de Rachel, forçando o contato visual. Aquele toque nada gentil, a voz baixa e o olhar sério e zangado de Chloe foi a vitória de Rachel.

Ela sabia o porquê de tanta agressividade. Era punição, por fazer Chloe perder o controle dos próprios objetivos e ainda ter esfregado em sua cara, literalmente, o que estava perdendo.

Além do mais, Rachel estava adorando aquilo, então iria deixar que Chloe pensasse que tinha o que queria: controle.

Ela se concentrava na sensação das estocadas que Chloe a dava e gemia. Onde seus corpos se tocavam, o prazer físico gritava. Os corpos e gemidos ficaram frenéticos. Quanto mais violenta Chloe ficava, mais difícil para ela era se manter calada.

Graças a Deus suas vizinhas de quarto - Juliet e Dana - estavam na festa.

Depois de terem se segurado por tanto tempo, nenhuma delas demorou muito. Decerto não pelo tempo suficiente para purgar por completo toda aquela tensão. Aquilo não seria nem o começo.

O orgasmo de Rachel quase a deixou cega. O de Chloe pareceu não acabar nunca. A loira a beijou enquanto ela grunhia e gozava em cima dela.

Se beijaram até que já estavam prontas novamente, e Chloe já tinha planos. Ela usou o corpo para puxar Rachel e empurrá-la até as pernas da menina esbarrarem na borda da escrivaninha. Com a boca atacando o pescoço da menor, Chloe agarrou os quadris  dela e a ergueu em cima da superfície fria, se colocando entre suas pernas, ainda possuindo seu pescoço com a boca e língua, fazendo suas pernas ficarem dormentes e seu coração bater acelerado no peito. Deus, a desgraçada sabia beijar.

Ela agarrou os ombros da loira, parou de beijá-la e a empurrou para baixo até que ela deitasse sobre a mesa. Rachel olhou para ela, se obrigando a ficar deitada imóvel e deixar que ela a admirasse quando tudo que queria fazer era agarrá-la e chupá-la inteira.

Chloe parecia saber o que ela queria. O sorriso escuro estava de volta, com algo feroz e quente. Rachel mordeu o lábio e espalhou as pernas ainda mais. Price soltou um suspiro duro, mas ainda assim não a tocou, o que estava a deixando à beira do desespero.

Rachel tentou pegar em sua mão, mas ela saiu do seu alcance.

"Não." disse com autoridade. Era o som mais sexy do mundo, mas Rachel estava queimando com a necessidade.

"Me toca."

"Você teve seu tempo pra comandar e me deixou maluca. Agora vai ter o que merece." Ela não podia estar falando sério. Se esta era outra forma de puni-la, pobre Rachel ia perder a cabeça. "Vamos ver se você está aprendendo. Você vai me obedecer agora, não vai?"

Rachel quase gemeu com o timbre de sua voz e o olhar em seus olhos. "Sim."

Ela deu mais um passo para trás. "Abra mais as pernas." Rachel não hesitou. O ar no quarto era frio contra sua carne aquecida, mas não fez nada para aliviar a necessidade a queimando. Chloe deu um passo pra frente sem tirar os olhos dela. "Se toque."

Com um sorriso safado, ela obedeceu. Quando Chloe usava aquela voz era difícil resistir. Como antes, ela passou a mão pelo corpo até chegar entre suas pernas, gostando do jeito que os olhos de Chloe escureceram enquanto observava os dedos deslizarem pelo seu sexo.

Chloe estava ficando descontrolada outra vez, enquanto observava os dedos dela desenharem pequenos círculos sobre o próprio clitóris. "Coloque um dedo."

Ah, mas que grande vingança. Ela teria que obedecer, e o pior estava por vir. Ela sabia.

Rachel tremia de excitação enquanto cumpria a sua ordem. Enfiou o dedo indicador no seu sexo quente. Um músculo no rosto de Chloe flexionou e seu ela se apoiou na mesa, se inclinou sobre Rachel e deixou seus rostos muito perto. Proximidade dos corpos foi calorosa.

Olho no olho, Rachel gemia, Chloe apenas olhava intensamente. Muito próxima, e Rachel podia ver o quanto ela queria a tocar, a foder, mas Chloe não era nada se não estivesse no controle de si mesma e dos outros.

"Você sabe o quanto eu quis foder você quando me amarrou e fez isso sozinha." Ela projetou a língua pra fora e a deslizou nos lábios de Rachel, se contendo para no tocá-la além disso. Gemendo, Rachel observou ela se colocar entre suas pernas, então deslizou o dedo para fora, esperando que Chloe fizesse isso por ela agora. "E quero agora de novo. Mas você também quer." ela rosnou, e foi aí que Rachel caiu na vingança. "Continue enfiando o dedo."

Como ela poderia soar tão perigosa e sexy ao mesmo tempo? Como poderia aquela menina dizer essas coisas safadas com a máxima autoridade?

Rachel empurrou o dedo de volta para dentro, embora seu clitóris praticamente gritasse por atenção. Chloe olhou para ela, pegou seus mamilos entre os dedos indicadores e polegares, e começou a rolar de um lado para o outro. Rachel arqueou as costas, mas não parou.

Estendeu a mão para agarrar o braço de Chloe, mas ela beliscou seus mamilos em advertência. "Não." ela murmurou. Rachel empurrou os quadris para cima com as sensações de balanço através do corpo, a dor sensual que ela começou a gostar mais do que jamais pensou que poderia. Ela tremeu com a necessidade de gozar.

"Baby, por favor."

Chloe a encarou com um olhar fixo, então soltou um dos seus seios e agarrou seu braço, a impedindo de se tocar mais. Puxou a mão da pequena e a colocou lado na mesa. "Não goze."

"O quê?" Ela engasgou, mas o som se transformou em um gemido quando Chloe deslizou seus dois dedos do meio dentro dela, a arrancando um gemido prolongado. Os músculos dela se apertaram em torno deles, agarrando os dedos em um punho de ferro. Chloe começou a fodê-la lentamente, mas a advertiu novamente com o olhar.

"Ainda não, Rachel." Rachel cavou as unhas nas próprias mãos, impedida se tocar ou arranhar Chloe, tentando lutar contra o clímax. Chloe empurrou os dedos profundamente dela e os manteve no lugar enquanto o polegar roçava seu clitóris. Rachel cerrou os dentes, seu corpo começando a ter espasmos. "Quer agora?" perguntou ela com a voz rouca.

"Muito..." ela balançou a cabeça de um lado para o outro, com certeza iria explodir a qualquer momento. Chloe fechou os dedos nela e apertou com força o seu clitóris.

"Goza." ela ordenou severamente, e o orgasmo caiu em cima de Rachel com força assombrosa. Seus olhos apertaram enquanto ela gemia a sua libertação. As mãos deslizaram sobre a superfície lisa da mesa, à procura de algo para agarrar. "Isso..." disse Chloe, com os olhos nela, vendo sua garota se acalmando ao poucos.

Chloe lentamente tirou os dedos de dentro dela, o que enviou outro pico de prazer pelo seu corpo. Mordendo os lábios ao ver os dedos saindo dela, Rachel capturou a mão da maior e os chupou. Sempre deixava Chloe maluca quando fazia isso, e adorava fazer. Vendo Chloe estremecer, ela os tirou da boca e sorriu preguiçosamente. "Estamos quites?"

Chloe rosnou e se inclinou sobre ela de novo. "Você é safada pra caralho, porra. Estou à beira de ficar maluca."

Um sorriso puxou os lábios de Rachel, mas caiu do seu rosto quando Chloe foi descendo com a boca até acertar o meio de suas pernas ainda sennsível e melado, a fazendo suspirar e rir, mal se aguentando de prazer.

"Você é quem não consegue parar de tocar." Ah, era verdade mesmo, e Chloe respondeu com uma piscadela e lambeu seu sexo. Uma bela resposta que fez com que Rachel agarrasse o cabelo dela tão agressivamente que doeu. "Deus, Chloe, você vai acabar comigo."

Iria acabar com ela, mas Rachel nunca se importou com as consequências de nada que envolvesse essa garota, mesmo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...