História Goule - Interativa - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Hot, Interativa, Romance, Sobrenatural
Visualizações 146
Palavras 1.864
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olha onde chegamos!!
Já adiantando que foram 34 FUCKINGS FICHAS para 8 vagas... Foi muito difícil escolher! Passei no mínimo três horas na peleja, por isso tenho uma surpresa para os não aceitos que vão estar no docs.
Espero que comentem o que acharam, quero saber a reação de vocês, desculpa qualquer erro.
Bom;

Bem Vindos à Goule.

Capítulo 3 - I - é


Fanfic / Fanfiction Goule - Interativa - Capítulo 3 - I - é


“Para todos que, assim como eu, se sentem diferentes do resto dos seres humanos” - autora.



O primeiro dia letivo de Goule sempre foi horrível, ainda mais, para os novatos que chegam atrasados na sua escala. Eu passei por isso, o colégio fornece duas escalas de ensino; A preparativa e a exaustiva, os dois nomes já falam tudo por si. Aprender a lutar bem ou apurar os sentidos — no caso dos vampiros — não é simplesmente instinto, existe uma série de preparações para conseguir chegar no nível. Sempre me sinto aliviado por não dividir o quarto com ninguém, mas, com minha sorte, isso não acontecerá por muito tempo, afinal.

— Atrasados! Atrasados! Nós vamos ficar realmente atrasados! — essa é minha tormentlittle¹, uma criaturinha que, além de ser incrivelmente irritante, esta sempre achando que estuda como os alunos de Goule.

— Quieta, Sony! — mandei, enquanto amarrava o cadarço do meu tênis, e dei um tapinha na pequena luz arroxeada, que perdeu os sentidos e bateu na parede, acabando por cair no cesto de roupas sujas.

— Anrgh! — Ouvi ela resmungar de nojo e sorri com divertimento.

Tormentlittle's são pequenas criaturas, almas que são fadadas a vagar pela terra, Sony é uma das littles mais malucas que já conheci, devia ser uma nerd de primeira quando estava viva. Mas é claro que ninguém precisa saber que tenho uma alma perdida como bichinho de estimação — regra número 32 das normas escolares “nem um aluno, professor e/ou funcionário deve manter alguma criatura, sendo ela mágica ou não, pelos terrenos de Goule.” — e esse é um dos motivos de eu, definitivamente, não querer um colega de quarto.

— Acha que esse ano vai ter algo interessante? - perguntei com minha voz transparecendo meu nítido tédio — Os novatos nunca são interessantes...

— Desde que estudemos, primeiramente, não vejo problemas em fazermos amizades! — exclamou Sony ao sair do cesto com uma meia a cobrindo, mas conseguia ver que ela piscava em um amarelo animado, logo a little se mecheu bastante ocasionando a queda da meia mas ela foi junto, já que ficou tonta — Ai!

— Você é tão irritante. — disse mas tinha um sorisso mínimo no rosto, que rapidamente tratei de esconder.

A cerimônia de boas vindas seria no final daquela tarde, todos os alunos estavam ansiosos para a chegada de carne nova e eu achava aquilo um saco. Não tínhamos aula no nosso primeiro dia, por causa da cerimônia, e eu agradecia por isso, os professores daqui são tão chatos!

Me levantei sem me despedir de Sony mas ouvi um "tchau!" animado, antes de pegar o colar dos estudantes e fechar a porta. Olhando para o colar que tinha um V no centro de um tipo de losango cortado (símbolo do colégio), era um tipo de idenficador para as raças, cada um era do mesmo modelo só que com a inicial da raça ao meio. Andando pelos corredores do dormitório já pude perceber alguns olhares e cochichos em minha direção, mas não são os normais que já recebo, alguma coisa havia acontecido e eu já tinha uma breve ideia do que aconteceu! Drogo seu grande filho da puta!

Encontrei o vampiro, logo na saída do dormitório. Quando me aproximava, o mesmo me viu e arregalou os olhos, logo percebi que estava nervoso mas ele abriu um sorriso sarcástico.

— Grande Si-

— Seu desgraçado! — o interrompi.

— E é assim que cumprimenta uma pessoa, pessoal! — falou sarcasticamente e tenho quase certeza que uma veia apareceu na minha testa — Calma aí, esquentadinho! O que aconteceu?

Um grupo de vampiras que estavam saindo do dormitório olharam para a gente por um longo tempo e, só depois que perceberam que eu estava apertando os pulsos, arregalaram os olhos e sairam depressa do local.

— Você sabe exatamente o que aconteceu! Eu não te contei o que aconteceu ontem com a Lilian para você sair espalhando pra todo mundo!

Ele fez uma cara de ofendida e colocou a mão nome coração, enfatizando seu drama.

— Assim você me ofende, esquentadinho. — disse disse olhando para as unhas — Eu não falei nada. Mas posso ter deixado passar que a Lily — ironizou no apelido — ganhou um puta de um toco, ontem e, segundo a minha maravilhosa inteligencia, aquela vaca deve ter espalhado pra escola toda que iria transar com você.

Suspirei e passei a mão nos cabelos, os bagunçando um pouco, estava realmente irritado.

— Mas por que se importa tanto? — Me olhou confuso, depois a confusão virou um tipo de raiva — Você gosta da puta?!

Seus olhos claramente diziam "Se você falar que sim eu vou cortar a sua cabeça... as duas. ".

— Não! — falei indignado — Você esqueceu que é a Lilian! — Como se fosse um tipo de maldição, quando falei ouvi a voz irritante da ruiva.

— SIMON VENTURE!

— Vamos logo!

Segurei o braço de Drogo e usei a velocidade² para chegar o mais rápido possível no pátio, logo o soltei, estavamos na entrada da escola, tinha um grande caminho de paralelepípedos formando um "G" mas o que mais chamava a atenção era, sem dúvidas, a fonte no meio, também com sua curvatura formando um G, onde de um lozango cortado no meio até a metade jorrava água pela parte cortada, alguns arbustos muito bem cuidados pelo senhor Logan — o jardineiro do colégio — estavam rodeando o caminho de paralelepípedos.

— Agora entendi. —Drogo pareceu pensar em algo e depois começou a rir — A puta ficou mais puta do que já é!

Não percebi quando o acompanhei nas risadas. Uma pessoa passou por mim, correndo, parecia apressada mas nem consegui ver direito quem era, pelo cheiro devia ser uma lobisomem, ela corria em direção da estufa. Dei de ombros e segui para o refeitório. O lugar é um dos cômodos que menos gosto, todos alunos são obrigados estarem lá, pelo menos no horário do almoço, mesmo que os vampiros não precisem necessariamente comer. É um pouco irritante ver os híbridos de bruxos e as fadas se exibindo por conseguir magicamente fazer o bacon flutuar até até seu lado da mesa. Um bando de preguiçosos.

— Você devia me agradecer. — ouvi a voz do outro quando nos sentamos — Duvido que a nossa querida Lily vá dar em cima de você depois da escola toda estar zoando ela.

— É, mas minha mãe vai encher o meu saco. — Disse e apoei minha cabeça nos meus braços, em cima da mesa.

Os pais da ruiva são vampiros originais, os famosos puro-sangue, como eu, e são os tipos que mimam a filha mais do que o cabível, são antigos "amigos" dos meus pais e já até tocaram no assunto de me casar com a filha deles, é claro que nesse dia eu falei algumas verdadezinhas para os dois que foram descontadas mais tarde em mim pelos meus pais.

— Que se foda eles. Desculpe, S mas seus pais são bem... imbecis. — resmungou e eu não o contradizi. Estava ocupado demais tentado saber o porquê de um carinha na mesa das fadas ficar me olhando tanto, claro que ele viu que o observava e virou os olhos para sua comida, corando como um tomate. Sorri sarcasticamente mas logo apaguei esse sorriso quando Drogo empurrou uma bolsa de sangue para mim.

— Não posso. — empurreia-a de volta ao asiático loiro que me olhou com uma sobrancelha levantada.

— Olha, eu sei que beber "direto da fonte" é melhor mas você tem que beber. — revirou os olhos.

— Não posso. — repeti respirando fundo e sentindo muitos cheios ao mesmo tempo, um deles era o de café e chocolate do meu amigo sarcástico ao lado, só não admito que ele é meu amigo, ele já se acha demais. — Eu quero, mas... meus pais deram ordens diretas para os professores ou até a diretora me punirem se eu beber sangue nas próximas duas semanas. Eles querem saber quanto vou durar. Não estou nem aí pra esses velhos, mesmo. — dei de ombros e continuei com a cabeça apoiada nos braços.

Não dei muito atenção para o que Drogo falava mexendo as mãos mais que o necessário, olhei em volta. Cada raça tem uma mesa gingate — que se encolhe quando não estamos mais aqui —, o refeitório é protegido por uma barreira anti-chuva e anti-luz-solar, pois nós comemos ao ar livre, é sempre legal quando chove, ver as gotas deslizando e desaparecendo na barreira é fascinante para todos, ainda por cima para os novatos. Acordei de meus pensamentos quando a mão de Drogo apareceu na minha frente com um chiclete.

— Pega.

Não pensei duas vezes e o peguei, deixando minhas presas crescerem e começando a mastigar. Vampiros e lobos têm um estranho vício de chicletes. É doce mas o melhor é quando isso acaba, traz uma boa sensação em morder com essa presas, ajuda no autocontrole. Drogo sorriu quadrado e bebeu algo que cherou café.

— Simon! — ouvi a voz de Lilian e logo a vampira se sentou ao meu lado, senti que o salão todo se calou e prestou atenção, até mesmo os professores — Por que você fez aquilo?

— O que exatamente? — Perguntei, não saí da minha posição e olhava tediosamente para um prato de torradas na minha frente.

— Sabe muito bem, S. — Suspirei irritado, ela disse aquilo denovo. Será que essa desgraçada não aprendeu que não seu deve me chamar assim? — Eu não gostei nadinha disso, amor. Mas eu te perdôo, ta?

— Não preciso do seu perdão, nem que me chame de S e muito menos de amor. Vê se me esquece e faz o que você faz de melhor.

— Amar você muito? — a ruiva tentou ser engraçada e eu ouvi Drogo bufar do meu lado, soltei um sorriso sarcástico e repondi:

— Dar a bunda pra qualquer pessoa que tiver uma genital no meio das pernas.

A mesma ficou num tom de vermelho parecido com os de seus cabelos.

— Meus pais vão saber disso, Simon Venture! — e saiu pisando duro do salão, logo o burburinho voltou como uma explosão no salão. Antes eu já estava fodido, então por que não me foder ainda mais?

— Cara... Você se ferrou.

Já era tarde e todos estavam reunidos ao redor do lago, queriam ver os novos alunos e alguns até faziam apostas, algo como: "quem eu vou pegar primeiro" ou "quem vai ser meu amigo" ou algo do tipo. Como é dito a tradição, exatamente às 17:00 horas a água do lago começou ficar roxa e brilhar, o símbolo da escola era visível em um tom de roxo mais forte e cinco tornados roxos sairam do lago e aterrissaram na margem, os tornados desapareceram e as figuras dos novatos estavam lá. Alguns confusos, outros indiferentes e outros, os meus favoritos, com medo. A cerimônia começa com os que novatos irão fazer a sua série sem passar pela preparativa e logo com os mais novos que irão fazer a prepativa, mas antes, os mais velhos recebem os colares das suas raça quando colocam a mão em uma das rochas ao lado do lago, eles são instruídos antes, depois a diretora apenas chama seus nomes.

— Camila Heyden!

Agora é oficial, o ano em Goule acabou de começar.


Notas Finais


¹ : Criaturas criadas por mim, inspirado na lenda do "Corpo Seco". Pequenas almas que não foram aceitas nem no céu e nem no inferno, por algo realmente muito ruim mas ao mesmo tempo muito bom que fizeram quando vivas, por isso eles vagam pela eternidade na Terra. Elas mudam dr cor de acordo com suas emoções.

² : Sempre que me referir a "velocidade" em seco vai ser a velocidade vampírica.




Eu fiquei tipo: "O S precisa de um amigo mas quem eu coloco? Hm..." Aí eu olhei a ficha do Drogo que me ganhou muito pela criatividade e falei "Vai ser essa filho da puta aqui mesmo!" e essa foi a história de como o Droguinho "criou vida kkshasgjfs

Aceitos: https://docs.google.com/document/d/1hQZCL1YCJaQGDTpPm95FqK-P_iNof_Gx0HJPiy2wB6g/edit?usp=drivesdk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...