História Grandes Empresas, Grandes Negócios - Cellps, Mitw, etc... - Capítulo 6


Escrita por:

Visualizações 29
Palavras 1.721
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo da meia noite, feito com carinho! Ficou muito maior do que eu pensava, fiquei feliz!
DESCE A PÁGINA!

Capítulo 6 - VI- "A felicidade não está em viver, mas em saber viver."


~ Flashback ~

-Foi nessa hora que eu me machuquei. – Eu não conseguia olhar pro meu irmão. Eu sentia que só era mais obstáculo na vida dele. Ou da minha família.

Ver outras pessoas chorando e sofrendo por você é um dos piores sentimentos.

Pelo menos pra mim.

Mas por outro lado, sinto que não estou sozinho e que posso confiar nessas pessoas. Que elas vão me ajudar.

E é por esse outro lado que eu resolvi olhar pro meu irmão.

~ P.o.v Tarik

Eu não consigo falar nada. Eu simplesmente fico paralisado. Só sentia as lágrimas queimarem e rasgarem minha pele. Eu imagino meu irmão, tendo toda sua inocência morta por um merdinha. Eu sinto um ódio subindo até minha cabeça. Simplesmente uma vontade de socar todo mundo que eu ver na minha frente. Mas por outro lado, uma vontade de cuidar do meu irmão, protegê-lo e dar apoio pro que der e vier, de ver ele feliz, ajudar ele a se recuperar de qualquer trauma.

E é por esse outro lado que eu resolvi só abraçar meu irmão.

- Eu...

- Não precisa dizer nada. – Ele finalmente olhou pra mim.

- Mas eu quero! Pode não ajudar em nada, mas eu quero dizer! Dizer que eu estou aqui, pra te ajudar! Eu sou seu irmão, você pode confiar em mim.

- E- eu sei!

- E então? Você consegue me contar o resto da história?

- Sim. Depois do que aconteceu, eu desmaiei. Eles me levaram pro hospital e provavelmente inventaram uma desculpa. Como eu estava inconsciente, não dava pra eu fazer nada. Quando eu acordei, tive que falar tudo que sabia pros policiais, mas eu não podia. Eu simplesmente disse quem tinha feito isso e ele foi preso. Mas os sequestradores me disseram que o boquinha não tinha os entregado, então eu ainda estava sob as mãos deles. Logo após isso, os médicos disseram que aparentemente o negócio não tinha ido fundo, e que eu apenas fiquei com uns machucados e uma lesão fraca. E eles disseram também que eu ficaria mancando por três dias, logo não poderia ir pra escola. – Miguel dizia isso com calma, mas eu sei que ele está traumatizado. Fico com receio disso machucá-lo para o resto da vida.

- Entendi. Você está muito mal? Quer dizer, que pergunta idiota! O quão mal você está?

- Muito. Eu não me sinto mais uma criança.

Acho que ouvi meu coração quebrar.

Nisso, eu estava me segurando para não chorar de novo, para servir de base para o Miguel. Mas aquela foi a gota d’água.

- Miguel. Olha pra mim! – Ele provavelmente estava com vergonha.- você não precisa ter vergonha. Olha pra mim! Isso, meu irmão, olha pra mim... Por favor. Ei, você ainda é criança. Tem que aproveitar seu resto de tempo como criança para entrar na sua fase adolescente. Eu não sei como você sentiu na hora, ou qual foi a intensidade do problema, e sei que isso vai ficar marcado para o resto da vida. Quando estiver triste, se lembrará desse dia. Mas Miguel, a vida é feita de tristeza e felicidade. Pra superar a tristeza, seja completamente ou pelo menos o suficiente, você precisa encontrar sua felicidade. Pode ser na amizade, no amor, no jogo, em bens materiais, em bons momentos da vida, com a família, no seu emprego...

Mas precisa encontrar. E eu vou te ajudar. A partir de agora! – Eu mantive um olhar firme, uma posição firme, um tom de voz firme!

Preciso ajudar meu irmão.

- *Sinf* Obrigado T-tarik! Eu te amo muito! Eu vou encontrar algo que me faça feliz!

- Okay. E durante o resto da semana? O que eles fizeram?

- Me fizeram de mini escravo. Mas eu ainda estudo, bem mal, mas estudo!

- Como?

- Tarik, eu não sou a primeira criança que passou pela mão deles. Eu fiz um amigo aqui. E ele tem uma professora particular bem ruim, mas da pra aprender! Ele é muito legal, e disse que seus pais espancavam e abusavam sexualmente dele, até que ele cansou e foi pra rua. Esses caras disseram que iam dar casa, comida e água em troca de trabalho. Isso quando ele tinha tinha 8 anos. Hoje ele tem 10, assim como eu. Mas ele vai fazer 11 semana que vem e tal. Ah é, seu nome é Gabriel.

- Uau. – Eu fiquei surpreso, mas não pela história do menino, e sim pelo meu irmão se sentir bem falando dele. O que é estranho, porquê ele nunca foi de fazer amigos rapidamente. Senti uma amizade boa aí. – Okay. Você disse que está sendo tratado como escravo?

- Sim. Eu acho que é porque nossos pais ainda estão sendo caçados pelos Linnyker, e qualquer coisa vão poder me usar como refém. E agora, você também.

- Merda. Simplesmente merda.

- Sim.

Fiquei refletindo tudo por um tempo, quando sou interrompido por batidas na porta. Droga, não, não, não...

- Droga! São eles? Ah, porquê eu estou te perguntando, você nem deve...

- Não. Eles não bateriam na porta.

- Ah... Nossa. Acho que eu te subestimei, você é melhor que eu em...

- Okay, eu abro.

- Hey, Miguel, seu irmão tá bem?

- Gabriiii! – eles se abraçam. – Ele esta aparentemente bem, estávamos conversando!

- E-eu atrapalho alguma coisa?

- Claro que não, amigo! Você é sempre bem vindo!

- Olá, prazer! Eu sou o Tarik! – Digo sorrindo, mas, um pouco fechado.

- Eu sou o Gabriel, mas pode me chamar de Gabri. Você está bem?

- Mais ou menos. É muita coisa pra minha cabeça!

- Mas você sabe que dia é hoje, que horas são? – É mesmo! Eu esqueci desse detalhe!

- Opa... Eu esqueci de falar...

- Então me digam!

- Bom, você saiu de casa aproximadamente...?

- Umas 15h...

- Se passaram umas 3h...

- Entendi. Então estamos no mesmo dia que eu cheguei aqui?

- Sim, sábado... Agora são 18h.

- Saquei!

- Pois é...

- Hey, Gabriel, POSSO conversar com você? Á sós Miguel, me desculpe.

- O que?? Ei, o melhor amigo é meu Tarik!

- Miguel.

- Tá... Tchau Gabri!

- Tchau Miguelzinho!

MIGUELZINHO? GEEENTE, O QUE TA ROLANDO??

- Uau!

- O que foi?

- Nem eu posso chamar ele de Miguelzinho! – O Gabriel ficou vermelho???? (*a COMEÇOU O CLICHE NESSA POHA SÓ VAMO MEUS LINDO) quando meu irmão virou gay? Tá, eu tô me exaltando, eu sei. Respira! Ta, eu admito. É estranho. E fofo. Sério.

- O- o que você queria falar mesmo?! – Ele diz rápido, coçando a orelha. Bonitinho. Tenho que começar aceitar ele como cunhado?

- Ah é! Então, o Miguel já se abriu completamente pra você, não é?

- Sim como eu me abri pra ele! Somos melhores amigos, e eu realmente gosto dele. Me sinto bem com a sua companhia! – Definitivamente, posso aceitar ele como cunhado!

- Okay, papo reto! Tu é gay?

- É o que? Você tá ficando louco? Por que você acha isso???

- AHAHAHAH MEU DEUS! Você tinha que ver sua reação! – Ótimo! Deixei o menino completamente corado! Sou um ótimo irmão. Mas eles não são gays, são só amigos! Eu espero... – Tá, tá... Falando sério. O meu irmão é muito fechado e tímido. E com isso agora, ele provavelmente está mais ainda! E eu percebi que vocês são muito amigos, então obrigado! Sério mesmo.

- Ah, de nada. Mas agora eu tô muito envergonhado pelo que você disse!

- Relaxa, é só brincadeira! Agora vai ficar com o Miguel, preciso arranjar uma maneira de sair daqui!

- T-ta, tchau...

Tchau.

E agora.

Preciso pensar muito no que fazer, como fazer e como prosseguir!

Preciso pensar rápido! Aí droga!

- Ô CARALHO sai da frente seus pirralhos merdas! – Agora fudeu! Um desses caras tá vindo pra cá... – Tu aí menininho! Cê vem comigo!

- Eu não vou pra lugar nenhum seu merdinha do caralho!

-AH NÃO VAI É?! – Ele saca uma arma na minha cabeça... Legal!

- TÁ, TÁ, calma! Estou indo!

- Pode se despedir do seu irmão mocinha!

ME DESPEDIR??????

- POR QUÊ? O QUE VOCÊS VAO FAZE COM ELE?

- Abaixo o tom pra falar comigo se não eu abaixo tua calcinha putinha!- FILHO DA PUTAAAAA!!! QUE RAIVA!- olha, como ele não vamos fazer nada. Mas com você... Espera só pra ver!

- Então eu vou dar tchau pro... Miguel...- não consigo acreditar! Eu vou morrer?! Esse é meu fim? Droga, merda!

- MIGUEL??? – Vou no suposto” quarto” dele e bato na porta!

- AHH, já vai! – Ele fala enrolado e demora um pouco. – Que?

- O Gabriel tá aí?

- Tá, por quê?

- Nada...

- Odeio! Doidão!

- Tá Miguel, é sério! Não sei como te conto isso, mas eu tô indo embora!

- Tu vai fugir??? O que???

- Eles vão me levar pra algum lugar e fazer alguma coisa, eu não sei! Mas eu não vou morrer! Eu vou conseguir fugir e volto pra buscar vocês!

-Vo... Cês?

- É, é... Então, tchau Miguel! Eu te amo! Preciso ir!

- Espera!

- O que?? Rápido!

- Nada... Tchau! Volta logo!

Entro no carro com um monte de homens. Medo...

Mas como eu fujo? Tem diversas possibilidades do que eles podem fazer! Eu preciso armar um plano que dê pra qualquer situação!

- Bebe, pirralho! – O cara do meu lado me deu uma água um pouco diferente! Ah claro, provavelmente uma droga que me faz dormir e blablabla...

É. Eu tenho pouco tempo pra planejar algo...

Hum...

Hum...

Eu não consigo, merda!

Eu tô me sentindo mole.

Mas calma, o efeito não pega em tão pouco tempo!

Ou pega?

Ah, sei lá...

Boa noite!

- Dormiu?

- Sim. Rápido em?

- É, muito rápido... Humpf!

- Relaxa, a gente vai ganhar muita grana fazendo esse trabalho! Vai dar pra gente fazer o que quiser!

- Saquei... Em, pinhão, quanto tempo vai demorar pra gente ser pago?

- Sei lá velho, tenho cara de bola de cristal? Quando a gente conseguir matar o Pacagnan velho, alguma porra assim!

- Falou, já tá no papo!

- Vai se animando não, os Pacagnan tem mais chances de sair bem nisso tudo do que a gente.

- Vai a merda, pessimista do caralho!

...

Continua ;-;

Lê as notas aqui por favor? Valeu :3


Notas Finais


AH, se tu gosta da minha fanfic, me fala! AAAAAA, por favor! Não custa nada vc dar um favorito se você gostou :3
Agora, se tu não gostou, tem que ter porquê ;-;
E ENTÃO ME CONTA ESSA PORQUÊ MOÇA/O, POR FAVOR :(
Obrigada por ler <3
VIRA A PÁGINA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...