História Grávida de um mafioso - Capítulo 8


Escrita por:

Visualizações 324
Palavras 1.519
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, amores!!!
Boa leitura!❤️

Capítulo 8 - 08.Oath


Fanfic / Fanfiction Grávida de um mafioso - Capítulo 8 - 08.Oath

– Não enche, Cassandra. – bufei. – Eu só tenho coisas para resolver fora de Vancouver e não pude trazer você dessa vez.

Revirei os olhos diante de toda a sua ladainha e desliguei, me poupando de suporta-la por mais algum segundo se quer.

Senti um peso em meu ombro, e olhei para Kimberly apoiada sobre o mesmo, dormindo serenamente e com uma expressão calma em seu rosto, o que me fez sorrir de canto colocando uma mecha de seu cabelo atrás da sua orelha.

Seu rosto era perfeitamente desenhando, como o de um anjo, sua beleza era absurda, eu quase pude setir meu coração palpitar por ela.

É estranho os sentimentos que essa garota desperta em mim. Ao mesmo tempo que eu a odeio, eu a quero. Acho que é isso o que eu mais odeio nela, o fato de eu não conseguir afasta-la. Eu sinto que poderia mata-la a qualquer instante, mas sei que, por algum motivo, eu me arrependeria depois.

– A gente já chegou? – perguntou ainda de olhos fechados sem se desencostar de mim.

– Não. Faltam umas três horas ainda. – suspirei.

– Uhm. – me abraçou, apoiando sua cabeça em meu peito. – Pra onde você está me levando, eu posso saber agora?

– Cancún. – acariciei seus cabelos.

– Uau, eu deveria ter me casado com você antes. – rimos.

– Eu teria enlouquecido já.

– E me matado.

Rimos.

– Verdade. – concordei. – Essa é a primeira vez que temos um diálogo saudável.

– Eu estou com sono, não estou raciocinando direito.

Envolvi meus braços em torno dela e ela suspirou voltando a dormir.

[...]

Point of View – Kimberly Bieber

– Senhor e Senhora Bieber. – a recepcionista do hotel nos comprimentou, entregando a chave do quarto para Justin. – Eu e toda equipe desejamos felicidades ao casal. – sorriu e eu lhe retribui o sorriso, sussurrando um “obrigada”.

Justin pegou minha mão, entrelaçando os seus dedos nos meus e me puxou em direção ao elevador.

Ao entrarmos no quarto, eu quase abri minha boca em um “o”, completamente maravilhada por tudo aquilo.

Fui até a sacada me deparando com a maravilhosa vista de Cancún.

Olhei para Justin, vendo-o jogado na cama, mexendo em seu celular.

– Sério que você vai ficar aqui? – perguntei.

– Qual é o problema? Você não gostou do quarto? Eu posso pedir para trocar se você quiser.

– Não é isso. – disse. – Cara nós estamos em Cancún e você quer ficar trancado nesse quarto? Por favor né?!

Justin riu.

– Calma, nós acabamos de chegar. – disse ele. – Vamos descansar primeiro. Amanhã eu prometo que vamos fazer tudo o que você quiser.

– Sério? – perguntei e ele acentiu com a cabeça, fazendo-me sorrir. – Ah, maridinho, você seria o melhor de todos se eu não te conhecesse. – me joguei na cama ao seu lado. – Vai, me diz o que eu vou ter que fazer para te ter ao meu dispor amanhã?

Ele sorriu safado e eu revirei os olhos rindo pelo nariz.

Em uma ação rápida Justin ficou sobre mim e me beijou.

– Você é um pilantra. – disse acariciando o seu rosto, antes de puxa-lo para um beijo feroz.

Justin tirou minha camiseta e beijou meu o pescoço, deixando um chupão naquela região, fazendo-me arfar e entrelaçar os meus dedos nos cabelos de sua nuca, sentindo suas mãos desabotoarem o meu sutiã, tirando-o tão rápido quanto a camiseta, logo atacando os meus seios, agora completamente expostos para ele.

– Aaan Justin... – curvei meu corpo para frente.

Seus lábios percorreram toda a extensão da minha barriga até o meu ventre, fazendo-me arrepiar e sorrir ao vê-lo desabotoar a minha calça e tirá-la com rapidez, fazendo o mesmo com a calcinha, deixando-me completamente nua para ele.

Bieber sorriu e suas íris cor de mel invadiram as minhas, antes de seus dedos deslizarem entre os meus lábios vaginais, fazendo-me arfar e arracar-lhe um sorriso travesso, antes dele se curvar até a minha intimidade, deslizando sua língua quente e molhada nas minhas partes sensíveis, fazendo-me revirar os olhos de prazer.

– Porraaaa... – entralacei os meus dedos no seu cabelo.

Fechei os meus olhos, longo sentindo dois de seus dedos me penetraram, fazendo-me curvar para trás e gemer.

Os movimentos de seus dedos eram ágeis e rápidos. Ele sabia bem o meu ponto fraco e estava usando isso contra mim.

– Juuuustin!!!! – gemi alto quando cheguei ao meu clímax.

Minha respiração estava ofegante, minhas pernas permaneciam trêmulas e eu estava em êxtase, que mal percebera quando Justin me penetrou em uma investida inesperada.

– Caralho!!! – gemi alto o abraçando apertado. – Ooooonnh... Bieber...

– Gostosa! – sussurrou em meu ouvido, fazendo o meu corpo entrar em chamas.

– Mais rápido! – pedi envolvendo minhas pernas em volta da sua cintura e o mesmo me obedeceu. – Woooooooon... Jaaaaaaaay...

– Cacete! – gemeu quando seu pau começou a pulsar dentro da minha intimidade que se tornava cada vez mais apertada para ele.

– AAAAAAAAAAAAAAH!!!! – gemi alto, cravando minhas unhas nas suas costas, quando senti sua porra me preencher e eu também chegar ao meu ápice.

Justin se jogou do meu lado e eu o olhei, sorrindo maliciosa, antes de ficar sobre ele, sentando sobre barriga, o olhando repleta de desejo enquanto minhas unhas deslizavam por seu abdômen bem definido.

– Você é insaciável, Kimberly. – riu pelo nariz.

– Marido, nossa lua de mel só está começando. – o beijei e sorri ao sentir suas mãos apalparem a minha bunda.

[...]

Horas mais tarde...

– Senhor e Senhora Bieber, por favor, nos acompanhe. Preparamos um jantar especial para o casal. – disse a mulher no direcionando para o espaço aberto do hotel.

Seria um jantar com vista para a praia.

O caminho de pétalas de rosa vermelha nós direcionava até a uma mesa de jantar excepcional.

– Sentem-se e desfrutem do nosso melhor vinho. O jantar será servido logo. – disse a mulher e eu lhe agradeci, antes da mesma se retirar.

Nos sentamos e eu o olhei para Justin que também estava olhando para mim, fazendo-me desviar os olhos por instinto.

– Por que você caga pras pessoas Justin? – perguntei.

– Uhm? – franziu a testa sem entender.

– Quando chegamos a recepcionista foi super gentil com a gente e você não se deu ao trabalho de agradece-la e agora com a hostess foi a mesma coisa. Custa ser um pouco gentil?

Ele me olhou com tédio e arqueou a sombrancelha.

– Eu estou pagando para elas me tratarem assim, então eu não lhes devo gratidão. – disse ele. – Entendeu, garota hiper educada e gentil? – debochou.

Eu revirei os olhos.

– Eu SOU educada. Felizmente isso não faltou lá em casa. – disse.

– O hotel inteiro deve ter te ouvido gemendo a tarde inteira. Tem certeza que você é educada? – senti minhas bochechas corarem e olhei para os lados para ver se não tinha ninguém me olhando torto.

Uma coisa é ser vadia em Vancouver, outra bem diferente é ser vadia em Cancún.

– Você acha que alguém ouviu? – perguntei.

– Provavelmente. – disse abrindo o vinho. – Você é muito escandalosa.

– Seu cu que sou. – alterei o tom de voz e Justin riu.

– Ué, a faixada de garota gentil já acabou?

– Idiota. – beberiquei o meu vinho. – Amanhã eu quero conhecer Cancún. E você vai me mostrar tudo.

– Quem disse?

– Você prometeu.

– E quem disse que eu cumpro as minhas promessas.

– Faz isso comigo e você nunca mais  irá vê-la. – disse me referindo a minha perseguida.

– Eu procuro outra. – riu debochado.

– Talvez eu curta um pau latino. – disse dando de ombros e Justin fechou a cara.

– Não vamos começar uma discussão agora, vamos?! – disse sério.

– Foi você quem começou.

– Tá bom, porra. Amanhã eu te levou até na puta que pariu de Cancún se você quiser.

Sorri vitoriosa e ele revirou os olhos todo irritadinho.

– Admite que você tem ciúmes de mim, vai. – disse o olhando e ele gargalhou.

– Vai sonhando com isso.

– Então porque toda vez que eu falo de sentar pra outro você fica irritado?

– Porque você agora é a minha mulher, caralho. Eu não quero sair por aí tarjado de corno.

– Tá bom, macho alfa da família tradicional. Eu já entendi. – revirei os olhos.

– Acho bom que tenha entendido mesmo.

– Eu Kimberly Baxer, prometo que não vou dar para nenhuma outro cara que não seja o meu atual marido Justin Drew Bieber. – fiz meu juramento diante dele. – Contando que ele também seja fiel a mim enquanto estivermos casados.

– É seu dever como esposa me respeitar, não vem envolver o meu nome nesse acordo não.

– Anjo, eu não vou fazer voto de castidade de pau enquanto você sai por aí metendo em todo mundo. – disse. – Então eu posso ser tarjada de chifruda e o bonito não? – gargalhei com puro deboche.

– Kimberly, são situações diferentes.

– Não, não, não tem nada de diferente. Eu estou grávida de um filho seu. E agora, por uma opção puramente SUA, eu sou sua esposa. Então o mínimo que eu exijo é respeito, assim como você exigiu de mim. – disse. – É isso ou você é livre para transar com quem você quiser e eu também.

Justin bufou e disse:

– Tá bom! Eu prometo que não vou comer nenhuma outra vadia além de você, enquanto formos casados.

– Jura?

– Juro. E vc?

– Eu juro.

Point of View – Narrador

Diante do juramento, naquele jantar com vista para o mar, na cidade de Cancún, ambos permaneciam com seus dedos discretamente cruzados.


Notas Finais


Até o próximo capítulo.😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...