1. Spirit Fanfics >
  2. Grávida de um professor - Jeon Jungkook >
  3. - Frio na barriga

História Grávida de um professor - Jeon Jungkook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


1 •
2 •
3 •

Boa leitura!

Capítulo 1 - - Frio na barriga


Fanfic / Fanfiction Grávida de um professor - Jeon Jungkook - Capítulo 1 - - Frio na barriga

Indo direto para as apresentações...

Me chamo S/n, tenho apenas dezesseis anos e estou entrando para o segundo ano do ensino médio. 

Me sinto ansiosa sobre isso, inclusive, estou mais nervosa que nunca.


(...)


Moro com meu pai, mas sinceramente... não queria que as coisas fossem assim.

Onde morava antes, com minha mãe, não haviam oportunidades de trabalhos, cursos e nem nada do tipo para pessoas da minha idade, para meu azar. 

Diferente de lá, aqui há de ter diversas oportunidades para mim, então decidi vir para cá morar com meu pai no intuito de juntar o máximo de grana em que conseguir. 

Moramos num prédio, um apartamento.    Ele é bem confortável e grande... por sinal.

 Costumo ir ao terraço daqui.

As vezes venho beber escondida de meu pai, ou apenas durmo enquanto observo a cidade. 

É bom. Me dá a sensação de que estou livre, que posso voar.


~

Me sinto cansada esses últimos dias. Tive que sair a procura de algo para mim, e finalmente consegui. 

Toda semana de manhã terei que trabalhar numa biblioteca de um colégio próximo do meu, chamado Kirin.

Ouvi de meu pai sobre ser um colégio famoso e cheio de riquinhos. Confesso ter me importado, já que acharia mais fácil poder ajudar a biblioteca de uma escola pública e mais comum.

Vou começar daqui dois dias. Me sinto realmente ansiosa!



Fui até meu quarto e tranquei a porta indo até o banheiro escovar meus dentes.

 

- Me sinto tão nervosa... merda. - falei me referindo ao trabalho de meio período.


Peguei meu moletom de frio esverdeado e sai,  aproveitando que já passava de uma hora de madrugada. 

Subi o elevador e fui atentamente até o terraço, indo até o banco enorme escorado na parede, de onde dá vista a cidade.


- Tão bonito... - com os braços escorados na parede, observo as luzes da cidade, que vinham das casas, prédios e carros. Eu realmente gosto de cidade grande! As lâmpadas acesas, a energia...

~

Após chorar ao lembrar de alguns problemas com meu pai, acabo pegando num sono leve, até ser acordada pelo eco do som da porta do terraço.

É um homem. 

Um homem de cabelos castanhos, pele pálida e lábios avermelhados, quase como se estivessem sangrando. 

Confortavelmente o homem usa uma camiseta preta e uma bermuda também da mesma cor, com... sapatos?

~

Ao me ver, seu rosto demonstra o fato de estar surpreso com minha presença.

Seus olhos negros se encontram com os meus. Seu olhar parece uma miragem. 

Uma miragem bonita e hipnotizante. 

De vagar o homem caminha até mim, com passos lentos e calmos. Eu o observo em câmera lenta vindo. Não me atrevo a sair ou ficar nervosa. Algo está me deixando estranhamente calma.


- Olá. 


Sua voz rouca e doce quebra o silêncio confortável de antes. O moreno se senta ao meu lado, ficando um pouco distante de mim, como se não quisesse que eu me assustasse com sua presença. Quebro sua linha de defesa e me aproximo um pouco mais.


- Olá! - minha voz sai com certo tom grosso e seco devido as lágrimas de anteriormente. Minha garganta seca me atrapalha ao me fazer engolir a saliva, e o homem parece notar. 


- Está tudo bem?


Sua expressão preocupada é ligeiramente fofa, oque me faz escapar um sorriso. 


- Sim. Você é novo aqui? - tento disfarçar meu sorriso ao perceber que o moreno havia notado ao sorrir junto. 


- Sim. Me mudei hoje mesmo. Costumava morar com minha mãe em Busan, na Coréia do Sul, mas resolvi vir morar sozinho numa tentativa de me dar melhor em meu trabalho.


- Ah, entendo... sua pronúncia é boa de mais para um coreano. - desvio nossos olhares. 

- Meu pai é coreano e acabou se casando com minha mãe que é brasileira. Com isso, eles me tiveram aqui e moramos aqui até meus quinze anos. - ele parece ter um nó em sua garganta. - mas logo fomos morar na Coréia e lá, ambos se separaram.


- Oh, entendo... - minha expressão acaba ficando fechada, triste. 


- Também tem pais separados? - novamente sua preocupação se faz presente, e ele enche suas bochechas de ar, num gesto fofo. 

Assenti e logo o assunto se acaba. 

Ficamos por alguns segundos calados, até novamente o moreno quebrar o silêncio. 


- Você parece ser nova. Ainda está no colegial?

- Sim, entrei a pouco no segundo ano. 


De repente o garoto parece bastante surpreso, me deixando sem graça. 


- O-oh, entendo... - sua voz sai num tom  fraco.

- Por quê ficou surpreso com isso? - falei rindo, pondo minhas mãos em meu rosto, na tentativa de o esquentar.

- Não imaginava que fosse tão nova assim. - dessa vez o tom de sua voz sai mais sério.


Seu rosto também está sério. 

Não pude deixar de o notar forçando o maxilar, o deixando extremamente sexy.


- E-e quantos anos você tem? - tento cortar o clima estranho em que ficou.

- 25.


Concordei e estava prestes a dizer algo, até ser impedida por uma gota fria d'água em meu rosto.

- Oh, vai chover. - ele diz olhando para o céu. 

- Merda! - me levanto rapidamente.

- Hum, há algo de errado? - ele pergunta se levantando também.

- Meu pai vai me encher o saco se me ver entrar toda encharcada. - falei, e logo começou a chover forte.

- Posso te emprestar alguma roupa, se quiser. - ele fala enquanto corremos da chuva, até entrarmos para dentro.

~

Entramos dentro do prédio e fomos até a escada.

Paramos por um momento, e eu comecei a encará-lo.

Seus fios de cabelos estavam molhados, oque os fizeram grudarem um pouco em sua testa, o deixando intensamente mais sexy que anteriormente. 

Ele também está me encarando.

Seus olhos negros miram em meu rosto úmido. Até que seu olhar é levado até... Minha boca.

O moreno parecia querer pedir algo.

Ele encara meus lábios enquanto sua respiração ofegante se faz presente no lugar.


- V-você... 


Antes que eu pudesse dizer algo, vejo o garoto se aproximar encorajado. Sinto sua respiração perto de meu rosto e novamente nossos olhos se encontram, mas desta vez, mais perto. 

Aos poucos seus olhos se fecham e eu copio o gesto, até sentir algo gélido e macio tocar minha boca. 

Seus lábios úmidos e avermelhados me beijam, fazendo uma sensação de explosão pairar sobre mim.

A chuva de antes que encharcou nossos rostos fizeram seus lábios ficarem úmidos e escorregadios. 

Quando estava prestes a separá-lo de mim, sua boca de afasta da minha.

O moreno leva lentamente sua boca até meu pescoço, me dando calafrios.

Sua respiração pesada me faz ter o imenso desejo de beijá-lo novamente. 

Fechei os olhos e permaneci imóvel, até que o mais velho deposita uma série de beijos pelo meu rosto e meu pescoço. Beijos que mais se parecem com chupões. 

Sua língua gélida provavelmente me deixará com suas marcas em minha pele. Meu pescoço irá ficar marcado.

Estou fazendo o possível para não emitir nenhum som, mas o moreno parece querer o contrário. 

...

Sua língua foi até minha orelha, dando leves mordidas na mesma.

Com isso, me fez ouvir o som de sua respiração junto do som de sua língua. 

Sem aguentar, um gemido baixo escapa de minha boca, e com isso, agarro sua camisa encharcada com uma de minhas mãos, enquanto com a outra, o trago para mais perto.

Afundo meu rosto em seu pescoço quente e cheiroso, me fazendo inalar seu perfume doce da qual cai perfeitamente no garoto.

Dou alguns beijos em seu pescoço e o garoto respira de maneira profunda, me dando extremo frio na barriga.

Uma de suas mãos vai até meu rosto, tocando o mesmo fazendo aquecer minha bochecha, enquanto sua outra mão vai até minha cintura.

~

Quando o garoto se separa, ele me olha de maneira doce e inquieta.


- Oque nós fizemos... é errado, não é? - perguntei tentando voltar para si.

- Me perdoe por isso. - seu semblante fica sério e diferente.

- P-preciso entrar agora... - falo quase em sussurro.

- E suas roupas? Meu andar é o de baixo. - ele fala com certa serenidade

Assenti e o garoto me guia até o elevador. Ao entrarmos, ficamos um ao lado do outro, calados. 


- Como se chama? - pergunto tentando não demonstrar minha timidez, olhando para seu lado contrário. 

- Jungkook. - falou brevemente. 

- Aaah! Jung Jung! - brinco.

- Ei! - ele ri. - e você, como se chama?

- S/n.

- Huum, belo nome... San, San. - ele também brinca, fazendo ambos rirem.

Chegamos até seu andar, e ao irmos até a porta, tiramos nossos sapatos molhados.

Ele abre a porta para mim e abre os braços, me dando espaço. 


- Bem vinda, S/n. - ele diz me esperando passar. 

- Obrigada! - digo e o garoto fecha e em seguida, tranca a porta. - embora tenha se mudado a tão pouco tempo... aqui está lindo. 

Aprecio com os olhos os quadros e a decoração escura de seu apartamento. 

- Oh, obrigado. - ele sorri meigo. - que tal ir tomar um banho antes de se trocar? você pode acabar ficando resfriada. 

- Estou me precipitando de mais de entrar na casa de um estranho, quem dirá tomar banho! - gargalhei alto mas o moreno parece não ter ficado feliz com oque disse.

Seu rosto parece surpreso com meu comentário.

- Estranho? - diferente de antes, sua voz está mais séria e ameaçadora. 

Confesso ter ficado assustada com seu olhar.

- Sim. - falei em bom tom, até notar a expressão do moreno cair. Ele parece ter ficado triste. O moreno abaixou sua cabeça, olhando para baixo. - E-e então? Onde fica o banheiro?

Seu rosto novamente passa a me olhar. 

- Suba as escadas e dará de frente ao meu quarto. - pude notar certa diferença em sua voz. - use o banheiro de lá. 

- Certo, obrigada. - falo um pouco baixo, subindo as escadas de maneira desajeitada.

Enquanto subo as escadas, só consigo pensar nele. Sobre o quanto eu estou maluca de estar aqui, e sobre o quanto eu havia me encantado por ele em tão pouco tempo. 

Chego em seu quarto e rapidamente meus olhos fazem um tour pelo local. 

Com certeza a cor preta é a favorita do garoto. 

~

Adentro o banheiro e começo a me despir enquanto me olho pelo espelho. 

Toco cada parte em que sua boca me tocou. Ao fechar os olhos, consigo sentir novamente o frio na barriga de antes.

Seus toques são tão viciantes... tão doces e ao mesmo tempo... quentes.

~

Continuo a me observar no espelho. 

Me sinto diferente... Uma sensação estranha, mas boa.

 Seu perfume está empreguinado em mim. Meu coração aquece ao sentir seu cheiro...

~

Acabei tomando um banho um pouco longo. Ainda estava com o coração acelerado.


~


Sai de toalha até seu quarto e logo noto uma muda de roupas encima de sua cama.

É uma camiseta cinza enorme e uma calça moletom preta e quentinha. Também com seu cheiro.

Parece impossível não me apaixonar por esse cara... me sinto culpada.

~

Após me vestir e arrumar meus cabelos, desço as escadas respirando fundo.

De longe pude ver Jungkook na cozinha fazendo algo.

~

- Fico bonita. - ele me observa enquanto desço as escadas, sorrindo. 

- Obrigada por me ajudar, Jung. - vou ao seu encontro, me encostando no balcão da cozinha em sua frente admirando seu rosto e suas mãos enquanto mexe em algo. - Oque está fazendo? 

- Chocolate quente. - ele diz com seu sorriso carinhoso no rosto. - toma, prova.


Ele me entrega uma xícara, e sem pensar duas vezes, dou um gole. 


- Aaai! - sinto minha boca arder.

- Cuidado! - rapidamente o garoto vem até mim, pegando meu rosto com suas duas mãos, "analisando" com seu rostinho preocupado. 

Enquanto seus olhos me observam atentamente em direção a minha boca, meus olhos também se direcionam para sua boca.

Nos encaramos.

- Estou bem. - solto suas mãos de meu rosto, para não causar "estranhação".

Sinto meu peito doer ao novamente me deparar com seu rostinho triste. 

- Isso dói... me ajuda a sarar? - pergunto olhando seus olhos marejados.

- Posso sim... - sua voz sai baixinha, quase manhosa. 

- Para que isso aconteça, você precisa me dar um beijinho... pra sarar, Jung. - faço um biquinho, o esperando.

O moreno sorridente segura meu rosto, me encarando enquanto morde seu lábio inferior. Ao me encarar, eu pude ver perfeitamente suas pílulas se dilatarem.


- O quanto isso é errado, eu sei... mas é mais forte que eu. - ele se explica, me olhando  pensativo. 

- Shii! - toco sua nuca, chegando perto de seu rosto. 

Tomo seus lábios num beijo calmo e delicado e as mãos do moreno descem até minha cintura. Embora surpreso, Jungkook cede o beijo e logo iniciamos um beijo repleto de paixão e desejo. 

     


Notas Finais


\•-•/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...